Su-57

O avião de combate de quinta geração PAK FA, da Rússia, foi oficialmente nomeado como Su-57, informou o comandante da Força Aeroespacial Russa, coronel geral Viktor Bondarev, na sexta-feira

MOSCOU — O jato de combate da quinta geração da Rússia, anteriormente conhecido como Prospective Airborne Complex of Frontline Aviation (PAK FA), ou Sukhoi T-50, foi designado oficialmente como Su-57, disse o Comandante das Forças Aeroespaciais Russas, Coronel Gen. Viktor Bondarev.

O Su-57 é um caça furtivo multifunção bimotor monoposto, projetado para a superioridade aérea e missões de ataque. Está equipado com sistema de aviônica avançado e radar AESA.

O jato fez seu primeiro voo em 2010. Yuri Slyusar, presidente da United Aircraft Corporation da Rússia, que está envolvido na construção da aeronave, disse no mês passado que os primeiros Su-57 podem entrar em serviço em 2019.

Desde o seu primeiro voo no início de 2010, o T-50, parte do programa Prospective Airborne Complex of Frontline Aviation (PAK-FA), a aeronave recebeu uma vasta série de atualizações para sua aviônica, discrição e armamento. Na quarta-feira, o Conselheiro Geral da United Aircraft Corporation, Sergei Korotkov, confirmou que os engenheiros estão ocupados trabalhando na criação de um motor de próxima geração para o avião, que possui maior empuxo e eficiência de combustível, menor custo e melhor confiabilidade em relação ao mecanismo existente.

Com seis aviões que deverão ser entregues às Forças de Defesa Aeroespacial Russas no próximo ano, planeja-se equipar a força aérea com cerca de 55 caças T-50 até 2020, com a produção em massa começando depois disso.

FONTE: Sputnik

78
Deixe um comentário

avatar
77 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
37 Comment authors
CassiusValdezAndré Luiz.'.GallinaMarcos Alonso Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Paulo Jorge
Visitante
Paulo Jorge

A fonte é uma maravilha. Só superlativos.

Walfrido Strobel
Visitante

Que bom porque a designação do projeto T-50 fazia confusão com o KAI T-50 de instrução sul coreano.

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

A curiosidade agora é saber o que a OTAN vai chamar ele. O Su-34 foi chamado Fullback. O protótipo Su-47 é Firkin.
.
Outras designações surgidas a partir dos anos noventa são Flatpack para o MiG 1.42, Freestyle para o Yak-141 e Firebird para o J-10.
.
Curiosamente, tanto o agora Su-57 quanto o J-20 chinês ainda não ganharam as suas designações, apesar de já estarem entrando em serviço e serem acompanhados pelo ocidente deste os seus primeiros voos.

Paulo Jorge
Visitante
Paulo Jorge

Aposto no codinome OTAN “Fuckbad”.

Sds

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Bela sacada Galante. Será que foi proposital?

Nonato
Visitante
Nonato

Essa notícia já é antiga né. Mas a maioria desses projetos renderão décadas de notícias.
SU 57 é declarado operacional.
SU 57 faz primeiro patrulhamento sobre o báltico.
SU 57 faz primeira decolagem do porta aviões Catarina a grande.
SU 69 poderá ser o substituto do su 57 na década de 2050, afirma o Czar russo Putin Júnior.

Ivanmc
Visitante
Ivanmc

Alexandre Galante 12 de agosto de 2017 at 17:52.
.
Boa, acho que é isso mesmo. E não imaginava o porquê a nomenclatura de Su-57, agora sim.

Renan
Visitante
Renan

O ruim é se em um patético combate. o SU 57 destruir um F22 e um F 35.
Que é impossível. Mas se acontecer será difícil justificar os custos dos F35

Paulo Jorge
Visitante
Paulo Jorge

A reputação de uma aeronave versátil e multirole, por mais caro que seja, jamais ficaria abalada num eventual abate pontual por outra aeronave de quinta geração que detém superlativos e fama de imbatível.

Sds

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Cy 57
____________________

2022 = F 39.

Walfrido Strobel
Visitante

Mas nesta linha de pesquisar números chegaram a brincar que um KC-390 vale 3 vezes mais que um C-130.

Adriano R.A.
Visitante
Adriano R.A.

O que seria a produção em massa? Quantos a Rússia conseguiria bancar? Abraços.

Nonato
Visitante
Nonato

Acho que não existe isso de quantos pode.
Não terão que pagar 300 milhões de dólares a uma empresa privada.
São servidores públicos que vão receber fabricando ou não.
Aço não é problema.
Os materiais compostos lá também são fabricados por servidores públicos.
A aviônica idem.
Se quiserem construir 300 acho que não há problema algum.
Mas pragmaticamente talvez uns 50 para começar.
Depois passam para 100.
A não ser que resolvam chutar o pai da barraca para peitar os EUA.
Aí poderia ser 300.
Mas acho que vão dosar.
Pak fa. Pak da.

PRAEFECTUS
Visitante
PRAEFECTUS

Como disse em outra ocasião…
.
esse aí é o Papa 22 +35 na janta….se é que me entendem….hehehe…
.
Grato

carcara-br
Visitante
carcara-br

Alexandre Galante 12 de agosto de 2017 at 17:52
SU57 = F22+F35
Não acredito que os russos seria tão infant…. Deixa pra lá é possível sim, depois do “pai de todas as bombas” nada mais me surpreenderia kkkk
Por outro lado, su-37 e 47 já foram usados…

Tallguiese
Visitante
Tallguiese

Firefox?

hammadjr
Visitante
hammadjr

A NATO deve encontrar um codinome para o Su-57 enquanto isso os cachorros latem o SU-57 voa, para quem supostamente tem o melhor escudo de defesa, e seus interesses econômicos ficam perto da suas fronteiras, não coloca como prioridade a projeção geopolítica fora do alcance dos Phantsir, talvez por isso cremos que esta atrasado a tal capacidade de ficar o menos tempo visível.

Corsario137
Visitante
Corsario137

Até que enfim, já estava de saco cheio de chamar a aeronave de PAK-FA. Se vai ser boa eu não sei, mas que perdeu muito em beleza para a antecessora família Flanker, é fato. Parece que pegaram uma aeronave menor e mais robusta e a amassaram de cima pra baixo, deixado ela espalhada, fina e com uma asa gigante. Só não perde pro bagre chinês.

J.Silva
Visitante
J.Silva

O Su-57 nesta matéria e o F-35B inglês, da matéria anterior, estão com misseis sob as asas. Pelo visto a configuração com armamento exclusivamente interno só estará disponível para algumas missões. Então vão usar esses caças, também, como um 4g plus, ou essas configurações são para esconder o real RCS destes caças?

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

J.Silva, por mais que possam carregar armamento internamente, eles também são capazes de carregar armamento externamente e é perfeitamente comum fazerem testes e treinos nessas configurações. A flexibilidade é importante principalmente quando não se tem necessidade de Stealth em determinados teatros ou funções.

Sérgio Luis
Visitante
Sérgio Luis

Galante
A fórmula que vc citou sobre o SU57 onde ele é a somatória do F22 e F35 reflete bem o futuro! Certíssimo!
Mas as”viúvas” do F35 ainda persistem na retórica da segunda guerra de envio de escolta!

hammadjr
Visitante
hammadjr

Corsario não precisa ser belo basta ser mortal

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Sérgio Luis, não entendi o que quis dizer, sinceramente. O F-35 está longe de ser finado. Muito pelo contrário, está apenas começando sua vida operacional.

Sérgio Luis
Visitante
Sérgio Luis

Leandro Costa,
O problema do F35 está na necessidade da escolta de um F22 , ou seja é a doutrina que esta equivocada!
Um caça de ataque como o F35 não deveria se dar o luxo de ter um F22 para defende-lo de por exemplo um Su 57!
E essa conclusão não é só minha!
Veja acima!

Juliano Bitencourt (JB )
Visitante
Juliano Bitencourt (JB )

Parabéns à Russia pela aeronave. Mas assim como a chinesa não sabemos quase nada, ou nada, sobre suas reais capacidades. Creio que não será páreo para o F-35, nem o F-22. Por analogia, seria mais ou menos como comparar o Su-27 com o F-15. O Su-27 é muito bom, mas não é o MELHOR.

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Sérgio, desconheço totalmente da necessidade de escolta para o F-35.

teropode
Visitante

SU-57 , 5 se refere a geraçao , 7 a perfeiçao , gente isso ai eh numerologia aplicada !

Bosco
Visitante
Bosco

Sergio, Nâo existe isso de F-35 escoltado por F-22, mesmo porque o F-35 será utilizado pelas 3 Forças que operam caças e por mais uma dezena de países e o F-22 só tem na USAF. Sem falar que vai ter 20 x mais F-35 que F-22. O F-35 é um caça bombardeiro supersônico stealth (dizer que ele é multi role seria redundância) completamente independente e capaz de se autodefender. Pela quantidade de F-35 que deverá estar em operação é mais certa afirmarmos que eles irão se escoltar entre si, estando alguns pesadamente armados para operações ar-sup enquanto outros estarão levemente… Read more »

Sérgio Luis
Visitante
Sérgio Luis

O F-35 monomotor não foi projetado para a superioridade aérea, por isso é difícil imaginar um Joint Strike Fighter contra um Su-57 em um dogfight. Mais provável, um F-35 pediria ajuda a um F-22 Raptor, um caça furtivo de dois motores com maior velocidade e manobrabilidade” Eu acho que vcs deveriam entender é que o F35 não foi projetado para se defender sozinho! Posso estar errado mas os EUA ensistem em aeronaves furtivas de “monofuncao” exemplo F22 (caça) e F35 (ataque). Já os Russos pensam diferente com o SU 57 multifuncional (Que será remotorizado em 2019). O F35 que vcs… Read more »

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Pode não, Sérgio. Você está errado.

Sérgio Luis
Visitante
Sérgio Luis

Entendam!!
Se o F35 levar de forma consistente na sua baia bombas ele ficará deficiente de armamento ar ar de médio alcance!
Aí fica a pergunta !!
Você enfrentaria um SU 57 com Sidewinder??

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Sérgio:
.
comment image

Sergio Luis
Visitante
Sergio Luis

Eu disse consistente !
Só duas 225 kg de queda livre e dois sparow modernizados!!!??
Ate o Gripen leva mais !!!

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Sparrows modernizados? Desisto…

Sérgio Luis
Visitante
Sérgio Luis

“Uma coisa que tem ajudado a manter o programa F-35 é a percepção de que não há “Plano B”. Como Margaret Thatcher disse na famosa frase,”Não há alternativa”. Não importa o quão ruim o F-35 é, ele vai ser fabricado porque a Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) precisa de algo para substituir seus aviões de combate desgastados.”
Mike Hostage
General USAF

EduardoSP
Visitante
EduardoSP

Sérgio Luis 13 de agosto de 2017 at 20:00

Hoje no dia vc não é usual haver caças armados simultaneamente para ataque à superfície e combate aéreo. As aeronaves, ainda que do mesmo modelo, utilizam armamentos adequados às funções que irão desempenhar em determinada missão. A idéia de multirole não significa que todas as aeronaves vão desempenhar todas as funções em todas as missões. Isso, obviamente, é um absurdo.

EduardoSP
Visitante
EduardoSP

“Hoje EM dia…”

Bosco
Visitante
Bosco

Sergio, A carga interna do F-35A é de 3 t. Numa configuração ar-ar é de 4 amraams. A partir de 2019/20 será de 6 amraams. Isso se não tiver vindo o CUDA por aí. Aí poderão ser levados até 12 mísseis ar-ar com capacidade mista BVR/WVR plena. As configurações ar-sup mais prováveis são: 2 bombas JDAM de 2000 lb + 2 amraam (como a da foto postada pelo Leandro) 2 bombas JDAM de 1000 lb + 2 amraam 2 JSOWs de 1000 lb + 2 amraams 8 SDBs + 2 amraams Vale salientar que pode ocorrer combinações, como por exemplo:… Read more »

Tas
Visitante
Tas

Essa de 22 + 35 = 57 foi uma bela sacada. Russos são sempre russos.

Manuel Flávio
Membro
Manuel Flávio

Carlos Alberto Soares 12 de agosto de 2017 at 19:37

Não.
12 F39 em 2021.
IOC 2021.
FOC 2024.
Ref: FAB, CRE, 13/08/2015

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Acredito, Galante, que foi uma feliz coincidência (ou infeliz para alguns). . Os russos têm por padrão (pelo menos é o que se percebe e o que eu já li por aí – acho que numa ASAS) usar os números ímpares para seus caças monopostos (lutadores). Não a toa Su-7, 17, 27, 33, 35 e 37, além do demonstrador de tecnologia Su-47 que, como DT, deveria ter usado o T acompanhado por um número par, como fizeram com T-10 (protótipo do Su-27) e o próprio T-50. Vale dizer que os primeiros de cada novo caça sempre começa com o número… Read more »

Jorge Almeida Rocha
Visitante

Os Russos estão dando um banho em tecnologia de aviação de quinta geração, em quanto isso os americanos Gastão bilhões em seus aviões de quinta geração, e não chega nem perto do T50 Russo, isto é quê é uma umilhaçao, F-22 apresenta uma série de problemas, com sua tecnologia já ultrapassada tendo de se fundir com F-35 para chegar aos pés do T-50 Russo, aí fica uma pergunta quem é mais eficiente em tecnologia? Os Russos estão dando uma grande lição nós americanos arrogantes…

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Manuel Flávio 14 de agosto de 2017 at 1:04
E a FAB combinou com quem ? Com o Meirelles ou com o Mansueto ?

RicardoNB
Visitante
RicardoNB

Sergiu: O F-35 não foi preparado para defender-se sozinho ? Como assim ? O F-35 possui um radar AESA principal com as mesmas dimensões do N036-1-01 do Su-57, na verdade possui até mais módulos T/R. O F-35 é reconhecidamente uma aeronave mais furtiva do que o Su-57. E ironicamente o Su-57 irá transportar “apenas” 4 mísseis BVR e 2 WVR contra 6 BVR no F-35 no Block IV. A ponto em que o Su-57 é superior é a manobrabilidade. Não consigo observar como o F-35 seja uma presa maior ao Su-57 do que o Su-57 seria ao F-35. Lembrar que… Read more »

Sérgio Luis
Visitante
Sérgio Luis

Eduardo sp
Sua afirmação vai de encontro ao SU57!!!
Temos que observar também outras doutrinas de aviação militar!
O SU 57 é a somatória!
É sei que não é fácil reconhecer isso!

Sérgio Luis
Visitante
Sérgio Luis

Ricardo NB
-Defender sozinho?
Foi o general da USAF disse que o F35 vai precisar de escolta do F22 ! É para ele que perguntar “como assim!”
– A furtividade em combate aéreo é relativa!
– Se não me engano o Trump já jogou areia nas compras F 35 ( Caro demais).
Leia mais sobre SU57 !!
Sem recentimentos !!

Guilherme Poggio
Editor
Famed Member

Bosco, o CUDA foi cancelado faz algum tempo.

Bosco
Visitante
Bosco

Um general da USAF aposentado de nome desconhecido disse certa vez não se sabe quando nem onde para o primo da ex-rapariga do cabo corneteiro que contou para o seu tio que tem um amigo que trabalha como porteiro no prédio onde a Sputniknews tem sua sede e aí foi publicado e virou verdade absoluta porque se está na internet é porque existe.

Manuel Flávio
Membro
Manuel Flávio

Carlos Alberto Soares 14 de agosto de 2017 at 10:48
“E a FAB combinou com quem ? Com o Meirelles ou com o Mansueto ?”

O Brasil só vai começar a pagar o financiamento do caça a partir de 2024. Informe-se melhor.