terça-feira, abril 20, 2021

Gripen para o Brasil

FMS: Bélgica solicita venda de 34 aviões F-35A Joint Strike Fighter

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

F-35A Lightning II

WASHINGTON, JAN. 18, 2018 – O Departamento de Estado dos EUA determinou a aprovação de uma possível venda militar estrangeira para a Bélgica de trinta e quatro (34) aeronaves de decolagem e aterrissagem convencionais F-35A Joint Strike Fighter por um custo estimado de US$ 6,53 bilhões. A Agência de Cooperação de Segurança da Defesa (DSCA) entregou a certificação exigida notificando o Congresso desta possível venda.

O Governo da Bélgica solicitou a compra de trinta e quatro (34) aeronaves de decolagem e aterrissagem convencional (CTOL) F-35 Joint Strike Fighter e trinta e oito (38) motores Pratt & Whitney F-135 (34 instalados, 4 peças sobressalentes). Também estão incluídos sistemas de guerra eletrônica; Comando, Controle, Comunicação, Informática e Inteligência / Comunicações, Navegação e Identificação (C4I / CNI); Sistema de suporte global de logística autônoma (ALGS); Sistema Autônomo de Informação Logística (ALIS); Treinador Completo de Missão; Capacidade de Emprego de Armas e outros Subsistemas, Recursos e Capacidades; Flares infravermelhos exclusivos do F-35; Centro de reprogramação; Logística baseada em desempenho do F-35; desenvolvimento / integração de software; traslado e apoio de avião tanque; equipamentos de suporte; ferramentas e equipamentos de teste; equipamentos de comunicação; peças sobressalentes e peças de reparo; treinamento de pessoal e equipamentos de treinamento; publicações e documentos técnicos; Serviços de engenharia e logística do Governo dos EUA e contratada; e outros elementos relacionados de logística e suporte a programas. O valor total estimado do caso é de US$ 6,53 bilhões.

Esta proposta de venda contribuirá para a política externa e a segurança nacional dos Estados Unidos, ajudando a melhorar a segurança de uma nação aliada e parceira que tem sido, e continua a ser, uma força importante para a estabilidade política e econômica na Europa Ocidental.

Esta proposta de venda de F-35 proporcionará à Bélgica uma capacidade de defesa crível para dissuadir a agressão na região e garantir a interoperabilidade com as forças dos EUA. A venda proposta aumentará o inventário de aeronaves operacionais da Bélgica e aumentará sua capacidade de autodefesa ar-ar e ar-terra. A Bélgica não terá dificuldade em absorver essas aeronaves em suas forças armadas.

A venda proposta deste equipamento e apoio não alterará o equilíbrio militar básico na região.

Os principais contratados serão Lockheed Martin Aeronautics Company, Fort Worth, TX; e Pratt & Whitney Military Engines, East Hartford, CT. Esta proposta está sendo oferecida no contexto de uma concorrência. Se a proposta for aceita, espera-se que sejam necessários acordos de compensação. Todas as compensações são definidas nas negociações entre o comprador e o contratado.

A implementação desta venda proposta exigirá várias viagens à Bélgica envolvendo representantes dos governos e contratados dos EUA para revisões técnicas / suporte, gerenciamento de programas e treinamento ao longo da vida do programa. Serão necessários representantes contratados nos EUA na Bélgica para realizar Serviços Técnicos de Engenharia de Contratados (CETS) e Logística Autônoma e Suporte Global (ALGS) para entrega posterior a aeronave.

Não haverá nenhum impacto adverso na preparação da defesa dos EUA como resultado desta venda proposta.

Este aviso de venda potencial é exigido por lei e não significa que a venda tenha sido concluída.

FONTE: DSCA

- Advertisement -

69 Comments

Subscribe
Notify of
guest
69 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
DOUGLAS TARGINO

Seria viável para o Brasil ter pelo menos 12 aeronaves desse tipo em nosso país?

Dranuits

Daqui a pouco teremos 2 tipos de Aeronáutica, aqueles que possuem o F35 e irão passear em qualquer território e os que não tem e se tornarão alvo do F35.
Sei que escrevem coisas terríveis sobre esss modelo, mas aos poucos ele está se tornando padrão em varias forças, menos na nossa infelizmente, dinheiro tem só que é desviado para outras coisas

Ivan BC

Eu achei barato…esse avião é lindo.

DOUGLAS TARGINO

DRANUITS,

ENQUANTO ELES RECLAMAM DESSA AERONAVE, VÁRIOS PAÍSES ESTÃO COMPRANDO-AS. MEU SONHO ERA TER PELO MENOS 12 DESSAS EM NOSSA AERONÁUTICA! MAS SONHAR NÃO MATA NINGUÉM.

Vinícius Almeida

Acredito que ainda é muito cedo para taxar o F-35 como o suprassumo da aviação de caça.

Ronaldo de souza gonçalves

é um preço muito salgado ,para a Bélgica e seria muito salgado para o Brasil. os grispen não pode ser o top de linha mas servirá muito bem para o Brasil,claro que sempre terá atualizações. Olhem que em pouco tempo vão desenvolver radares que permitiram seguir esses vetores a china já está desenvolvendo algo,e claro que em pouco tempo haverá misseis que conseguirão derruba-los. Tem mais o EUA jamais venderia o f-35 ão Brasil pois somos aliados de quinta categoria,e osEUA nos vem como o quintal deles e gostam de nos manter atrasados em tecnologia.

USGrant

Caro Ronaldo disse tudo.
América Latina, África e partes da Ásia são reserva estratégica (terra, água, plantas, minérios, etc…), para um futuro governo global.
Questão de tempo.

Marcelo-SP

Ronaldo de souza gonçalves 24 de Janeiro de 2018 at 13:04 O F-35 esteve disponível para o Brasil em mais de uma ocasião. Embora, no lugar dos americanos, eu não consideraria o Brasil um aliado confiável. Até há pouco, fomos governados por um grupo que se alinhava com Irã, Coréia do Norte e com os narco-governos bolivarianos da vizinhança. E nossas classes política e acadêmica são suscetível aos discurso anti-americanos e anti-ocidentais mais rasteiros do mundo. Os gringos fazem bem em não nos ceder suas tecnologias mais sensíveis, pois, sob certos grupos politicos, não seria improvável que as passaríamos à… Read more »

Luiz Guilherme

Então, o Rafale foi descartado ?

Ivanmc

Ronaldo de souza gonçalves 24 de Janeiro de 2018 at 13:04.
O dia em que o ministro Jobim descartou o F-3.
.
http://www.aereo.jor.br/2009/12/01/o-dia-em-que-o-ministro-jobim-descartou-o-f-35/

Marcelo Andrade

E tome F-16A sobrando no mercado de usados!!! Cade a Argentina?

DOUGLAS TARGINO

Eu estava vendo aqui, os EUA mal construíram dessas aeronaves para eles mesmo, só vejo venda e mais vendas para países amigos. Estou achando que eles estão pensando assim: nós vendemos para nossos amigos, e nós usamos quando quisermos indiretamente. kkkk

Fellipe Barbieri

Marcelo Andrade . Eu acredito que o F-16 cairia como uma luva para os hermanos, mas acho que até pada eles o F-16A/B já é obsoleto, eu apostaria em caças F-16C/D a uns 30 milhões cada, mas atualmente eles não tão comprando nada . Já quanto aos F-35, eu gostaria de ver esse caça na FAB, mas acho que agora não é a hora de comprar, deixa os primeiros entrarem em operação, os problemas iniciais serem corrigidos a produção em escala começar e ai nós vemos o que podemos fazer … acho que devemos focar no Gripen NG, deveríamos já… Read more »

Nonato

O preço tá igual aos gripen com transferência de tecnologia…
Mais ou menos igual.
Então não é tão caro, comparativamente.
Se bem que está quase 200 milhões…

Augusto

Caramba, um paiseco do tamanho da Bélgica com 34 F-35 e nós nos arrastando para ter 36 Gripens!

Augusto

Obs.: o ‘paiseco’ foi referente tão-somente ao tamanho do país, sem nenhuma intenção depreciativa, até porque aprecio, dentre outras coisas, as cervejas dos belgas.

Wilton Feitosa

Não sei … mas tenho a impressão que este rio de dinheiro creditado aos projetos F-35, não esta sendo gasto totalmente nestes projetos … talvez parte do dinheiro esteja financiando algo ultra secreto (que não seria novidade) do Pentágono …
Por que não é possível este projeto atrasar tanto, gastar tanto, ter tantas falhas, um tanto de criticas e ainda assim os aliados (de verdade) estarem c@#$%&* e andando pra tudo isso e fazendo suas encomendas …
desculpem se estou falando bobagem …

camargoer

Olá Colegas. Tenho a impressão que é uma compra de prateleira, inclusive sem acesso ao código-fonte. Não custa lembrar que umas das condições do FX2 era o acesso ao código-fonte. Se fosse para comprar pronto, poderia ser o F35, o F18, o Rafale, o Sukoi ou até mesmo o F39C/D. A ideia da FAB ter um esquadrão de F35 é contrária ao esforço de uniformizar a frota. Por anos aprendemos aqui que a FAB iria ter um caça de alto desempenho (substituindo o F5, o A1, os Mirages..) atuando em parceria com o A29 (que serve tanto para treinamento quando… Read more »

Ivanmc

Eu gostaria de ver uma dúzia de F-35 na FAB ou MB sem nenhum problema.

Paulo Jorge

Muita gente chiando do F-35, mas todos aquele que levam a sério a defesa mergulhando de cabeça no modelo da Lockheed.
O engraçado é que nenhum outro modelo de quinta geração conseguiu vendas externas.

Sds

Hernâni

Além dos parceiros de fabrico do F35 é natural que os diferentes membros da OTAN/NATO venham a substituir as frotas de F16 pelo F35. Tenho pena que Portugal não esteja em condições financeiras de fazer o mesmo…
Transformá-mo-nos em especialistas de recauchutagem de F16 A/B.

Gunter Vand

Eu também achava o F35 ideal para o Brasil, mas temos que ter o pé no chão, o Gripen está ótimo para o nível das nossas forças armadas, não adianta a gente querer o máximo se não temos condições de manter e muito menos de absorver tecnologias avançadas, por isso o Gripen caiu como uma luva, é uma avião prático, barato de manter e simples de entender, para nós, sempre na rabeira dos índices de educação e desenvolvimento está perfeito, deixem o F35 para países de primeiro mundo, simples assim. E se pudéssemos adquiri alguns F-15 de prateleira, como caças… Read more »

WFonseca

Ronaldo S Gonçalves 24/01 13:04 USGrant 24/01 13:17 Quem possui 1,38 bilhões de habitantes para alimentar é a China. Eles são pobres em recursos, reivindicam quase a totalidade do mar meridional, compram reservas e terras mundo a fora, inclusive no Brasil. Já os EUA, em sua fronteira norte, existe um país chamado Canadá, o segundo maior do mundo e “apenas” 36 milhões de habitantes, uma das maiores reservas minerais do planeta (incluindo água). Não seria mais viável os EUA comprarem ou saquear deles ao invés do Brasil? O estado americano mais seco, a Califórnia, é também o mais rico. Por… Read more »

Ivan BC

DOUGLAS TARGINO 24 de Janeiro de 2018 at 14:36
O F-35 tem diversos parceiros, é um consórios de diversos países: Itália, Israel, Reino Unido, Noruega, Holanda, Austrália etc..
Augusto 24 de Janeiro de 2018 at 15:45
PIB da Bélgica é de quase 500 Bi de dólares, Holanda e Bélgica juntos tem um PIB que equivale a 2/3 do brasileiro.

Zé

Porque uniformizar a frota, se existem missões específicas pra cada tipo de aeronave? Ora, toda as Forças aéreas de importância e eficiência estão adotando um caça de superioridade aérea, F 22 ou Typhoon e um caça para bombardeio e ataque , o F 35. O mesmo faz a US Navy, F18 E e F 35. Porque não cortar a gigantesca quantidade de Brigadeiros, pessoal, Alas , teco-temos e missões para além das quais a FAB existe que é voar e combater?

Jacinto

A Bélgica é um dos países que abrigam armas nucleares dos EUA – “nuclear sharing”. Os países que abrigam armas nucleares neste sistema têm o direito de participar do processo de escolha de alvos e também é responsável pelos efetiva “entrega” da arma ao alvo. Dado o desenvolvimento de sistema AA pelos russos, que efetivamente tornariam improvável que aviões comuns (não stealth) consigam penetrar as defesas para a realização do ataque, a Bélgica precisa do F-35…

camargoer

Caro Zé. O Cel Nery apresentou diversas vezes as razões da FAB para uniformizar a sua frota. Sugiro você post antigos sobre o F39 e sobre o A29 para resgatar essas informações.

Augusto

Gunter Vand 24 de Janeiro de 2018 at 17:29
Eu preferiria a dobradinha aqui do Gripen com o F-18 SH. Dentre outras vantagens, haveria a facilidade logística pela comunalidade de turbinas.

WFonseca 24 de Janeiro de 2018 at 17:41

Parabéns pelo comentário, que foi mais preciso que um Tomahawk.

Ivan BC 24 de Janeiro de 2018 at 18:00

Isso só mostra que o Brasil deveria ter, ao menos, 33% maior capacidade de investimento em defesa que Bélgica e Holanda juntos, em que pese nosso baixo PIB per capta.

MadMax2

Penso que o acordo do Brasil com Suécia deve avançar para o FS2020, e claro, mais um lote de 50 Gripens…

Bardini

“Eu preferiria a dobradinha aqui do Gripen com o F-18 SH. Dentre outras vantagens, haveria a facilidade logística pela comunalidade de turbinas.”
.
É rasgar dinheiro…
.
Se for pra ter outra aeronave que não Gripen E/F, que seja F-35B para a MB.

José

Os USA não confiam realmente nos brasileiros,pois não é só eles que não confiam,essa síndrome nos persegue,também os comunistas russos não confiavam nos comunistas brasileiros.E também política americana de há muito tempo não fornecer material militar considerado altamente avançados para a América latina.
Independentemente das ideologias é necessário que um padrão de comportamento e de confiança seja estabelecido por ações duráveis e confiáveis do povo brasileiro,temos que acabar com esse jeitinho brasileiro(malandro,folgado,não sério,chegar atrasado,não cumprir ou honrar compromissos …e outros).

camargoer

Olá Bardini. Rasgar dinheiro seria abandonar o F39E/F agora. Recomendo aos colegas visitarem um posto de out/2017 sobre o cronograma de entrega dos caças para a FAB
http://www.aereo.jor.br/2017/10/03/cronograma-detalhado-do-caca-gripen-da-fab-na-campanha-institucional-dimensao-22/

Rodrigo M

Alguém acima comentou sobre o FS-2020 (acho que é isso mesmo) o hipotético caça de 5°G Sueco By SAAB. Alguém já viu pelo menos algum esboço sério, desse projeto? Não aquela coisinha parecida com um Gripen todo facetado feito no facão que aparece quando se digita no google.. A SAAB está patinando no tempo.. E nós estamos juntos. Por quanto tempo o NG ainda estará no “estado da arte”? 10, 15 anos? Lembrando que ele deve carregar o piano na FAB por pelo menos 30 anos.. Quando, e se um dia esse FS2020 voar o mundo já vai estar com… Read more »

Bardini

Rodrigo M,
.
Antes de falar, pesquise.
.
O programa do “FS2020” já foi encerrado. Era chamado de “General Future Fighter”, GFF.
Era apenas um estudo de viabilidade para uma hipotética nova aeronave, tudo fazendo o uso da barata tecnologia de demonstração em escala.
.
https://www.iei.liu.se/flumes/aircraft-design/gff?l=en
.
Na ToT da SAAB, vamos aprender (acadêmia) este tipo de estudo de viabilidade por meio de protótipo em escala e inclusive, estamos a desenvolver um avião “facetado feito no facão” desses aí, no GFF2.

Zé

Sei…mas porque as Forças Aéreas, como a de Israel, adotam tambem o F 35 e o F 15, por exemplo?

Robsonmkt

Esta é uma questão complexa pois envolve inúmeras variáveis: 1) qual a quantidade de caças ideal para cobrir um país do tamanho da Europa inteira? 2) qual a quantidade de caças ideal para proteger 200 milhões de habitantes e sua infraestrutura? 3) qual a quantidade de caças ideal levando-se em conta a relação de caças x PIB dos principais países do mundo? 4) qual o caça ideal para proteger o país de hipotéticas ameaças de agressões provenientes de nossos vizinhos no continente sul-americano? 5) qual o caça ideal para participação do país em ações de coalização em um ambiente hostil?… Read more »

Rodrigo M

Bardini,

Já tinha pesquisado, e pesquisando cheguei ao mesmo ponto que vc, ou seja nada.
E resumindo é mais ou menos o que falei, ou melhor escrevi.
Acredito que o NG chegou ao seu ápice de desenvolvimento ou está muito perto, e ainda deverá ficar mais uns 15 anos e depois?
Em relação a ToT me desculpe mas nunca acreditei nisso.

Bardini

Nada? Como nada? Foi um estudo. Ponto. A SAAB não tem o pq de lançar um caça de 5ª Geração neste momento. Se a Suécia ou o Brasil quiser um, pode ter certeza que eles estarão a pronta disposição para participar do programa. . “Não acredito em ToT”… Não tem essa de “acreditar” ou “não acreditar”. Não é conversa de Ateu. . http://confap.org.br/news/wp-content/uploads/2017/02/saab_gripen-project_partnership_magnusahlstrom.pdf . Como que o Gripen chegou no ápice? Então Typhoon e Rafale também não tem mais nada para entregar? . O Caça vai ser extremamente efetivo por vários e vários anos no nosso TO… Lá na frente,… Read more »

m

Se ate 2030 estivermos com 72 F39 ja estarei feliz esquece essa de F 35

Rodrigo M

Pois é Bardini, Por isso eu disse que ATÉ AGORA nada de concreto, nenhum esboço (Pelo menos divulgado) Se houvesse algo, certamente o marketing da SAAB seria a primeira a divulgar. . ” Como o Gripen chegou no ápice?” Estruturalmente em relação aos 5°G mais especificamente ao avião da matéria e ao qual fiz minha comparação sim. . ” Lá na frente ele pode entregar muito mais capacidades” Embora sejam de mesma geração, o Typhoon é um caso a parte, foi projetado para ser um interceptador puro e evoluiu muito ao longo do tempo, se tornando um multi-role. Gripen e… Read more »

Luiz Floriano Alves

O F 35 de decolagem convencinal é um exelente sistema de armas. Os problemaas são maiores no modelo de decolagem vertical. Com a maior complexidade mecanica aumentam as possibilidades de falhas, reduzindo a disponibilidade. Certos estão os Belgas: em matéria de caças quem tem o melhor, tem tudo para vencer. Aí não existe comparativos de preços. Comprar barato significa não ser competitivo no teatro de operações. Vale o velho ditado: o barato sai caro.

Robsonmkt

Bardini 25 de Janeiro de 2018 at 0:07 A SAAB não tem o pq de lançar um caça de 5ª Geração neste momento. Se a Suécia ou o Brasil quiser um, pode ter certeza que eles estarão a pronta disposição para participar do programa. _________________ Sim, é isso. Lembrando que, fora os EUA nenhum país ocidental desenvolveu – ou está desenvolvendo – um projeto de caça stealth. No caso do Gripen NG, é importante lembrar que o próprio governo sueco deixou claro que somente entraria no projeto após a Saab conseguir um primeiro cliente externo. Quanto ao Brasil, na época… Read more »

Bardini

Rodrigo M, sua visão”realista” não tem nada haver com a realidade.

Jeff

Caro pro Brasil? Caro porque? Dinheiro nós temos, só que queimamos ele com coisas inúteis, investimentos fracassados, política desonesta e etc. Mas dinheiro tem, isso nunca foi problema. Só na cagad@ do foguete ucraniano já se foi 1 bilhão, literalmente jogado no lixo, no ralo, porque não se aproveitou nada ali.

Rodrigo M

Mas porque Bardini?
Pq não concordo com a SUA opinião?
Posso não concordar, mas respeito ok.
Sds..

Carlos Campos

Queria era o F18 Growler, não existe nenhum país que nos ameace de forma preocupante, só nos delírios da Bolívia, e com os Growler poderíamos criar um corredor de ataque em qualquer país vizinho, entramos somos notados mas aí já é tarde de mais, Growler abri o caminho e os Gripen atacam. Lembrando que o F18 Growler já derrubou um F22 em exercício.

Humberto

Prezados,
Só vamos para um F-35 se entrarmos em guerra com algum pais, simples assim.
O Grippen será o nosso caça nas próximas duas décadas. É só olhar a história do Brasil.. Se conseguirmos em algum momento termos 72 Grippen na FAB já será uma vitória.

Reportagens especiais

PAMA-SP 2014: Poder Aéreo no Domingo Aéreo – parte 3

Evento mostrou cinco caças F-5EM em diferentes estágios de revisão nível parque. No ano passado, eram dez - Quem compareceu ao...
- Advertisement -
- Advertisement -