Home Aviação de Ataque AT-802L Longsword também participará da avaliação OA-X

AT-802L Longsword também participará da avaliação OA-X

5511
69
AEL Sistemas
AT-802L Longsword

Mais uma aeronave voará na competição de ataque leve OA-X da Força Aérea dos EUA na próxima semana. A Air Tractor e a L3 anunciaram na segunda-feira que oferecerão o AT-802L Longsword para participar da avaliação na Base Aérea de Holloman, no Novo México, nos dias 8 e 9 de agosto, de acordo com um release.

Juntas, as empresas desenvolveram a variante L de seu antecessor, o AT-802U, disse o comunicado. O Longsword é um avião de ataque leve e também serve para missões de inteligência, vigilância e reconhecimento.

“Estamos orgulhosos do Longsword e da oportunidade de participar da OA-X. Estamos ansiosos para voar na Holloman AFB e mostrar nossas capacidades para a Força Aérea e para nossos países parceiros “, disse Jim Hirsch, presidente da Air Tractor.

“O AT-802L Longsword fornece uma capacidade altamente eficaz com base em uma plataforma robusta e comprovada que agrega tecnologias líderes de classe integradas pela L3 para uma solução simples e ainda poderosa”, acrescentou Jim Gibson, presidente da L3 Platform Integration e L3 Aircraft Systems.

Glass cockpit do AT-802 da IOMAX

A L3 desenvolveu um “glass cockpit, state-of-the-art e o sensor L3 Wescam MX-15 EO/IR”, ideal para ISR de média altitude e missões de busca e salvamento, de acordo com a empresa de Nova York .

A Air Tractor, com sede no Texas, e a L3 em março mostraram a aeronave durante o Avalon Airshow na Austrália, renomeando a aeronave como OA-8 com a esperança de garantir parceiros da Ásia-Pacífico. A Força Aérea distribuiu convites formais para a avaliação em março.

A Sierra Nevada, em maio, anunciou que o A-29 Super Tucano participará do evento, lançando-o como “A-29 para a América”.

A Textron e a AirLand LLC demostrarão o jato Scorpion, bem como o turboélice AT-6B Wolverine, uma versão armada do T-6 Texan II, fabricado pela unidade Beechcraft Corp. da Textron e pela Raytheon Co., de acordo com um release de abril da Textron.

A IOMAX também produz sua versão do AT-802, o Archangel

FONTE: DoD Buzz / Tradução e adaptação do Poder Aéreo

69 COMMENTS

  1. Eu achei muito interessante essa versão do AT-802, bem legal. Eu sempre gostei de ler as matérias do Air Tractor. É a simplicidade com a atualidade. Lógico, está longe de ser um Super Tucano, mas não é o caso. Contudo, essas imagens do cockpit dignas do Tom Clancy’s em H.A.W.X 2 bem futurista. Ótima matéria, parabéns!

  2. Delfim Sobreira, mas ele tem sua origem exatamente em um avião agrícola. A Air Tractor produz aviões agrícolas há muito tempo.
    Esse avião é uma aeronave agrícola que recebeu sistemas e aviônicos militares, capacidade de lançar vários tipos de armas, etc….não sei se no projeto há algum tipo de blindagem.
    É um avião, forte, rústico e simples. Como o Poggio falou, se o custo for decisivo ele terá uma grande vantagem. Claro, tem que ver como ele se sairá no cumprimento das missões.
    Particularmente, e sem sentimento de torcida, acho que é uma adaptação bem grande, visto a siferença que separa uma aeronave agrícola de uma aeronave de ataque. Acho que os a,ericanos querem algo com menos adaptações e com ais DNA militar. Mas, isso é um achismo meu, apenas.

  3. Uma pergunta, diferentemente do super tucano, do AT-6B Wolverine e do Scorpion, caso essa aeronave seja atingida o piloto teria como se ejetar?

  4. Não é possível que muita gente aqui não conheça o Air Tractor/Ipanema. Aeronave ícone da lavoura. Quando voei em um planador na AFA era um Ipanema puxando o bicho. Realmente se o foco for custo, esse aí leva fácil.

  5. Jr 1 de agosto de 2017 at 20:28
    Uma pergunta, diferentemente do super tucano, do AT-6B Wolverine e do Scorpion, caso essa aeronave seja atingida o piloto teria como se ejetar?
    .
    Pode não parecer mas essa aeronave vem com a avançada tecnologia e ejeção PldC: Pule do cockpit.

  6. isso só pode ser pegadinha,…. se isso for participar da licitação…… não é serio!!
    com essas asas….. como o assento ejetor vai funcionar nisso??

  7. O que a eletrônica de hoje em dia não é capaz de fazer. Há alguns anos seria impossível imaginar que uma aeronave dessas seria capaz de lança qualquer armamento inteligente. Se não me engano está aeronave foi vendida para um país da África já que para COIN deve dar conta, embora os MANPADs estão cada vez mais difundidos.

  8. Johan 1 de agosto de 2017 at 21:44
    O que a eletrônica…….
    meu amigo, eletrônica nenhuma dá um jeito nisso, esse projeto e para pulverização agrícola, qualquer uso fora disso beira a demência!

  9. Ivo, esse avião e similares foram encomendados e são utilizados no Oriente Médio.
    Ele é bem maior e mais capaz que um Ipanema e usa o motor similar ao Super Tucano (PT6)
    .
    Acho muito improvável uma vitória dele no OA-X, em especial por causa da ausência de assento ejetável, mas é uma aeronave interessante para CAS.

  10. Um ST é mais rápido e moderno podendo ser usado para interceptar frafego ilícito mais lento, um AT-802 nem pensar.
    Mas como plataforma para atacar insurgentes ele é muito bom, por isso 4 países ja compraram aviões de ataque baseados nestes aviões agrícolas, Egito, Iémen, Jordánia e EAU, o Egito ja recebeu os primeiros e vai comprar mais.
    É um tratorzão de MTOW 16,000 lbs contra 11,905 lbs do ST.
    O ST leva 1500 kg de armas o AT-802U/L leva 4.000 kg.
    O ST usa duas FN Herstal M3P de 12,7 mm (.50) cada uma com duzentos e cinquenta tiros, instaladas internamente nas asas.
    O AT-802U usa duas .50 cal GAU-19/A three-barrel Gatling guns – 2,900 rounds, usa em pods nas asas com a munição dentro da asa.
    De forma nenhuma o AT-802 agrícula pode ser comparado com um Ipanema, o Ipanema EMB-202 usa motor seis cilindros de 300 hp e leva 750 kg de pesticida, o AT-802 tem motor PT6 de 1300 shp e leva 3.000 litros de pesticida.
    . https://encrypted-tbn2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcSTXCOPkrEj7rAHtvoKLB-la73I3Dv9se7iJoc7e62xm1vpRo297OR46tkc

  11. Um minúsculo avião agrícola, armado. Se a USAF for tão séria quanto se diz, isso nem sequer sequer será seriamente considerado

  12. Walfrido Strobel 2 de agosto de 2017 at 1:36
    Walfrido, meu Stol 701 tbm tinha teto em policarbonato, posso participar da concorrência. rsrs

  13. As piadas nos cometários são muito boas, mas sabe que o conceito parece interessante! Eu gostaria de saber quanto custa cada um, deve ser bem mais barato que um ST
    .

  14. Rafael Oliveira 1 de agosto de 2017 at 22:22
    Ivo, esse avião e similares foram encomendados e são utilizados no Oriente Médio.
    Rafael, eu não duvido das capacidades desse avião, mas em uma lavoura fazendo seu trabalho a que foi projetado. agora fazer esse pobre burro de carga ir para briga com concorrentes cujo projeto foi pensado no conflito aí é outra coisa. ainda mais com essa área alar projetada para dar sustentação em baixa velocidade, fico pensando no desespero do piloto assim que concluir sua passagem sobre o alvo e sabendo da sua limitação para sair o mais rápido que pode do local.
    ele é imponente se visto como um pulverizador, mas é risível se pensar em uma aeronave de ataque.

  15. Ivo, tem que saber usar o avião naquilo que ele é capaz de fazer.
    O teto de serviço dele é de 25 mil pés, que é muito acima do que podem chegar os mísseis anti-aéreos de baixa atitude comuns existentes em países pobres e nas mãos de terroristas islâmicos.
    Só voar alto, soltar suas bombas e voltar lentamente para sua base que os riscos serão limitados.
    .
    É óbvio que um Super-tucano é melhor do que ele para função CAS (exceto quanto à capacidade de carga) e ainda pode caçar aviões de baixo desempenho, o que o Air Tractor não faz. Mas é mais caro. Como eu disse, no caso dos EUA é quase impossível que vença, mas outros países compram e podem comprar ainda mais. O Walfrido mostrou que esse mercado, ainda que pequeno, está em expansão mundo afora.
    .
    Vale lembrar que há uns 15 anos nenhuma pessoa imaginaria que a USAF faria testes para comprar um turbo-hélice de ataque e as piadinhas rolavam soltas com nosso Super-Tucano, que seria um avião da época da 2ª Guerra. Acho que as pessoas que faziam essas piadinhas agora estão com um sorriso amarelo e o pessoal da Embraer está rindo de verdade com as vendas realizadas e as possíveis vendas futuras.

  16. Vai que os alemães se empolgam e entram na concorrência também? Afinal de contas, a possível proposta deles já foi comprovada em combate, mas apenas em ambientes com espaço aéreo permissivo…
    .
    http://www.airwar.ru/image/idop/bww2/ju87g/ju87g-3.jpg
    .
    Piadas à parte, essa versão do Air Tractor tem mesmo que ser levada à sério. É produto da casa e o custo deve ser baixíssimo. É uma filosofia diferente da dos outros concorrentes.

  17. Ivanmc o ST não atirou pra derrubar. Só atirou pra forçar o pouso.
    Quanto ao Air Tractor na USAF, a vantagem é que se não der certo, eles podem usar pra pulverizar as plantações de soja do Tio Sam! heheheh

  18. Ivanmc 2 de agosto de 2017 at 9:37
    O objetivo não é e nunca foi derrubar o avião, o objetivo normalmente é alcançado, qual seja: de fazer o avião não identificado pousar.
    Os tiros são de advertência, e em último caso, para atingir partes do avião que não comprometam sua capacidade de voar, mas que o forcem a pousar.
    É só isso.
    Para derrubar um avião desses, basta uma rajada seca de uns 2 ou 3 segundos, se fosse para derrubar, a munição seria incendiária.
    Se não me engano, a munição usada para atingir o avião nem traçante é, justamente para evitar que vire uma bola de fogo.

  19. Ivanmc, por favor!
    Não vamos começar a falar em o que os pilotos da FAB podem fazer nesses casos, visto que é mais que sabido o que eles podem fazer e o que não podem. No vídeo parece ser a aplicação do tiro de detenção e não aparece o desenrolar do fato. E quanto ao tiro de detenção já houveram casos em que o aparelho dos traficantes teve que fazer pouso forçado por força dos tiros de .50 que recebeu.
    Mas não vou me alongar nisso porque é off-topic.

  20. Antonio de Sampaio 2 de agosto de 2017 at 10:41.
    .
    Ok, tranquilo.
    .
    Porém, em matéria de defesa tem que matar baratas com lança chamas. Com traficantes não pode-se negociar. Mas, isso é para outra história.
    Sds.

  21. Este aparelho faria muito sucesso em um cenário “Mad Max I”, sua fonte de inspiração. Para o OA-X ele não tem competitividade, vai apenas fazer figuração.

    Porém pode ser um sucesso de vendas para países do Terceiro Mundo, em especial se o fabricante não tiver muitos escrúpulos de pagar propinas a vontade.

  22. Só mais uma piadinha: ao invés de de ‘Longsword’ esse avião tinha que chamar é ‘Longplow’ ! ;P
    Ou qq outro nome ligado a suas origens no campo (‘Sickle’, ‘Rake’, etc)!
    Só falta o piloto pegar um pouco de terra e esfregar nas mãos antes de cada surtida (quem viu o filme ‘Gladiador’ entendeu a referência! 😉 )
    Abraços!

  23. Ei já penso que esse avião deve ser muito adequado ao ataque ao solo contra inimigo não convencional, ou seja, guerrilheiros, terroristas, pequenos grupos armados entrincheirados em uma cidade ou região.

    A velha história de não usar canhão para matar barata, o que talvez explique seu uso em forças aéreas de países de têm histórico de problemas dessa natureza.

    Um treco desses pode muito bem ser efetivo e barato na luta, por exemplo, contra um ISIS…

  24. As duas vantagens que os concorrentes do A-29 tem são, serem norte-americanos e mais cabides para transportar armas. O resto o A-29 leva.

  25. Um offtopic do que descobri quando vi o avião de ataque baseado no Thrush 510G da Lasa.
    Vejam que interessante este pod de vigilancia desenvolvido pela empresa LASA da Bulgária, ele pode ser instalado em qualquer avião com pod no sistema ocidental ou russo, não necessita de fonte elétrica por ter bateria interna nem conexão a cabo de dados por ter comunicação wireless com a estação portátil dentro do avião.
    Instalar uma camera tipo Flir era um desafio em uma aeronave, necessitando de instalação física, alimentação e conecção de cabos de dados, hoje basta ter um pod de qualquer padrão.
    . http://lasaeng.eu/products-tr_pod

  26. é muito divertido ver a turma se divertindo com piadas….mas a vida real não é feita de piadas…teve gente especializada na produção do bicho, e com a comprovação de vendas reais… e já testado em combate para quem não sabe…
    .
    Velocidade? Lento, mas igual ou maior a um heli…..
    .
    Carga de combate de 4 ton….
    .
    tempo de missão de 6 horas….
    .
    o curioso mesmo será observar o tipo de pontuação que ele fará juntamente com os demais concorrentes.

  27. As bombas sao cenograficas. ele joga é gas sarin e agente laranja em cima do inimigo…..mata o inimigo, o amigo, o aedes, e a equipe de solo quando retorna da missao….

  28. Leandro Costa 2 de agosto de 2017 at 10:49
    Acredito que exista uma certa quantidade de munição traçante, justamente para que o piloto abordado possa ver os disparos ao lado da aeronave, essa munição traçante é a inicial da fita…
    Já li que a munição disparada no avião é comum, não traçante para não incendiar.
    Então presumo que por exemplo, uns 30, 40 ou no máximo 50 cartuchos iniciais por cada arma sejam as traçantes, e o resto é de munição M1.
    Munição traçante incendeia com facilidade, e aviões já foram atingidos por munição .50 de Super Tucano sem incendiar, então, acho que faz parte da fita que é abastecida por munição comum.
    Essa é a solução.

  29. Não tem o DNA de aviação de caça dos concorrentes: assentos ejetáveis 0-0, trem de pouso retrátil, velocidade, etc.

  30. Está a maior confusão desde jan/2017 a venda de 12 AT-802L via FMS para o Kenya por mais de 400 milhões de dólares, alguns congressistas dizem que deve estar superfaturado, outros que testaram o Iomax AT-802U no oriente médio e agora estão comprando o AT-802L que não é da IOMAX que agora usa outro avião, o Thrush. A L3 está com a esperança de fechar o negócio, alguns congressistas dizem que o melhor é começar o processo de novo com uma disputa mais clara entre o Iomax Archangel/Thrush e o AT-802L da L3/Air Tractor.
    Mas o interessante é que os EUA realmente ja estão vendendo o AT-802L via FMS.
    Quem quiser ver os vários capitulos desta novela consultem AT-802L Kenya no Google.
    . https://www.shephardmedia.com/news/defence-notes/kenya-close-longsword-contract/

  31. É barato e serve para ataque ao solo e contra insurgência. As questões a serem levantadas são:
    A) tem agilidade e velocidade para se defender contra manpads?
    b) Tem capacidades bélicas marginais como, por exemplo, para se contrapor a Helis e UAVs?
    E principalmente se questões assim serão levadas em conta neste certame.

  32. Claro que lembra o Ipanema de cara, são da mesma origem.
    Não deve ser levado muito a sério para os EUA, mas com certeza o preço disso ali vai ser bem chamativo nos países miseráveis que não podem se dar ao luxo de adquirir super tucanos e assemelhados.
    Quantos desses ali se compra com o valor de um único ST?

  33. Ivanmc 2 de agosto de 2017 at 22:55
    Não, não quero regular nada! Só que o que tu escreveu uma grande bobagem. Mostra desinformação (vai ler a lei 9614/98) e com o que tu escreveu na resposta a mim, mostra que, além de desinformado sobre legislação, baseia teus comentários em um vídeo no youtube que nào mostra nem o início e nem o fim da interceptação. E, antes que eu me esqueça, usando da mesma moeda: VTNC!!!!

  34. Ivanmc,

    Quem não gosta de ser contrariado deve evitar de participar destes blogs, em especial se tem o hábito de repetir qualquer informação, esquecendo o contexto.

    Repito que para os EUA ou qualquer Força Aérea que se preze esta “solução” é uma anátema. Aparelhos de pulverização são feitos para voar lentamente sob grande cargas. Velocidade baixa (350 km/h) significa demora em chegar ao alvo e enorme vulnerabilidade ao fogo AA, ainda mais por conta da grande envergadura.

  35. Estão rindo dele. Mas para AAA talvez seja o melhor no páreo.
    Pode fazer passagem a velocidade baixíssima, dando muito mais precisão ao disparo de misseis e bombas ar-solo.
    Tem uma carga alar invejável.
    E tem uma blindagem que lhe rendem o apelido de “tanquinho”.

  36. Para a questão do ataque contra guerrilheiros com metralhadoras e canhoes AA e mísseis de curto alcance eciste a bomba guiada, um exemplo de país que não se atualizou em relação a possibilidade de defesa dos guerrilheiros foi o Sri Lanka que comprou os Pucara e foi atacar os Tamil Tiger usando a velha forma de mergulhos com rasante e perdeu de cara dois Pucara atacados por Iglas e .50 que não esperavam encontrar nas mãos dos guerrilheiros, tambem foi uma falha de “inteligencia”, deveriam saber o que possuiam os guerrilheiros.
    Depois da perda de mais uma aeronave um Mi-24 resolveram mudar a tática e usar os Mig-23 e Kfir para atacar as posições lançando quantidade maior de bombas em altitude maior, fora do alcance dos guerrilheiros.
    Hoje se sabe que até um traficante de morro com dinheiro na mão pode ter acesso a um Igla ou Stinger.

  37. Mas existe a questão da adaptação ao trem de pouso convencional, quando eu voava Blanik no Clube de Voo a vela da AFA um Ten. piloto do rebocador disse que teve dificuldades no início para se adaptar ao Embraer Ipanema.
    Eu senti isso depois quando tinha umas 70 horas de T-23 triciclo e fui voar Paulistinha e Aero Boero no aeroclube de Pernambuco, é bem mais difícil operar com um trem de pouso convencional no início, ainda mais se tiver vento de través.
    Por isso a Air Tractor está vendendo um modelo para instrução biplace side-by-side, que é usado nos EUA para formar pilotos agrícolas e é oferecido para os compradores do AT-802U/L, no pacote aprovado dos 12 AT-802L do Quênia estão incuidos dois destes aviões para readaptação dos pilotos.
    . https://airtractor.com/pt-br/aircraft/at-504/

  38. Os AT-802F FireBoss na versão com trem de pouso fixo convencional são bem conhecidos no Brasil, são utilizados pelos Bombeiros Militares do DF e Mato Grosso, duas unidades para cada um.
    Ainda existe a versão anfíbia, em uma operação real de um incêndio florestal perto de uma represa o AT-802F anfíbio mostrou que com o seu reabastecimento rápido em uma corrida de 400 metros na água em cerca de 12 a 15 segundos conseguiu lançar mais agua que o C-130 com MAFFS, lançou fez 15 sortidas de 3000 litros em uma hora totalizando 45.000 litros, o C-130 precidaria fazer 4 sortidas de 11.000 litros para igualar, mas com o tempo necessário ao tráfego, pouso, taxi, abastecimento com mangueiras, taxi decolagem etc não conseque superar, na operação das duas aeronaves em pista é claro que um MAFFS ganha.
    O Rio de Janeiro ja teve um AT-802F com trem de pouso convencional, mas foi marcado por tragédias, em 2006 o piloto em um portões abertos nos Afonsos resolveu copiar a chuvinha que os americanos fazem nos shows mas selecionou a soltura rápida, despejando 1100 litros de agua em poucos segundos sobre a plateia jogando crianças com violencia contra uma grade, morreu uma menina de nove anos e outra de 7 anos teve ferimentos graves. Em 2010 este mesmo avião caiu em Rezende após a decolagem explodindo e matando o piloto.
    . http://www.gazetadopovo.com.br/vida-publica/aviao-dos-bombeiros-causa-acidente-e-mata-menina-de-9-anos-a8cg9v91l5r9lnhd2zmw4ds26

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here