Home Aviação Comercial Airbus tem desempenho recorde

Airbus tem desempenho recorde

2503
50
As entregas de aeronaves comerciais da Airbus em 2017 cresceram pelo 15º ano consecutivo, atingindo o novo recorde da empresa de 718 aeronaves entregues a 85 clientes.
  • As entregas totais chegaram a 718 – 4% acima do recorde anterior
  • Total de 1.109 pedidos líquidos de 44 clientes; uma relação de 1,5 entre reservados e faturados

São Paulo, 15 de janeiro de 2018 – As entregas de aeronaves comerciais da Airbus em 2017 cresceram pelo 15º ano consecutivo, atingindo o novo recorde da empresa de 718 aeronaves entregues a 85 clientes. As entregas foram mais de 4% maiores do que o recorde anterior de 688 estabelecido em 2016. O total de 2017 é composto por 558 aeronaves de corredor único da Família A320 (das quais 181 são A320neo – um aumento de 166% em relação a 2016), 67 A330, 78 A350 XWB (um aumento de quase 60 por cento com relação a 2016) e 15 A380. Além disso, para completar esta impressionante produção anual, a Airbus chegou a 1.109 pedidos líquidos de 44 clientes. No final de 2017, a carteira geral da Airbus era de 7.265 aeronaves no valor de US$ 1.059 trilhões, segundo o preço listado.

“Um novo recorde de entregas da Airbus combinado com o nosso quinto maior volume de pedidos recebidos encerra um ano notável para nós. Esta conquista excepcional é um testemunho da dedicação de todas as nossas equipes e torna a empresa mais apta, forte e preparada para as oportunidades futuras”, comentou Fabrice Brégier, Diretor de Operações da Airbus e Presidente da Airbus Comercial Aircraft.

Com esse desempenho, a Airbus aumentou consistentemente as entregas ano a ano – com 15 anos consecutivos de aumento de produção. Nas quatro plantas da família A320 em Hamburgo, Tianjin, Mobile e Toulouse, a Airbus está a caminho de alcançar uma taxa de 60 aeronaves de corredor único por mês até meados de 2019. Enquanto isso, o A350 XWB está igualmente no caminho certo para atingir uma taxa de 10 por mês até o final de 2018. O robusto recebimento de pedidos em 2017 resultou em uma relação de 1,5 entre reservados e faturados.

Muitos marcos industriais foram alcançados pela Airbus Commercial Aircraft em 2017, entre os quais estão a entrega do 100º A350 XWB, a entrega da 50ª aeronave da Família A320 pela nossa linha de montagem final em Mobile, entrega do 100º A380 da Emirates, o primeiro voo do A330neo, a certificação do A350-1000, a entrega dos primeiros A321neo com motores CFM e P&W, inauguração do novo Centro de Finalização e Entrega do A330 em Tianjin, na China, com suas duas primeiras entregas e a finalização estrutural do primeiro Beluga XL.

Com relação à internacionalização, a nossa parceria com a China está em expansão, enquanto a nossa marca nas Américas também está sendo ampliada. Além disso, em termos de prestação de serviços em todo o mundo, a Airbus está aumentando significativamente sua presença local para se aproximar de seus clientes.

DIVULGAÇÃO: Airbus

Subscribe
Notify of
guest
50 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Audax
Audax
2 anos atrás

Um excelente avião. Só podiam melhorar os manuais que são uma bos#&$*@ta. Como dizia um instrutor americano que tive, foi escrito em Frenglish. Os manuais da Boeing dão de 10 X 0 nos da Airbus. Mas é um baita avião. Não é à toa que está tomando espaço nos EUA. Sds.

Mauricio_Silva
Mauricio_Silva
2 anos atrás

Olá.
Off-topic, mas de assunto correlato e pertinente.
http://www.rtp.pt/noticias/economia/airbus-podera-deixar-de-fabricar-a380-se-nao-receber-novas-encomendas_n1052079
Seria uma pena.
SDS.

Marcos
Marcos
2 anos atrás

E manual da Embraer, como é?

Audax
Audax
2 anos atrás

Não sei como é hoje. O do EMB 120 era bem ruim. Acredito que depois de 20 e poucos anos devem ser bem melhores. Sds.

Marcos
Marcos
2 anos atrás

Sds.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
2 anos atrás

Os do E145/190/195 são bons.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
2 anos atrás

Aliás, Audax, que aviãozinho complicado esse Airbus. Tô me ferrando no simulador. Saudades do E195. ¨ECAM actions!¨. Meu Deus…

Audax
Audax
2 anos atrás

É chato. Até se entender a filosofia é complicado mesmo. Mas se não aprender, acostuma. Eu me acostumei, mas não aprendi. Mas vamos levando. Vai dar certo. Boa sorte. ECAM Actions Completed.. Afff.

Mauricio R.
2 anos atrás

Da foto no início da notícia:
O A-380 tomou a coroa do 747, mas a que preço???? Deve morrer em breve, tão jovem, pobrezinho…
O A-350 coitado, está cercado de Boeings por todos os lados.
O A-330, bem pra esse ai a briga terminou antes de começar.
Sobra o NEO, o único que realmente vende e tira o sono da Boeing.

Nonato
Nonato
2 anos atrás

Carteira de pedidos da Airbus: 1 trilhão de dólares.
A da Embraer é de 18 bilhões…
Isso mostra a diferença de receita.
Mas nem por isso a Embraer fica tão para trás em importância.
Poderíamos em algum momento chegar a 50 ou 100 bilhões na carteira de pedidos…

PEDRO HENRIQUE PEREIRA SOARES
PEDRO HENRIQUE PEREIRA SOARES
2 anos atrás

OFF TROPICO ##
As duas bases Russas na Síria foram atacadas por drones, achei que o PA iria colocar algo a respeito!
Acho que daria um bom debate sobre defesa aérea e modelos de ataques. Talvez seja doido, mas já pensei em um enxame de drones sucedidos por ataques de morteiros (de países mais fracos contra potencias).
https://hypescience.com/exercito-de-drones-caseiros-bombardeou-base-aerea-russa-na-siria/

Tiago Jeronimo ☠ (@TiagoJL)
2 anos atrás

O mais lindo de todos era o A340.

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
2 anos atrás

O Airbus é um baita avião mas eu ainda prefiro Boeing viu!? E embora não seja piloto, a maioria dos que eu pude conversar prefere os produtos do fabricante de Seattle.

Audax
Audax
2 anos atrás

É bonito o A 340. Mas não teve muito mercado. Mas pelo que soube a similaridade com o A 330 era tanta que no simulador bastava trocar o pedestal de manetes e atualizar o software que passava a ser simulador de A 340. Sds.

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
2 anos atrás

Audax, os A330/A340 eram tão semelhantes que até a asa era a mesma, pelo menos no que tange aos A-340 200/300. Contudo esses aviões não apenas têm um desempenho sofrível por serem subpotenciados (ganharam o apelido de “rolha da aerovia”) como apresentaram consumo de combustível maior em virtude de serem quadrimotores. Assim acabaram sem condição alguma de competir com o Boeing 777, que sob qualquer aspecto é francamente superior.

Já o A-330 é uma maquina magnífica, talvez o melhor Airbus já fabricado

Audax
Audax
2 anos atrás

Concordo HMS TIRELESS. É difícil convencer alguma empresa a levar um avião com quatro motores se vc pode fazer o mesmo com dois. Acho que o futuro está nos bi motores. Assim como aviões como o A380. O B 747 acho que sairá de linha em breve também. Quanto a preferência de equipamentos, varia muito. Eu hoje não voltaria para B 737. Talvez por falta de paciência de estudar tudo de novo. Mas varios colegas que tiveram uma trajetória semelhante a minha também pensam assim. Ficariam no A320. Além de o mercado dar muito mais oportunidades para quem está com… Read more »

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
2 anos atrás

Audax 15 de Janeiro de 2018 at 22:39
É chato. Até se entender a filosofia é complicado mesmo. Mas se não aprender, acostuma. Eu me acostumei, mas não aprendi. Mas vamos levando. Vai dar certo. Boa sorte. ECAM Actions Completed.. Afff.

Como é que é Audax??? E os passageiros? Como ficam? Vou te procurar na cabine!!! kkkkkkkk

Rinaldo, aprende isso aí senão não voo contigo para Orlando hein!!!!

kkkkk,

Brincadeiras a parte amigos!!! Só pra descontrair!!

Audax
Audax
2 anos atrás

Dizem que o cara que entendia tudo do Airbus morreu louco. Kkk. Abraço.

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
2 anos atrás

Audax 16 de Janeiro de 2018 at 11:27

O 747-8 ao contrário do A-380 ainda pode ter uma sobrevida um pouco maior visto possuir uma versão cargueira. Aliás as vendas do 8F praticamente amortizaram os custos de desenvolvimento da versão 8.

Uma pergunta: é possível um piloto hoje em dia conseguir pilotar o 737 e o A-320 dentro de uma mesma frota?

BILL27
BILL27
2 anos atrás

Sobre o A340 ,a unica versão dele que acho bonita é a 500/600 que tem aqueles motores maiores ,o que pra mim deixa ele mais harmonioso do que a versão 300 com aqeles 4 motores pequenos .

Fernandes
Fernandes
2 anos atrás

Não sou piloto, nem tenho o conhecimento dos demais que aqui postam, mas me sinto muito mais confiante quando embarco em um Boeing. O fato do Airbus ser controlado por joystick e ser totalmente computadorizado causa-me temores. Quem ainda não viu computadores e suas redes terem bugs…. Kkkk

BILL27
BILL27
2 anos atrás

Fernandes , mesmo assim , tem muita redundancia no sistema .A unica coisa que eu ouvi dizer sobre o joystick é q ele é menos intuitivo para os pilotos do que o manche .

Audax
Audax
2 anos atrás

HMS TIRELESS 16 de Janeiro de 2018 at 14:25 Não. Não é possível. São tipos diferentes. Para ter uma ideia na época da VARIG se voava o 737-300 e 800 ao mesmo tempo. Já quando a GOL introduziu o 737-800 os pilotos só podiam voar uma aeronave. Quando se faz o simulador de um equipamento hoje, vc não pode mais voar o passado. Terá de fazer o curso novamente para voar o antigo. Sim BILL27. Sistemas muito redundantes. O Sidestick, como é chamado, tira um pouco a sensibilidade mas é muito fácil de se adaptar. A pilotagem é fácil. O… Read more »

Copo
Copo
2 anos atrás

Se o a380 for pro brejo é capaz do 747 “receber alta”.

Aerococus
Aerococus
2 anos atrás

Olá BILL27, Segue uma pequena curiosidade técnica sobre diferenças entre a filosofia Airbus e Boeing no que se diz respeito a pilotagem. As aeronaves Airbus a partir do A320 empregam o conceito da estabilidade neutra enquanto a Boeing tenta se manter o mais próximo possível de aeronaves convencionais. Bom, não expliquei muito ainda. Vou tentar explicar de uma forma simplificada. No conceito da estabilidade neutra, o piloto controla diretamente, com o auxílio do FBW, as taxas de giro da aeronave sobre os seus eixos. Ou seja, se o piloto puxa o sidestick, a aeronave gira em torno do eixo longitudinal,… Read more »

Marcos
Marcos
2 anos atrás

Mauricio R. O A-380 tomou a coroa do 747, mas a que preço???? Deve morrer em breve, tão jovem, pobrezinho… É, esse tenho de concordar, que para um mercado restrito de aeronaves desse porte, ter dois concorrentes, é muito. Entretanto deve sobrar um para atender a demanda, pequena, muito pequena. Acho que a Boeing e a Airbus vão ficar se olhando para ver quem pisca primeiro. — O A-350 coitado, está cercado de Boeings por todos os lados. A carteira não é tão mal. O B.787, que voou com cinco anos de antecedência, tem uma carteira de pedidos de 1300.… Read more »

Marcos
Marcos
2 anos atrás

Quem deve dar um lucrão para a Boeing deve ser o B.777, com uma carteira de quase 2000 un.

Marcos
Marcos
2 anos atrás

Aerococus:
Quando se fala em FBW, esse cabeamento elétrico vai até onde? Quero dizer, onde termina o cabeamento elétrico e onde começa a parte hidráulica? E onde se insere as servo válvulas?
FBW atuando nas servo válvulas que libera pressão hidráulica para as superfícies. É isso?
E quando se fala que o B-787 é totalmente elétrico, o que some e o que entra no lugar? Sai a servo válvula e entra o quê como atuador?

Aerococus
Aerococus
2 anos atrás

Ola Marcos, Os atuadores normalmente possuem uma malha de controle de posição que aciona a servo válvula para levar o pistão para a posição comandada. Este controlador é comandado pelo FBW que passa qual é a posição do atuador que deve ser atingida. Quanto ao B787, segue a descrição geral do sistema de atuadores (fornecido pela MOOG), a princípio, a grande maioria é de atuadores eletro-hidráulicos, creio que os atuadores eletromecânicos esteja lá para cobrir a falha dos sistemas hidráulicos: “Primary Flight Control Actuation System for 787 Moog provided the design, integration and certification support for the Primary Flight Control… Read more »

Mauricio R.
2 anos atrás

Meu comentário sobre o 330, seria mais apropriado para sua versão NEO.
Nem parece parente dos 320/321…

Marcos10
Marcos10
2 anos atrás

👍

Walfrido Strobel
2 anos atrás

Off Topic: Rinaldo Nery, o 4° ETA realmente dançou, o pessoal e material vai para o 3° ETA em Santa Cruz.
. http://www.fab.mil.br/noticias/mostra/31538/CERIM%C3%94NIA%20-%20Em%20processo%20de%20Reestrutura%C3%A7%C3%A3o,%20FAB%20se%20despede%20do%20Esquadr%C3%A3o%20Caraj%C3%A1

BILL27
BILL27
2 anos atrás

Walfrido , a base ja estava funcionando em meio periodo em 2016 ,com essa noticia q vc postou m pergunto se a base aerea vai fechar as portas ou vai se manter aberta somente para infantaria e montagem e desmontagem dos F5 que vai para o Pama SP

Walfrido Strobel
2 anos atrás

Bill, até que enfim estão desativando o 4° ETA e posteriormente a Ala 13(BASP), a mais inútil de todas que como Base Aérea só sediava o 4° ETA e uma escola que não tem nada a ver com uma Base Aérea, o ILA, que a décadas ocupa o espaço que antes era a Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais. As Alas 13(SP), 14(SV) e 15(RF) tem os ultimos números porque devem ser desativadas. Para continuar sediando o ILA(Instituro de Logistica da Aeronautica) não precisa ser uma ALA, e outras unidades fora da aviação vão ocupar o espaço deixado vago, para montar… Read more »

BILL27
BILL27
2 anos atrás

Eu sempre me perguntei do pq não ter uma esquadrão de caça na BASP ,ja que o F-5 sempre está por lá e não tem nnehum esquadrão de caça localizado em SP.

Walfrido Strobel
2 anos atrás

Bill27, não da para operar um esquadrão de caça dentro de um aeroporto internacional movimentado, seria impossível realizar treinamentos e procedimentos militares.
Por isso Canoas, Santa Cruz, Anápolis e Manaus tem a caça em aeroportos militares separados dos civis , nos casos de SM, CG, PV e BV o movimento do aeroporto é menor.

Fernandes
Fernandes
2 anos atrás

Walfrido Strobel, concordo com sua explanação, mas me ocorre que outros aeroportos pelo mundo afora, como por exemplo o Aeroporto de Santiago é civil e militar. No caso específico de São Paulo, não teria nada a ver com a Revolução de 1932? O uso civil de Cumbica é relativamente recente (inaugurado em 1985), e anteriormente também nunca teve aeronaves relevantes…

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Fernandes
2 anos atrás

Fernandes, Tem vários exemplos de bases aéreas compartilhadas no Brasil, mas o que o Walfrido se referiu especificamente, é de aviação de caça. Você falou em Santiago, mas tem esquadrão de caça em Santiago? Que eu saiba, os esquadrões de caça chilenos ficam baseados em Iquique, Antofagasta e Punta Arenas. Quanto a aeronaves relevantes, Cumbica até teve, antes da construção do aeroporto civil, esquadrões importantes de bombardeio e de reconhecimento, com B-25 e A-20, depois B-26 Invader e AT-26 Xavante, sem falar no Gruman Albatroz de unidade de busca e salvamento. Com a construção do aeroporto civil, ficou mais lógico… Read more »

Walfrido Strobel
2 anos atrás

Fernandes, Santa Cruz é o local responsávem pela região, mas hoje realmente seria impensável colocar um esquadrão de caças em Guarulhos. A BASP ja teve seus momentos de operacionalidade no passado. “Entre as unidades que lá foram sediadas, contam-se o 1º/10º Grupo de Aviação (de março de 1947 a dezembro de 1978), o qual operou os Douglas A-20, Beechcraft RT-11, North-American B-25J, Douglas B-26 Invader e o EMB.326GB RT-26 Xavante; e o 2º/10º Grupo de Aviação (de dezembro de 1957 a janeiro de 1972), equipado com os Grumman G-64 Albatroz e helicópteros Sikorski S-55 SH-19D (até 1970) e Bell 205D… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Walfrido Strobel
2 anos atrás

Complementando o Walfrido, realmente seria complicado operar caças na BASP. Mas eu acho que deveria ser pensada a utilização da infraestrutura da AFA (em Pirassununga, a cerca de 200km da capital paulista, e numa posição boa para cobrir outros “alvos de valor”) para abrigar seções desdobradas de caças de outras bases, com alguma frequência. A AFA tem uma infraestrutura invejável, três boas pistas, espaço de sobra para abrigar pessoal de voo e de manutenção desdobrado, nem que se precise construir algum edifício especificamente para isso. Sei que no organograma a AFA tem subordinação diferente de outras bases, mas não vejo… Read more »

Fernandes
Fernandes
2 anos atrás

Obrigado Nunão e Walfrido. Esclarecido e convencido. E também torcendo pela AFA. Afinal, a primeira e a segunda força econômica do País são a capital e o interior do Estado de São Paulo. Acredito que isso é estratégico e deveria ser melhor protegido, ainda que não tenhamos ameaça imediata. Se queres paz, prepara-te para a guerra…

Walfrido Strobel
2 anos atrás

Fernando “Nunão” De Martini, o problema da AFA é o espaço aéreo totalmente congestionado por dois esquadrões de instrução(T-25 e T-27) mais o EDA(A-29).
Final de semana ainda tem o clube de planadores e ultraleves, fica difícil imaginar uma operação na AFA que não fosse nas férias.
Nos dias normais ao amanhecer os Cadetes da turma da manhã ja estão chegando no Esq. para o voo e ao anoitecer a turma da tarde está pousando, a instrução não para.

Nunão
Nunão
2 anos atrás

Sim, eu sei Walfrido, a atividade praticamente só para de final de semana, tive parentes em Pirassununga e acompanhava, quando em visita, o sobe e desce dos aviões de treinamento por todo o dia.

Mas, como escrevi, penso em desdobramentos frequentes apenas de seções, e não em basear um esquadrão lá. Uma seção desdobrada, praticando umas duas ou três saídas de alerta ao longo do dia, e compondo nesse período de desdobramento o alerta de defeasa aérea.

BILL27
BILL27
2 anos atrás

walfrido ,eu nao sei como é o dia a dia de uma base que tem esquadrao …é bem movimentado ? bastante pousos e decolagens todo dia ? Eu ate vejo como possivel cumbica deixar uma peqeno numero de aviões de caça de prontidao ou entao em SJC

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
2 anos atrás

BILL27, em Cumbica não dá. Incompatível com o grande tráfego civil.

Marcos
Marcos
2 anos atrás

Nunao
Uma vez vi uma fotografia de uma pista de pouso com duplo balizamento. Deduzi que fosse uma pista militar. Isso de fato existe?

Paulo Maffi
Paulo Maffi
2 anos atrás

É… parece que a linha de montagem do A380 vai durar mais um pouco! https://economia.uol.com.br/noticias/efe/2018/01/18/emirates-encomenda-36-airbus-a380-por-us-16-bilhoes.htm

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
2 anos atrás

A AFA não possui mais o clube de ultraleves. Somente o Vôo à Vela, que, por sinal, está muito bem servido de modernos planadores de alta performance. Em 2013 estive lá e fiz um vôo num DuoDiscus. Uma das principais características de QUALQUER Força Aérea chama-se MOBILIDADE. Não há a necessidade de sediar nada PERMANENTEMENTE na AFA. Quem faz a defesa aérea do parque industrial de SP é o 1° Grupo de Aviação de Caça, sediado em Santa Cruz. Várias UAE executam manobras na AFA. Esqueçam Guarulhos. Muito difícil operar lá. Fico imaginando o sequenciamento da aviação comercial pra pista… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Rinaldo Nery
2 anos atrás

“Uma das principais características de QUALQUER Força Aérea chama-se MOBILIDADE. Não há a necessidade de sediar nada PERMANENTEMENTE na AFA.” Rinaldo, Talvez eu não tenha me feito entender corretamente na minha troca de comentários com o Walfrido. Não sugeri que se baseasse um esquadrão de caças de forma permanente na AFA. Academia é Academia, Base é Base, e na verdade eu sempre fui contra o que muitos comentaristas por aqui desejam, que é espalhar esquadrões de caça por todo canto do país. Apenas tenho a opinião de que desdobramentos de seções / pequenas esquadrilhas de esquadrões de caça, aproveitando as… Read more »

Justin Case
Justin Case
2 anos atrás

Olá, amigos.
Para proteger a área de São Paulo, em alerta de defesa aérea, historicamente a aviação de caça tem sido desdobrada para Campinas ou São José dos Campos, que têm tráfego menos intenso e pistas mais longas.
Abraços,
Justin