domingo, junho 20, 2021

Gripen para o Brasil

Japão estuda equipar caças F-15 com mísseis JASSM-ER

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Mitsubishi F-15J da JASDF – Japan Air Self-Defense Force

O governo japonês está considerando a introdução de um míssil de cruzeiro de longo alcance ar-superfície, que seria capaz de atingir um alvo terrestre ou navios no mar, disseram fontes governamentais.

O objetivo principal da introdução deste tipo de míssil seria atacar navios inimigos usando um avião de combate equipado com ele em tempos de emergência, de acordo com as fontes.

Também acredita-se que o governo está querendo reforçar o poder de dissuasão do Japão em relação à Coreia do Norte, que continua seu desenvolvimento nuclear e de mísseis, disseram as fontes. O governo incluirá os custos relevantes no orçamento do próximo ano fiscal.

O míssil proposto é o sistema JASSM-ER desenvolvido pelos Estados Unidos. Como não pode ser carregado em alguns aviões de combate, incluindo o F-15 da Força Aérea de Auto-Defesa do Japão em seu modelo atual, será necessária a modificação das células e dos sistemas dos jatos para a instalação.

O Ministério da Defesa não está pedindo que os custos relevantes sejam incluídos em seu pedido orçamentário para o ano fiscal de 2018. No entanto, uma fonte do governo disse que o ministério “está na fase final dos arranjos para incluir custos de pesquisa em modificações de estrutura para introduzi-lo no orçamento do ano fiscal de 2018”.

O sistema JASSM-ER tem um alcance de 900 quilômetros ou mais. Isso significa que, sem precisar entrar na Coreia do Norte, o míssil seria capaz de atingir a área interior do país com o avião lançador sobrevoando o Mar do Japão.

No entanto, na perspectiva da política exclusivamente orientada para a defesa do Japão, o governo assume a posição de não possuir a capacidade de atacar bases inimigas. De acordo com a Constituição, no entanto, o Japão pode ter a capacidade.

O governo pretende discutir a posição do Japão em relação à capacidade de atacar bases inimigas para se preparar para as novas Diretrizes do Programa de Defesa Nacional a serem lançadas no final de 2018.

O ministério, que iniciará a pesquisa sobre mísseis antinavio japoneses no ano fiscal de 2018, também planeja adicionar recursos de ataque terrestre aos mísseis. O ministério pretende completar um modelo de teste no ano fiscal 2022, e espera-se que demore vários anos para introduzir o sistema. O governo pretende introduzir mísseis JASSM-ER antes disso.

FONTE: The Yomiuri Shimbun

- Advertisement -

10 Comments

Subscribe
Notify of
guest
10 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Bosco

Salvo algo que tenha perdido, o JASSM-ER não é capaz de atingir alvos móveis, sejam navais ou terrestres. Sua versão antinavio, o LRASM, o será.

Augusto

Bosco deve ser pra atacar mesmo a CN em retaliação a um ataque da mesma, mas falar que é pra se defender de navios é mais bonito e tem a questao da constituição pacífica do Japão. Eu acho que o Japão teria que ter um missil de cruzeiro desde o momento que a CN ter conseguido um missil que alcance o Japão.

Agnelo

Com a quantidade de F-15 q eles têm, vão ter uma ótima capacidade de ataque.

vanicio

etaa… ai deve entrar os euas ne ?? este missel e fabricado la ou pelo menos componentes ou tecnologia sao de la ne ?? uma guerra so sera prejudicial aos eua se um missel atomico conseguir penetrar no seu territorio,,, isso eu acredito e muuuito dificil ne,,, do contrario qualquer conflito ou guerra e muito interessante e ultiu aos americanos , mesmo que isso custe a cabeça de crianças , idosos e uma multidao de inocentes … parem pra pensar a grana que os euas estao contabilizando com esta suposta guerra contra a c do norte . alias e isso… Read more »

Peterson Monteiro Da Silva

Não é de se duvidar, com a CN já se vendeu mais F35, mísseis aéreos e de defesa aérea. Fora os contratos de manutenção a Korea do Sul já aumentou suas compras com os americanos só este ano em 45% segundo o a ewronews… Junte se a isso o contrato essepcinal com a EAU dos outros f15 de mais de 100 bilhões de dólares!!! A guerra é terrível, cruel, e insana!!! Mais o medo dela é extremamente Lucrativo.

PauloR

Carvalho 8 de dezembro de 2017 at 13:07

Nunca vi eles armados voando em área urbana e olha que eles voam em baixa altitude, quase rasante.
Único problema deles é o barulho que é muito alto e chega ser incomodo. Numa guerra os inimigos sabem ate de onde vem o heli.

Bosco

Só neste ano houve mais de 20 lançamentos de mísseis balísticos de grande alcance (pelo menos capazes de atingir o Japão) pela CN.
Deve ter sido a CIA que os lançou a partir da CN para que o complexo industrial militar americano possa lucrar vendendo armas pra CN e por Japão a partir de uma ameaça inventada pelo satânico Trump.
No OM a CIA fez a primavera árabe pra poder lucrar drenando o petróleo.
Esses americanos danadinhos…

Bosco

Paulo,
Errou a mira! Post errado. rsrsss

Bosco

CN = CS

Rommelqe

Eu entendo que a integraçao do JASSM ao F-15 japones tem toda uma complexidade inerente a esse processo, etc. Porem, em alguns pontos é ate mais simples do que, por exemplo, integrar um missil AA; digamos, um Meteor. Isso porque a iteraçao aeronave/ missil é mais complexa, principalmente no que tange aos aspectos aerodinamicos (tem -se que certificar para condiçoes de manobras mais radicais, entre outras), e automatismo/controle de combate ( por exemplo o missil tem que ser preprogramado de forma mais intensa , alguns instantes antes de ser lançado, mesmo em condiçoes do tipo ” dispare e esqueça”, contando… Read more »

Reportagens especiais

Os F-5 da Jordânia, agora na FAB

A Real Força Aérea da Jordânia recebeu um total de 61 Northrop F-5E Tiger II e outros 12 F-5F...
- Advertisement -
- Advertisement -