Home Aviação de Caça Qatar compra 12 caças Rafale adicionais

Qatar compra 12 caças Rafale adicionais

3578
49
Rafale nas cores do Qatar

SAINT-CLOUD, França — Na presença do Presidente da República Francesa, o Sr. Emmanuel Macron e a Alteza Sheikh Tamim bin Hamad Al Thani, as Forças Armadas do Qatar e a Dassault Aviation assinaram um acordo sobre cooperação futura e o exercício de uma opção para 12 caças Rafale.

Esta nova encomenda segue o contrato assinado em 4 de maio de 2015 entre o Estado do Catar e a Dassault Aviation para a aquisição do 24 caças Rafale, elevando assim o número de aeronaves Rafale operadas pela Qatar Emiri Air Force para 36.

A Dassault Aviation e os seus parceiros agradecem às Autoridades do Qatar por lhes terem dado a oportunidade de melhorar a sua colaboração, reafirmando a sua confiança nas qualidades do Rafale e expressando a sua satisfação com a execução do contrato principal.

“Este novo acordo é construído em torno do relacionamento especial que existe entre os dois países e a determinação compartilhada, pelo Ministério da Defesa do Qatar e da Dassault Aviation, para avançar juntos”, declarou Eric Trappier, presidente e CEO da Dassault Aviation.

Com mais de 10.000 aviões militares e civis entregues em mais de 90 países ao longo do século passado, a Dassault Aviation criou conhecimentos reconhecidos mundialmente no projeto, desenvolvimento, venda e suporte de todos os tipos de aeronaves, desde o caça Rafale até o a família Falcon de jatos empresariais de alto nível e drones militares. Em 2016, a Dassault Aviation registrou receita de € 3,6 bilhões. A empresa possui 12 mil funcionários.

FONTE: Dassault Aviation, em 7 de dezembro de 2017

49
Deixe um comentário

avatar
49 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
33 Comment authors
Tiger 777RLDelfim SobreiraAlexandre FontouraBardini Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
PauloR
Visitante
PauloR

Le Jaca agora da lucros para Dassault. Queria ele nas cores da FAB mas admito que é caro demais para uma força aérea capenga de dinheiro como a nossa.

Rodrigo M
Visitante
Rodrigo M

Um caça para países que levam a sério sua defesa o que não é nosso caso..

Gabriel2
Visitante
Gabriel2

É bom mas é caroooooooo!
Se eu fossemos vizinhos da Arabia Saudita e do Irã seria uma necessidade

MATHEUS
Visitante
MATHEUS

As viúvas do Rafale já apareceram rsrs

Manock
Visitante
Manock

É verdade. Cadê os especialistas em desqualificar a viabilidade do Rafale?

Professor
Visitante
Professor

Vejo notícias como essa, me dá até raiva. Nossa, como seria bom ver o Brasil pilotando Rafale. E sim, sou viúvo do Rafale mesmo.

Nonato
Visitante
Nonato

Cadê Rinaldo Nery?
Comprei os livros que a engenheira gata recomendou.
Um mais superficial de um autor brasileiro e o outro um textbook estrangeiro…
Muito complicados.

Paulo Jorge
Visitante
Paulo Jorge

Está vendendo mais do que o Gripen.
Continuo afirmando que a SAAB não é agressiva o suficiente e boicota o próprio produto.

Sds.

Delfim Sobreira
Visitante
Delfim Sobreira

O negócio saiu por € 1,1 bilhão. Convertendo e dividindo dá USD 108 milhões cada um.
O preço da jaca caiu.

Professor
Visitante
Professor

Espero que o próximo presidente eleito corrija esse grande erro de deixar de adquirir os Rafale. E mais, o Brasil precisa comprar da França porta-helicópteros, novinhos, não sucata. O Brasil já passou da fase de ter equipamento usado – tem que adquirir tudo novo. E tudo da França, com transferência de tecnologia.

Silva
Visitante
Silva

Decisão mais do que acertada a compra do Gripen para a FAB. Acredito que a COPAC não estava preocupada em escolher o melhor caça da concorrência, mas sim o melhor caça para as necessidades da FAB. O Gripen foi a melhor escolha, sem dúvidas. Se a COPAC fosse movida por esse sentimentalismo futebolístico, que alguns aqui demostram por caças, a FAB acabaria por não operar nada. No caso do Gripen está havendo real repasse de tecnologia, coisa que não aconteceria com americanos, russos ou franceses. Aliás, onde está a tecnologia que os franceses prometeram repassar com a compra dos EC725… Read more »

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Caso a malfadada escolha “político-etílica” do dia 07/09/2009 houvesse sido levada adiante estaríamos com um grande problema em mãos. O Rafale é uma aeronave cara e para piorar usa apenas armas francesas. Não poderíamos aproveitar no aparelho o casulo designador de alvos Litening e outros sistemas de armas que adquirimos junto à indústria israelense. isso sem falar do A-Dart e também do novo Wide Angle Display desenvolvido pela AEL em parceria com a Elbit.

Assim, o Gripen se revelou a melhor escolha…
Quanto aos franceses basta lembrar que o PROSUB está na mira da Lavajato…

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Silva 8 de dezembro de 2017 at 22:27

Bem lembrado! E não custa lembrar que até hoje a Kombi voa com uma gambiarra na MGB

Silva
Visitante
Silva

HMS TIRELESS 8 de dezembro de 2017 at 22:33

Sim, tem isso ainda por cima! Compramos uma Kombi capenga e ainda por cima pagamos o mesmo que custaria uma Sprinter Executive. Há quem diga que a Airbus “repassou” tecnologia para a “apertaparafusobras” de Itajubá, que pertence a própria Airbus. Se for verdade, onde já se viu isso? Repassar tecnologia de mim para mim mesmo? Ah esses franceses… kkkkkkkk tenho que rir para não xingar.

Kobáμca
Visitante
Kobáμca

Ninguém aqui dúvida das capacidades do rajada!!! Poxa, mas ainda hoje tem gente desmerecendo o gripen “NG”
Com todas as informações que ja temos sobre as novas tecnologias e capacidade, e alcance, em inteligência situacional, em data link, em armamento….
Cara, o gripen é um baita casa, ao qual a nossa querida fab nunca teve algo parecido!!!
A um custo justo, bom e barato!!! Que tem como pagar e operar!!!
Essa choradeira ja tinha que ter acabado a uns cinco anos!!!

Kobáμca
Visitante
Kobáμca

Peso desculpa, entendi errado um comentário, perdão!!!

mf
Visitante
mf

Rafale vs F-39BR, boa a tecnologia embarcada empata praticamente, o resultado vai depender mais dos pilotos mesmo.

Para o Brasil, a parceria com a suecia já está trazendo retornos. Foi a melhor escolha, e não vai ficar parado no hangar, e se fosse o rafale com certeza ficaria, muito caro de manter e operar.

hammadjr
Visitante
hammadjr

Engraçado não sabia que existia preço popular para aeronaves tipo JAS-39 F-18 e o Rafale ou mesmo F-16, outra questão há ser observada é o tamanho do endividamento público do Catar e o Brasil, segundo é a modalidade de compra e poder decisorio até onde sei não existe a 8.666 muito menos 10.520.

Jean-Marc Jardino
Visitante

Ja compraram mais 12 juntando aos 24 ja comprados, e assinaram ja um acordo para exercer a compra mais de 36 nos proximos anos. Agora so falta os Emirados Arabes exercerem a compra de 60 avioes.

Jean-Marc Jardino
Visitante

AAAA so para lembrar, o Brasil ainda continua esperando o Gripen NG, que ate agora so fizeram o prototipo, risssssssss, e ainda corre o risco de a compra ser suspensa por falcatruas na lecitacao. EEEE Brasil, sempre atrasado. Pois bem, quem tem dinheiro, vai e compra, e nao fica esperando.

Manuel Flávio
Visitante
Manuel Flávio

Hammadjr,

Desculpe-me pela curiosidade: o(a) Sr(a) é a Maria do Carmo Lacoste, antiga frequentadora?(parece-me que escreve como ela).

Delmo Almeida
Visitante
Delmo Almeida

Não sou um detrator da parceria com a França, gosto dos produtos deles e do Rafale em especial, mas tem uma galera aí que tá demais na empolgação… A França não é isso tudo aí também não…

Heyarth
Visitante
Heyarth

O Rafale é um baita caça, mas a nossa escolha pelo gripen foi muito bem acertada. Vai da pra integrar os armamentos q estão disponíveis, fácil de operar, manutenção bem mais simples, enfim… Vamos aguardar e ver como vai ficar nossa FA.

Aguiar
Visitante
Aguiar

A França em 1939 era senão a maior potência militar da Europa talvez do mundo pelo menos era o que diziam na época aí vieram os alemães e em dias conquistaram a França… os franceses adoram se postarem como os donos dos equipamentos militares de excepcional capacidade bélica porém o que nos garante que esse caça não seja uma jaca voadora caricima… vamos de gripen que tá bom demais pra quem somos quem sabe no futuro um milagre aconteça aí construiremos tecnologias próprias com capacidade de dissuasão real!

Ivan BC
Visitante
Ivan BC

Eu não consigo imaginar caça melhor para o Brasil do que o Gripen. Das coisas que ocorreram no governo da Dilma (veia louca), a compra do gripen foi a melhor.
O Brasil com 72 gripens operacionais está ótimo, mais uns 12 para treinamento, manutenção e outras atividades.
Eu não gosto de equipamento francês…

Jr
Visitante
Jr

Jean-Marc Jardino das falcatruas da naval group e da Airbus com seu H225M você nem comenta né seu Jardino. Só quero ver quando o MP francês bater na porta da naval group se você vai ter coragem de aparecer aqui para comentar

Alex Nogueira
Visitante
Alex Nogueira

O Rafale é um avião belíssimo, pena ser caro de adquirir e pelo que se ouve caro de manter (acredito que as peças de reposição sejam vendidas por um alto valor), em comparação ao F-39, acho que escolhemos corretamente, pois todos os custos globais parecem ser menores e a disponibilidade de armamentos e sensores é extremamente maior, outra coisa a favor do F-39 é o radar AESA que aparentemente tem um ângulo muito maior de varredura, o que para mim já é um fator decisivo, visto que o desempenho geral de voo é semelhante. *Sei que o Rafale tem capacidade… Read more »

Bavaria Lion
Visitante

Tem “frances” que trabalha numa empresa mas defende produtos da outra, diametralmente concorrente.

Porém, o bom dos blogs são algumas figuras folclóricas que aparecem de vez em quando.

Jr
Visitante
Jr

Bavaria Lion, que empresa que esse “francês” trabalha?

Rodrigo M
Visitante
Rodrigo M

Complementando meu comentário anterior, gosto muito do Rafale, mas concordo que para nossa atual conjuntura o Gripen NG foi realmente a melhor escolha. Talvez perca para o Rafale em alguns pontos mas ganha em outros, no final se equivalem.. Acredito que no final que mais pesou na escolha (como já foi exaustivamente debatido) foi mesmo o preço para aquisição e manutenção. Me incomoda a morosidade da SAAB, com o NG, fosse o Rafale ou SH escolhidos, certamente já estaríamos recebendo os primeiros. Quanto a questão de transferência tecnológica, não comento a respeito pois não acredito nesta lenda. País que quer… Read more »

Robsonmkt
Visitante

O Rafale, como típico produto do design aeronáutico francês, é – na minha opinião, obviamente – um dos mais belos e elegantes caças da atualidade. No tocante à dimensões e desempenho, ele se revela um caça intermediário, acima dos monoturbina F-16 e Gripen, mas abaixo dos biturbina F-15 e SU-30/35. Seu barramento permite a integração de armas de outras origens além da francesa. Seu principal ponto fraco é o mesmo do Typhoon: custo elevado de aquisição e de manutenção e este pode ser o principal fator a desestimular sua adoção pelos canadenses como uma opção ao Super Hornet. É o… Read more »

Aêdo Rocha
Visitante
Aêdo Rocha

Estamos bem com nosso Gripen, principalmente se adquirimos um segundo lote. Aqui no Oriente médio a chapa é bem mais quente e o Qatar precisa se armar melhor pra ontem. São duas realidades completamente diferentes.

Humberto
Visitante
Humberto

Para mim a melhor opção era o F-18, pois acredito piamente que o custo de manutenção seria mais barato, pois o império do mal (como alguns adoram dizer isto) opera a centenas. MAS é uma opinião de leigo, não dos militares que recebem e vivem disto. Acho o Rafale um avião fantástico, mesmo não gostando dele, para mim é inegável tanto a beleza assim como a qualidade do mesmo. O custo de manutenção dele é caro? Se comparada com o F-18 com certeza MAS sinceramente não sei como o custo de manutenção do F-39 pode ser tão mais barato que… Read more »

Alex Nogueira
Visitante
Alex Nogueira

A vantagem do F-39 é que o motor é basicamente o mesmo do F-18 E/F.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Robsonmkt, o Rafale usa apenas armas francesas. A única arma estrangeira homologada para ele hoje é a bomba GBU-12. Nem mesmo o AIM-120 AMRAAM foi homologado para uso nele. Se um país estrangeiro quiser integrar outras armas terá de pagar muito caro para isso.

Augusto
Visitante
Augusto

Silva 8 de dezembro de 2017 at 22:50 Embora eu concorde totalmente que é um despropósito o Brazil pagar pra uma empresa passar tecnologia para si mesma, “repassar tecnologia de mim para mim mesmo” não é algo tão simples. Trabalho para uma multinacional com análises virtuais e cálculo estrutural e você não imagina o parto que é toda vez que precisamos de alguma informação da matriz, muitas vezes já tivemos de pagar fornecedores externos para desenvolver uma metodologia para nós aqui no Brazil que sabemos que a matriz já possui a anos mas tem má vontade de repassar o knowhow… Read more »

Robsonmkt
Visitante

Verdade, HMS.
Mas mesmo isso é um avanço em relação a geração anterior, os Mirage, cujo barramento não era STD e a integração com armamentos de outras procedências era bem mais complexa e cara.

Silva
Visitante
Silva

Alex Nogueira 9 de dezembro de 2017 at 11:18

Sim, e a outra vantagem do Gripen é que ele utiliza apenas um motor, por isso a manutenção dele é menos custosa e a disponibilidade dele é maior em relação aos bi-turbinas, como o Lê Jaquê e F-18. Não sei por que tem gente que continua insistindo nesses assuntos já batidos e esclarecidos inúmeras vezes aqui no blog. As viuvinhas de Lê Jaquê não se conformam mesmo.

Antonio Palhares
Visitante
Antonio Palhares

Compraram. Porém não tem recursos técnicos, pessoais e gerenciais para operar uma estrutura tão complexa quanto uma força aérea moderna precisa. Estes caras compram tudo para agradar europeus e americanos. Tudo para fazerem de conta que fazem parte do grupo. Até times de futebol. Fico com a compra pé no chão da FAB em todos os quesitos.

Silva
Visitante
Silva

Augusto 9 de dezembro de 2017 at 11:22 Augusto, mas o problema é que pagamos muitíssimo caro sob o pretexto de repasse da tecnologia dos EC725 e até o momento, nem sinal aparente ou certeza do recebimento dela, pois na época, o governo federal afirmou que a tecnologia recebida das Kombis, seria usada para criar uma outra empresa nacional na área de defesa, que se chamaria Engesaer, em alusão a extinta Engesa e que muito em breve, o país estaria apto a projetar um helicóptero nacional. De uma coisa eu tenho certeza, que nem mesmo a a tal da Helibras… Read more »

Aêdo Rocha
Visitante
Aêdo Rocha

Silva 9 de dezembro de 2017

“…a disponibilidade dele é maior em relação aos bi-turbinas,..”.

Acho que esse conceito de disponibilidade menor por ter 2 motores é um conceito já ultrapassado. Há algumas décadas atrás sim, mas hoje em dia com os pacotes de manutenção atuais penso não fazer diferença na disponibilidade, no custo sim, mas disponibilidade não. Um motor é trocado em menos de 24 hs (falando somente da troca de do motor) então o impacto na disponibilidade é quase nulo.

Bardini
Visitante
Bardini

“O negócio saiu por € 1,1 bilhão. Convertendo e dividindo dá USD 108 milhões cada um.
O preço da jaca caiu.”
.
Isso é lote complementar… Se comprarmos mais Gripen, o preço também cai.

Alexandre Fontoura
Visitante

“Decisão mais do que acertada a compra do Gripen para a FAB. Acredito que a COPAC não estava preocupada em escolher o melhor caça da concorrência, mas sim o melhor caça para as necessidades da FAB. O Gripen foi a melhor escolha, sem dúvidas. Se a COPAC fosse movida por esse sentimentalismo futebolístico, que alguns aqui demostram por caças, a FAB acabaria por não operar nada. No caso do Gripen está havendo real repasse de tecnologia, coisa que não aconteceria com americanos, russos ou franceses. Aliás, onde está a tecnologia que os franceses prometeram repassar com a compra dos EC725… Read more »

Alexandre Fontoura
Visitante

Jean-Marc Jardino 9 de dezembro de 2017 at 7:49
AAAA so para lembrar, o Brasil ainda continua esperando o Gripen NG, que ate agora so fizeram o prototipo, risssssssss, e ainda corre o risco de a compra ser suspensa por falcatruas na lecitacao. EEEE Brasil, sempre atrasado. Pois bem, quem tem dinheiro, vai e compra, e nao fica esperando.

Que risco de suspensão de compra do Gripen por falcatruas na licitação? Teve falcatrua na licitação? Pode esclarecer, por favor?

Alexandre Fontoura
Visitante

Bardini 9 de dezembro de 2017 at 14:21 “O negócio saiu por € 1,1 bilhão. Convertendo e dividindo dá USD 108 milhões cada um. O preço da jaca caiu.” . Isso é lote complementar… Se comprarmos mais Gripen, o preço também cai. Exatamente, Bardini. Um novo lote de 50 Gripen NG para a FAB pode custar o mesmo ou até mesmo do que o que custaram os 36 do primeiro lote. A venda de aeronaves para outros países, além de Suécia e Brasil, também impactará no preço unitário de aeronaves adicionais. Isso foi confirmado em entrevista, pelo Brigadeiro Bonito, atual… Read more »

Delfim Sobreira
Visitante
Delfim Sobreira

Alexandre Fontoura.
Se olhar acima, quem fez o cálculo do preço unitário dos Rafales fui eu.
.
Quanto a discussão sobre o FX-2… eu fecho com o Gripen, mas achar que outras aeronaves futuramente não possam igualar ou até superar sua oferta de preço, ToT, benefício, aí é ser um pouco ingênuo. Tecnologias avançam, a um ritmo cada vez mais rápido.
A idéia é fechar com o Gripen pelos próximos 30 anos, mas se daqui a 10/15 anos aparecerem outras aeronaves que possam superá-lo nos mesmos quesitos pelos quais ele foi escolhido… bem, por que não ?

RL
Visitante
RL

Caraca. Li a matéria e a meu ver fala sobre uma confirmação de compra pelo Qatar de 12 Rafales….

Afinal. A matéria é mesmo sobre isso ou sobre o Gripen F39, FAB, TOT, Brazil zil zil?

Fiquei na dúvida.

Tiger 777
Visitante
Tiger 777

Esta compra está relacionada, a uma parceria estratégica com a França. Se o Irã nos atacar, vcs nos dão suporte.
É o que os Sheiks estão dizendo…
O resto é mi mi mi.