Home Aviação de Caça Canadá confirma interesse em caças F-18 usados da Austrália

Canadá confirma interesse em caças F-18 usados da Austrália

3887
17

Declaração – Explorando opções para complementar a frota CF-18 do Canadá

OTTAWA — O Canadá está construindo um poder militar mais ágil e melhor equipado, garantindo o máximo cuidado e prudência no tratamento de fundos públicos. Fazer com que nossas mulheres e homens uniformizados tenham o equipamento que eles precisam para fazer seus trabalhos e proteger os canadenses, é uma prioridade.

Em novembro de 2016, o governo do Canadá anunciou um plano para substituir a frota de aviões de combate da Royal Air Force. A Política de Defesa do Canadá: Strong, Secure, Engaged, divulgada em junho de 2017, reafirmou o compromisso do governo de investir adequadamente nas forças armadas do Canadá.

O trabalho preparatório para a concorrência já está em andamento. Até que uma competição aberta e transparente possa ser completada para substituir a antiga frota de CF-18 do Canadá, o país está explorando opções para complementar a atual frota CF-18 e preencher uma lacuna de capacidade de combate existente.

No final de agosto de 2017, o Canadá iniciou discussões com o governo australiano para avaliar a compra potencial de aviões de combate F/A-18 e partes associadas que planejam vender. Em 29 de setembro de 2017, o Canadá apresentou uma Expressão de Interesse, marcando formalmente o interesse do Canadá no equipamento australiano.

O Canadá espera receber uma resposta até o final deste ano, que fornecerá detalhes sobre a disponibilidade e custo das aeronaves e partes associadas que o Canadá está considerando.

As discussões separadas com a Boeing relacionadas à compra provisória de aeronaves Super Hornet permanecem suspensas. O Governo do Canadá continua a negociar com o governo dos EUA, pois explora todas as opções à frente.

O Governo do Canadá continuará a fornecer atualizações e manter os canadenses informados do seu progresso à medida que avança na substituição e suplementação dos aviões de combate do Canadá.

FONTE: Public Services and Procurement Canada

17
Deixe um comentário

avatar
17 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
11 Comment authors
Tiger 777Alejandro PerezGuilherme PoggioAndré Luiz.'.Marcelo Andrade Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
oganza
Visitante

O Canadá se transformou em um arremedo de Nação.
Essa definitivamente não são as FFAA Canadenses que fizeram parte na invasão da Itália, nos desembarques da Normandia, da Liberação de Antuérpia ou da Batalha do Scheldt.
.
Mas quem tem Trudeau como Prime Minister merece isso mesmo.
Grande Abraço.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Roberto 10 de outubro de 2017 at 17:32 Você não podia estar mais errado! Justin “Bieber” Trudeau havia prometido na campanha que cancelaria a compra direta do F-35 em favor de um certame onde outros aparelhos, inclusive o F-35, que tem o apoio de fortes setores das forças armadas e das indústrias, participassem. E como solução transitória foi requerida aos EUA a aquisição de 18 F/A-18E/F Super Hornets. Contudo, em virtude de um contencioso envolvendo Boeing e a Bombardier em virtude de subsídios recebidos pela empresa canadense a compra foi temporariamente suspensa. E uma vez que precisam manter a linha… Read more »

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

oganza 10 de outubro de 2017 at 17:41

Justin “Bieber”Trudeau amigo….

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Melhor que o MiG-17 ou o Hawker Hunter Roberto?

Nunão
Visitante
Nunão

Da leitura dessa “bíblia”, que coincidentemente reli há pouco, lembro que em boa parte dos quesitos debatidos o Mirage III não se saía mal, em especial na alta velocidade de cruzeiro. . E o nosso velho F-5 também não fazia feio, ressalvada a baixa aceleração e o pequeno raio de combate. Mas em custos globais para uma força aérea ter a maior quantidade de caças disponíveis em operação, era praticamente imbatível frente a seus contemporâneos. . Interessante que a FAB adquiriu os dois caças nos anos 1970. Nessa visão, tomou boas decisões. . De se lamentar apenas que, nem a… Read more »

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Bob, mas isso seria em taxa de graus por segundo de curva sustentada ou capacidade de sustentar G mesmo independente do raio de curva? Ouvi (na verdade li) de um piloto de provas do F-16 da época da General Dynamics que ele se gabava de sustentar 9 G por 45 segundos no Viper. Ou seja, enquanto houver JP4, o bichinho mantém os 9 G.

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Eu baixei o documento na internet e dei uma olhada rápida. Tem algumas coisas que ele claramente errou em assumir, especialmente sobre desempenho de curva durante o envelope de voo.
.
Por exemplo, colocou o Mirage III e o F-5 com apenas 1 grau de diferença, quando qualquer caçador vai dizer que o F-5 domina completamente o combate a média altitude, por exemplo.
.
Mas isso é debate para outra hora, num tópico mais relacionado às teorias do Sprey.

Delfim Sobreira
Visitante
Delfim Sobreira

Qual perde mais, o Canadá em não comprar ou os EUA em não vender ?
.
Bem que o BR poderia pegar alguns dos 65 F-35 canadenses que vagaram… sonhar custa nada.

Plamber
Visitante
Plamber

@Delfim Sobreira

Não queremos esses F-35 nem de graça, já temos elefantes brancos o suficiente.

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Hunter, interceptador de bombardeiros???? Onde vc leu isso? Ele foi concebido como avião de ataque, nem supersônico é!

André Luiz.'.
Visitante
André Luiz.'.

Plamber 11 de outubro de 2017 at 4:09
Até que queremos sim!, mas só se os aviões, o armamento e a manutenção forem tudo “na faixa”! 😉

Nunão
Visitante
Nunão

Marcelo, foi concebido originariamente como interceptador e caça de superioridade aérea, sendo mais ou menos contemporâneo / da geração do F-86 (começou um pouco mais tarde e levou mais tempo em desenvolvimento, porém).
.
Como o desenvolvimento de caças supersônicos passou a ser mais rápido em meados dos anos 50, com os Mach 1 entrando em operação e os Mach 2 chegando, o Hunter foi rapidamente ultrapassado em sua concepção original, e logo foi direcionado à arena ar-solo.

Nunão
Visitante
Nunão

Pra se ter uma ideia, só na versão F Mk 4, que voou em 1954 (ou seja, três versões a antecederam, que só então entravam em operação) houve provisão para tanques externos, e a versão de ataque terrestre da RAF mais disseminada, a F Mk 9, era na verdade composta de mais de cem caças da versão F MK 6 (que voou em 1955) modificados para cumprir missões ar-solo.
.
A concepção original do avião atendia a uma especificação de 1948 para um sucessor do Gloster Meteor

Guilherme Poggio
Editor
Famed Member

O Canadá tem um monte de F/A-18 estocados. Não estão voando porque não foram modernizados (reduziram como medida econômica e geopolítica). Vão comprar caças semelhantes e usados que não são compatíveis com a frota atual? Não vejo lógica.

Delfim Sobreira
Visitante
Delfim Sobreira

E como o Hunter não tinha profundores integrais, ao ser usado em ataque ao solo, se atingisse velocidades transônicas no mergulho, se tornava incontrolável e pilotos assim pereceram.

Alejandro Perez
Visitante

O F35 era a prioridade, mas agora com a questao Boing/Bombardier, melou o romance. F18 usados até decidir o que se compra e os EUA perdem um comprador pro seu novo brinquedinho.

Tiger 777
Visitante
Tiger 777

Tem de se ver se os F18 Australianos, não vão estar “no osso” com fadiga estrutural e otras cositas mas…
Guilherme Poggio, eu assino embaixo do seu comentário.