Home Aviação de Caça Canadá lança concorrência para a compra de 88 caças

Canadá lança concorrência para a compra de 88 caças

12644
100
Os atuais caças CF-18 Hornet do Canadá

OTTAWA, Ontário — Adquirir a aeronave que as forças armadas do Canadá precisam para ajudar a garantir a segurança dos canadenses, ao mesmo tempo em que assegura benefícios econômicos para o Canadá, é uma prioridade para o governo do Canadá. O governo está cumprindo sua promessa de realizar uma competição aberta e transparente para substituir permanentemente a frota de caça do Canadá.

Conforme descrito na política de defesa forte, segura e engajada, o Canadá comprará 88 aviões de combate avançados. Este é o investimento mais significativo na Royal Canadian Air Force em mais de 30 anos e é essencial para proteger a segurança dos canadenses e cumprir as obrigações internacionais de defesa.

Através desta competição, o Governo do Canadá assegurará que ele obtenha o avião certo ao preço certo e maximize os benefícios econômicos para os canadenses. O governo assegurará que as indústrias e fabricantes aeroespaciais e de defesa canadenses sejam consultadas e envolvidas neste processo.

As propostas serão rigorosamente avaliadas em termos de custo, requisitos técnicos e benefícios industriais, tecnológicos e econômicos. Como é importante fazer negócios com parceiros confiáveis, a avaliação das propostas também incluirá uma avaliação do impacto dos concorrentes nos interesses econômicos do Canadá.

Quando as propostas são avaliadas, qualquer licitante responsável por danos aos interesses econômicos do Canadá estará em uma desvantagem distinta. Esta nova avaliação, bem como as diretrizes para sua aplicação como uma ferramenta de compras contínua, serão desenvolvidas através de consultas apropriadas.

Além disso, a Política de Benefícios Industriais e Tecnológicos se aplicará a este contrato, exigindo que o fornecedor vencedor faça investimentos no Canadá no mesmo valor do contrato.

Até que as aeronaves de substituição permanente estejam em vigor e totalmente operacionais, o Canadá deve garantir que as Forças Armadas do Canadá tenham o equipamento que precisa para continuar a realizar suas missões e cumprir suas obrigações internacionais. Como tal, o Governo do Canadá buscará a compra de 18 jatos suplementares do governo australiano.

Citações

“Como prometeu, nosso governo está lançando uma competição aberta e transparente para substituir nossa frota de caça com 88 jatos avançados. Também estamos complementando nossa frota de CF-18 buscando a compra de jatos da Austrália enquanto concluímos esta compra importante e complexo. O anúncio de hoje é garantir que nossas mulheres e homens em uniforme continuem com o equipamento que eles precisam para proteger os canadenses. Ao mesmo tempo, usaremos essa aquisição para fortalecer nossas indústrias aeroespaciais e de defesa, criar bons empregos de classe média e apoiar nossos interesses econômicos”, disse a honorável Carla Qualtrough, Ministra dos Serviços Públicos e Compras.

“Nossas mulheres e homens em uniforme são encarregados da enorme responsabilidade de garantir a segurança dos canadenses todos os dias. O anúncio de hoje é um passo fundamental para garantir que eles tenham o equipamento necessário para cumprir essa responsabilidade e cumprir nossos compromissos com nossos parceiros e aliados em todo o mundo”, disse o honorável Harjit S. Sajjan, Ministro da Defesa Nacional.

“Este projeto representa uma oportunidade significativa para apoiar a competitividade a longo prazo das indústrias aeroespacial e de defesa do Canadá, que juntos contribuem com mais de 240 mil empregos para a economia canadense. Estamos empenhados em alavancar a aquisição da frota futura para apoiar a inovação, promover o crescimento de fornecedores canadenses, incluindo pequenas e médias empresas, e criar empregos de classe média para canadenses”, disse o honorável Navdeep Bains, Ministro da Inovação, Ciência e Desenvolvimento Econômico.

Fatos rápidos

  • O anúncio de hoje marca o lançamento oficial do processo aberto e competitivo para substituir a frota de caças do Canadá.
  • O governo começará por estabelecer uma lista de fornecedores, composto por governos estrangeiros e fabricantes de aviões de combate que demonstraram sua capacidade de satisfazer as necessidades do Canadá, conforme definido no convite da Lista de Fornecedores. Todas as empresas são bem-vindas para participar do processo.
  • O planejamento extensivo e o envolvimento das partes interessadas terão lugar em 2018 e 2019.
  • A adjudicação do contrato é antecipada em 2022 e a primeira aeronave substituta entregue em 2025.
  • O governo se envolverá com governos estrangeiros, fabricantes de aviões de combate e as indústrias aeroespacial e de defesa canadenses para garantir que estejam bem posicionados para participar.
  • A compra de 88 aeronaves representa um aumento no tamanho da frota de mais de um terço do que foi planejado antes da política de defesa forte, segura e engajada (65 aeronaves).
  • Juntas, as indústrias aeroespacial e de defesa do Canadá contribuem com mais de 240 mil empregos de qualidade.
  • O setor aeroespacial é uma das indústrias mais inovadoras e orientadas para exportação no Canadá e acrescenta US$ 28 bilhões anualmente no produto interno bruto para a economia do Canadá.
  • O setor de defesa canadense inclui mais de 650 empresas que empregam trabalhadores altamente qualificados em empregos de alta qualidade.

FONTE: Public Services and Procurement Canada

100
Deixe um comentário

avatar
100 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
52 Comment authors
Mauro OliveiraRodrigocamargoerFábio MayerAdriano Luchiari Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Rui chapéu
Visitante
Rui chapéu

Eu comentei no tópico anterior mas se perdeu não sei como. O Canadá ia comprar f-35. Tava TD certo, até que entrou o primeiro ministro Justin trudeau, que melou tudo. Ficou de birra e disse que ia comprar super Hornet. Aí a Boeing processou a bombardier por causa do subsídio estatal do concorrente do 737 e a320. A bombardier perdeu. Aí ficou de birra com a Boeing e comprou os f-18 velhos da Austrália. Quem ferrou com a defesa do Canadá foram esses políticos. E ainda uns falam que é política desastrosa dos americanos. Como é desastrosa se o cara… Read more »

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Se os britânicos quiserem fazer um showzinho, basta fazer o que a Airbus fez depois que a Northrop caiu fora do KC-X: uma proposta à preço de custo, só para ver os canadenses baterem na porta da Lockheed exigindo um desconto maior no F-35 ou os súditos ficarão mais próximos da rainha.

Ivan BC
Visitante
Ivan BC

O Presidente comentário editado do Canadá está bravinho com o Trump (cachorro louco) kkkkkk
Acho que ele, para demonstrar que está muito bravinho, vai querer comprar o Rafale dos franceses (que também tem como Presidente outro comentário editado)!
Se eu fosse Presidente do Canadá continuaria comprando os F-18 e qualquer outro aparelho militar dos EUA, não fazem fronteira com ninguém, os aparelhos são bons e podem comprar sempre usados, manutenção é só atravessar a fronteira…enfim, não tem o porquê de inventar bobagens!

JT8D
Visitante
JT8D

Será que o Gripen tem chance ?

RL
Visitante
RL

Estive no Canadá.

Que país lindo.

Que povo evoluído.

Sem palavras para descrever este país.

Quanto aos caças, sinceramente não saberia opinar sobre quais melhores opções ….

Um Gripen NG, Rafales (Canadá fala francês TB), Eurofighter????

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

JT8D, acho que não, embora eu tenha visto alguns canadenses nos fóruns gringos sendo favoráveis à ideia. O Canadá opera caças de médio/grande porte desde a década de 60 (com o F-101) e depois da experiência com o F-104 eles parecem reticentes a voltar para os monomotores. E como eles sempre tiveram bala na agulha para operar equipamento de ponta relativamente caro, imagino que se não der F-35, com certeza será uns dos bimotores europeus, principalmente o Typhoon devido a proximidade com os britânicos.

Jr
Visitante
Jr

Vai ficar entre o F-35 e o Typhoon, mas uma coisa é certa, eles não vão comprar o f-18 super hornet de jeito nenhum

Adriano R.A.
Visitante
Adriano R.A.

De novo? Só pra poder cancelar daqui um ano? Ou foi alguma empresa aeroespacial européia que chegou forte no país recentemente e está mexendo uns pauzinhos?

PauloR
Visitante
PauloR

Depois da parceria entre Bombardier e Airbus o Typhoon tem uma vantagem sobre o F-35 mas que pode ser revertido no decorrer da concorrência. Já Boeing, vai para disputa com cara de velório.

Marcos
Visitante
Marcos

Não tem sentido o Canadá comprar F35, porque faziam parte do programa é saíram fora!!

Antonio de Sampaio
Visitante
Antonio de Sampaio

Rafale é o favorito.

hammadjr
Visitante
hammadjr

É aquela coisa né quem tem grana faz o preço

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Não mesmo Antônio! Pelo andar da carruagem o favorito agora é o Typhoon

Alex II
Visitante
Alex II

Para que um pais como o Canadá quer 88 caças? Só se for pra mandar pra Europa pra servir na OTAN.

Alex II
Visitante
Alex II

Vai dar Gripen hahahaha

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Alex, o Canadá é o segundo maior país do. Mundo em extensão territorial. E além da OTAN tem responsabilidades no NORAD

Antonio de Sampaio
Visitante
Antonio de Sampaio

HMS TIRELESS 13 de dezembro de 2017 at 22:39
É nada, o cara gosta é do outro perfumadinho igual a ele, ambos demagogos… o Typhoon é caro demais de operar e já deu o que tinha que dar, o Rafale está mais dentro da realidade… o ideal seria manter a linha de compartilhamento com os EUA… mas esse aí é cheio do mimimi…

Jacinto Fernandes
Visitante
Jacinto Fernandes

O Canadá tem a 3ª maior reserva de petróleo do mundo, atrás apenas da Venezuela (1ª) e da Arábia Saudita (2ª).

Jacinto Fernandes
Visitante
Jacinto Fernandes

E ainda tem a terceira maior reserva de petróleo do mundo. Tem 14x mais petróleo do que o Brasil

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Antônio, o Typhoon pode até ser mais caro de comprar mas como é compatível com todas as armas do arsenal canadense termina ficando mais barato. E também tem mais interoperacionalidade com as forças dos EUA.

Antonio de Sampaio
Visitante
Antonio de Sampaio

Jacinto Fernandes 13 de dezembro de 2017 at 22:55 Se não explorar logo vão perder… por que o petróleo vai deixar de ser fonte de energia não por se esgotar.. e o óleo deles é difícil de explorar por conta das reservas naturais em que estão localizados. ________________ HMS TIRELESS 13 de dezembro de 2017 at 22:57 Já disse, é caríssimo de operar, está no fim do ciclo de vida operacional, não fica mais barato, nem a Alemanha dá conta de operar esse avião… o francês é um dos idiomas oficiais do Canadá… tem um lado do Canadá que fala… Read more »

Nunão
Visitante
Nunão

“Já disse, é caríssimo de operar, está no fim do ciclo de vida operacional”

Typhoon no fim do ciclo de vida operacional? Não chegou nem na metade ainda, só agora está atingindo a maturidade multimissão.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Bem lembrado Nunão! Especialmente agora que o novo radar CAPTOR-E está entrando em serviço.

Renan
Visitante
Renan

Se é para fazer birra.
Compra O SU-35 ou o SU-57
Então seria uma festa nos blogs para mais de mil comentários.
Chuto no Rafale
abraços

Nunão
Visitante
Nunão

Renan, se você gosta de Su-35 ou Su-57, tudo bem.
Mas não precisa chutar no Rafale.
Chutar avião é judiação…

Mr. White
Visitante
Mr. White

Boa noite, Pelo o que tenho lido por aqui, o Canada precisa de jatos com dois motores pelo fato de ser mais confiavel. Onde moro, na provincial de Alberta, cidade de Edmonton existe uma base aerea e o frio que temos aqui e de -45C e outras cidades mais ao norte chega a -55C. Com a falha de um dos motores, acredito que o piloto bem treinado consegue levar seu jato para um local de pouso garantido. Nao acredito que o Canada va comprar os Typhoons pelo fato de nao terem logistica para novos vetores e tbm acredito que nao… Read more »

PauloR
Visitante
PauloR

O problema do Thyphoon é que os países dos consórcio não querem mais investir no avião que deve acabar no Tranche 3 e fazer qualquer modernização sai caro, já o Rafale deve voar na configuração F4 em 2023 o que mostra que a França pretende continuar investindo no avião.

PauloR
Visitante
PauloR

Typhoon*

Delfim Sobreira
Visitante
Delfim Sobreira

O F-35 custa 55 mil doletas a hora de vôo fora os upgrades mas o Typhoon que é caro ? . Responsabilidade canadense com o NORAD ? Os bombardeiros russos vão passar batidos por cima do Canadá ! Trump deveria dar, de graça, os caças para o Canadá defendar os EUA. . Enquanto a FAB pensa em não substituir os F-5 e A-1 pelo mesmo número de F-39, o Canadá vai passar de 65 para 88 caças mais modernos. Vamos chegar em último lugar na corrida aérea do ConeSul mesmo. . 88 caças… um dinheirama. Provavelmente mais de 10 bilhões… Read more »

Wagner
Visitante
Wagner

Daqui uns dias estarão montando a Liga de Viúvas do Éfinho…

Não penso que irão de aviões europeus. Afinal, o Canadá depende muito do irmãozão ao sul de suas fronteiras.

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Na minha opinião, as maiores chances (pelo conjunto de questões numa decisão como está) estão com o Typhoon (muito por conta da maior aproximação entre os governos canadense e britânico), seguido de perto pelo Rafale (lembrando que o Canadá opta por um único caça multifunção pleno e nisto o Rafale está à frente do Typhoon). Mas uma outra jogada pode virar a mesa em pró dos franceses – a Dassault, por causa dos problemas de desenvolvimento com os novos motores Safran para os seus Falcon 5X, já definiu logo de cara um substituto, no caso os motores PWC, se que… Read more »

Rogroc
Visitante
Rogroc

Clésio Cruz como assim preferem bimotores mas a preferência é pelo F35?

João Cândido Martins junior
Visitante
João Cândido Martins junior

Ivan Bc
O Canadá é uma monarquia não tem Presidente e sim primeiro ministro que é o chefe de governo o chefe de estado é a rainha Elizabeth ll que é representada no país
Pelo governador geral

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Delfim, eu concordo contigo que Trump deveria dar os caças de graça mas não é assim que a banda toca, até porque a origem dessa celeuma está em uma disputa com a Boeing onde a fabricante norte-americana, diga-se de passagem, está certíssima. E embora tenham hoje 65-85 CF-18 em serviço inicialmente foram adquiridos 138 desses aviões.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Mr. White, as viúvas do Rafale no FX-2 acham que Justin Trudeau vai comprar o caça francês em homenagem à Quebec…rs!

Marcos
Visitante
Marcos

HMS
De fato, a Boeing está certa em sua posição de questionar os “subsídios” dados pelo Canadá à Bombardier, que aliás, isso nem subsídio é, é alguma outra coisa.

Foi falta, Arnaldo?
A regra é clara, Galvão. Entrar de carrinho, por trás, com as travas para cima para atingir o adversário e sem bola, é falta, falta com cartão vermelho.

André Bueno
Visitante
André Bueno

Eu aposto no F-35. A celeuma criada pelos subsídios aos C-Series e trucada pela Boeing é mais contra essa empresa do que com o governo americano. Há o NORAD, há a tradição, há a interoperabilidade e há o governo americano, seus interesses e os interesses comuns.
Era uma outra época e com pessoas diferentes mas para quem já engavetou um projeto de caça fantástico como o AVRO Arrow, menos complicado, creio eu, será desembaraçar a situação atual.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Bem lembrado André! Talvez essa concorrência termine por colocar o F-35 de volta ao páreo, e Trudeau teria a justificativa perfeita para escolhê-lo após passar a campanha eleitoral dizendo que não..rs!

Fabio Jeffer
Visitante
Fabio Jeffer

Se não me engano o governo canadense deu subsídios a Bombardier em detrimento da Embraer. Confere?

Jorge Knoll
Visitante
Jorge Knoll

-Os canadenses querem caças de verdade, completos e que tenham poder de fogo e defesa, não GRIPEN.

Chico Novato
Visitante
Chico Novato

Difícil dar outra coisa que não F-18
Mesmo com as relações entre o Trudeau e o Trump abaladas, essas compras são negócios de Estado (como bem sabemos…) e não de governo.

Toda a expertise e estrutura já está montada para o F-18.

Ricardo Da Silva
Visitante
Ricardo Da Silva

E ainda tem aqueles que sonham ainda com o “Super Arrow” . . . . .
“pobre rica RCAF”

luiz antonio
Visitante
luiz antonio

Na minha opinião de leigo o Canadá poderá comprar até f-5M do Brasil (depois que o Gripen vier) pois se a “coisa” apertar os EUA enchem o Canadá com seus caças de SA e demais recursos do “Guarda-Chuva” ianque. Estrategicamente o território canadense é considerado Território Norte-Americano quer gostem ou não.

André Bueno
Visitante
André Bueno

Jorge Knoll 14 de dezembro de 2017 at 8:18

Os Gripen E carregarão muitas das armas já utilizadas pelos Typhoon, ou não? Eu não gostaria de combater contra uma aeronave com ao menos um par de Sidewinders de última geração e dois pares de Meteor, além de toda a parafernália eletrônica que o apoia em ataque e defesa.

E não se preocupe, os Gripen E não serão básicos mas completos, versão “E turbo GTXi flexpower ecoboost hybrid”, além dos porta-objetos, hatch ou sedan, e futura versão wagon. 😀

Magrini
Visitante
Magrini

Os Typhoons e f18 já são caças em fim de carreira certo? Acho que ficam rafale e gripen…

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Hehe, quero ver o Typhoon levar certas combinações de armas em missões ar-solo em longo alcance que o Gripen E é capaz.

Jacinto
Visitante
Jacinto

Antonio de Sampaio 13 de dezembro de 2017 at 23:11 Ainda tem muitas décadas pela frente. Existe esta celeuma sobre o petróleo acabar, e um dia acaba mesmo, mas a atual opção aos carros à combustão são os carros elétricos. O problema é que os carros elétricos usam bateria de lítio, e lítio é um metal relativamente raro. Apenas 8 países produzem lítio. Então, com a tecnologia atual, os carros elétricos provavelmente esgotariam as reservas de lítio antes de os carros a combustão esgotarem as reservas de petróleo. O futuro, ao que tudo indica, é o carro híbrido, que usa… Read more »

André Bueno
Visitante
André Bueno

Se não me engano o Gripen E será de fato multirole, capaz de mudar o perfil de missão em voo. O Typhoon é ou será capaz disso?

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Fabio Jeffer 14 de dezembro de 2017 at 8:17

A EMBRAER já demandou em desfavor da Bombardier na OMC várias vezes, e particularmente nessa questão dos CSeries ela vem acompanhando atentamente o desenrolar dos fatos.

SmokingSnake 🐍
Visitante
SmokingSnake 🐍

O Canadá é desleal, o governo de lá sempre tenta dá uma vantagem ilegal para prejudicar a Embraer também. Em uma guerra econômica com os EUA, o Canadá sempre vai sair perdendo (e muito)