Home Aviação de Caça ‘Estávamos na cauda deles, ​​o que significa vitória no dogfight’ – piloto...

‘Estávamos na cauda deles, ​​o que significa vitória no dogfight’ – piloto de caça russo que voou na Síria

38350
110
Caças Sukhoi Su-35S

Os pilotos russos sempre conseguiram chegar por trás dos jatos de combate da coalizão liderada pelos EUA que encontraram nos céus sobre a Síria, disse um ás russo depois de receber uma condecoração estatal do presidente Putin no Kremlin.

“Ao encontrar nossos pares da coalizão ocidental no ar, sempre estivemos ‘on their tails’ como dizem os pilotos, o que significa vitória em um dogfight”, disse o major da Força Aeroespacial Russa, Maksim Makolin.

A chamada “lag pursuit” quando o nariz de um avião atacante aponta para a cauda da aeronave adversária é considerada a posição ideal em um combate aéreo. Ela permite ao avião atacante uma variedade de opções, de aumentar ou manter o alcance sem “overshooting” para atacar livremente, enquanto permanece escondido no ponto cego atrás da aeronave defensiva.

Makolin tornou-se um dos 14 mil militares russos que receberam condecorações estatais por sua coragem e profissionalismo durante a campanha russa de dois anos na Síria. “Esta condecoração reflete muito trabalho duro durante as missões aéreas na Síria. Penso que eu vinguei completamente o tenente-coronel Oleg Peshkov, Herói da Rússia, e todos os outros que não voltaram da Síria”, disse o ás.

O bombardeiro Su-24 de Peshkov foi derrubado pela Força Aérea Turca em 24 de novembro de 2015. O piloto conseguiu ejetar do avião em chamas, mas foi morto a tiros por metralhadora dos terroristas na Síria durante sua descida. Ancara disse que o avião russo foi atacado por violar o espaço aéreo turco, mas Moscou nega a alegação.

A campanha aérea russa em apoio aos esforços antiterroristas das autoridades sírias durou de setembro de 2015 a dezembro de 2017. Apesar de chamar a luta contra o terrorismo sua tarefa prioritária na Síria, os aviões da coalizão norte-americana freqüentemente tentaram impedir os aviadores russos de realizar suas missões e atingir alvos específicas de militantes no país, de acordo com as forças armadas russas.

Os incidentes no ar ocorreram apesar de uma linha especial de conflito estabelecida entre as forças russas e americanas na Síria. No entanto, o Ministério da Defesa disse que as comunicações não trouxeram os resultados desejados devido à relutância dos EUA em compartilhar seus planos para operações de combate aéreo.

F-22 Raptor

Em um dos últimos episódios, um avião de combate russo Su-35S foi acionado para interceptar um caça F-22 mal-intencionado que, segundo o Ministério da Defesa russo, realizou “manobras perigosas” perto de bombardeiros russos prestes a atingir uma base do Estado Islâmico (IS, ex-ISIS) no oeste do Eufrates em 23 de novembro.

Na cerimônia de premiação no Kremlin, que contou com a participação de cerca de 600 militares russos, Putin disse que o exército do país “executou sua tarefa na Síria com excelência”. O presidente também propôs um momento de silêncio para os militares russos, que perderam suas vidas durante a campanha síria.

“Nós sempre nos lembraremos de nossos companheiros que caíram ao executar seus deveres de combate. Eles morreram defendendo a Rússia … uma jovem geração de oficiais e soldados será criada em seu exemplo”, disse ele. De acordo com cálculos, publicados pela agência TASS em outubro, 39 militares russos morreram durante a operação na Síria.

A Rússia se envolveu na Síria a pedido do presidente do país, Bashar Assad, desempenhando um papel vital na derrota do Estado Islâmico, Jabhat al-Nusra e outros grupos terroristas no país. De acordo com o Ministério da Defesa, cerca de 60 mil militantes foram eliminados durante a operação. Em meados de dezembro, Putin visitou a base russa Khmeimim na Síria para anunciar a retirada das tropas russas do país.

FONTE: rt.com

110 COMMENTS

  1. As histórias contadas pelos pilotos russos são adequadamente risíveis para se encaixar no tradicional padrão de sua corrupta mídia. O fato é que os F-22 foram capazes de se aproximar sem serem percebidos dos aparelhos de ataque russos, deixando as escoltas na desconfortável posição de terem falhado visto que, fossem combates reais, teriam visto apenas bolas de fogo e destroços dos aparelhos sendo atingidos pelos AIM-120.

  2. Possivelmente é verdade, muitas matérias usavam a expressão “shadowed” pra designar o comportamento das aeronaves russas na Síria. Acredito que a derruba do Su-24 e o ataque de mísseis na base aérea foram eventos bastante traumáticos e devem ter colocado uma tensão extra em cada missão executada.

  3. Mais uma matéria com aquele padrão habitual de adjetivação triunfalista que elimina, de cara, qualquer seriedade na leitura dessas peças de ficção.

  4. Por falar em coisas da Rússia, a edição da revista ASAS que está nas bancas noticia na pagina 72 que o projeto do Pantisr para o Brasil foi cancelado.

  5. Parece que os sukhois sempre chegam depois que raptor já está no visual de outras aeronaves russas.

    Nunca dizem que o F-22 foi detectado por radares antes de fazer alguma coisa.

  6. Não entendo por que sempre acham que os mísseis vão ter 100% de acerto, tipo atirou acertou… recentemente foi noticiado sobre o AIM-9X que errou feio e mesmo assim acreditam piamente que é atirou e acertou… esquecem das defesas passivas onde são gastos milhões e milhões no desenvolvimento, se as defesas não funcionam então por que ter MAWS, RWR, Chaff, flares, decoys rebocados, Pods de ECM, etc.

    O fato do F-22, F-35, SU-35, Typhoon, Rafale, Gripen entre outros serem dotados de excelente misseis, como o MICA, Meteor e AIM-120, não quer dizer que a probabilidade de acerto é 100%.

    Acredito que para ter uma efetividade de 70% ou mais, é necessário de 2-3 misseis por ataque, corrijam se eu estiver errado.

    Obrigado!

  7. “Finge ser fraco a fim de que teus inimigos, abrindo a porta para a presunção e para o orgulho, venham atacar-te em hora errada, ou sejam surpreendidos e derrotados vergonhosamente” – Sun Tzu ( A Arte da Guerra).

  8. “As definições de vitória foram atualizadas”.

    Tenho que concordar, na atual circunstância conseguir apontar o nariz para a cauda de um F-22 já é uma vitória.

  9. Acredito que é tudo muito achismo!
    Tanto pros que defendem os F-22 como uma arma invisível e infalível como pros defensores russos.
    Só saberemos quem levaria a melhor se realmente se enfrentassem, o que nunca aconteceu. Russos intercepitando os caças americanos e vice e versa, mas nunca tem combate real e nem tentativa de nada, pessoal nem eles sabem quem ganharia…

  10. é nessas horas que sinto vergonha alheia pelo russos, acho que nem os pilotos brasileiros com nossos F-5 desceria a esse nível sabendo que chegaram “1 ano luz” de atraso.

  11. Conversa fiada. Toda a descrição da matéria remete ao TO da época do Vietnã. A interceptação dos Raptors precedeu a abordagem da escolta. E isso em lugar algum é Vitória para as aeronaves que estão protegendo os bombardeiros.

    Sds

  12. Engraçado, nos conflitos para valer os aviões russos teimam em se estatelar no chão depois de alvejados.

    Segue o jogo, se fosse os EUA ficaria com muito “meda” e começaria a projetar aviões de 8a. geração. (IMO – ironic mode on).

    Normalmente a imprensa ocidental é mais pragmática com os assuntos militares, vide o avião russo derrubado na Turquia. o avião caiu porque violou o espaço aéreo, isso pode ser considerado uma agressão e nesse caso a reação é … “para valer”… resultado: mais um avião russo derrubado.

  13. Grande coisa… O F-22 chegou despercebido atras do aviao de ATAQUE Su-25. Parabens!

    O interessante foi o Su-35 chegar despercebido atras do F-22.

  14. Ricardo Bigliazzi 31 de dezembro de 2017 at 1:05
    Contra os pilotos do Iraque é fácil, agora, se você relembrar a guerra do Vietnam vai ver caças americanos de última geração sendo abatidos por aviões de uma ou duas gerações anteriores.

  15. Negada ainda vai nessas conversas fiadas de caças russos em superioridade aeria em relação a f22 ? Tem que rir pra não chorar kkkkkkkkkkk

  16. Os russos também têm rede de satélites e não dependem de radares para detectar os f22 e aliás é muito comum dizer que russos são “um pouco exagerados nas notícias” mais tudo bem é evidente que os f22 são aviões de caça de última geração
    Mais que seria uma vergonha que o acidente já mais vai admitir é que um f22 não consegue se sobrepor a um su35

  17. antiamericanismo infantil uma Guerra contra os aliados naum vai levar a nada os Yankees possuem technologia laser abaixo o Nazi fascio comunismo no brasil losers kkkkkkkkkkk os f22s jamais serao abatidos por nenhum caca russo ou chines proponho o retorno a Russia alemanha e italia pois e estes paises naum querem vcs

  18. As americanildas colonizadas descamisadas custam a acreditar na realidade. Kkkk O próprio pentágono declarou ao The Drive, que não sabe como o F-22 não detectou o Su-35.

  19. Começou o choro das tietes do déspota corrupto do Kremlim, que não conseguem explicar como o F-22 intercepta o pacote de ataque russo ANTES das escoltas se mexerem…rs!

  20. Cada comentário ‘sem noção”, tanto USA qto Rússia, usam a mídia p se auto promoverem, parecem duas crianças brigando, países realmente civilizados, não fazem essas idiotices, acordem brasileiros!!! Acho q temos coisas mto mais sérias p nos preocupamos.

  21. Parem de puxar o saco dos estadunidenses, na guerra dos Balcãs a guerrilha derrubou um F22 invisível com uma pedra bem pontuda numa atiradeira….

  22. Se os Russos saírem da Síria os EUA vão começar a abater o que a Síria colocar no ar!
    Assim que o SU-57 estiver operacional irá para Síria aí veremos!

  23. O F-22 chegou despercebido atrás de um ‘Frogfot’… em espaço aéreo teoricamente controlado pelos russos… Esse é o ponto…

    Quanto ao ‘Flanker’ ter chegado “despercebido” ( se é que ocorreu mesmo; coisa que realmente não acredito, visto haverem AWACS na área ), resta óbvio que chegaram pelo setor traseiro, sendo vetorados pelo controle de solo para a posição dos Su-25. Sabendo de antemão da proa das aeronaves amigas, os russos decidiram aproximar-se por trás. Evidente, portanto, que chegariam ao hemisfério traseiro do ‘Raptor’…

    Seja como for, isso não muda o fato de que em uma situação real, os caças americanos teriam tempo de abater as aeronaves russas e se retirarem sem que os ‘Flanker’ tivessem intervido. Aliás, numa ação verdadeiramente coordenada, é provável que a própria escolta fosse abatida sem que sequer desse conta, visto que ela também não localizou nada, sendo alertada somente quando a presença americana foi constatada visualmente…

  24. Hélio ( 31 de dezembro de 2017 at 1:57 );

    Julgar pilotos iraquianos não faz sentido…

    A força aérea iraquiana até atuou bem diante de tamanha desolação… Eles tinham uma percepção clara da inferioridade gritante sob a qual estavam. Sabiam que haveria uma janela muito limitada de oportunidades para atuarem, e fizaram o melhor possível…

    E os modelos disponíveis aos iraquianos então, teriam rala possibilidade de impor-se diante da coalizão. O Mig-25 somente tinha uma vantagem clara de velocidade; e o ‘Fulcrum’ e o ‘Mirage F1’ eram, no máximo, equivalentes aos F-16A… Salvo melhor juízo, eles estavam até sondando caças Mig-31 e Su-27, mas nada conclusivo foi acertado…

  25. Os walking dead do “avião fino” estão certos quem mente é são as agências de notícias: CNN, CBS, RT, The Drive… Chega a ser ridículo. O Mundo está errado só as americanildas estão corretas. A Força aérea Russa colocou o Su-25 como boi de piranha e o Raptor foi que nem pato, logo o Su-35 botou o F-22 para correr e pronto. O piloto do raptor está procurando até agora o Cy-35. O resto é mimimi de viúva do top gun.

  26. Os walking dead do “avião fino” estão certos quem mente é são as agências de notícias: CNN, CBS, RT, The Drive… Chega a ser ridículo. O Mundo está errado só as americanildas estão corretas. A Força aérea Russa colocou o Su-25 como boi de piranha e o Raptor foi que nem pato, logo o Su-35 botou o F-22 para correr e pronto. O piloto do raptor está procurando até agora o Cy-35. O resto é mimimi de viúva do top gun.

  27. Amigo RR, você foi direto ao ponto! E não custa lembrar que a função de escolta é impedir que o pacote de ataque seja neutralizado. Ou seja ela não pode agir apenas para atacar os agressores quando esses já fizeram seu estrago.

    No mais é aquela coisa! Tietes da Putinlândia em seu pombo enxadrista style só servem para emporcalhar o ambiente 😉

  28. A necessidade de parecer grande da Rússia só é comparável a necessidade do PT de mostrar grandeza com a sua diplomacia de atabaques.

  29. “Esta condecoração reflete muito trabalho duro durante as missões aéreas na Síria. Penso que eu vinguei completamente o tenente-coronel Oleg Peshkov, Herói da Rússia, e todos os outros que não voltaram da Síria”, disse o ás.
    ————————————
    Esses pilotos russos deveriam fazer o teste do bafômetro e um exame antidoping antes de falar à imprensa. Vergonha alheia total.

  30. O RR deixou claro.

    Com base nos relatos pode-se concluir que:
    1-os caças americanos sabiam onde estavam os bombardeiros russos
    2-as escoltas e os bombardeiros russos não sabiam onde estavam os caças americanos

    O que não se pode concluir:
    1-os caças americanos sabiam onde estavam as escoltas russas

    Numa situação de conflito, os americanos poderiam ter disparado (não necessariamente abatido) contra os bombardeiros e saído da área de conflito sem serem detectados.

  31. Parece que os sukhois não respeitam o raptor já que não negam em enfrentá-lo mesmo não sendo stealths.

    Nunca dizem que o F-22 seria o suficiente para negar o espaço aéreo sírio aos russos. E na prática isso nunca acontece.

    É… e bateu a meia noite para os EUA na Síria…rs!

  32. Bom… Não fiquei nem um pouco impressionado com fato de o SU 35 ter tido sucesso na interceptação do F22. Sabemos da manobrabilidade do Su35, talvez o melhor nesse quesito. O mesmo vale para o fato do F22 só ter sido percebido a olho nú (Pois é furtivo). Nenhuma surpresa em ambas situaçoes. A unica coisa realmente interessante é : O SU 35 tbm não foi detectado pelos radares e colocou no F22. Isso sim é interessante.
    No mais, aos que criticam a midia russa, já pararam para notar as materias da midia ocidental? Pois é, cada um age conforme seus interests. Na midia ocidental tem muita informação distorcida.

  33. Bom dia senhores, feliz ano novo!

    Vídeos dos russos fazendo o que alegam fazer seria legal, pois daria credibilidade além de desconstruir uma imagem do F22 super sinistro. Mas só falar pode ser papo de pescador.

    Outra coisa: o F22 não ia ficar dando mole pro Su35 de graça, pra tomar um míssil nas costas. Então, se foram vistos, trataram de correr pra não arriscar o pelego.

    Entendo que nenhum dos lados quer dar chance, e os dois lados querem cantar vitória. Só vai dar pra saber num eventual combate real, mas aí a escalada das coisas vai ser rápida e tensa…

  34. Bom natal a todos … nada como um post para encerrar o ano sem torcida .. mas essa do F-22 mal intencionado é meio forçação de barra, imagina então se tivessem derrubado a longa distância.
    Os malvados russos bebedores de vodka fazem fake já os outros não fazem.
    Feliz Pascoa.

  35. Não entendo essa briguinha, é ÓBVIO que o equipamento russo é inferior, ou vocês se esqueceram da crise econômica após o fim da URSS e do atual tamanho do investimento militar russo em comparação com o americano? É óbvio que a Rússia está atrás. Mas o que interessa mesmo é resultado, e disso ninguém fala por aqui. O Putin foi lá, estabeleceu domínio aéreo, derrotou o Isis e venceu a guerra da Síria. É isso que interessa.

  36. Pode ter acontecido? Pode. Mas considerar vitória estar ‘on their tails’ sem um dog fight real é mais presunção e ufanismo do que qualquer outra coisa. Em um combate real as variáveis hoje em dia são tantas que se torna quase que impossível um exercício de imaginação dado os sistemas hoje embarcados nos caças atuais. Nem mesmo o abate do Su-24 russo por um caça turco pode ser considerado um dog fight.

  37. O pessoal da russolândia acredita nesta baboseira, uma interceptação estilo dogfight de Guerra do Vietnã ….em uma situação real, tanto os Su-25 quanto suas escoltas tinham ido para o vinagre a longa distância sem perceber, coisa a qual o F-22 foi projetado.

    E para equilibrar esta situação os russos estão correndo contra o tempo para colocar o Su-57 em serviço, ou seja, nem o Alto Comando russo acredita nestas baboseiras…..

  38. Que piada esses pilotos russos, sendo que o proprio f-22 quis se mostrar, abrindo mão da sua melhor arma a invisibilidade ( é como se o homem invisivel tomasse um banho de tinta)! Se fosse um combate real os russos só iam perceber o caça norte americano quando fossem atingido pelos misseis dele.

  39. Aproveito esse post para fazer uma nano resenha estratégica das grandes potências em 2017…
    …Este foi um ano no qual toda a indústria armamentista ocidental e asiática bateu palmas, pois ele se saiu muito vantajoso pela atuação de dois instrumentos capitais para suas vendas e continuidade de produção:
    Kim Jong-un (Líder Supremo da Coreia do Norte) continua firme e forte em sua liderança local, e apesar de todos os embargos tem desenvolvido tecnologia militar ameaçadora.
    Bashar al-Assad (Presidente da Síria) continua também como líder de seu povo servindo de desculpa de forte atuação no Oriente Médio das tais Forças de Coalizão.
    Assim,
    A indústria armamentista (de todo lado) agradece suas permanências e posturas independentes, rebeldes e até arrogante de Kim Jong-un.
    Os dois tem servido muito bem, e apesar de certas advertências contra eles, o melhor é que ainda continuem por aí por vários anos.

    E a Rússia Putiniana não deixa escapar nenhuma oportunidade de divulgar (muito mais para seu público interno do que para nós) as ótimas capacidades de seu armamento (mesmo com aviões de combate de enorme RCS), para justificar internamente os altos gastos direcionados para suas FFAA. Essa notícia acima, cheia de condecorações de heróis e fantasias táticas, se refere e se dirige a seu próprio gado.

  40. Não sou nenhum especialista, mas como um aficionado em aviação, acho que em uma guerra real o f22 levaria vantagem, pela tecnologia embarcada, mas no dogfight, ja no visual TALVEZ os su35 pela alta manobrabilodade possa levar alguma vantagem. Mas dificil vai ser eles chegarem na proximidade visual com os f22. Seria uma coisa que só vendo pra ter certeza! No vietnam a tecnologia entre as duas nações não era um abismo, como é nos dias de hoje. Apos a quebra da URSS os Russos pararam no tempo em tecnologia, só vindo a retomar sua grandeza militar nos ultimos 8, 10 anos. Ficaram bem atrasados, mas a manobrabilodade superior de suas aeronaves, sempre foram algo a se notar.

  41. Fica tão chato esses comentários quando deixam de debater algo sério e vira um verdadeiro FLA-FLU, de um lado pessoas defendendo e vestindo a camisa da Rússia e do outro lado, pessoas como o HMS tireless, que sua torcida pelos americanos leva tanto para o lado pessoal que chega a ofender membros nos posts, e isso não é a primeira vez.

  42. Matéria oficial de governo, tem que ser levada em consideração enquanto tal, em situações de conflito verdadeiro, no sentido que EUA e Russia fossem antagonistas abertos num teatro de operações esse aviões nem teriam contato visual em combate.

  43. vamos olhar pelo lado positivo, mesmo os russos chegando com 1 mês de atraso eles conseguiram apontar a mira por trás de um F-22 né gente !? vamos parar de caçoar os caras, eles tem que manter a fama de “mau” deles rsrs…

  44. Amigos…

    Se o ‘Flanker’ aproximou-se as seis horas sem emitir ( o que certamente fez, uma vez tendo a vantagem do controle de solo a seu favor ), é óbvio que o ‘Raptor’ ( assim como qualquer aeronave de caça ) não poderia ter ciência de sua presença até que estivesse ao alcance visual… A única forma do F-22 ter conhecimento do ‘Flanker encaudando-o, seria por meio de um alerta de algum AWACS na área ou de algum companheiro em posição mais vantajosa… Mesmo se considerassemos alguma capacidade de localizar pelo transponder, os russos podem ter sido espertos o bastante para desliga-los…

    Mais uma coisa: o alcance de um radar é variável… Mesmo que o radar do ‘Raptor’ pudesse localizar uma aeronave a mais de 350 quilômetros, é evidente que isso não seria para um alvo do tamanho de um caça. Assim sendo, se o Su-25 estava em uma posição a uns 80km do ‘Raptor’ ( e portanto supondo ser passível de ser localizado ), e o ‘Flanker’ em uma posição afastado a uns 100/120km do ‘Frogfot’, então o Su-35 teoricamente não seria mesmo localizado pelo F-22 num primeiro momento ( aliás, por isso o AWACS é tão importante; para que seu grande e poderoso radar dê aos pilotos uma consciência situacional maior que o radar do caça poderia dar-lhe ).

    Logo, não sei porque a celeuma em torno do fato do ‘Raptor’ não ter localizado o ‘Flanker’… Aí, podemos especular até uma falha do AWACS, que estaria ausente e tal; e cacas assim acontecem, afinal ( muito embora não acredite em tamanha irresponsabilidade havendo um aliado em situação tão perigosa )… Enfim…

    Mesmo se os russos abrissem fogo e lograssem sucesso, isso ainda não significaria nada com relação ao ‘Raptor’ em si, posto a situação ser singular e o caça americano apresentar-se visualmente para a interceptação, tomando uma atitude que o colocaria automaticamente vulnerável…! Ora pois… Abater em uma situação de interceptação visual, até um F-5 faria…

    O mais importante nesse negócio todo é: de tudo o que já foi divulgado, o ‘Raptor’ aparentemente entrou em espaço aéreo controlado pelos russos sem ser percebido.

    Cabe dizer: foi contemplando situações como essa acima que nasceu o DAS, que equipa o F-35… Esse sistema pode localizar alvos pela emissão infravermelha em 360°. Foi pensado visando um alerta contra mísseis e aeronaves e engajamento imediato da ameaça. Não é impossível que o próprio ‘Raptor’ venha a contar com sistema similar no futuro ( seu substituto certamente contará ).

    E por fim, um feliz ano novo a todos! 🙂

  45. Tá agora me respondam uma coisa:

    Porque os pilotos russos não tem uma Go Pro e não gravam esses encontros?
    Creio que seria bem embaraçoso para USAF ter um vídeo de um SU-35 atrás de um F-22 não?

    Ah já sei, deve ser pq nunca ficaram atrás de um F-22
    Ou a GoPro deve ser muito cara das a força aérea russa

  46. O su 35 na minha opiniao é um dos melhores caças disponiveis no mercado,belissima maqyina de matar,por mim acabava com essa palhaçada de caças de 5 geracao,até agora todos os avioes dessa geraçao se mostraram inferiores em todos os aspectos(a excessao de uma “pseudo-invisibilidade nos radares,que esta cada vez menor a medida que os sitemas de defesa antiaerea evoluem,como o s400 russo travando mira naquele f22 que voou alem do rio eufrates a alguns meses),alem de que os caças da 4 geracao sao bem mais bonitos né ca entre nos,um gripen, f18 ou su 35 tem muito mais cara de aviao de combate do que um f35,su50 ou chengdou j20

  47. Meu Deus! Como pode nossa Grande Mãe Rússia ser tão criticada por aqui? Ninguém mais acredita em todas essas mentiras desses americanos malvados, feios e bobos! Ninguém admite, mas no fundo, todos vocês sabem que assim que chegaram na base, é óbvio que todos os pilotos do F-22 pediram baixa…

  48. Numa guerra de verdade a coisa muda de figura, muito mais do que “o melhor equipado” e sim o melhor treinado pode ser um fator decisivo, vide a “Batalha da Grã-Bretanha” na WWII.
    E antes que me esqueça! Feliz ano novo a todos!

  49. ” Bruno 31 de dezembro de 2017 at 11:45
    Bom… Não fiquei nem um pouco impressionado com fato de o SU 35 ter tido sucesso na interceptação do F22. Sabemos da manobrabilidade do Su35, talvez o melhor nesse quesito. O mesmo vale para o fato do F22 só ter sido percebido a olho nú (Pois é furtivo). Nenhuma surpresa em ambas situaçoes. A unica coisa realmente interessante é : O SU 35 tbm não foi detectado pelos radares e colocou no F22. Isso sim é interessante.
    No mais, aos que criticam a midia russa, já pararam para notar as materias da midia ocidental? Pois é, cada um age conforme seus interests. Na midia ocidental tem muita informação distorcida.”
    Su-35 mais manobrável que f-22?! Véi…. Qualquer caça ocidental é mais manobrável que o su-35. Os melhores números são do gripen pra efeito de informação.
    Só conferir:
    http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2016/02/Screen-Shot-2016-01-22-at-5.09.51-PM-620×396.png

  50. Desculpe, Hugo. Não entendo muito de interceptação. Acho que “li em algum lugar”.
    Durante um perfil de interceptação você seguirá as ordens dos controladores (curva pra lá, curva pra cá ), a fim de se posicionar às 06 horas do interceptado. E essas curvas são realizadas com inclinação e carga G pré determinadas. Na etapa final, o caçador utilizará o seu radar de bordo, e poderá, a seu critério, assumir a interceptação. E não necessitará efetuar uma “manobra Pugashev” ou uma curva de 9 G para chegar às 6 horas do alvo, na distância padrão (normalmente 1 NM). Essa distância permitirá a identificação visual do alvo, norma OBRIGATÓRIA em tempos de paz.

  51. falacia como sempre da Russia , essa historia de condecoração do lixo comuna puttin é a velha história da Russia maquiar as coisas quando da errado pra eles , aonde que um caça russo mesmo que fosse um SU 35S ia ficar na calda de F22 ? kkkk é piada né ? malditos comunistas !!

  52. Cel. Nery.
    Então chegamos a uma concepção que um interceptador puro só precisa ter motorização para ter ascenção e velocidade para interceptação, na qual as manobras bruscas tirariam energia do interceptador ?
    “Li em algum lugar”, no caso uma RFA com uma matéria bem detalhada sobre a interceptação do Ilyushin cubano durante a guerra das Malvinas pelos F-103 do GDA, na qual sem os controladores de voo tal seria impossível.
    E se é necessária a identificação visual, então a furtividade é desnecessária, imagino.

  53. Dizem que o piloto do caça russo chegou perto do F-22 e mostrou o dedo do meio…depois abriu a janelinha do caça Su-35 e deu uma cuspida, logo após deu com a asa do su-35 na bunda do F-22 e disse após tudo isso: ninguém mexe com o nosso Assad, nos nossos ditadores ninguém mexe!!!!!
    O piloto russo voltou a Rússia e recebeu um grande abraço do Putin pela coragem, foi posto em um trem para a Sibéria.
    Logo depois Putin assinou um contrato de 1 trilhão de dólares com a Índia e China para a venda de caças su-35, colocando a rússia na 1 posição de mair potência econômica do planeta.
    Dessa forma, ficou bastante nítido a superioridade do povo russo diante da inferioridade do ocidente, em especial: EUA, Reino Unido, Alemanha, Itália, países baixos, Espanha, Brasil, Argentina, Chile e Canadá (terra do gelo que logo será anexado pela Rússia e formará após a anexação um grande império russo, obviamente liderado por Vladimir Putin).

  54. A mídia russa é igual hollywood, com a diferença de que os espectadores nas salas de cinemas sabem se tratar de entretenimento através de ficção científica.

  55. Pangloss está correto. Cumpre-se PRIMEIRO um perfil de interceptação para, DEPOIS, engajar combate.
    Delfim, não há interceptação sem controle positivo. Se o alvo é furtivo, talvez esse controle não será possível. Numa interceptação padrão, normalmente, o alvo estará reto e nivelado (como no caso do Ilyushin ou de um Cessna de traficante), ou, no máximo, efetuando uma pequena mudança de direção.
    Num cenário de combate, onde a identificação visual não será necessária, o controle será por difusão e descrição de cenário. Ou seja, o alvo será informado em relação a um ponto no terreno (Bull’s Eye), e o controlador passará distância e proa. O caçador aproa o bandido, assume com seu radar e aplica sua própria tática de combate definida em briefing. Briefing esse do qual o controlador também participou. É assim no padrão OTAN. Desconheço se os russos fazem igual.

  56. Lembram do F-117? O avião invisível de ataque?
    Foi derrubado por um sistema russo anti aéreo de 30 anos de idade na época, Os sérvios sabiam que o avião era invisível para radares daquela geração, mas totalmente visível em espectro de ondas de radares que os americanos supunham que não se usava mais. Por causa disso, a administração americana perdeu contratos de bilhões de US$ com outros países, virou motivo de chacota.

  57. O regime russo é (ainda) uma ditadura, e como tal, qualquer relato deve ser encarado com cautela. Não que tudo que venha dos EUA sejam necessariamente verdadeiro, mas em apenas um dos lados há imprensa livre e investigativa.

  58. “Durante um perfil de interceptação você seguirá as ordens dos controladores (curva pra lá, curva pra cá ), a fim de se posicionar às 06 horas do interceptado. E essas curvas são realizadas com inclinação e carga G pré determinadas. Na etapa final, o caçador utilizará o seu radar de bordo, e poderá, a seu critério, assumir a interceptação. E não necessitará efetuar uma “manobra Pugashev” ou uma curva de 9 G para chegar às 6 horas do alvo, na distância padrão (normalmente 1 NM). Essa distância permitirá a identificação visual do alvo, norma OBRIGATÓRIA em tempos de paz.”

    Olá Rinaldo Nery, gostaria que vc falasse mais sobre isso, me explique como seria um combate BVR entre dois caças de 4 geração como temos aqui no nosso TO , em um espaço aéreo sem cobertura de radar em terra(destruído num 1 momento) e sem AEW-C, ou seja, somente com o radar do próprio caça, li um comentário de um piloto de AMX que o alcance do novo radar desse caça é suficiente(40 km) porque é nessa faixa de alcance onde ocorre a maioria das detecções e travamento de alvos. E nos diga também como fica essa detecção quando um dos caças tem apoio de um AEW-C, em que alcance médio temos essa informação passada para o caça e quantos mísseis BVR teríamos que disparar para garantir o abate? Agradeço antecipadamente.

  59. Alexandre, não sou expert em combate BVR, embora tenha participado da implantação da doutrina aqui, como cmt de Esquadrão AEW. Sem radar de solo, a esquadrilha ( 4 aviões ) se posicionará numa linha de frente, defasados em nível, onde os seus radares farão a maior cobertura possível. Com data link, um poderá enviar sua visualização radar para o outro. Com AWACS/AEW, esse fornecerá toda a descrição do cenário para a esquadrilha, informando onde está o inimigo e que dispositivo de formatura emprega. Essa informação é importante, também, para que a esquadrilha permaneça fora do alcance do míssil inimigo. O E-3 tem um alcance radar nominal em torno de 350 NM. A quantidade de mísseis lançados depende do PKill e da NEZ do mesmo. O expert desse assunto é o Bosco. Aqui há boas matérias sobre o sucesso dos misseis BVR. Adianto que está longe de 100%.

  60. Não deixa de passar na minha cabeça, que se um F-22 esteve na condição de ter um Su-35 na sua cauda… imaginem um F-35 limitado a 1,7 mach de máxima e 7,5g de manobra.

  61. Delfim Sobreira 1 de Janeiro de 2018 at 22:46.
    .
    Bricadeiras aparte, eu creio que o F-35 seria um bombardeio tático Stealth em tese, mas se perder a sua capacidade de invisibiladade no teatro de combate aéreo será abatido com certa facilidade. O F-35 sendo um caça bombardeiro teria que se valer da qualidade dos seus mísseis em BVR para ter sucesso num primeiro momento, do contrário teria que ser escoltado por outros lutadores mais ágeis. Sendo assim, um caça tático, o Joint Strike Fighter, com alta tecnologia, que poderá num curto espaço de tempo sanar alguns problemas, contará sim para a força aérea que utilizá-los, com qualidade e exito. E está no mercado e tem vitrine, Israel por exemplo.

  62. Estranho demais ler comentários tão dúbios em relação a este artigo e ao artigo escrito pelo Sr. Sérgio Santanna, posto que ambos os textos afirmam que os Su-35 chegaram despercebido as 6 horas do F-22, porém aqui afirmam ser devaneio da putinlândia ou predicados mais pejorativos, lá ao contrário o texto é um primor, é por estas e outras que se apercebe a qualidade e a imparcialidade de quem comenta, send que alguns comentaristas mereceriam o troféu “cara de pau”, em funçãod e como mudam e opinião, dependendo da fonte.

  63. Está tão simples pra mim.
    Os americanos se postaram junto ao pacote de ataque para dissuadi-los.
    Os Su correram pra protegê-los, o q deveria ter acontecido antes, e os F saíram pra evitar combate.
    Certeza: o pacote russo deu errado, pois os atacantes teriam sido abatidos.
    A escolta russa não agiu a tempo.
    Duvida: os F não viram os Su.

  64. Tipo de notícia que lembra os tempos de FX2, cheio de americanófilos ,russófilos e etc defendendo seu ladinho.kkkkk
    Só observo!!!rs

  65. Ao rapaz que postou o gráfico de taxa de giro sustentado e instantâneo pra mostrar que o su-35 é menos manobravel. Sugiro fortemente que procure pelo diagrama inteiro do caça porque o grafico transformou curvas inteiras em pontos.
    Por curiosidade o su-27s possui taxa de giro inatantânea superior a 28°/s a 200m de altitude e 650km/h

  66. Amigos… antes de falarmos que a Rússia vive de fake news, não vamos nos esquecer do país que invadiu o Iraque dizendo que o mesmo tinha armas de destruição em massa, mostrando ao mundo todo várias fotos e provas visíveis, mundo este que que aplaudiu a ofensiva americana e até hoje tais armas de destruição em massa jamais foram encontradas. Se isso não foi fake news em escala do big bang amigos eu não sei mais o que é fake news. Os pilotos Russos estão contando vantagem, simmmmmmm iguais os americanos os fazem tb. TUDO farinha do mesmo saco. Então antes de vestir a camisa ianque ou russa lembrem-se que são duas nações que agem de maneiras BEMMM semelhantes. Alipas a política internacional americana é um ano luz mais agressiva que a Russa, pq eles são maus? Não! Pq eles podem! Eles tem meios e grana para fazer isso, se os Russos tivessem a disposição deles a grana americana e os meios ianques não seria muito diferente!

  67. rprosa 1 de Janeiro de 2018 at 23:38

    rprolixprosa o texto do Sérgio Santana, imparcial ao contrário da sua lenga-lenga acerca de “atlanticistas malvados”, até o presente abordou apenas o episódio do abate do Su-24 russo por um caça turco. De toda forma o que ao que tudo indica está muito claro é que as escoltas de Su-35 reagiram tarde à chegada dos F-22 junto dos aparelhos de ataque. Ou seja, fosse em uma situação de guerra estariam esses aparelhos abatidos.

  68. Jodreski, boa noite
    Concordo com quase tudo o q disse.
    Só não seria tão convicto das armas no Iraque.
    Essas armas eram a única forma de dissuasão deles. Seu inimigo, Irá, tem.
    O Iraque utilizou no seu próprio povo depois da Tempestade do Deserto.
    Saddam nunca desmentiu e, por outro lado, sempre insinuou q tinham.
    Estimasse q havia entre 100 e 500 ton, ou seja, entre 10 e 50 caminhões tanque. Muito fácil de esconder e dar destino.
    A inteligência americana levantou 495 possíveis locais para esconde-las. Depois de muita cobrança, chegaram a menos de 200 locais.
    Concluindo:
    Dificilmente, o Iraque não tinha.
    Mais difícil ainda, seria para os americanos encontrarem essa relativamente pouca quantidade em tantos possíveis lugares, depois de meses de ameaça de invasão.
    Cabe salientar, q esses produtos podem ser diluídos em água e lançados em qq areia daquela.
    Sds

  69. HMS TIRELESS 2 de Janeiro de 2018 at 18:48
    _

    Leo se acalma))) Sua América favorita que você adora certamente ganhará Su-35s)))

    Quão interessante é o rival do Su-35s, apenas F-22? e onde é φ-15-ф-16-ф18 e outra pilha de lixo inútil? ))
    ___

    Leo calm down))) Your favorite America which you worship will surely win Su-35s)))

    How interesting is the rival of the Su-35s, only F-22? and where is φ-15-ф-16-ф18 and another pile of useless garbage? ))

  70. “Desculpe, Hugo. Não entendo muito de interceptação. Acho que “li em algum lugar”.
    Durante um perfil de interceptação você seguirá as ordens dos controladores (curva pra lá, curva pra cá ), a fim de se posicionar às 06 horas do interceptado. E essas curvas são realizadas com inclinação e carga G pré determinadas. Na etapa final, o caçador utilizará o seu radar de bordo, e poderá, a seu critério, assumir a interceptação. E não necessitará efetuar uma “manobra Pugashev” ou uma curva de 9 G para chegar às 6 horas do alvo, na distância padrão (normalmente 1 NM). Essa distância permitirá a identificação visual do alvo, norma OBRIGATÓRIA em tempos de paz.”

    Se vc leu o link q mandei ou leu q escrevi. Manobrabilidade não tem nada a ver com performance acrobática. É justamente o que vc falou. O avião que não mais chance de engajar o outro é o que consegue fazer a menor curva perdendo menos energia. Su-35 pode ter inventado o termo super manobrabilidade mas f-22, typhon, rafale, e gripen são ainda mais manobraveis que o russo.
    Quem tiver dúvidas que su-35 apanha pra qlqr avião ocidental moderno menos o f-35 só ver o gráfico abaixo.
    http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2016/02/Screen-Shot-2016-01-22-at-5.09.51-PM-620×396.png

  71. O ‘medinho” dos yankees é somente quanto a acidentes provocados pela aproximação intempestiva dos mishas. Todos sabem que na hora H, os Russos vão cair em chamas sem saber de onde veio o míssil. Turcos sabem disso.

  72. Hugo 2 de Janeiro de 2018 at 20:36
    Amigo, conhece aquele ditado “está querendo ensinar o padre a rezar missa…” ?! Tens ideia de que o Cel. Rinaldo Nery fez apenas uma pequena ironia ao dizernão entender muito de interceptação ? 😛

  73. Rinaldo Nery 1 de Janeiro de 2018 at 12:05
    Desculpe, Hugo. Não entendo muito de interceptação. Acho que “li em algum lugar”.

    kkkkkkkk, só essa frase do Cel Nery já valeu a leitura.

  74. Tireless/S88 e outros nicks que vc usa inclusive para postar no site Plano Brazil que você critica tanto, mas esta sempre acompanhando as matérias de lá, vc precisa urgente de um curso de leitura e interpretação, o pomo da discórdia não é o SU-35 ter chegado atrasado ou não e sim ele ter se colocado atrás do Raptor, mas como vc sempre possui uma visão míope e estereotipada, inútil discutir com vc.

  75. Nao sei porque o tireless fica dizendo que o Su-35 chegou atrasado se o F-22 ainda estava la. Se o objetivo foi interceptar o F-22 sem ser percebido, entao a missao foi cumprida com sucesso.

  76. Para aqueles que criticam a mídia russa, ela na verdade segue o padrão ocidental de inflar seus feitos é menosprezar os feitos do adversário. Duas semanas após a Rússia entrar na Síria a mídia ocidental gritava aos 4 ventos que Moscou não havia e nem iria conseguir resultado algum. Dois anos depois os tais especialistas quebraram a cara. Rússia peitou Washington e deixou muita gente nervosinho. Coisas da vida.

  77. Esses tais pilotos vermelhos só não conseguem ficar atrás dos morteiros da guerrilha na Síria. Tem um site aí dizendo que alguns dessas maravilhas foram destroçadas por morteiros.

  78. Eu sinceramente, gostaria de saber , exceto o ilustre “Charlie” Néri Rinaldo , se os Brasileiros que aqui postam, se todos que duvidam de uma “condecoração ” por Presidente Putin, ser tão desprezível
    Assim !!!??? Na caserna, aprendemos que, uma medalha de honra ao mérito, deve ser respeitada até pelo comandante supremo. Portanto sugiro aos comentaristas ,uma ponderação seguida de uma moderação e respeito aos guerreiros que ANTAGONIZAM NA SIRYA ou em qualquer combate/guerra
    E aproveitem que este País tão rico, pague o que for preciso para não se envolver em conflitos ou guerras….

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here