Home Aviação de Caça Índia prepara base para receber caças Rafale

Índia prepara base para receber caças Rafale

3489
14
Dois Rafale B do Armée de l´air equipados com mísseis Mica IR/EM e SCALP-EG

O governo federal da Índia aprovou INR2.20 bilhões (US$ 33,6 milhões) para desenvolver instalações em uma base da Força Aérea Indiana (IAF) no norte do país para acomodar um dos dois esquadrões dos 36 caças Dassault Rafale que encomendou no ano passado da França.

Fontes oficiais disseram ao Jane’s em 2 de outubro que a IAF construirá vários abrigos de aeronaves, hangares e instalações de manutenção em sua base de Ambala, localizada a 218 km ao norte de Nova Deli, para os Rafales, que estão programados para começar a chegar lá em setembro de 2019.

As fontes disseram que várias equipes de especialistas da Dassault visitaram a base aérea nos últimos meses e estão agora no processo de finalização de planos para a IAF para receber o primeiro esquadrão de Rafales que será conhecido como “Golden Arrows”.

“Ambala é uma escolha óbvia para a IAF para basear um esquadrão de Rafales no setor ocidental, já que as aeronaves poderão ser facilmente acionadas para enfrentar qualquer ameaça potencial da Força Aérea do Paquistão (PAF)”, disse o analista militar Air Marshal VK Bhatia (da reserva).

A base aérea está localizada a cerca de 200 km da fronteira paquistanesa e foi bombardeada pela PAF em 1965, durante a segunda das três guerras que os países vizinhos lutaram depois de se tornarem independentes há 70 anos.

A base de Ambala abriga dois esquadrões de aviões de ataque Jaguar e um de caças MiG-21 “Bison”.

A IAF também está atualizando sua base de caças de Hashimara no leste da Índia para o segundo esquadrão de Rafales que deverá ser implantado ao longo da fronteira disputada e inquieta do país, com a China.

FONTE: Jane’s

14
Deixe um comentário

avatar
14 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
11 Comment authors
Jean-Marc JardinoCarlos Alberto SoaresAlexandre GalanteWellington GóesTamandaré Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
donitz123
Visitante

Comprar caça a preço de ouro para deixa-lo exposto a um sol de 50º graus não dá certo.

Paulo Jorge
Visitante
Paulo Jorge

Sair do Bison pro Rafale é o mesmo de trocar fusca pelo fusion…
O Paquistão precisará de mais do que o JF17 para reequilibrar a balança.

Sds

Top Gun Sea
Visitante
Top Gun Sea

A política armamentista da Índia está crescendo a passos largos com aquisições e poder bélico nas suas 3 Forças. A India tem uma estimativa de ultrapassar a China em população em 2022 para quase 1,4 bilhões de habitantes. Com um dos piores IDHs do mundo exatamente na posição 131º ,onde 600 milhões pessoas defecam nas ruas, privadas e redes esgotos são luxos. Até que ponto vai a paranóia de uma guerra! o governo daquele país compra um dos caças mais caros de se adquirir e operar e ainda gasta mais100 milhões de reais com angares para um pequeno lote de… Read more »

Ivanmc
Visitante
Ivanmc

É um ótimo vetor o Rafale.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Top Gun, concordo. A Índia é um paradoxo. A eterna crise com o Paquistão e Bangladesh, além da fronteira com a China, levam à essa decisão. E alguns aqui querem comparar nossos gastos de defesa com a Índia, que vive uma realidade geopolítica COMPLETAMENTE DIFERENTE da nossa.

Bavaria Lion
Visitante

O Rafale dará um ganho operacional em relação as duas forças. Supondo que o J-15 seja semelhante ao Su-30MKI e o F-16 seja, em determinados cenários (combate BVR) semelhante aos dois, o Rafale F3 é superior a ambos, embora tenha performance um pouco pior no dogfighting. Porém o Bison não é definitivamente um fusca. Ele é de central eletro-hidráulica, porém é pequeno (baixo RCS) e pôde ser equipado com bons radares PESA e R-77 BVR, tanto que deram uma “surra” nos treinamentos na Índia, justamente na USAF (coisa que eu duvidei até ver o vídeo da palestra de um piloto… Read more »

Tamandaré
Visitante
Tamandaré

Ao que me parece, a Índia está evoluindo bastante… mas continua atrás na corrida. Isto porque o real adversário dos indianos é a China, não o Paquistão. Basta ver como andam os acordos entre paquistaneses e chineses nas últimas décadas. A Índia tem que desenvolver mais e comprar de menos. Os chineses já estão seguindo esse caminho. O Rafale é um ótimo vetor, mas esse tipo de negociação não poderá ocorrer de forma economicamente sustentável daqui pra frente. Gastou-se muito money por 36 aviões. E depois? Paga-se os olhos da cara pra comprar mais 36? O desenvolvimento do Tejas já… Read more »

Bavaria Lion
Visitante

“Bem, eles vêm à nossa base e trouxeram uma unidade operacional normal de SU-30 com uma “ratio” de experiência de 50/50 e seus caras experientes todos tinham vindo do MiG-21 Bison e o Bison é um aviao porreta! É um MiG-21 que muitos de vocês se lembram da era do Vietnã, exceto que colocaram radares de F-16 no nariz feitos pelos israelenses, carregavam misseis “active-radar” e um “jammer” israelense que os faziam praticamente invisiveis aos nossos radares originais do F-16 e F-15. E se vocês se lembram dos dias dos 44/77, o MiG-21 tinha a capacidade de entrar em uma… Read more »

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Rinaldo, apesar de concordar que a situação geopolítica e necessidades militares indianas sejam muito diferentes da nossa, a questão ‘gastos militares’, bem como a comparação que muitos fazem, diz respeito a outra questão, mais precisamente, na relação custo-benefício no quê e como gastamos o orçamento disponível e no quê e como eles gastam. Apesar da bagunça logística que eles fazem, os gastos deles são mais efetivos (do ponto de vista de capacidade de combate) do que o nosso.
.
Até mais!!! 😉

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Top Gun Sea 3 de outubro de 2017 at 13:26
No Paquistão e na China é igual, em Bangladesh igual ou pior.
___________________________________

Alexandre Galante
Acrescentando os inúmeros conflitos externnos e internos que se envolveram.
___________________________________

Bavaria Lion
sobre o Bison com MRO Israeli perguntem pra quem os opera.
____________________________________

http://www.aereo.jor.br/2014/06/07/exercicio-garuda-v-rafale-voa-com-su-30mki-mig-27-e-mig-21-bison/
____________________________________

http://www.aereo.jor.br/2009/01/18/upgrade-do-mig-21-bison-e-do-mig-27m-da-forca-aerea-da-india/

Paulo Jorge
Visitante
Paulo Jorge

A realidade da Índia é lá na Caxemira… vizinhos em regimes totalitários, com rusgas seculares e em meio a um caos social que beira o colapso, sentados em arsenais nucleares…
Lembrando que nossa vizinhança na fronteira voa A-4, Dragonfly e Kfirs surrados… kkkkk
O Brasil precisa de contigente bem treinado, enxuto e com equipamento decente. Comparar com a Índia é delírio.

Sds

Jean-Marc Jardino
Visitante

E o Brasil eternamente esperando o Gripen, sabe-se la qdo o Brasil tera um esquadrao operacional desse modelo….

Bavaria Lion
Visitante

Pois é Carlos. E o F-7/J-7 que é o Mig-21 chinês com aviônica ocidental (radar Grifo o mesmo do F-5 mike), também deve ter um desempenho interessante.
No lugar do FC-1, que é criticado pelos próprios chineses, a remotorização dos J-7 provavelmente produziria um avião bem melhor que o referido vetor tido como sucessor do grande fishbed.