Home Asas Rotativas Comunicado da Airbus Helicopters sobre a nota ‘Fim da Helibras?’

Comunicado da Airbus Helicopters sobre a nota ‘Fim da Helibras?’

7394
38
H225M do Exército Brasileiro, montado na Helibras

Comunicado da assessoria de comunicação da Airbus Helicopters sobre a possibilidade de encerramento das atividades da Helibras:

A Airbus Helicopters informa que não tem intenção de fechar a fábrica de sua subsidiária Helibras, em Itajubá (MG).

Na condição de única fabricante de helicópteros da América Latina, o grupo reafirma seu compromisso com o Brasil e com o Estado de Minas Gerais, onde opera há 39 anos, e ressalta sua contribuição para o mercado de helicópteros, desenvolvimento e pesquisa, assim como a importância estratégica do país para seus negócios.

38
Deixe um comentário

avatar
38 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
26 Comment authors
MOSRommelqeGlasquis 7Ricardo Da SilvaRodrigo Martins Ferreira Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
donitz123
Visitante

A fábrica nunca existiu somente a montadora.

Top Gun Sea
Visitante
Top Gun Sea

Pronto! Contra fatos não há argumentos! Há vários serviços prestados pela Helibras na América Latina para as Forças Armadas bem como Civil com cronogramas que são renovados conforme os ciclos de vida útil de cada aparelho. Provavelmente no futuro, talvez próximo, iremos montar nossos Helicópteros de ataque provindo de algum acordo de transferência de tecnologia nas instalações da Helibras.

DIEGO
Visitante
DIEGO

Tudo que Francès põem as mãos com o tempo desaparece, o problema é que o brasileiro gosta do conto do vigario. O Frances só trabalha em prol da França, são educados desde crianças a agirem assim, fazem acordos “estrategicos” com outros países só pra tapiar, abre o olho MB! A Argentina parece que esta aprendendo….

Lucius
Visitante
Lucius

Excelente! Não desejo que a fábrica feche e torço como cidadão brasileiro que mais empresas estrangeiras se instalem. Mas precisamos ter nossas próprias demandas que justificam a geração de empresas nacionais, inclusive, sem demanda não dá. Nosso país é muito grande, 50 helicópteros é muito pouco para nossas forças armadas. Mais uma notícia falsa que não cola.

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Se eu não me engano, um tempo atrás se comentou sobre o Exército (?) estar atrás de um segundo fabricante de helicópteros (Agusta-Westland?), para se instalar no Brasil. Imagino se foi uma reação à esses comentários sobre o fechamento da Helibras, ou se a ameaça de fechamento da Helibras é uma reação à procura da segunda fonte.

Fabio
Visitante
Fabio

Esse boato, foi uma forma de pressionar o governo. Principalmente que nos próximos anos a Helibras / Airbus devera ter a forte concorrência da Augusta que deve anuncia até no final de ano a instalação de uma fabrica na cidade de Anápolis/ GO, com produção inicial do helicóptero Augusta A119K.

Jr
Visitante
Jr

Pois é Fabio, parece que essa notícia chegou na sede da Airbus helicópteros e eles já estão fazendo o que sabem de melhor, CHANTAGEAR. A Leonardo Helicópteros só ainda não esta no Brasil porque só ela e deus sabem do esforço e lobby descomunal que os franceses fizeram para impedir isso, comprando a deus e o mundo nesse Brasil a fora, isso tudo é medo de competir com a Leonardo que tem um portfólio maior, melhor, mais diversificado e provavelmente mais barato do que a Airbus Fabio pensei que a fábrica da Leonardo ficaria em Itapevi, não sábia que eles… Read more »

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

Apoio a opinião de que se a Airbus Helicopters quer cair fora… Que se vá!!!!!!! Ou será que que não existem fabricantes de helicópteros nos EUA, Ásia, Europa, que não adorariam ter uma fábrica em São Paulo etc, com a Airbus fora daqui? Fora outras soluções como a da Helibras sendo convertida nos moldes duma Embraer. – Provavelmente com a tal crise, alguma espécie de benefício dado a Airbus Minas Gerais deve estar sob ameaça de ser cancelado, dai essa tal notícia de saída lançada no ar como tentativa de chantagem dissimulada, mas agora descartada pela direção da Airbus vista… Read more »

Victor Moraes
Visitante
Victor Moraes

Pegadinha do malandro! Glu-Glu!

Eles estão certos de fazerem o jogo de interesses. Qualquer empresa faz esta choradeira quando quer algum tipo de apoio. Aqui, na França, nos EUA e na Conchinchina.

Eu ia ficar muito triste se esta fábrica fechasse. Como diz a nota, de uma forma ou de outra, são mais de 30 anos no Brasil.

Alguém do governo deveria ir dar um beijinho nos diretores da Helibrás…

Tem um valor quase sentimental…

Fabio
Visitante
Fabio

Jr a principio a fabrica da Augusta seria em Itapevi/ SP. Mais com o lobby político que conseguiu um incentivo especial para indústria de defesa no Centro Oeste além de outros incentivos oferecido pelo governo de Goiás, Anápolis devera ser a escolhida sendo que a fabrica seria num terreno ao lado do aeroporto de Cargas de Anápolis…

Antonio de Sampaio
Visitante
Antonio de Sampaio

Segundo declarações do próprio pessoal da Helibras. O Brasil hoje já tem capacidade de projetar e fabricar um helicóptero a partir do zero, e estes H225M com montagem final em Itajubá, utilizam 60% de componentes fabricados no Brasil. Creio que o problema é escala de produção, mas o mercado brasileiro é grande, quem sabe…algo como um mísero Robinson… serviriam a emissoras de programas policiais de TV filmando acidentes de motociclistas nas marginais depois das 16 horas… um incêndio num galpão clandestino da zona leste ou o “Águia” da PM perseguindo ladrão de banco…. O problema de abrigar fábricas estrangeiras é… Read more »

Juliano Lisboa
Visitante
Juliano Lisboa

“Jr a principio a fabrica da Augusta seria em Itapevi/ SP. Mais com o lobby político que conseguiu um incentivo especial para indústria de defesa no Centro Oeste além de outros incentivos oferecido pelo governo de Goiás, Anápolis devera ser a escolhida sendo que a fabrica seria num terreno ao lado do aeroporto de Cargas de Anápolis…”

Fábio, onde posso confirmar essa informação? Pois aqui em Anápolis não ouvi nada sobre isso.

Manuel Flávio
Visitante
Manuel Flávio

Mesmo assim, fica o receio. O EB planeja adquirir nos próximos anos 16 Black Hawks (informação confirmada recentemente numa publicação).
Vão tentar jogar mais porcaria H225M no lugar.

A propósito: notícia de 29 de setembro
EASA issues emergency AD for H225
Posted on September 29, 2017 by Thierry Dubois
https://www.verticalmag.com/news/easa-issues-emergency-ad-h225/

Zé
Visitante

Ótimo! Que continue empregando muitos Brasileiros. Entretanto, que preste seus serviços e venda seus produtos para civis. Obrigar as FFAA a adquirirem produtos que não correspondem às suas necessidades e ainda com sobrepreço da propina é o fim da picada!

Jr
Visitante
Jr

Manuel, aonde que você leu que o EB pretende comprar 16 Black Hawk, até onde sei eles, estavam testando vários helicópteros para essa compra futura, inclusive foram na Itália e testaram o AW149 junto com o Mangusta

Manuel Flávio
Visitante
Manuel Flávio

Jr.
Li na revista Combat Aircraft. Sim, a AvEx testou outros helicópteros em 2015. Deve ter considerado o Black Hawk melhor. O que de fato não é surpresa.

Manuel Flávio
Visitante
Manuel Flávio

Mas complementando, Jr., na minha opinião, a AvEx não deveria tentar comprar mais nenhum heli nos próximos anos. Porque pelo jeito os políticos tentariam entubar mais H225M no lugar.

Fabio
Visitante
Fabio

tomara que seja verdade

Bavaria Lion
Visitante

Top Gun

De heli de ataque a Airbus só fabrica o Tiger. Melhor não.

Rodrigo Martins Ferreira
Visitante
Rodrigo Martins Ferreira

Mesmo que exista um pensamento na empresa sobre ir reduzindo a operação no Brasil, eles nunca admitirão pois isto desvaloriza o produto deles perante a concorrência.

Corsario137
Visitante
Corsario137

Helibras já esteve muuuuuuito pior e não fechou, não é agora que vai. Pode encolher bastante, tanto ao ponto de ficar as moscas como era antes do contrato dos 225, mas não fecha. Existem muitos interesses, principalmente políticos em jogo.

oganza
Visitante

Hahahaha. “Isso é a ‘produção’ nacional de helicópteros”. NUNCA serão. Vejam a história da Agusta italiana e da Westland britânica. São dois casos de sucesso com suas origens em focos e abordagens completamente diferentes, com a Agusta sendo uma caso de sucesso exemplar no quesito comercial e sustentabilidade e a Westland um exemplo do ponto de vista técnico em P&D. – Mas no final a Westland para continuar viva, precisou fundir-se ao fôlego comercial que a Agusta proporcionava, está por sua vez se beneficiou de todo o portfólio de patentes da Westland, muitas inclusive usadas pela BanbiCopter… ups Aribus. .… Read more »

Jr
Visitante
Jr

Oganza, li em um fórum um frances que trabalha na Airbus helicópteros falar que quem entendia do riscado da antiga Aerospatiale não esta mais na Airbus, a maioria saiu ou foi se aposentando e que a maioria que esta lá, pelo menos os cabeças, é por apadrinhamento político, ele falou que isso esta matando a Airbus helicópteros, ou seja, a empresa virou um grande cabide de empregos estatal europeu. Não é por nada que vemos problemas em vários projetos da mesma

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Manuel Flávio, agora sou eu que te pergunto, aonde foi que tu lês-te essa “informação”?!?! Sugiro procurar por um documento oficial do próprio EB, ou do seu Escritório de Projetos. Procure pelo Google “Projeto Estratégico de Aviação do Exército”
.
Mas vou dar essa força. 😉
http://www.epex.eb.mil.br
http://www.epex.eb.mil.br/index.php/aviacao

Bavaria Lion
Visitante

Caros, nos próximos anos haverão certas limpezas na Airbus. 😉
O tempo, como diz o Juarez…

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

A possível vinda da LEONARDO não viabilizará a existência da HELIBRAS.
.
Aliás, era bom a EMBRAER voltar a pensar nessa parceria com os italianos, a BOEING já o fez nos EUA – já estão montando e ofertando no mercado interno o AW-139 como MH-139.
https://youtu.be/AKADShonY38
.
E eu vou ir muito da cara de uns “humildes” daqui quando algo igual a isto acontecer. Vai ter fan boy arrancando os cabelos e xingando os envolvidos até a terceira geração. Rsrsrs
.
Até mais!!! 😉

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

*não INVIABILIZARÁ

Carlos A Soares
Visitante
Carlos A Soares

“donitz123 4 de outubro de 2017 at 13:34
A fábrica nunca existiu somente a montadora.”
____________________________

Quem tem fábrica no planeta terra ?
___________________________

Tem que passar os 49% do desgoverno de MG para Embraer via compen sação de impostos, ai sim as coisas melhoram ….

Carlos A Soares
Visitante
Carlos A Soares

Linda Foto.
Vou ver a Logo da EmbraerHéli em breve.

Mauricio R.
Visitante

A Leonardo não necessita da Embraer para nada.
Breve resumo do que realmente deve interessar a Leonardo, se é que eles pretendem fabricar algo no Brasil:
.
Ambiente favorável de negócios,
segurança jurídica,
mão de obra qualificada,
demanda.

Rodrigo Martins Ferreira
Visitante
Rodrigo Martins Ferreira

E qual o problema em ter mais uma(s) “fábrica(s)” no Brasil ?

Gera emprego, gera renda e paga impostos.

O problema está sempre em ter que escorar no Governo o sustento dela.

A tal “fábrica” da AW eu já cansei de ver, ali na Anhaguera ao lado do SBT e até hoje ela viveu sem dinheiro estatal.

O problema é que o lugar é bem pequeno, espero que se eles forem fazer algo sério tem que sair dali.

Ricardo Da Silva
Visitante
Ricardo Da Silva

Sou a favor de deixar os franceses irem embora desde que deixem todo o maquinário para trás.
Tomar as instalações e as patentes aqui no Brasil.
Manter os empregados e empregos.

Posso parecer Louco, mas enquanto não for tomada uma ação contundente do Estado na condição de principal cliente, continuará essa farra.

Incluo a Embraer nessa conta.

Poucas são as empresas privadas de defesa no Brasil que tem o meu respeito como a Avibrás e as ‘falecidas” Engesa, Motopeças e Bernardini.

Glasquis 7
Visitante

“A Airbus Helicopters informa que não tem intenção de fechar a fábrica de sua subsidiária Helibras, em Itajubá (MG).”

Bom, ninguém abre uma fábrica com a intenção de fechá-la mas, acontece. A ENGESA tampoco tinha intenção de fechar mas fechou.

Isto parece ser aquela notícia plantada pra pressionar o governo a dar garantias.

Rommelqe
Visitante
Rommelqe

Numa bia? Eu rescindia com a Airbus e assinava com a Leonardo ou Boeing. Quem apresentasse o contrato melhor. No minimo, se é o caso de manter ligação com a Airbus, exigiria uma compensaçao pelos inumeros prejuizos causados ao BRASIL, seja em função do produto deficiente, seja pelo nao cumprimento de metas. Isso sem falar em danos imateriais como, por exemplo, nao dispormos da disponibilidade adequada em termos de prontidão das unidades militares contempladas.

Manuel Flávio
Visitante
Manuel Flávio

Wellington Góes 4 de outubro de 2017 at 21:35 Não entendi aonde vc quer chegar. 95% dos helicópteros da AvEx (incluindo as encomendas) são da Airbus, só são apenas 4 da Sikorsky e vc vem me mostrar o projeto do Escritório de Projetos do Exército que fala sobre aeronaves de manobra (vide abaixo) para me contrariar? “MANUTENÇÃO DE CAPACIDADE OPERATIVA DAS AERONAVES DE MANOBRA Adquir nova aeronave de manobra, visando a diminuição de dependência de um só fornecedor de aeronaves. O projeto envolve, ainda, minimizar e prever ações em face da obsolescência técnica, a formação de tripulantes e a capacitação… Read more »

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

É Manuel, fiz para “te contrariar”….. Rsrsrs
.
Esquece, se tu até agora não conseguiu ligar os pontos, num futuro próximo tu vai entender.
.
Ah tá, procure saber quais são as aeronaves de manobra que o EB pretende substituir.
.
Até mais!!! 😉

oganza
Visitante

Jr, é por ai.
Aconteceu o mesmo com a Messerschmidt alemã que produzia o BO-105.
Só sobraram os capachos chatos, pretensiosos e sem imaginação igual há uns pelegos de quartel que sempre dão as caras por aqui mas amam o Estado e por consequência são artífices da destruição da Nação.

MOS
Visitante
MOS

Que vergonha o Brasil com todo esse tamanho, matéria prima e população de mais de 200 milhões de pessoas ficar atrás de países como França, Itália, Inglaterra em P&D de itens básicos tecnológicos.