Home Aviação Comercial Voa o ARJ21-700 com sistema de navegação BeiDou, o GPS chinês

Voa o ARJ21-700 com sistema de navegação BeiDou, o GPS chinês

3950
20
COMAC ARJ21-700

Um avião regional ARJ21-700 desenvolvido na China, que possui o sistema de navegação BeiDou instalado, completou com sucesso um voo de teste, disse a empresa de aviação comercial da China (COMAC) no sábado (14/10). O voo de teste foi realizado a partir de um aeroporto na província de Shandong, no leste da China, na manhã de sábado.

Foi a primeira vez que um jato regional de produção chinesa foi equipado com o sistema de navegação por satélite chinês BeiDou. O voo testou o desempenho do receptor de informações de navegação a bordo, o sistema de aprimoramento de sinal baseado em terra e a função de mensagem curta do sistema BeiDou.

Os resultados mostraram que o desempenho dos sistemas de navegação desenvolvidos pela China está a par com sistemas similares produzidos no exterior, e até atinge nível internacionalmente avançado em índice de posicionamento transitório e rápido, disseram as fontes da COMAC.

O sistema de navegação BeiDou tem recebido um número crescente de aplicações ligadas ao cotidiano, desde bicicletas compartilhadas até cartões bancários e veículos de patrulha não tripulados.

O primeiro sistema BeiDou, oficialmente chamado de Sistema Experimental de Navegação por Satélite BeiDou e também conhecido como BeiDou-1, consiste em Três satélites e oferecem cobertura limitada e aplicações. Oferece serviços de navegação, principalmente para clientes na China e regiões vizinhas, desde 2000.

GPS e BeiDou

A segunda geração do sistema, oficialmente chamado BeiDou Navigation Satellite System (BDS) e também conhecido como COMPASS ou BeiDou-2, será um sistema global de navegação por satélite composto por 35 satélites e está em construção a partir de janeiro de 2015. Ele se tornou operacional na China em dezembro de 2011, com 10 satélites em uso e começou a oferecer serviços aos clientes na região Ásia-Pacífico em dezembro de 2012. Está planejado para começar a servir clientes globais após sua conclusão em 2020.

Em 2015, a China iniciou a construção do sistema BeiDou de terceira geração (BDS-3) na constelação de cobertura global. O primeiro satélite BDS-3 foi lançado em 30 de março de 2015. A partir de fevereiro de 2016, cinco satélites de validação em órbita BDS-3 foram lançados.

De acordo com o China Daily, quinze anos após o lançamento do sistema de satélites, ele está gerando um volume de negócios de US$ 31,5 bilhões por ano para grandes empresas como a China Aerospace Science and Industry Corp, AutoNavi Holdings Ltd e China North Industries Group Corp.

O BeiDou foi descrito como um potencial sistema de navegação por satélite para ultrapassar o GPS em uso global, e espera-se que seja mais preciso do que o GPS quando estiver completo.

ARJ21-700

Linha de produção do COMAC ARJ21-700

A Administração da Aviação Civil da China (CAAC) emitiu certificação para produção em série do jato regional Comac ARJ21-700, o que significa que o fabricante agora pode fornecer aviões sem a necessidade de obter um certificado separado para cada exemplar.

A aprovação, emitida em 9 de julho, ocorre cerca de dois anos e meio depois que o avião ganhou seu certificado de tipo e mais de um ano e meio depois do cliente Chengdu Airlines ter recebido a primeira aeronave. Agora voando dois dos aviões em uma configuração de 90 lugares, a Chengdu Airlines espera receber mais cinco de um pedido de 30 unidades até o final do ano.

O presidente da Comac, He Dongfeng, prometeu fazer o ARJ21 uma aeronave que “as companhias aéreas estão dispostas a comprar, os pilotos estão dispostos a voar e nos quais os passageiros estão dispostos a viajar”. Ele acrescentou que a Comac pretende acelerar a produção para satisfazer a escassez de aeronaves civis chinesas e fazer novas contribuições para fazer da China como uma força de fabricação.

Yang Shuanchang, vice-diretor-geral do departamento de indústria de equipamentos do Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação da China (MIIT), disse que o ARJ21 servirá como base para o desenvolvimento de outros aviões civis, como o C919, que voou pela primeira vez em 5 de maio e deverá receber certificação chinesa em 2019.

A Comac afirma ter acumulado pedidos de 413 jatos ARJ21 de 19 clientes.

FONTE: ecns.cn

20
Deixe um comentário

avatar
20 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
16 Comment authors
HMS TIRELESSsub-urbanoCarlos Alberto SoaresTop Gun SeaRenato Clementi Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
JT8D
Visitante
JT8D

Avião feito pela China para operar na China

ELÍ
Visitante
ELÍ

Espero que essas aeronaves não venham para o Brasil.

MadMax
Visitante
MadMax

E já vem com Baidu grátis.

Walfrido Strobel
Visitante

Que seja um sucesso na China, parece um bom avião com fuselagem do Boeing 717, asas desenhadas pela Antonov, motores GE e aviônicos Rockwell Collins.
Não deve ter colocação no exterior mas foi um grande passo em direçãp ao C919 e CR929.

Delmo Almeida
Visitante
Delmo Almeida

É esse o que usa motores GE CF-34 fabricados em Petrópolis pela Celma?
.
Acho interessante a lucidez do cara que deu a entrevista: uma aeronave que as empresas estejam DISPOSTAS a comprar, os pilotos DISPOSTOS a voar e os passageiros DISPOSTOS a voar. Não falaram em ser o melhor do mundo, fazer uma super revolução, fazer o que ha há de mais avançado e que os passageiros vão preferir voar nele. Estão na fase de querer entrar no mercado.

Augusto
Visitante
Augusto

É aquela estória, né… começa devagar, apenas para o mercado chinês, até que grandes empresas aéreas digam: “esse avião voa na China há 10 anos, não tem histórico de problema e é mais barato de manter”. É o que está acontecendo com os produtos chineses em diversos segmentos. Um exemplo é o OnePlus. Começou como celular feito por chinês, para o mercado chinês. Hoje, na última versão (OnePlus 5), já é melhor e mais barato que o mais recente IPhone e tenho 3 conhecidos que voltaram do exterior com um, rasgando elogios e sem saudade alguma das qualidades e preços… Read more »

Delfim Sobreira
Visitante
Delfim Sobreira

Walfrido Strobel
.
Lembrando que o B-717 não passa de cópia cara-dura do MD-95 de quando a Boeing anexou a McDonnel-Douglas.

Especialidade chinesa é copiar e melhorar designs abandonados.

MBP77
Visitante
MBP77

Delmo Almeida 15 de outubro de 2017 at 22:37
É esse o que usa motores GE CF-34 fabricados em Petrópolis pela Celma?
*
Até onde li, a GE-Celma não fabrica, apenas monta, revisa e recondiciona motores a jato, inclusive as dessa família.
Sds.

Jr
Visitante
Jr

Delmo Ameida, a GE Celma vai montar as partes do motor CF-34 que virão da fábrica da GE em Cincinati e depois vai exporta-los para a China

Tiago Jeronimo ☠ (@TiagoJL)
Visitante

Dizem as más línguas que é impossível desinstalar esse sistema de navegação.

Delmo Almeida
Visitante
Delmo Almeida

Jr e MBP77, isso mesmo… Eu me expressei errado… Valeu!

Hélio
Visitante
Hélio

Mais ou menos off Falaram sobre a Celma, que fabricaria motores a jato no Brasil. Eu estranhei e pesquisei no google e acabei dando de cara com essa entrevista de um diretor da Polaris, sim, aquela do motor do finado vant da mectron e do avtm 300 da avibras. Pois essa turbina é derivada de uma turbina de grande porte que foi encostada por falta de verba para certificação. Vocês conheciam essa história? Me parece absurdo que uma empresa que tenha tal capacidade não tenha a mínima atenção, eu mesmo só conhecia por causa da avibras. E pelo que o… Read more »

Renato Clementi
Visitante
Renato Clementi

Voce instala o esse sistema Baido sem saber que o fez. E depois pra desinstalar é um parto.

Walfrido Strobel
Visitante

Delfim Sobreira 16 de outubro de 2017 at 5:14
D. S., o B717 não é cópia cara dura da Boeing, quando adquiriu a MD veio toda a linha de produção junto.
E a MD ja tinha mandado para a China o ferramental para produção dos MD que originou a fuselagem dos ARJ21, só na asa que eles encomendaram o projeto otimizado para aviação regional da Antonov.
O GE CF34 em suas variações equipa os ERJ e CRJ, um motor mais que testado e aprovado e os aviônicos da Rockwell Collins dispensam apresentação.
Eu voaria sem preocupação neste avião.

Top Gun Sea
Visitante
Top Gun Sea

A China dando passos largos para dominar o mercado mundial em todos os seguimentos. Estes que desdenho a capacidade da China terão que engolir o choro. Com os seus produtos chegando a custar um terço dos produtos ocidentais duvido que este modelo fique somente na China.

JT8D
Visitante
JT8D

Top Gun Sea 16 de outubro de 2017 at 17:45
Para isso ele teriam que obter a certificação americana e europeia, o que até agora não fizeram. Enquanto isso, só voa na China

Top Gun Sea
Visitante
Top Gun Sea

JT8D
A seu tempo!

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Os Han avançando e em diversas áreas, isso é irreversível.
Hoje temos produtos dos Âmis, dos Euros, dos Koreas e Japan, dos Ausis e Canadenses em
quase tudo que compramos de alta tecnologia, os Han vão entrar nesse clube,
já estão com um pé dentro.

sub-urbano
Visitante
sub-urbano

“De acordo com o China Daily, quinze anos após o lançamento do sistema de satélites, ele está gerando um volume de negócios de US$ 31,5 bilhões por ano para grandes empresas como a China Aerospace Science and Industry Corp, AutoNavi Holdings Ltd e China North Industries Group Corp.” – Quantas toneladas de soja, carne e minério pra movimentar esse volume de dólares? – Em pensar que a mão de obra brasileira está mais barata que a chinesa, deu na Folha alguns meses atrás. – É a diferença de quem quer alugar seu único espaçoporto para os americanos e de quem… Read more »

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

sub-urbano 18 de outubro de 2017 at 17:46

Talvez se a base de alcântara fosse alugada aos chineses você ficasse mais feliz não!?