Home Aviação Comercial Jungmann se reúne com executivos da Boeing para tratar de negócios com...

Jungmann se reúne com executivos da Boeing para tratar de negócios com a Embraer

5515
69
Reunião de representantes da Boeing com o MD e a FAB

Paulo Victor Chagas

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, se reuniu nesta sexta-feira (12) com representantes da empresa aérea Boeing, que no final do ano passado manifestou intenção de adquirir a Embraer, fabricante brasileira de aviões. Aos executivos da companhia, ele voltou a dizer que a manutenção do controle acionário da empresa pelo Brasil é uma questão de “soberania nacional”.
Saiba Mais

Jungmann, porém, se manifestou favorável a uma parceria entre as duas empresas. Há duas semanas, ele havia concordado com as negociações entre as fabricantes de aeronaves, mas descartou a hipótese de a Embraer ser dividida com o objetivo de se vender apenas uma parte.

“Raul Jungmann se posicionou favorável a uma parceria entre Boeing e Embraer, mas defende que a manutenção do controle acionário da empresa brasileira é uma questão de soberania nacional, e não será transferida, nem irá à mesa de negociação entre as empresas”, informou o ministério da Defesa, por meio das redes sociais.

De acordo com a pasta, participaram do encontro a presidente da Boeing para América Latina, Donna Hrinak, dois vice-presidentes da empresa em nível global e o presidente comercial, Ray Conner. Além de Jungmann, receberam os executivos o comandante da Força Aérea Brasileira (FAB), Nivaldo Luiz Rossato, secretários do ministério e o diretor de Economia e Finanças da FAB, Heraldo Luiz Rodrigues.

FONTE: Agência Brasil

Subscribe
Notify of
guest
69 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Angelo Chaves
Angelo Chaves
2 anos atrás

Esse negócio me deixa preocupado…

ODST
ODST
2 anos atrás

Estas últimas noticias tem sido ótimas, e mostra que o governo já está com a cabeça feita (e no lugar), e já está dando uns chega pra lá na Boeing, batendo o martelo em sua decisão de manter o controle sobre nossa fabricante. Quer uma parceria? Ótimo! Não quer? Então passar bem! Agora, depois de tudo isso o governo brasileiro também não pode mais ficar parado, tem que manter sempre as encomendas e investir constantemente em novos projetos, pois a Embraer não consegue sobreviver sem a ajuda do estado, sem contar que pode haver retaliação por parte da Boeing, ou… Read more »

Marcos
Marcos
2 anos atrás

Vale a carta divulgada no final do ano passado por ambas as empresas, na qual estão estudando alguma parceria, troca de ações, venda, etc, mas que não tem nada definido e que existe a probabilidade disso tudo não dar em nada.

Canarinho
Canarinho
2 anos atrás

Estamos encurralados. Nos simplesmente não temos como bater de frente com os interesses dos norte americanos. Se não acontecer nenhuma negociação, não só a boeing mas o estado americano vão retaliar a embraer e o estado brasileiro de varias formas. Esses caras não estão pra brincadeira. A começar pela nossa cadeia de fornecedores, que de alguma forma vai ser atingida. Mais da metade da aeronaves da Embraer eh de origem norte americana. Ok, isso acontece com todos, mas no nosso caso ficamos no caminho deles e isso se torna um calcanhar de aquiles. Nao adianta, a unica salvação para embraer… Read more »

Silva
Silva
2 anos atrás

Canarinho 13 de Janeiro de 2018 at 15:49, Olha a paranoia aí. O que o governo dos EUA ganhariam em troca, boicotando a Embraer, se a maior parte dos componentes utilizados em seus aviões são fabricados nos próprios EUA, gerando empregos e renda para milhares de americanos? Como se a Embraer fosse uma ameaça a soberania dos EUA ou para a indústria aeronáutica americana, ou mesmo isoladamente para a Boeing. A verdade é que a Embraer contribui e muito para a geração de riquezas para os EUA. O que será que os americanos estão perdendo de tão valioso, para quererem… Read more »

Canarinho
Canarinho
2 anos atrás

Silva, de verdade você acha que indo contrários ao interesses deles as coisas ficariam como estão?. A retaliação poderia se dar de muitas formas, uma delas a partir da consciencia que os mesmo ambicionam o mercado da fabricante brasileira e com uma estrategia a médio-longo prazo de fazer com que a boeing através de outra parceira, ou independente, começasse a disputar o mesmo nicho da embraer, essa logica de que eles ganham com a gente perde validade. Os fornecedores americanos continuariam ganhando dinheiro só que dessa vez atendendo empresas americanas. Não estamos lidando com amadores, e se formos um calo… Read more »

Daniel
Daniel
2 anos atrás

Vergonha!!!!!!!

Dan01
Dan01
2 anos atrás

Embraer e extremamente importante pra fab, o governo nao vai entregar ela pra boeing porque nao e so dinheiro que esta em jogo, uma parceira seria algo bom pras duas.

Juliano Bitencourt
Juliano Bitencourt
2 anos atrás

O que tem de histérico berrando contra o Grande Satã…. é uma piada. A ideologia liquida a lucidez.

Bryan
Bryan
2 anos atrás

Amigos, comecem a dar “adeus” à Embraer.

Sérgio de Almeida
Sérgio de Almeida
2 anos atrás

Oitenta e cinco por cento das ações da Embraer estão nas mãos de estrangeiros, ou seja, que soberania é esta que as pessoas defendem tanto, além do mais em matéria de material de defesa, devemos ressaltar que quem tem veto de vendas é o EUA, já que a maioria dos equipamentos tem sua procedência americana.

Robsonmkt
2 anos atrás

Parafraseando o Juliano Bitencourt:
O que tem de histérico berrando a favor do Big Brother…. é uma piada. A ideologia liquida a lucidez

Robsonmkt
2 anos atrás

“participaram do encontro a presidente da Boeing para América Latina, Donna Hrinak, dois vice-presidentes da empresa em nível global e o presidente comercial, Ray Conner.”

A comitiva da Boeing mostra o quão sério eles consideram este negócio.
A posição do Jungmann foi clara e firme: há espaço para parcerias e negociações, mas o limite é o controle da empresa. Me parece certo e afinado com a maioria dos colegas daqui, mas ainda resta saber como isto impactará o F-39 Gripen E/F

BILL27
BILL27
2 anos atrás

A Boeing esta interessada em que nesta parceria com a Embraer ? Eu não consigo entender .

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
2 anos atrás

A situação agora está mais clara. Como foi bem dito acima, há muita paranóia. A golden share vai continuar existindo e funcionando, e a EMBRAER terá muito a ganhar com essa parceria. Isso sim será um baita ToT. A BOEING necessita dessa parceira para continuar enfrentando a AIRBUS em determinados segmentos, como, por exemplo, aviação regional. E, os produtos de defesa (A-29 e KC-390) são bem interessantes pra eles, também. O interesse é todo deles. Esqueceram de mencionar a presença do TB Araújo, Secretário de Economia e Finanças, chefe do MB Heraldo. TB Araújo é quem tem assento no Conselho… Read more »

BILL27
BILL27
2 anos atrás

Rinaldo , ok ,eles tem interesse nisso ,mas em que especificamente ? Nas tecnologias empregadas ? Esta meio nebuloso isso …pra mim a Boeing quer matar uma futura concorrente direta .

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
2 anos atrás

A EMBRAER não concorre em quase nada com a BOEING. Os EJET não concorrem com os 737. Nem o KC-390 com nenhum produto BOEING. Os EJET concorrem com o C Series da Bombardier. Daí o interesse da BOEING. E o projeto turbo hélice da EMBRAER bate de frente com o ATR.
A EMBRAER não faria nada para concorrer com os 737 e com os A320, porque ela sabe que não tem cacife pra isso. Daí investe em outros segmentos de mercado.

MARCOV
MARCOV
2 anos atrás

BILL27 13 de Janeiro de 2018 at 20:08 Eu peço desculpas por me meter na conversa de vocês dois, mas a meu ver a BOEING tem duas empresas que realmente incomodam: AIRBUS e LOCKHEED MARTIN. A meu ver, caso uma parceria envolva vantagens para a operação de aeronaves das duas empresas, uma empresa aérea que utilize uma aeronave da EMBRAER e queira adquirir uma aeronave da BOEING terá mais benefícios (desconto em peças das duas linhas, treinamento, ferramental específico, etc.) e vice-versa. A parceria pode envolver promoções conjuntas. A compra de material de fornecedores também poderá ser negociada com mais… Read more »

MARCOV
MARCOV
2 anos atrás

Correção: “Especificamente, caso as duas empresas consigam vencer alguma concorrência com o KC390 para os EUA, a BOEING deverá ser a empresa montadora.”

Mauricio R.
2 anos atrás

Parceria em que no T-X, os protótipos estão voando e assim não há nada que a Embraer possa acrescentar, que Boeing e Saab não possam fazer por elas próprias.

Daniel
Daniel
2 anos atrás

Esse governo só possibilita notícias ruins para nós. Querem acabar com o que resta da nossa base industrial. Vamos voltar a ser colônias!

Marcos
Marcos
2 anos atrás

O que a Boeing ganha com a Embraer?
R: Sinergia!
Recentemente a Air Canadá negociou a substituição de toda sua frota de Airbus pela linha da Boeing. No negócio a Boeing aceitou como parte do pagamento os EJets, que acabaram sendo alocados em outra companhia aérea.

Marcos
Marcos
2 anos atrás

Como se vê no artigo, há interesse tanto da Boeing como da Embraer em trabalho conjunto. Como se dará isso? É nisso que todos estão trabalhando.

luiz antonio,
luiz antonio,
2 anos atrás

Peço licença ao administradores para postar um video que creio muitos ja devem ter visto. Uma lembrança de um dos nossos bravos pilotos de combate, Maj. Brig. Lauro Ney Menezes, cuja história se confunde com a história da FAB, no passado e no presente. Quem pode saber se tambem no futuro, mesmo ja não estando entre nós.
https://www.youtube.com/watch?v=cuWJW0gYSfwo

Marcos
Marcos
2 anos atrás

Atenção
Importante matéria: Turboprops Could Face Crossover Narrowbody Jet Challenge
Aviation Week & Space Technology

Delfim Sobreira
Delfim Sobreira
2 anos atrás

Até que enfim uma notícia séria. Nada de especulação.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
2 anos atrás

Rinaldo Nery

É isso e o que venho afirmando.

Mais, há um erro no texto: O Tesouro não controla a Embraer desde sua privatização, o contrôle é estrangeiro, simples assim.

O que foi dito a Boeing é bem simples:

A Golden Share continua. (ponto).

O resto é especulação e “jogo para torcida”.

O negócio será concluído e todos ganharão.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
2 anos atrás

Marcos 13 de Janeiro de 2018 at 22:11

Boa postagem, Embraer + Boeing vão “matar a pau” com Turbopropulsor e com o a nova família

emb 175/190/195 (170?) e2.

O A29 e o KC390 completam o portifólio do Consórcio, esta denominação a compra já foi definida.

EParro
EParro
2 anos atrás

E como será que ficariam os “negócios” entre EMBRAER e SAAB/Gripen?

shambruno
shambruno
2 anos atrás

pra boeing o gripado ja morreu ela esta de olhos na area commercial executiva e o kc antes de vender a embraer passem os gripados para uma outra empresa nacional se naum vai chorar todo o projeto como os foguetes da ucrania

Delfim Sobreira
Delfim Sobreira
2 anos atrás

Fiquei feliz de ver o Min.Def e 3 Brigadeiros na mesa. A negociação ficou séria.
A Boeing com certeza não ficou feliz. Acostumada com takeover e gameover, tem pela frente 2 opções indesejadas : associação controlada ou desistência.
No final o único post que acertou foi o da declaração do Etchegoyen.
Não vou mais perder meu tempo com informações desencontradas.

luiz antonio,
luiz antonio,
2 anos atrás

Bom dia a todos. Eu tinha afirmado que não comentaria mais o assunto Embraer x Boeing, porque creio que todos ja comentaram e opinaram. É evidente que os comentários e opiniões se transformaram em repetitivas afirmações, “conclusões”, “soluções”, etc., etc. Não sou especialista. Sou apenas um aficcionado por aviação e assim como muitos aqui acompanho as noticias e tambem dou meus “pitacos” (sim, apenas “pitacos, nada mais). As opiniões “viajam” longe e até ja afirmam que o projeto GRIPEN já esta comprometido. Acompanhei desde o inicio do projeto FX-1 e pela conclusão do FX-2 com a escolha pelo GRIPEN. Se… Read more »

Antonio de Sampaio
Antonio de Sampaio
2 anos atrás

EParro 14 de Janeiro de 2018 at 0:05
A SAAB que pode é se beneficiar dessa parceria entre Boeing e Embraer, por vários motivos.
Faz parte dizer que está preocupada, sabendo que pode se beneficiar.

Marcos10
Marcos10
2 anos atrás

O MD deve proteger os programas militares, o GF deve proteger empregos, só!
Pergunta? Se amanhã a Embraer passar por dificuldades financeiras, quem aqui apoiaria o GF bancar uma empresa privada?
Se a resposta for sim, pergunto: onde vocês estavam quando a Varig, a Transbrasil, a Vasp, a Engesa faliram? Porque sim, elas eram empresas relevantes.

Ronaldo de souza gonçalves
Ronaldo de souza gonçalves
2 anos atrás

O governo está certo em manter o controle tracar de ações se torna interessante,tornando a Boeing detentora de um numero bom de ações e Embraer também ter uma parte da Boeing,poderia assim gerar lucro aqui é lá e abrir o mercado fechado do EUA para as duas.A força aérea teve é terá que fazer encomendas sempre com a Embraer-Boeing de agora em diante para manter o fluxo mínimo de caixa.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
2 anos atrás

Carlos Alberto, 22:54h, e Luiz Antônio, 07:57h.
Comentários lúcidos e precisos. O resto é maconha vencida. Esse tema EMBRAER/BOEING já esgotou. Agora só perguntando pra Mãe Diná.

Mauricio R.
2 anos atrás

“…e abrir o mercado fechado do EUA para as duas.”

A Boeing é AMERICANA e os EUA são o maior mercado de E-Jets.

“A força aérea teve é terá que fazer encomendas sempre com a Embraer-Boeing de agora em diante…”

Reserva de mercado mudou de nome????
É cada uma…

Adriano A.R.
Adriano A.R.
2 anos atrás

Agora sim. Se houver um acordo, vai ser bom para todos. Se não, bola pra frente. Fica tudo como está. Ao menos temos um governo e uma FAB que se mostram atuantes e presentes, pensando no que bom para o país, e não apenas no que é bom para os acionistas das duas empresas (talvez para estes a simples aquisição da Embraer pela Boeing seria ótima).

JOSÉ N BITTENCOURT
2 anos atrás

Objetivamente, o que se pode falar sobre o assunto, fora das altas esferas de governo, é o seguinte: 1. Qualquer acordo terá de envolver o GF e o MD (até agora, as declarações do Jungmann têm sido supreendentemente sensatas), visto q a empresa é sensível para a área de segurança nacional; 2. “Fatiar” uma empresa do porte da Embraer (parece que é a 4a maior fabricante de aeronaves comerciais) é operação muito complicada. 3. Segundo me explicou um profissional da área, a Boeing quer entrar no mercado de aeronaves de médio alcance, o maior nicho atual da aviação comercial, cujo… Read more »

JOSE SIMAS
JOSE SIMAS
2 anos atrás

1. No meu modesto entender, não sou especialista na matéria mas apenas um aficionado por temas aeronáuticos, tratam-se de boas noticias. 2. O interesse da Boeing e’ uma demonstração que haverá mais proteção contra a parceria Airbus-Bombardear (esta ultima a arquirrival da Embraer na aviação comercial). 3. Seguramente poderá vir nova força no mercado dos USA para os novos aviões comerciais, assim como surgirão para o Super Tucano e para o KC-390, com suas futuras variantes ,e no desenvolvimento de novos projetos como os falados turboélices de terceira geração. 4. A Embraer não é de forma nenhuma um concorrente da… Read more »

Delfim Sobreira
Delfim Sobreira
2 anos atrás

É cada escândalo que se vê que acabamos ficando paranóicos mesmo.
É o preço de sermos brasileiros.

Juliano Bitencourt
Juliano Bitencourt
2 anos atrás

Muitos estão com medo de a Embraer deslocar estruturas para os States, mas quais seriam as estruturas que a Boeing poderia transferir de outros países da AL, ou mesmo novas estruturas, trazendo-as para o Brasil (SP? MG? quem sabe São José dos Campos)? O Brasil poderia ser uma nova plataforma para a Boeing? Haveria uma nova relação da Boeing com as aéreas brasileiras? E sul americanas? Poderia haver um reforço na posição do Brasil no cenário da aviação civil e militar mundial(assim como no de submarinos-naval)? Se nos livrarmos dos bolivarianos, poderemos exercer nossa NATURAL E INTRANSFERÍVEL liderança e hegemonia… Read more »

Mauricio R.
2 anos atrás

A Saab já tem a sua própria parceria com a Boeing, então não precisa de uma eventual parceria da Embraer para nada.
Entendam de uma vez por todas, os interesses dominante são os dos americanos, não são os da Embraer e nem os do Brasil!!!!
Aceitem de uma vez por todas, que dói menos.

Nonato
Nonato
2 anos atrás

Offtopic. Sobre guerra política, econômica e o mercado aéreo.
http://money.cnn.com/2018/01/12/news/companies/airbus-china-certification-delivery-delays/index.html

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
2 anos atrás

Rinaldo Nery 14 de Janeiro de 2018 at 12:27

Obrigado Coronel.

MSB
MSB
2 anos atrás

Se tem politico brasileiro envolvido nas negociações com poder de definir a transação, com certeza os interesses da BOING vão prevalecer, infelizmente não existe patriotismo nesta classe de gente (politico) serão todos comprados, todas esta lenga lenga e só para valorizar o passe, lamentável ..

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
2 anos atrás
Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
2 anos atrás

luiz antonio, 14 de Janeiro de 2018 at 7:57

É isso.