Home Aviação de Caça Bolívia desativa seus jatos Lockheed T-33 Shooting Star

Bolívia desativa seus jatos Lockheed T-33 Shooting Star

4749
37

As últimas quatro aeronaves cessaram as operações após 44 anos. Presidente Morales participou da cerimônia na cidade de El Alto

A Fuerza Aérea Boliviana (FAB) desativou ontem (31.7) quatro aeronaves de treinamento e ataque T-33, um ato que teve a participação do presidente Evo Morales nas instalações do Grupo Aéreo de Caza-31, localizado na cidade de El Alto, vizinha a La Paz.

“Nossos T-33 se despedem e isso sempre causa dor, mas essa é a tarefa da tecnologia, terminar seu serviço e mandá-los embora”, disse ele em seu discurso.

De acordo com informações oficiais, as quatro aeronaves T-33 pararam de funcionar depois de 44 anos.

Desde os anos 50, Forças Aéreas de países como o México, Cuba, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Peru e Uruguai introduziram o T-33 em sua sua frota operacional e a Bolívia não foi exceção.

Morales elogiou a história do T-33 na Bolívia e do serviço prestado em defesa do país e se comprometeu a tomar medidas para continuar a equipar a Fuerza Aérea Boliviana.

“Eu não sei se é um brinde de despedida, mas também um brinde para continuar a adquirir equipamentos”, adicionou o chefe de Estado.

Por sua parte, o comandante da FAB, Erwin Bonilla, anunciou que vai apresentar um projeto para a aquisição de novas aeronaves com melhores capacidades de treinamento e de combate que o T-33.

Bonilla defendeu a aquisição de aeronaves biposto russas Yak-130 de nova geração, concebidas como aviões de treinamento que também podem ser usados para combate, especialmente em condições meteorológicas complicadas.

Suas características técnicas e capacidade de manobra permitem aos subsônicos Yak-130 treinar pilotos para operar gerações aeronaves de geração 4+ e 5, incluindo formação avançada em técnicas e missões de combate, de acordo com os fabricantes.

Yak-130

FONTE: elmundo.com.bo

Subscribe
Notify of
guest
37 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
MBP77
MBP77
3 anos atrás

A artilharia AA da potência bolivariana é composta por zarabatanas, estilingues, bumerangues, fogos de artifício ou um misto desses sistemas?
Sds.

sergio ribamar ferreira
sergio ribamar ferreira
3 anos atrás

Caso consigam adquirir o YaK 130 será um avanço e tanto para a Força Aérea da Bolívia. Vai depender de dinheiro. Cocalero deve estar esbanjando.

LucianoSR71
LucianoSR71
3 anos atrás

Só lembrando que ele é basicamente um F-80 Shooting Star que voou ainda durante a 2ªGM ( 1º voo em janeiro de 1944, como XP-80 ) na versão biplace, ou seja sua origem remonta incríveis 73 anos !

José Luiz
José Luiz
3 anos atrás

A artilharia AA da Bolívia possui canhões de 37 mm e mísseis Manpads de origem chinesa, lembrar que eles também possuem mísseis anti carro chineses e não são tão desarmados como possam imaginar.

Otto Lima
3 anos atrás

LucianoSR71,

A título de informação, a Força Aérea Brasileira utilizou o 5-33 e o F-80 Shooting Star de 1956 a 1975, quando ambas as versões foram substituídas pelo primeiro lote de F-5E/F Tiger II.

LucianoSR71
LucianoSR71
3 anos atrás

Otto Lima 1 de agosto de 2017 at 23:01
Valeu, mas eu sabia. Só quis destacar a longevidade do ‘menino’, rs. Abs.

Walfrido Strobel
3 anos atrás

Os T-33 deles foram comprados em 1973 do Canadá e modernizados nos anos 90, quando foram totalmente revisados no Canadá, recebendo motor zero hora depois do overhaul e com glass cockpit.
Estão devagarinho modernizando a FAB, na instrução aposentaram os velhos T-23 e T-25 e agora os ultimos PC-7 e compraram Diamond DA-40 austríaco para primária, Zlin Z-242L Tcheco para a básica e K-8 para a avançada, todos glass cockpit.
. http://latinairforces.blogspot.com.br/2007/11/bolivian-air-force-lockheed-t-33s.html

Silva
Silva
3 anos atrás

kkkkkkkkkk só rindo, esses índios mortos de fome terão que vender toneladas de coca no mercado internacional pra comprarem uma meia dúzia de YAK-130. Esses bolivarianos me dão um tremendo asco.

hammadjr
hammadjr
3 anos atrás

Falar em cocaleiro, a coca enquanto planta esta ligado a cultura dos povos andinos e quando se vincula uma estilo de vida de um povo a um governante então também a mesma regra deveria ser aplicada aqui, alias vai ver que a o cocaleiro tem conexão com alguns membros da orgulhosa oposição verde amarela onde a carreira no senado virou pó e cocaína em helicóptero pago com dinheiro público virou adubo.

Walfrido Strobel
3 anos atrás

Interessante Silva, muitos ligam a Bolívia a produção de cacaina, mas a Bolívia só produz 17% e a Colômbia produz 51% da cocaina mundial.
Você tambem tem asco dos Colombianos?

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
3 anos atrás

Walfrido,
me ajuda ai por favor:
Tem um modelo desse espetado na via de acesso ao aeroporto Luis Eduardo Magalhães ?
Aqui em Catanduva tem um Meteor (achismo), dizem que foi restaurado (não sei), está no aeroclube e preciso visita-lo.
Achei,
http://flaviogomes.grandepremio.uol.com.br/2015/03/nas-asas-147/

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
3 anos atrás
Walfrido Strobel
3 anos atrás

Carlos Alberto Soares, é um Gloster Meteor que antes ficava na via principal do aeroporto e com a construção do novo acesso agora fica entrada da Ala 14, ex BASV.
. http://www.aereo.jor.br/2010/08/18/onde-estou

Walfrido Strobel
3 anos atrás

Carlos Alberto Soares, bonito é o Mirage III que foi espetado aqui em Salvador perto de onde moro, entre o bairro da Ondina e Barra.
. http://www.aereo.jor.br/2015/08/17/mais-um-mirage-espetado

Eduardo
Eduardo
3 anos atrás

Boa Noite, o avião espetado na via de acesso ao aeroporto Luiz Eduardo Magalhães é um Meteor

MBP77
MBP77
3 anos atrás

José Luiz 1 de agosto de 2017 at 22:39
*
Percebeu que eu fui irônico, certo?
Sds.

Fábio Mayer
Fábio Mayer
3 anos atrás

Eu imaginava que os K-8 substituiriam esses T-33.

Paulo Afonso
Paulo Afonso
3 anos atrás

Walfrido Strobel 1 de agosto de 2017 at 23:57
Parabéns pelo comentário.

horatio nelson
horatio nelson
3 anos atrás

MBP77 1 de agosto de 2017 at 21:56 eram stingers mais fizeram um rolo danado com eles muitas teorias… agora são iglas e o proximo avião deve ser russo mesmo cccp devido a comunização em curso na bolivia

Otto Lima
3 anos atrás

Fábio Meyer, De fato, o jato sino-paquistanês K-8 Karakorum exerce as mesmas funções do T-33 Shooting Star, que são as de treinamento avançado e ataque ligeiro. Contudo, falta à Fuerza Aerea Boliviana um avião de combate mais capaz e daí o interesse de seu comandante pelo LIFT ítalo-russo Yak-130/M-346, que atenderia perfeitamente às necessidades do país. O problema é se o orçamento do governo boliviano permitiria a aquisição dessa aeronave, que aliás, em minha franca e leiga opinião, seria um bom substituto para o A-1 AMX na nossa FAB, nas missões de reconhecimento, esclarecimento e ataque, além de preencher a… Read more »

Fábio Mayer
Fábio Mayer
3 anos atrás

Otto Lima,

Obrigado pela informação.

Fico me perguntando se a Bolívia não tem interesse em um lote de A-4 modernizado pela EMBRAER, que está, digamos, meio sem função na Marinha do Brasil.

Renato Vieira
Renato Vieira
3 anos atrás

AH Tah, então era com eles que o pilantra do cocaleiro ia atacar o Brasil? Pronto, ja se desfez a ameaça então! Pobre AL.

Gustavo
Gustavo
3 anos atrás

Pois é, e os aviões chineses saíram da jogada?

Walfrido Strobel
3 anos atrás

O T-33 ja chegou a equipar 3 Esq. na Bolívia, mas só restavam menos de metade dos modernizados a uns 17 anos no Canada, apesar de serem versões armadas utilizados como operacionais nos Esq. de Caça nos anos 70/80 eram utilizados depois da modernização para instrução avançada e treinamento armado. Os da Bolívia eram Canadenses fabricados pela Canadair como AT-33, uma versão do Canadair CT-133 Silver Star diferentes do Lockheed T-33. Os T-33 usavam turbina Allison J33-A-35 centrifugal compressor turbojet, 5,400 lbf (water injection), 4,600 lbf continuous e tiveram mais de 6000 produzidos e os Canadenses preferiram usar o Rolls-Royce… Read more »

Tallguiese
Tallguiese
3 anos atrás

Acho que se eles vão comprar caças serão os de origem chinesa devido o acesso ser mais facil. E a China vai querer essa boquinha pra entrar no mercado da America Latina.

Walfrido Strobel
3 anos atrás

Tallguiese 2 de agosto de 2017 at 15:44
A China ja entrou no mercado da AL, este da foto abaixo é o K-8 da Bolívia que substituiu os T-33 sem modernização, tem K-8 e Y-8 na Venezuela tambem.
Foi engraçado que a Venezuela comprou os Y-8 para substituir os C-130 devido a recusa nos EUA em os modernizar, quando soube a França se disponibilizou e modernizou os C-130 com recheio europeu, hoje a Venezuela tem os Y-8 novos e os C-130 modernizados.
. https://encrypted-tbn2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcSHHeqddVCkKpKVICwDKr4PJan3e9yRFexmdt7BrrJp7kklKo1i

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
3 anos atrás

Walfrido Strobel
Faz um tempo que não vou a SSA.
Morei na praia do Flamengo, último condômínio – 2a ponte, literalmente divisa com a praia da Ipitanga. Barraca Graúça era o point, acabou tudo.
Aliás lembro que o Aeroporto de SSA fica em Lauro de Freitas.
Obrigado pelas informações.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
3 anos atrás

Otto Lima 2 de agosto de 2017 at 11:16
Não teremos LIFT e os A 1 serão (estão ?) sendo descontinuados.
O A 29 irá cumprir as três funções A-Ta-Coin

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
3 anos atrás

Walfrido Strobel
Obrigado pelas informações.
Morei na praia do Flamengo e faz tempo que não vou SSA, saudades.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
3 anos atrás
Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
3 anos atrás

Ato da desativação dos CT 33:
https://www.youtube.com/watch?v=dEVggSSj_qs

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
3 anos atrás
Bruno
Bruno
3 anos atrás

É foi essa gente que “tomou” a nossa refinaria.

Gustavo
Gustavo
3 anos atrás

pois é Bruno, todo investimento colocado ali, ali ficou.

Walfrido Strobel
3 anos atrás

Bruno e Gustavo, na criação da Petrobras o Brasil fez a mesma coisa, tomou todas as refinarias e poços dos estrangeiros e depois assinou um acordo de indenização por menos do que valiam, agora a Petrobras experimentou do mesmo veneno. A Bolívia ja assinou com o Brasil um acordo para resolver a desapropriação das unidades da Petrobras. Foi assim nas criações das estatais do petróleo no mundo todo, engraçado que muitos sugeriram que o Brasil atacasse a Bolívia para retomar a refinaria, nesta mesma linha poderiamos ser atacados pelos Americanos e Europeus que perderam todas as suas instalações no Brasil… Read more »

Leandro Costa
Leandro Costa
3 anos atrás

Mais ou menos o que fazemos aqui, certo? E outra, a falta de ação quando a Petrobras foi criada meio que fez prescrever o assunto. Ou seja ‘morreu’ da mesma forma que deixamos o assunto ‘morrer’ com a Bolívia. Fora o fato de que a tomada das instalações da Petrobras, usando tropas, deveria ser encarado como o que realmente foi: uma agressão.

Alex Faulhaber
Alex Faulhaber
1 ano atrás

Como mantiveram voando por tanto tempo essas aeronaves?