Home Aviação de Patrulha Sob novo comando, Esquadrão Orungan é transferido para o Rio de Janeiro

Sob novo comando, Esquadrão Orungan é transferido para o Rio de Janeiro

4355
81
P-3AM do 1º/7º Grupo de Aviação 

Dando continuidade ao Processo de Reestruturação da FAB, 1º/7º GAV atuará na Ala 12

O 1º/7º Grupo de Aviação (Esquadrão Orungan) realizou a passagem de comando e despedida da Ala 14, em Salvador (BA). O Tenente-Coronel Aviador Allan Davis Cabral da Costa passou o comando do Esquadrão ao Tenente-Coronel Aviador Erivando Pereira Souza. O 1º/7º GAV será transferido para a Ala 12, no Rio de Janeiro (RJ). A cerimônia aconteceu no dia 11/01 e foi presidida pelo Comandante da Ala 14, Coronel Aviador José Henrique Kaipper.

O General da Força Aérea Portuguesa, Antonio José Frias Vasques Osório, prestigiou o evento, que também contou com a presença de veteranos e pracinhas da Segunda Guerra Mundial. Uma tropa de 41 militares da Marinha do Brasil, sob o comando do Capitão de Fragata Robson de Macedo Nascimento, Comandante do Grupamento de Patrulha Marinha do Leste, também esteve presente.

Em seu discurso de despedida, o Tenente-Coronel Allan agradeceu a equipe e as missões no Esquadrão Orungan. “Não esquecerei jamais do grande esforço de todos, seja nas longas horas de preparação da aeronave pela equipe de manutenção, seja no cumprimento de longas horas de voo”, afirmou.

destacou a honra e a alegria de poder estar à frente da Unidade Aérea. “É um grande desafio na minha carreira gerenciar a transferência desta Unidade e seu efetivo em apoio à Reestruturação da Força Aérea”, declarou.

Durante a cerimônia de despedida, alguns feitos do Esquadrão Orungan foram lembrados, dentre eles, as missões de Busca e Salvamento, o pioneirismo no Brasil no domínio da Guerra Eletrônica, a surpresa dos americanos e ingleses quando o Esquadrão alcançou o segundo lugar na missão da OTAN, Joint Warrior, e a operação do Projeto do P-3AM.

FONTE: Força Aérea Brasileira

81
Deixe um comentário

avatar
79 Comment threads
2 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
41 Comment authors
Claudio José Castilho de MeloFernando "Nunão" De MartiniMarcelo TatschRafael OliveiraAntunes Neto Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
alexcg
Visitante
alexcg

galera que intende do assunto se possível pode responder umas perguntas de um curioso. O que vai funciona na base de salvador ja que sairao de la ? e a outra porque tudo das forças armadas é concentrado no rio de janeiro, sao paulo aquela regiao ali? e pra facilitar se um dia fosse atacado é

BMIKE
Visitante
BMIKE

Um pouco longe do litoral do Nordeste, caso ocorra algo urgente não terá pronta resposta na região. Em tempo, penso que a FAB deveria começar a pesquisar um substituto para o P3, talvez um E2 com recheio Israelense…

LucianoSR71
Visitante
LucianoSR71

Sinceramente, tenho a impressão que a MB e a FAB ainda pensam que o RJ é a capital do Brasil. Tudo concentrado lá, num país continental como o nosso. Gostaria de saber se nesse caso específico uma aeronave vinda da Europa desaparecer no nordeste, quanto tempo a mais será perdido até os P-3 chegarem do RJ, e p/ aqueles que podem pensar: e se fosse o contrário ( na região sudeste ), numa emergência teríamos outras aeronaves como os C-130/KC-390 baseados na região que poderiam ser acionados, no NE não tem nada do tipo. E olha que eu não estou… Read more »

Walfrido Strobel
Visitante

Com esta transferencia se fecha o plano de desativar as Alas 13 SP, 14 SV e 15 RF.
O que não deixa de ser uma grande economia, conheço muitos Oficiais da FAB que apostaram que isso não ocorreria.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Hellmann’s como sempre.

Sucesso na nova sede.

Os P 3 AM terão as células revitalizadas quando chegar a hora.

Porquê ? Grana !

Gustavo
Visitante
Gustavo

LucianoSR71 29 de Janeiro de 2018 at 13:10
“Sinceramente, tenho a impressão que a MB e a FAB ainda pensam que o RJ é a capital do Brasil. Tudo concentrado lá, num país continental como o nosso. ”

Exato… concordo completamente.

Roberto F. Santana
Visitante
Roberto F. Santana

Alguns brasileiros, como gaúchos, mineiros e cariocas têm muito apego aos seus estados de origem, portanto têm uma certa dificuldade de permanecerem por muito tempo em outros estados.
A Força Aérea Brasileira tem sua raiz no Rio de Janeiro, nos anos setenta e oitenta, grande parte de seus aviadores eram da capital fluminense.
Isso, é claro, não seria um fator determinante para a transferência de todo um esquadrão de um estado para o outro.

LucianoSR71
Visitante
LucianoSR71

Gustavo 29 de Janeiro de 2018 at 13:20
E ainda há um problema que não se aborda: o RJ é hoje a maior concentração demográfica de traficantes no Brasil, essa concentração de tropas lá tornam os militares alvos atraentes p/ o aliciamento do tráfico ( p/ fornecimento de armas, informações e até treinamento militar ), eles são humanos, portanto não são incorruptíveis, até porque muitos vivem nas ou próximos das favelas e o soldo não é nenhuma maravilha. Para se racionalizar é preciso se raciocinar muito bem antes de se fazem qualquer coisa, na minha humilde opinião, pularam essa etapa.

Carlos Miguez _BH
Visitante
Carlos Miguez _BH

Penso um pouco diferente dos que escreveram acima: em minha opinião a transferência se deve ao fato da ativação da base de submarinos em Itaguaí, consequentemente a necessidade de sua proteção contra intrusos submersos e bisbilhoteiros. Além, é claro, de provocar um melhor adestramento do 1º/7º usando os submarinos da MB para praticar.

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Bem, eu sempre achei que estas aeronaves devem estar próximas aos navios da MB, então até que faz sentido estarem no Rio de Janeiro mesmo. Só falta, agora, serem repassadas à MB.

É o que eu penso.

Xeroque Holmes
Visitante
Xeroque Holmes

Acertada a decisão do Comando da Aeronáutica. O RJ é central do projeto e o alcance da aeronave é suficiente para patrulhar o NE tendo como apoio as Bases de Salvador, Recife e Natal. Salvador é Recife agora são bases sem unidades aéreas porém com pessoal capacitado para da suporte se suprimento e manutenção ao Orungan e Natal será uma mega base capas de cumprir as mais variadas funções.

Xeroque Holmes
Visitante
Xeroque Holmes

O corretor fez a festa no meu comentário, desculpem-me.

Douglas Belarmino da Mota
Visitante
Douglas Belarmino da Mota

Na ALA12,já tinha um P-3
a quase dois anos.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Gostaria de ver a opinião do caro, Rinaldo, por ser ex-militar deve saber mais sobre essa transferência e se ela foi boa ou não

Lucas Henrique
Visitante
Lucas Henrique

Alguém sabe me informar onde serão distribuídos os Gripen NG?

Walfrido Strobel
Visitante

Não é só o Brasil que centralizou todos os seus P-3 em um único local, a Austrália que tinha 18 AP-3C usava três esquadrões, todos na RAAF Base Edinburgh em Adelaide, o No. 10 Squadron e o No. 11 Squadron operacionais e o No. 292 Squadron para instrução de Patrulha e formação de equipes com simuladores e alguns P-3C não modernizados. Hoje estão mudando do AP-3C para o P-8. Em um blog eu li a explicação que isso era necessário para economizar recursos e que pela operação autônoma sem precisar de apoio de solo o P-3 pode operar deslocado de… Read more »

elton
Visitante
elton

A maior concentraçao demografica,industrial e recursos petroliferos e no eixo rio-sao paulo nada mais natural que meios estrategicos fiquem concentrados la

Bravo Delta
Visitante
Bravo Delta

Não sou de nenhuma das duas cidades, mas Rio e São Paulo concentram respectivamente 7 e 12 milhões de habitantes, além de serem as mais ricas do país. Estão uma ao lado da outra, formando uma megalópole. Suas costas concentram a maior parte de nossas reservas de petróleo. Alguém ainda vê algo de errado na concentração de meios das Forças Armadas lá? Sério? 🤔

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

LucianoSR71, Vamos aos fatos: 1) para que vc ter uma Base Aérea só com uma unidade, como a BASV? Não fecha com a resstruturação; 2) O Parque que apoia os P-3 é o PAMAGL (Galeão), nada mais coerente da unidade ficar aqui ,mesmo; 3) O P-3 tem autonomia para sair do RJ e ir até Salvador e voltar umas 3 vezes. Ainda temos um Esquadrão de Patrulha em Belém e outro em Santa Maria; 4) Não é verdade que está tudo concentrado aqui no RJ, você deve saber que com a entrada do KC-390 em serviço, o 1/1 GT (Galeão)… Read more »

LucianoSR71
Visitante
LucianoSR71

Rebatendo, democraticamente, o que alguns disseram. Minha crítica não é só sobre o fato da matéria, esse é o último de vários atos a meu ver errados, ou seja a justificativa de irem p/ o RJ porque toda a MB está lá, é como dizer que tinha que tomar remédio porque comeu demais, mas o fato é que não deveria ter comido tanto. O fato de que ‘A maior concentraçao demografica,industrial e recursos petroliferos e no eixo rio-sao paulo’ não pode ser motivo p/ se puxar tudo p/ lá e o fato de que o P-3 tem alcance p/ patrulhar… Read more »

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Antes de se pensar num substituto para o P-3, gostaria de ver a aquisição de uma frota de ARP marítimo para fazer o grosso do trabalho de patrulha, com apenas um motorzinho como PT-6 tão comum por aqui. Quando acharem algo importante, aí o P-3 levantava voo. Afinal, alvos marítimos não são famosos pela velocidade de fuga.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

LucianoSR71, 16:27h. Os “CASA295 do Norte” (C-105 Amazonas do 1°/9° GAV) não fazem busca. Não faz parte da missão. Quem faz busca são os SC-105 do 2°/10° GAV, sediados em Campo Grande. Não vejo necessidade de “prontidão ” no Nordeste. Marcelo Andrade, 16:21h. Marcelo, seus comentários e o do Miguez_BH tem pertinência. Pessoalmente, odiaria ter que servir em Santa Cruz e morar no Rio. Santa Cruz, além de ser o fim do mundo, tem a Base cercada de favelas. E a estrada da Grota Funda é perigosíssima. Já morei no Rio e odiei. Minha esposa e meu filho quase foram… Read more »

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Clesio, ARP de esclarecimento marítimo já está na pauta do EMAER. ACredito que o P-3 será a última aeronave de patrulha da FAB.

Nilson
Visitante
Nilson

Não sou da área, mas parece que o correto seria também ter esquadrão ou pelo menos unidade de patrulha naval na base aérea de Natal. Até os americanos sabiam disso em 1940, será que desaprendemos??

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Grande Cmte, certamente quando o Sr. morou aqui ainda não havia o túnel da Grota Funda!! Agora a Av. das Américas é duplicada da Barra até Santa Cruz e a Estrada da Grota Funda, apesar de ainda existir não é mais utilizada pelo fluxo de longo alcance, usa-se o túnel.

Mas , infelizmente, não posso deixar de concordar com o Sr. sobre a segurança no entorno da BASC, apesar da maioria do pessoal morar na vila dentro da Base. Tem até colégio. Mas o caminho é , como dizemos por aqui: “Sinistro!”.

Grande abraço!

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Rinaldo, bom saber.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Marcelo, não conheço o túnel, mas, talvez também não seja muito seguro. Agora muitos militares residem na vila de Jacarepaguá, e, se tiver vôo noturno, melhor dormir na Base.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Nilson, o 3°/7° GAV (Belém ) pode muito bem patrulhar até Natal, assim como o 1°/7° GAV a partir de Santa Cruz.

Flanker
Visitante
Flanker

Marcelo Andrade, só uma correção: o 2°/7° GAV foi transferido de Florianópolis para Canoas, e não para SM.

Bruno
Visitante
Bruno

Porque estão mudando de base? É uma necessidade?
Tendo em vista o comentário do Rinaldo, acerca da qualidade de vida dos militares que vai cair bastante pela residência no RJ, e também pela dificuldade técnica da mudança do simulador, porque a mudança? Vale a pena ter um avião em patrulha com os militares a bordo pensando se suas famílias estão bem? Se sua casa não está sendo “depenada” por criminosos?

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Não serão depenadas porque bandido não entra em vila militar, senão leva chumbo. Mas o caminho dos filhos pra escola será tenso.

Flanker
Visitante
Flanker

Bases como Florianópolis e Salvador, que só contavam com uma unidade aérea baseada, não justificavem toda uma estrutura de material e pessoal, só para manter essa unidade operando a partir delas. Em tempos de vacas esquálidas como agora, e com toda a reestruturação por que passa a FAB, visando otimizar meios, economizar em tudo que puder, não se justificava manter uma base inteira só para apoiar uma única unidade aérea, como era o caso de Salvador e o 1°/7°. Agora, o local para onde o Orungan foi transferido, deve ter passado por estudos e análises. A proximidade com a base… Read more »

Flanker
Visitante
Flanker

Lucas Henrique, os Gripen NG ficarão baseados todos em Anápolis. Pelo menos inicialmente. Irão reequipar o GDA e reativar o 1°/16° GAV. Talvez, repito, talvez, depois de implantado e operando plenamente, o Adelfi seja transferido para outra região do país.

Flanker
Visitante
Flanker

Marcelo Andrade, sem querer ser chato, mas só mais uma correçãozinha: a unidade de C-130 do Galeão que vai ser transferida para Anápolis, sendo reequipada com o KC-390, será o 1° GTT e não o 1°/1° GT (Gordo), pois esse continuará baseado no Galeão, também reequipado com o KC-390.

Moraes 123
Visitante
Moraes 123

Marcelo Andrade colocou vários detalhes do plano de reestruturação da FAB. A seguir exponho em linhas gerais como permanecerá as Alas (“bases aéreas com grupamentos de aviação fixo”): 1- O conceito de Bases Aéreas no litoral é conceito antigo, mas mesmo com toda a reestruturação teremos duas grandes Alas nesta região (Natal e Santa Cruz-RJ), uma de porte médio no Galeão e outra de menor porte em Belém. As bases de Florianópolis, São Paulo, Santos, Dos Afonsos -RJ, Salvador, Recife e Fortaleza foram transformadas em Bases de Desdobramento, não possuem nenhum grupamento de aviação fixo, mas terão uma estrutura mínima… Read more »

BMIKE
Visitante
BMIKE

Clésio Luiz 29 de Janeiro de 2018 at 16:28

Meu caro, os P3 não são eternos… o recheio eletrônico pode até estar razoável más a aeronave em si… já esta bem desgastada. Agora, ou a FAB pede logo um projeto derivado do E2 para patrulha maritima de longo alcance com recheio Israelense ou parte logo para a compra de 5 P8 de prateleira mesmo.

Ivan BC
Visitante
Ivan BC

RJ, SP e MG concentram 82 milhões de brasileiros, ou seja, 40% da população do país, tem portos e aeroportos importantes, é a cara do Brasil no exterior, sede de diversas multinacionais, sem falar que é o local que concentra a maior parte da indústria e o embrião do eixo rodoviário e ferroviário, no entorno da região concentra importantes hidrelétricas, sem falar as próprias escolas militares: ESA, AMAN, AFA etc…. Não moro no sudeste, mas é inegável a posição estratégica da região. O RS é o extremo-sul do Brasil, faz fronteira com Argentina (segundo país mais importante da América do… Read more »

Juarez
Visitante
Juarez

Moraes, a FAB só não fechou antes a BASV porque o ex ministro “Johnie Walker” que tinha sua base eleitoral lá não deixou.
Tem mais base na linha de “tiro”, lá no final vão ficar cinco alas.

g abraço

Dodo
Visitante
Dodo

Carlos Miguez _BH 29 de Janeiro de 2018 at 14:31
Penso um pouco diferente dos que escreveram acima: em minha opinião a transferência se deve ao fato da ativação da base de submarinos em Itaguaí, consequentemente a necessidade de sua proteção contra intrusos submersos e bisbilhoteiros.

Caramba é verdade ,não tinha pensado nisso kkkk

Chesterton
Visitante
Chesterton

Sem querer desmerecer o pessoal da FAB, mas certas mudanças de ares é boa para sentirem como anda as coisas fora da bolha.

Cabral
Visitante
Cabral

Salvador perdeu apena um esquadrão, pior foi Recife que nos últimos 7 anos perdeu várias unidades: PAMA-RF – Parque de Material Aeronáutico de Recife (Desativado em 2014) 2º/8º GAV – Segundo Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação -Esquadrão Poti (transferido em 2010) 1º/6º GAV – Primeiro Esquadrão do Sexto Grupo de Aviação – Esquadrão Carcará (transferido em 2017) 2º ETA – Esquadrão Pastor Segundo Esquadrão de Transporte Aéreo (transferido em 2018) 2ª COMAR – Segundo Comando Aéreo Regional (Vai ser desativado em 2018) Fico pensando quanto custou transferi toda esse estrutura, se ele não podem transferi a maior delas que… Read more »

Cabral
Visitante
Cabral

Corrigindo: Fico pensando quanto custou transferi toda essa estrutura, se ela (FAB) não pode transferi a maior da região: Trata-se do CINDACTA III que possui uma estrutura muito grande para ser transferido, e a cidade de Natal não comporta tal estrutura; que obrigando FAB a manter em funcionamento no Recife as seguintes unidades de apoio: Base Aérea, Hospital de Aeronáutica, Batalhão de Infantaria, Grupamento de Apoio entre outros. Será que a Força Aérea obteve com esta decisão, uma real redução de custo, com as transferências da unidade para outras localidade, ou seria melhor ter mantido e ampliado a estrutura no… Read more »

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Os Harpoon foram comprados para os P 3 AM ?

Flanker 29 de Janeiro de 2018 at 19:31

“…. deve ter passado por estudos e análises. A proximidade com a base da Esquadra e com as bacias petrolíferas dos RJ e SP, deve ter pesado na decisão de tranferir a unidade para Santa Cruz.”

Tem lógica.

Caro Rinaldo Nery

O túnel da Grota Funda facilitou muito.

Com isso Recreio e Barra ficaram “mais próximos”.

Em Natal neste fim de semana aconteceram 39 assassinatos.

O Afeganistão é aqui.

Satyricon
Visitante
Satyricon

Essa de proteção de Itaguai não cola.
A proteção de base de submarinos é mais eficaz com sensores subaquáticos à partir da costa da Marambaia e bahia de Sepetiba.

Rommelqe
Visitante
Rommelqe

Seria essa transferencia um os dos passos para que os P-3 remanescentes sejam alocados na MB? Assim a patrulha e combate aeronaval estariam concentradis e subordinados à MB? Nao tenho uma opinião formada a respeito de tal conceito, mas o mesmo ja foi defendido aqui e noutros foruns similares. Mais uma hipotese: o desgaste operacional dos P-3 -particularmente quanto à vida remanescente das asas- nao estaria sendo uma razao para concentrar os parcos recursos hoje existentes em local com infraestrutura mais apta? Seriam quantas unidades hoje operacionais? Três, quatro? De qualquer forma, entendo ser imprescindivel planejar, também, reativar, oportunamente, a… Read more »

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Caro Flanker, isso mesmo, obrigado pelas correções!!

Gente! O RJ está ruim mas tb não é a Somália não!! As pessoas vão trabalhar, estudam , passeiam, temos mais engarrafamentos que SP! Rsrs, claro que tem locais mais perigosos que outros mas do jeito que escreveram parece até que todo mundo é assaltado todo dia!!

Silvio RC
Visitante
Silvio RC

Quando passo em frente a base aérea do Recife e vejo aquele imponente B17 preservado, e coração se entristece por saber que lá dentro, restou apenas o silêncio!

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Bom texto e muito bons comentários do Mauricio R e do Cel Rinaldo Nery

http://www.aereo.jor.br/2015/05/21/aviacao-de-patrulha-fab-tera-missil-antinavio-com-278-km-de-alcance/

A perunta permanece, os Harpoon vieram e foram integrados ?

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Flanker

Pré Sal

Adriano Luchiari
Visitante
Adriano Luchiari

Flanker, sobre os Gripen ficarem inicialmente concentrados no 1º GDA, o que pode ocorrer quando os F-5M começarem a ser desativados no 1º/1º GAv, 1º/4º GAv, 1º/14º GAv e não haja nova encomenda de F-39? Os A-29 serão redistribuídos para guarnecer esses esquadrões ou os F-39 operarão desdobrados nas respectivas Alas?