sábado, dezembro 3, 2022

Gripen para o Brasil

‘Ação mais valiosa da Embraer é a golden share’, diz economista

Destaques

Alexandre Galante
Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br
Embraer E190

Por Joana Cunha

A ação mais valiosa que a Embraer tem hoje é a “golden share” do governo brasileiro –a “ação de ouro” concede poder de veto numa eventual venda da companhia para a Boeing, caso avancem as tratativas entre as duas empresas anunciadas nesta quinta-feira (21).

A opinião é do economista Luiz Carlos Mendonça de Barros, que foi presidente do BNDES nos anos 1990 e atuou no processo de privatização da Embraer. Para ele, o governo tem de extrair os melhores benefícios que o negócio pode trazer à indústria brasileira, fazendo exigências como manutenção da produção no país.

Folha – Como o sr. avalia as tratativas entre Boeing e Embraer?

Luiz Carlos Mendonça de Barros – Quando saiu a notícia de que a Airbus tinha comprado a operação de aviões pequenos da Bombardier, em outubro, eu comentei com várias pessoas que a Embraer ia ser comprada pela Boeing. Ela faria isso para incorporar na linha de produtos os aviões abaixo de 120 ou 130 lugares. Quem tem esse mercado é a Embraer. A Boeing não tem que comprar a Embraer. Ela tem que comprar o mercado da Embraer.

‘Comprar o mercado’ como?

Quando saiu o negócio da Airbus, eu te garanto que, no dia seguinte, a Boeing começou a conversar com a Embraer. Não é a questão de produzir aviões. É comprar o mercado para ter a linha completa. Aí o preço que ela vai pagar não está relacionado a Ebitda, a lucro, coisa nenhuma.

Qual é a grande importância da Embraer para a Boeing?

A Boeing terá que ter aviões menores, de 90, 110, 75 lugares, na linha dela para competir com a Airbus [que em outubro anunciou acordo com a Bombardier no mercado de aviões menores]. E quem tem tecnologia de produção de software é a Embraer. E, aí, o que o governo tem que fazer é, sabendo dessa necessidade, extrair compromissos da Boeing que tenham reflexo sobre a indústria brasileira.

Como o governo deveria aproveitar a “golden share”?

A ação mais valiosa que tem na Embraer hoje é a “golden share” do governo. Ela vai valer mais do que a ação normal num contexto desses porque tem o poder de veto. Isso dá ao governo o poder de impor certas condições. Mas tem que ser usado em benefício da empresa e da economia brasileira, e não como um viés nacionalista ultrapassado. Precisa ter a dimensão do que vale isso hoje. O único risco é o Temer ter uma febre nacionalista que leve para o lado da importância de ser brasileiro.

No caso da associação entre Bombardier e Airbus, Québec é nacionalista, eles fizeram sob a forma de uma associação em uma outra empresa.

Que condições o governo deveria impor?

Por exemplo, a produção. A Embraer é um software de como se produz avião pequeno. Mas ela praticamente compra tudo de terceiros. Então, é muito fácil para a Boeing pegar esse software e levar para os Estados Unidos. O governo vai ter que usar a “golden share” para impor essas condições.

A produção tem que ser aqui. E aí é importante porque a produção da Boeing vai ser muito maior do que a Embraer produz hoje. O objetivo tem que ser absorver mais produção aqui no Brasil.

Como os órgãos de concorrência vão avaliar isso?

Isso eles sabem fazer direito. O importante é que a bola agora está com o governo brasileiro. Ele tem que extrair o máximo sem atrapalhar o negócio. Se a Boeing não comprar a Embraer, ela vai desenvolver a linha de aviões dela. E aí a Embraer vai ficar fora. Como é que ela vai concorrer com a Boeing e a Airbus?

Como fica a área de defesa da Embraer?

A Boeing tem mais coisas em defesa do que a Embraer. Poderia obrigar a ter uma colaboração.

FONTE: Folha de São Paulo

- Advertisement -

94 Comments

Subscribe
Notify of
guest

94 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
carcara_br

Os economistas (nem todos é verdade), e sua utopia do mcdonalds mágico!!!
Esses abençoados não compreendem o significado de defesa eles transcenderam numa espécie de credo do mercado!

PRAEFECTUS

A todos que frequentam este espaço minhas saudações!

Deixe-me lhes contar algo, de acordo com informações de que disponho, a alta administração da fabricante de aeronaves americanas anteriormente já havia feito duas tentativas na compra da empresa Embraer, mas foi prontamente recusada.

Não há nenhuma surpresa por parte das autoridades brasileiras em relação a este assunto. O que ocorre é uma cortina de fumaça para atenuar o embaraçoso negocio, que é extremamente nocivo principalmente do ponto estratégico ao Brasil.

PRAEFECTUS

** que é extremamente nocivo principalmente do ponto de vista estratégico ao Brasil.

Caio

Carcara_ br defesa so tem significado quando se entende o sentido de nacao, coisa que por aqui sempre foi fraco e agora com os apatridas no poder, isto se perdeu de vez.

Marcos

Qual é o ponto de vista estratégico do Brasil?

PRAEFECTUS

*** A todos que frequentam este espaço minhas saudações!

Deixe-me lhes contar algo, de acordo com informações de que disponho, a alta administração da fabricante de aeronaves americana anteriormente já havia feito duas tentativas na compra da empresa Embraer, mas foi prontamente recusada.

Não há nenhuma surpresa por parte das autoridades brasileiras em relação a este assunto. O que ocorre é uma tentativa de cortina de fumaça para atenuar o embaraçoso desconforto das autoridades com o negocio, já que este é extremamente nocivo principalmente do ponto vista estratégico ao Brasil.

PRAEFECTUS

Marcos 22 de dezembro de 2017 at 11:09,

obviamente, diametralmente do que vossa senhoria idealiza, isso posso lhe garantir.

Humberto

Colocação perfeita do Luiz Carlos Mendonça de Barros. Quanto a não querer vender a EMB tudo é uma questão de valor. Não tenha dúvidas, os acionistas, administradores, TODOS podem ganhar uma bola bolada com a venda. Acreditar que os militares e o GF tem muito poder, chega a ser piada. A única e bela cartada é o golden share, mas tem que saber utilizar o mesmo para conseguir o melhor para o pais, infelizmente o GF não tem mostrado que é competente. Quem tem a palavra sobre o golden ? Jungmann ou o Meirelles, do fundo do coração espero que… Read more »

Marcos

Não tem muito a Embraer estava bancando o desenvolvimento do KC390, tendo de pegar dinheiro no mercado para manter prazos.
Cadê o estratégico, o interesse nacional, a defesa do Brasil?

PRAEFECTUS

Tem mais coisas ainda para surgir no decorrer do período. O sol do meio dia queima em qualquer lugar do planeta. Tanto cá, como na França ou nos EUA.

PRAEFECTUS

Primeira regra da Internet aos amigos, NÃO ALIMENTE TROLLS…

Walfrido Strobel

Faz um bom tempo que a Embraer é brasileira só no papel, seus maiores acionistas são estrangeiros, suas ações são comercializadas na bolsa de Nova York e até tiraram o “Empresa Brasileira” do seu nome.
Se não sair uma parceria ou aquisição, como disse o economista, a Boeing fabrica seu regional e toma gradativamente o espaço da Embraer, a Boeing ja projetou o Sukhoi Superjet 100 e não teria dificuldade nenhuma em fazer outro regional mais atualizado.
Nada mais natural que um dia assuma sua nova cidadania norte-americana e de preferencia apadrinhada por um gigante como a Boeing.

Marcos

Walfrido:
É só os brasileiros começarem a comprar as ações das empresas brasileiras. Mas primeiro ache um meio de melhorar a renda do brasileiro para que ele possa fazer isso.

Marcos

A Boeing não projetou o Superjet 100.

Jr

Walfrido Strobel a Boeing não projetou o superjet

Marcos

O Brasil é hostil com suas empresas. E num país hostil, empresas não crescem, quando não crescem são engolidas por outras.
Prosdócimo foi comprada pela Electrolux uma empresa sueca.

Humberto

Prezados, A Boeing pode desenvolver jatos regionais? Claro que sim, mas existem alguns desafios 1- Tempo, pode demorar anos entre projeto a entrega. 2- Vai custar muito dinheiro. 3- Não necessariamente esta nova familia será um sucesso. O que é mais fácil e rápido? Temos que lembrar que a Airbus está muito mais perto, então, comprar uma EMB tem todo o sentido. Outra alternativa, seria encurtar o 737 e derivar uma família menor, creio que o risco seria menor (do que uma nova família) e mais rápido. Sem contar que ja existe a fama do 737, mas adaptação é adaptação,… Read more »

Jota

Boa tarde a todos.
Sem tomar partido no debate , sugiro analisar uma situação hipotética para aclarar mais o assunto:se o interessado na compra fosse a Irkut , você seria contra ou a favor?
Se fosse a Airbus , você seria contra ou a favor?
Se fosse a Bae você seria contra ou a favor?
E se fosse a Lockheed Martin?
Responda tambem porque para cada suposição.

hartmam

Alguns esquecem que a EMBRAER quando foi privatizada tinha em boa parte de seu capital de conhecimento vindo da engenharia militar que até hoje se mantém como base de conhecimento
(embora a engenharia tenha se desenvolvido) na empresa.Mesmo na área de produção de jatos
ela se encontra embutida neste contexto, então não é apenas uma questão de nacionalismo simplesmente.

Chico Novato

A Boeing VAI produzir aviões pequenos. Com ou sem a fusão com a Embraer. Resta saber se a Embraer vai saber negociar para tirar o contrato mais vantajoso ou vai se isolar e ganhar mais um concorrente de peso.

Professor

Brasileiro só tem direito de ter pequena empresa: oficina de costura, cabeleireiro, bordel, buteco, estacionamento, etc. O grosso da grana e empresas de alta tecnologia, só estrangeiras.

hartmam

Então saudemos a nova concorrente que bom!

Delfim Sobreira

Se o Governo e a FAB colocarem suas condições, por meio das golden shares, o negócio pode ser benéfico.
.
A Embraer pode se tornar responsável por vendas e manutenção da Boeing no ConeSul, África e OM;
.
Os produtos Embraer ganham mais penetração nos EUA (C-série, KC-390).
.
Defesa é complicado. Se os EUA liberariam tecnologia sensível da Boeing, como a stealth empregada no X-32 e no F-15SE. E tem a questão da Sierra Nevada.

Carlito

Marcos, empresas são adquiridas o tempo todo. A Electrolux foi comprada por uma empresa sueca. Por outro lado, muitas empresas suecas também foram adquiridas. A fabricante de motocicletas Husqvarna pertence à BMW, a divisão de automóveis da Volvo pertence à chinesa Geely, a Scania pertence ao Grupo Volkswagen, e a própria SAAB foi pertenceu à BAE Systems por algum tempo. Controle acionário vai e vem, mas as empresas continuam. Podem mudar o nome, mudar o dono, mas a estrutura permanence se for rentável.

Carlito

Onde escrevi “Electrolux”, entendam “Prosdócimo”. A marca sumiu, mas a fábrica permanence onde sempre esteve, onde inclusive há um grande departamento de engenharia e design onde são desenvolvidos produtos para o mercado nacional e internacional.

hartmam

Verdade , empresas vem e vão , só tem um problema as empresas brasileiras só vão ….

PRAEFECTUS

Uma das coisas que o Governo americano quer é eliminar uma concorrente de PESO que se desenha no horizonte na fabricação de aviões. Isso é apenas ‘uma” das metas… Quer uma prova do que eu digo? Dou… A Boeing EM 05 de setembro deste ano anunciou a compra da Aurora Flight Sciences, empresa de aviação que vinha desenvolvendo tecnologia autônoma para equipar aeronaves. A época Greg Hyslop, diretor de tecnologia e vice-presidente da Boeing Engineering, Test and Technology, em comunicado disse “A força e a inovação combinadas de nossas equipes promoverão o desenvolvimento da autonomia para nossos sistemas comerciais e… Read more »

Carlito

A maior parte das empresas hoje pertencem a fundos de investimentos, e grande parte destes fundos sustentam-se com dinheiro árabe ou chines. Continuo batendo na mesma tecla, o fato da empresa ser brasileira, americana, sueca, chinesa ou jupteriana não interfere em absolutamente nada em nossas vidas, a não ser que você seja o dono da empresa.

Chico Novato

hartmam 22 de dezembro de 2017 at 12:04

é uma das saídas, não existe resposta certa ou errada. Existe estar preparado para o cenário futuro!

PRAEFECTUS

Esclarecendo aos amigos, hoje os TROLLS estão com todos os seus boots(várias contas) operacionais, estejam atentos…

Chesterton

Vejo com muito bons olhos essa negociação. Espero que esse desgoverno não atrapalhe e libere logo o mercado regional da EMB para a Boeing. Se não for assim a EMB terá sérias dificuldades no futuro, ainda mais com a Airbus e China crescendo no retrovisor de forma que a Boeing teria que tomar alguma providência que não seria boa para nós.

PRAEFECTUS

Gente a Uber é uma empresa multinacional norte-americana, prestadora de serviços eletrónicos na área do transporte privado urbano através de um APLICATIVO….

Vocês são muito inocentes….

Tudo isso já foi elaborado meticulosamente lá atrás…..é um novo meio do ser humano se locomover que será implantado. É isso entre outas coisas que está em jogo aqui….

Walfrido Strobel

Humberto 22 de dezembro de 2017 at 11:59
Outra alternativa, seria encurtar o 737 e derivar uma família menor, creio que o risco seria menor (do que uma nova família) e mais rápido.
.
Humberto, a Boeing ja fez isso e o resultado foi um fracasso, o B737-600 só vendeu 69 aeronaves de 1995 a 2012. O mesmo aconteceu com o A318 encurtado, não basta encurtar um avião para fazer um regional.
. https://encrypted-tbn2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcQGB575sB1i9nUwWzhd2SVu963mdqsOL-1SAdvml6Du2NDUc3wMv4MxIJl5vA

hartmam

Concordo em estar preparado, no entanto, é melhor estar preparado com o que
você tem do que com o que você não tem.Como detalhou o colega PRAEFECTUS
que tem conhecimento e informações privilegiadas o caso da Boeing não é uma
simples aquisição é uma política do governo EUA , precisamos fazer o mesmo.

oganza

Mais que burros… já disse e digo de novo: Cria-se leviatãs nacionais para depois criar leviatãs globais com um único resultado possível: CONTROLE e o completo fim do partum personality.
.
O tempo, que desnuda todas as verdades, solapa o brasileiro que tem horror ao conhecimento e simplesmente não acredita na direção escatológica em que caminha o Mundo Ocidental partindo de uma premissa metonímica absurda: “Se eu nunca ouvi falar disso, então não existe e é teoria da conspiração”.
.
“O desprovido da Providentia, afoga-se em uma polegada d’água”. – São Bernardo de Claraval.

Walfrido Strobel

A própria Sukhoi declarou que contratou a Boeing para cooperar no desenho do Sukhoi Superjet 100, afinal a Sukhoi não tinha experiência neste tipo de avião. “Throughout the history of Russian commercial aviation, Sukhoi Superjet 100 appears the first aircraft ever designed with due consideration of requirements and demands of potential worldwide operators. Under the long-term cooperation Agreement signed on December 19, 2002, Boeing consults the Sukhoi Civil Aircraft Company in the field of marketing, design and manufacturing, certification and quality system, supplier management, and after-sales support. Contributed by Boeing, the idea of step-by-step project management was fully explored and… Read more »

PRAEFECTUS

Ignorem os TROLLS meus amigos, querem desconversar….é o papel deles aqui e em outros sites sobre o assunto.

Marcelo-SP

What?! Quer dizer que no Pentágono e na Casa Branca só se fala nessa flerte de Uber com Embraer?! Com todo complexo aeroespacial americano e todo o Vale do Silício à disposição, com todos os avanços que a concorrência dos chineses tem feito… e em Washington o medo é de um projeto de alguma maquineta que a Embraer esteja imaginando junto com a Uber para um negócio que ainda não existe??? Vai que o Brasil torne-se uma superpotência e desbanque a economia de americanos e chineses com a maquineta de voar compartilhada da Embraer e da Uber, né?! Tem cada… Read more »

Marcos

Quando privatizaram a empresa foi a mesma gritaria.

Cristiano Correa

Olha senhores, a Boeing realmente pode produzir aviões de porte menor e com isso atrapalhar a Embraer, porém isso demoraria algum tempo e a Airbus, ficaria bem a frente em desenvolvimento, projetar jatos e aviões menores demora já que a Boeing não faz isso no momento e teria que criar uma linha de produção depois criar projetos. Comprar uma outra empresa de aviões comerciais seria interessante para eles mais pouco lucrativo pois teria que alavancar a empresa, é por este motivo que a Boeing quer tanto a Embraer, nossa empresa já tem um mercado fixo, a cartela de clientes tem… Read more »

Billy

Sempre a mesma conversinha do suprimentos América latina e África. .. vai concorrer com a Airbus? ? Quer a Boing conconcorrente ou parceira? Será possível algum acordo para a Embraer ser forrnecedora da Boing para o mercado mundial?

Antonio de Sampaio

PRAEFECTUS 22 de dezembro de 2017 at 12:16
Vai te tratar, cara! tu é maluco, rapaz.

Mauricio_Silva

Olá.
Fazendo comparações, e se estivesse ocorrendo o contrário? Se fosse a Embraer querendo comprar a Boeing?
SDS.

Bueno

O Lobi esta forte. O G1 matem noticia da decisão do Temer no topo e atualizando, ate o Ozires esta dando seus comentário a favor da fusão Boeing
Vamos ver…. quem leva esta… sei que é briga de peixe grande, se for favorável uma parceria ótimo… para EMBRAER para o Brasil etc… o que a maioria aqui e no Brasil sabem é que não sabe de nada rsrs a não ser o que se publicam depois de decisões já tomada.

Marcos
Jr
Tomcat3.7

Saiu aqui no jornal Estado de Minas. Temer: Brasil quer manter controle da Embraer AF AFP postado em 22/12/2017 13:46 O governo brasileiro está aberto a uma cooperação da Embraer com a Beoing, mas não está disposto a ceder a ‘golden share’ acionária que lhe assegura o controle de uma companhia estratégica, disse nesta sexta-feira (22) o presidente Michel Temer. “É bem-vinda a injeção de capital estrangeiro. Não se examina a questão de transferência” do controle acionário, afirmou Temer durante encontro com jornalistas em Brasília. PRAEFECTUS 22 de dezembro de 2017 at 12:16 Com certeza tem mais interesses ainda nesta… Read more »

Marcos

Bueno
Pois é! O Ozires Silva, ao contrário do que muita gente anda dizendo, apoia essa iniciativa.

Jr

Mauricio_Silva, se fosse o contrário muito provavelmente o Comitê de Investimento Estrangeiro nos EUA (CFIUS) vetaria

Antonio de Sampaio

Tomcat3.7 22 de dezembro de 2017 at 13:50
O que é melhor ou menos pior, ficar sobre o manto dos EUA, ou de uma China da vida???
Prefiro ficar sob a órbita de um país ocidental, democrático, de livre expressão e pensamento, liberdade de expressão religiosa, majoritariamente cristão do que de um país onde impera uma tiraria política com sistema de produção capitalista predatório.
Trump é xingado o tempo todo, ninguém vai preso por isso… vai xingar na China…

Últimas Notícias

VÍDEO: Documentário ‘Highway’ sobre operações aéreas em rodopista na Tchecoslováquia, em 1980

O documentário "Highway" foi filmado pelo Checoslovak Army Film no outono de 1980 durante um exercício militar entre os...
Parceiro

LAAD 2023

- Advertisement -
- Advertisement -