Home Aviação de Ataque Pentágono inicia revisão intensiva de custos do F-35

Pentágono inicia revisão intensiva de custos do F-35

3208
14
Linha de montagem do F-35

Por Valerie Insinna

O Departamento de Defesa vai mergulhar profundamente em uma revisão de custos de produção do caça F-35 que está oficialmente em andamento. Uma equipe de funcionários do Pentágono iniciou recentemente a busca pela enorme cadeia de suprimentos do caça conjunto, disse um alto funcionário nesta segunda-feira.

O Pentágono sabe o quanto está pagando pelo F-35, mas o mergulho profundo (“deep dive”) ajudará as autoridades a entender o verdadeiro custo do jato e porquê, além do que pode ser feito para diminuir ainda mais o preço, disse Shay Assad, o diretor do departamento de preços de defesa.

Durante as próximas semanas, a equipe de avaliação se reunirá com as três principais contratadas do programa, a principal Lockheed Martin da F-35 — bem como a BAE Systems e a Northrop Grumman, que fazem grandes porções da fuselagem — para estabelecer os parâmetros da revisão.

“O Lockheed está familiarizada com este processo porque já fizemos isso antes com ela, então isso não é algo novo”, disse Assad. “Muitas das coisas que estamos falando são apenas práticas que ocorreram no passado, mas isso será muito mais rigoroso. Então, vamos defini-las com as empresas. E nós também apresentamos para eles o nosso plano em termos de sua base de subcontratados e isso é o que queremos fazer, e depois saímos e faremos o trabalho”.

A revisão levará cerca de um ano para ser concluída. “É um esforço muito intenso”, disse ele.

Enquanto Assad tem um objetivo de redução de custos em mente, ele se recusou a compartilhar esse número, dizendo que ele quer garantir que seja viável antes de divulgar publicamente o quanto ele esperará que o preço da produção e manutenção de F-35 diminua.

“Quais são as oportunidades e eles acreditam que eles podem implementá-las realisticamente? Não tem sentido criar metas que sejam ficção. Eu não acredito nesse tipo de coisas”, disse ele.

No entanto, Assad observou que ele pensa que a Lockheed pode reduzir os custos unitários para além do seu objetivo atual: um modelo de decolagem e pouso convencional F-35A a US$ 80 milhões até 2020.

“Eu acho que nossa visão é que acreditamos que há uma oportunidade em toda a cadeia, da Lockheed Martin, da Northrop e BAE para seus subcontratados. Queremos trabalhar com as empresas em colaboração para chegar nesse caminho para melhorias”, afirmou.

Assad anunciou a revisão “deep dive” em março, dizendo que esperava que ajudasse o departamento a saber onde descartar a cadeia de suprimentos e pressionar as empresas a investir seus próprios fundos em melhorias de redução de custos para o processo de fabricação.

Em setembro, o vice-almirante Mat Winter, chefe do escritório do programa conjunto do F-35, disse que o trabalho de Assad já começou a influenciar as negociações do contrato para uma compra de bloco internacional que engloba os lotes 12, 13 e 14.

“Ele continua a fornecer informações valiosas para o [diretor executivo do programa] para informar melhor minhas negociações de produção com a Lockheed Martin Aero”, disse Winter. “Você pode ler como que quiser. Não posso lhe dar mais detalhes sobre isso agora.”

FONTE: Defensenews

Subscribe
Notify of
guest
14 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Chesterton
Chesterton
2 anos atrás

F35 irá se tornar o F16 do século 21, os custos vão cair e existe muita desinformação quanto aos reais custos de manutenção, só quem está lá sabe e não vai entregar o jogo.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
2 anos atrás

Enquanto isso, a Boeing já pagou 2 bilhões em multas por atrasos no programa KC-X e nenhuma aeronave de série é encomendada enquanto não se atingem as metas.
.
Já os bolsos da Locksmart não param de receber verdinhas…

Ricardo Da Silva
Ricardo Da Silva
2 anos atrás

Pergunta de ignorante mesmo(!) :
Não seria mais fácil juntar fuselagem do F-35B com as asas do F-35C e criar uma espécie de F/AV-35 e/ou F/A-35. Com o motor podendo ser substituído na linha de produção por um tanque adicional de combustível ? Ou seja: um caça realmente modular ? Metade dos problemas iriam embora.

Lockheed ! Me contrata !

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Walfrido Strobel
2 anos atrás

Chesterton, hoje velhos F-16A/B/C/D são comprados e modernizados para serem utilizados por Forças Aéreas com orçamentos menores.
Se daqui a 30 anos ocorrer isto com os F-35 eu acredito que o F-35 é o F-16 do século 21.

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
2 anos atrás

Você pode detestar Trump (como eu detesto) mas a sua iniciativa de auditar e revisar os custos do programa está certíssima. O programa não será cancelado pois não apenas passou do ponto de não retorno como a despeito dos problemas (e de sites de comédia russos) o aparelho vem mostrando que representa uma revolução como bem asseverou o Gen. Amir Eshel.

RicardoNB
RicardoNB
2 anos atrás

Menos de 80 milhões em 2020 ? Vai sair mais barato que nosso Gripen rs.

André Luiz.'.
André Luiz.'.
2 anos atrás

HMS TIRELESS 25 de outubro de 2017 at 13:07
A iniciativa é (foi) do Trump, ele próprio?

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
2 anos atrás

André Luiz.’. 25 de outubro de 2017 at 13:30

Sim! como você sabe ele não sai do Twitter e, logo que venceu a eleição, tuitou reclamando dos altos custos do programa. Logicamente que se buscava reduzir os custos mas essa abordagem mais incisiva, agressiva, é obra dele.

Delfim Sobreira
Delfim Sobreira
2 anos atrás

A desculpa esfarrapada para não querer upgradear os 189 primeiros, bem como o custo de serviço de funilaria e pintura na trombada com o passarinho, estão fazendo efeito.

Cesar
Cesar
2 anos atrás

RESUMO DA ÓPERA..MAIS UM FIASCO…

Tadeu 54
2 anos atrás

Querem colocar a tranca na porta depois que toda a boiada fugiu ! Os custos desse avião estão totalmente fora do controle, e agora o custo político de coloca-los nos eixos será dificílimo ! Esta medida deveria ter sido tomada no mínimo uns 15 anos atrás !
Ainda insisto:
Melhor fechar esse sorvedouro de $$$$ sem fim e desenvolver 2 aeronaves novas:
Primeiro, uma aeronave de ataque pesada, e depois um caça novo, ágil e moderno, ambos com custos bem mais em conta ! Furtividade está sendo vendida como uma panacéia !

Emmanuel
Emmanuel
2 anos atrás

Eu fico impressionado como as pessoas com as contas da defesa NORTE-AMERICANA.
É dinheiro do contribuinte norte-americano. F-15, F-16 e tantos outros caças tiveram seus problemas no início, problemas bem sérios por sinal. O F-16 é uma prova viva disso. E nem por causa disso deixaram de ser o sucesso que foram. O F-16 vende até hoje.
Com o F-35 será a mesma coisa.
Abraço.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
2 anos atrás

Olha como se deve manter um programa na rédea curta:
.
https://www.flightglobal.com/news/articles/new-329-million-charge-deepens-boeings-kc-46-losse-442525/
.
Fabricante vacilou, problema dele.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
2 anos atrás

O president Trump sim está apertando o Pentágono e a Lockheed Martin sobre o custo do programa.

Ele fez o mesmo com a Boeing por causa dos custos dos novos Air Force One.

Trump é o primero presidente CEO a ocupar a Casa Branca.