Home Aviação de Caça Holanda: estamos reparando nossa Força Aérea

Holanda: estamos reparando nossa Força Aérea

5221
32
F-16 da RNLAF

ABBOTSFORD, British Columbia – Os pilotos holandeses concentrar-se-ão mais nas habilidades de combate ar-ar, que se tornaram enferrujadas devido à ênfase nos últimos anos no apoio a missões terrestres, diz o chefe da Royal Netherlands Air Force.

O tenente-general Dennis Luyt disse que os pilotos de aviões de combate e de helicópteros se concentraram em missões terrestres no Iraque, no Afeganistão e na África, e essas operações contribuíram para o enfraquecimento das habilidades de combate ar-ar.

“Precisamos restaurar a prontidão para o combate”, disse ele em entrevista ao Defense News. “Nós estamos fazendo missões unilaterais”. Ele acrescentou: “Precisamos investir em missões ar-ar”.

A Royal Netherlands Air Force contribuiu com os F-16 para a missão do Iraque a partir de 2014. As operações envolvendo esses aviões, que no seu pico incluíam seis jatos de linha de frente com dois na reserva, expandiram-se para incluir a Síria em 2016.

As aeronaves realizaram mais de 2.000 missões, lançando mais de 1.800 armas. Os F-16, que operavam a partir da Jordânia, voltaram para a Holanda no verão de 2016.

A Royal Netherlands Air Force também contribuiu para a missão das Nações Unidas no Mali desde 2014, com quatro helicópteros Apache e três helicópteros de transporte CH-47D Chinook. Os Apaches voltaram para os Países Baixos no final de dezembro de 2016, e os Chinooks deixaram o Mali em março de 2017.

Luyt disse que as várias missões de apoio terrestre permitiram que a Royal Netherlands Air Force fizesse contribuições importantes, mas a situação de segurança internacional mudou. “A superioridade aérea não é mais garantida”, explicou. “Precisamos lutar de novo”.

Caças F-16 holandeses

Luyt disse que fazer uma pausa das missões do Iraque e do Mali não só era necessário para conduzir a manutenção nas aeronaves, mas também para dar descanso às tripulações de aviação.

O foco está agora no treinamento, com a Royal Netherlands Air Force no início deste ano atendendo aos exercícios de combate ar-ar do Red Flag na Base Aérea da Nellis, Nevada. “Foi importante para nós”, explicou Luyt. “Esses tipos de atividades “high-end” são importantes para manter a capacidade de capacidade”.

Em março e abril, a Holanda organizou o exercício Frisian Flag, um dos maiores exercícios aéreos internacionais na Europa envolvendo vários aliados da OTAN.

Outros exercícios estão planejados. “Há um programa muito bem adaptado para restaurar a prontidão do combate”, observou Luyt. Mas ele previu que as equipes aéreas voltarão ao Oriente Médio no futuro próximo.

Espera-se que os F-16 holandeses iniciem operações contra as forças do Estado islâmico no início de 2018, mas Luyt ressaltou que ainda há uma decisão política sobre esse desdobramento.

Ele disse que espera que os helicópteros holandeses voltem à África em 2019.

Luyt também observou que a Royal Netherlands Air Force está construindo as bases para a transição de seus F-16 para o F-35. Ele disse que o F-16 foi usado sem parar nos últimos 25 anos. “Esse é um histórico para um sistema de armas holandês”, disse Luyt.

FONTE: Defense News

32
Deixe um comentário

avatar
32 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
13 Comment authors
Carlos Alberto SoaresMarcos AlonsoteropodeWalfrido StrobelAndré Luiz.'. Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Matheus Ugraita
Visitante
Matheus Ugraita

Planejamento é tudo. Se o Brasil não fosse essa bagunça, gostaria de ver a FAB bombardeando o iSIS com uns Gripens. 🙂

Walfrido Strobel
Visitante

Matheus Ugraita 21 de agosto de 2017 at 10:47
.
Somos um país longe destes problemas de terrorismo, enquanto o ISIS não nos criar problemas é melhor não criar problemas com o ISIS.
Porque tomar partido em algo que não nos trará o menor benefício?

ivo
Visitante
ivo

Walfrido Strobel 21 de agosto de 2017 at 10:57
“Porque tomar partido em algo que não nos trará o menor benefício?”

eu assino embaixo!

Walfrido Strobel
Visitante

Roberto Santana 21 de agosto de 2017 at 11:59
.
R. S. Já existe um programa para limpeza de pátio de aeronaves, em 2002 eu era CMT do Esq. de Infraestrutura da BASV(EIE) e recebi um trator com reboque equipado com escovas giratórias e aspirador para limpeza da pista de taxi e pátio operacional, não me lembro do nome do programa que era do COMGAR com aquisição dos tratores pela DIRENG.
Na BASV a limpeza da pista principal é feita pela Infraero por caminhões específicos.

André Luiz.'.
Visitante
André Luiz.'.

Walfrido Strobel 21 de agosto de 2017 at 13:36
Não sei se o amigo percebeu assim, mas acho que o comentário do Roberto (‘Roberto Santana 21 de agosto de 2017 at 11:59’) teve uma boa dose de ironia, como que insinuando que a aquisição de aviões de primeira na linha na FAB pudesse servir para gastos ‘escamoteados’…ou seja, desvios de verbas…!

Luiz Trindade
Visitante
Luiz Trindade

Esse tipo de pensamento é que faz toda diferença numa Força Aérea capaz e eficaz. A FAB até que tenta, mas devido a desorganização politica faz que sempre fiquemos não somente um mais 10 passos atrás.
Esperemos que 2018 tenhamos candidatos dignos e capazes de apaziguar os três poderes e o executivo volte a ser executivo na sua totalidade e trazendo mais benefícios para Forças Armadas.

André Luiz.'.
Visitante
André Luiz.'.

Luiz Trindade 21 de agosto de 2017 at 14:08
Também faço votos de que 2018 traga renovação aos quadros da política nacional, com candidatos dignos e capazes, como disse o amigo. Mas, não tenhamos ilusão: por melhor que seja quem vier a ocupar a presidência da República em 2019, não poderá fazer milagres. O contingenciamento de verbas seguirá ainda por muito tempo, e receio que o orçamento da Defesa seguirá sobre forte restrição. Talvez seja o caso de discutir séria e objetivamente a possibilidade de diminuir o efetivo em cada Força, extinguir o serviço militar obrigatório, etc.
Abraços.

Walfrido Strobel
Visitante

André Luiz.’. 21 de agosto de 2017 at 13:52 . A. L., eu lendo melhor ja acho que o Roberto Santana se referia a burocracia e inchaço do servíço público federal. Eu tinha um CMT que uma vez falando sobre a proposta de unificação dos C-130 em um local dizia que no Galeão não da para unificar por não ter possibilidade de treinar por ser um aeroporto internacional e nos Afonsos não dava para operar IFR com restrições, mas ele estava tranquilo, pois tinha uma comissão estudando o caso e na FAB quando vc não quer resolver uma coisa basta… Read more »

GILMAR
Visitante
GILMAR

Pelo andar do “bonde” a FAB só vai bombardear alguém com os tais Gripens depois de terminada a terceira guerra mundial. Mas, na remotíssima hipótese de fazê-lo antes, bombas não faltam para serem atiradas nas bestas feras do tal ISIS: Dilma, Lula, Lindberg, Gleisi, Jucá, Renan, Collor, Temer, Maia, Grazotin, e mais devastadora de todas: J.Willys.

André Luiz.'.
Visitante
André Luiz.'.

Roberto Santana 21 de agosto de 2017 at 16:14 Ok, Roberto. Nem foi minha percepção de que o amigo insinuasse tal coisa — meu entendimento de seu texto foi de que, dada a frouxa gerência do dinheiro público no Brasil, os ‘mal intencionados’ (chamemos assim!) se aproveitam dos gastos legítimos (como a aquisição de novos aviões) para (super!)faturar com aquisições dispensáveis ou fraudulentas!… Sabemos que, infelizmente, essas coisas acontecem até mesmo dentro de nossas FFAA, que são as instituições mais sérias que temos. — Quanto a sua pergunta sobre os três pontos: “Well”… Vou responder citando parte da letra da… Read more »

André Luiz.'.
Visitante
André Luiz.'.

Walfrido Strobel 21 de agosto de 2017 at 16:24
Sim, foi o que eu entendera, Walfrido! Precisa imaginar a ‘entonação’ da voz na leitura do texto pra pegar as nuances! (acho que, às vezes, comentários são mal entendidos e dão motivo pra desavenças aqui mesmo na Trilogia por conta de leituras que não captam as nuances do texto!)
Abraços!

André Luiz.'.
Visitante
André Luiz.'.

André Luiz.’. 21 de agosto de 2017 at 14:22
“(…) o orçamento da Defesa seguirá sobre forte restrição (…) ” — leia-se SOB forte restrição! Às vezes o corretor gramatical deixa passar esses erros! 😛

Paulo Jorge
Visitante
Paulo Jorge

O problema do F-16 aspirar resíduos já foi solucionado lá no início dos anos 80.
Hoje em dia eles operam em pistas com tempestade de areia no deserto sem relatos de falhas.
Não é à toa que voam em Israel, Egito e EAU.

Sds.

Walfrido Strobel
Visitante

Paulo Jorge 21 de agosto de 2017 at 17:08
.
P. J., todo motor a jato pode sofrer sérias avarias no caso de injestão de objetos, por isso é importante manter pistas de pouso, taxi e pátios limpos.
Tempestades de areia ou poeira vulcânica causam sérios problemas a uma turbina aeronautica.
Veja o que um pássaro causou a um F-16, mas foi em voo.
. https://m.youtube.com/watch?v=gc-XiO4ojzk

André Luiz.'.
Visitante
André Luiz.'.

Walfrido Strobel 21 de agosto de 2017 at 17:49
Eu me lembro de uma vez visitando os escritórios da American Airlines em Guarulhos, a trabalho: eles tinham um programa de orientação a toda a força de trabalho sobre a detecção de F..O.D. (foreign object debris : ‘detritos de objetos externos’) nas pistas dos aeroportos para diminuir os custos com reparos de motores danificados aspirar ‘coisinhas’ como bilhas de rolamentos, porcas, parafusos e até talheres caídos nas pistas!…

Jaques Kugelmass
Visitante
Jaques Kugelmass

Bem, André Luiz e demais….”como tal….” deveria dizer que a imagem das vassouras foi boa, no sentido de que a burocracia aliada àa corrupção pode dobrar o preço de um caça, se tudo for computado, ao final. De nada adianta divulgar um preço de equipamento, ex Raio X, se só a licitação para a instalação custa o dobro, de tantos adendos. Fato verídico.

Matheus Ugraita
Visitante
Matheus Ugraita

Bem, o Brasil não queria fazer parte do CS? Se ainda quiser, tem que tomar frente de alguma coisa. É o que eu acho Saudações!

Flanker
Visitante
Flanker

Quanto ao problema de FOD: dia desses eu estava na Ala 4 (antiga BASM) e um caminhão específico para esse fim, estava realizando a limpeza das pistas de pouso e de taxi. São duas “vassouras” giratórias colocadas sob o veiculo que giram concentricamente, com os deteitos sendo sugados para um reservatório.
Atualmente, os F-16 poderiam operar de qualquer pista da FAB sem problema algum. Inclusive, no já longínquo ano de 1997, na operação Tiger III, os F-16 da Florida ANG operaram, durante uma semana, sem problemas, da pista da então BASM.

Flanker
Visitante
Flanker

deteitos = detritos

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Walfrido Strobel 21 de agosto de 2017 at 10:57
Concordo em parte.
Nossa tríplice fronteira está uma zona.
Recepção e abrigo de militantes (milícias ?),
movimentação de dinheiro que já passou a muito de suspeito,
lavagem de parte do mesmo, formação ideológica, etc etc etc ….
O GSI sabe, o S2 sabe, dizem que o A2 sabe, dizem que a P2 do PR sabem e que o CIM também sabem. Dizem que nos USA (CIA etc) e em Israel (Mossad) também sabem.
Kkkk …. Os Argies e os Guaranys também sabem ….
O que se passa então ?

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Roberto Santana 21 de agosto de 2017 at 11:59
Kkkk ….
Importadas da França. rsrsrs

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Luiz Trindade 21 de agosto de 2017 at 14:08
Quem vota ou vai votar ?
A culpa não é deles porra, afinal já os conhecemos mas …..

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

André Luiz.’. 21 de agosto de 2017 at 14:22
Concordo. É por ai … antes de 2025-2030 nada acontecerá e ainda estamos correndo sérios riscos de piorar.
__________________________________

Roberto Santana 21 de agosto de 2017 at 17:25
Se o Juarez fosse operador de bolsa estava preso com condenação por bons longos anos. (rs).
É o nosso A2 de maior eficiência em “insider information”. Merece minha admiração.

737-800 Carioca
Visitante
737-800 Carioca

Como estão falando sobre F.O.D.: Trabalho como agente de aeroporto na Gol, no SDU, e quando caminho pelas via para pedestres à margem da pista, sempre, sempre há copos, guardanapos, pedaços de bag tags e tutti quanti pelo chão. Retiro o que posso. As lixeiras amarela destinadas aos F.O.D. servem, infelizmente, para alguns(leia-se, principalmente, funcionários da Swissport), para colocar lixos comuns, desde seus respectivos pacotes vazios de lanche até papéis usados no trabalho, quando na verdade só se deveria ser colocado o que fosse achado na pista afim de mitigar os fatores geradores de F.O.D. Detalhe: todos que frequentam a… Read more »

André Luiz.'.
Visitante
André Luiz.'.

737-800 Carioca 22 de agosto de 2017 at 13:18
Somos um povo muito bosta, a verdade é essa.” — eu insisto em reprimir o ‘complexo de vira-lata’! Diga-se então: somos um povo muito INCULTO…! Porque a ignorância do povo pode ser sanada!, VALORES de CIVISMO podem ser cultivados! Leva tempo, claro… mas é possível! Agora, se aceitarmos essa desclassificação de nós mesmos como povo, essa realidade jamais irá melhorar!
Abraços!

Walfrido Strobel
Visitante

737-800 Carioca 22 de agosto de 2017 at 13:18
.
Carioca, infelizmente esta situação de lixo no pátio das aeronaves é comum, veja este vídeo do complexo aeroportuário de Kuala Lampur, um dos aeroportos mais modernos do mundo.
Vou até colocar uns posts sobre ele para ver que conceito lindo de complexo aeroportuário.
. https://m.youtube.com/watch?v=PDyUUn7zKCY

Walfrido Strobel
Visitante

Vou começar pelo acesso, coisa que todo projetista de aeroporto deveria pensar, para ir ao aeroporto basta usar o KLIA Ekspres, um trem rápido Siemens que vai direto do centro da cidade até o saguão do aeroporto a 160 km/h.
. https://en.m.wikipedia.org/wiki/KLIA_Ekspres

Walfrido Strobel
Visitante

Os malaios criaram a Kuala Lampur Sentral, uma ideia de colocar na cidade uma central de transportes integrando por monorail, trens, metrô, onibus e taxi o aeroporto, rodoviária e porto.
Foi uma ideia maravilhosa, vejam os complexos que se criaram em torno deste projeto.
. https://en.m.wikipedia.org/wiki/Kuala_Lumpur_Sentral

Walfrido Strobel
Visitante

Finalizando sobre o acesso ao aeroporto, os malaios criaram o terminal remoto do aeroporto KLIA no centro da cidade, uma ideia aprovada pela OACI que deverá ser incentivada nos outros países.
Isto na foto não é o aeroporto, é o KL City Air Terminal no centro da cidade, vc entra, faz o check in, despacha sua bagagem e embarca no trem rápido que segue direto a 160 km/h para o saguão do aeroporto.
. https://encrypted-tbn2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcRiuTyMBBNvuaG7vpTWD_unarWZefuo_IQvZ3jhaFTLBGNz11mG

teropode
Visitante

Pra que bombardear ISIS lah fora se temos alvos aqui : Foro Sao paulo , MST , sindicatos ,congresso !

Marcos Alonso
Visitante
Marcos Alonso

O F16 foi um belo projeto. Unindo potência, aerodinâmica e agilidade. É a aeronave de projeto americano com maior taxa de kills em operação na atualidade. E vai continuar em operação ainda por muitos anos.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Marcos Alonso
Perfeito.