Home Forças Aéreas IAI Kfir da Fuerza Aérea Colombiana

IAI Kfir da Fuerza Aérea Colombiana

7159
67
Kfir da FAC no Red Flag em 2012 – Foto: USAF

No final dos anos 80, o governo colombiano comprou 12 caças Kfir C.2 e um Kfir TC.2 de segunda mão operados pela Força Aérea de Israel (IAF), que foram recebidos entre abril de 1989 e 1990. Os aviões foram modernizados para o padrão C.7, proporcionando-lhes a capacidade de reabastecimento e melhores sistemas aviônicos e armas, complementados pela compra de um Boeing 707 cisterna em novembro de 1991. As aeronaves Kfir são subordinadas ao Comando Aéreo de Combate Nº1 (CACOM 1) e foram utilizadas em missões de ataque durante as operações de contra-insurgência contra os guerrilheiros colombianos das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), embora atualmente eles não sejam mais freqüentemente usados ​​em tais operações.

Em fevereiro de 2008, o ministro da Defesa da Colômbia, Juan Manuel Santos viajou para Israel para fechar o contrato de aquisição de 13 aeronaves Kfir adicionais e a repotenciação de 11 existentes. No final de 2009 e início de 2010 foi feita a entrega destas aeronaves, mais de metade dos quais estão no padrão modernizado Kfir C.10 com os sistemas eletrônicos modernos que permitem o uso de mísseis BVR, bombas de precisão guiadas por GPS e mísseis ar-ar “all-aspect”. Em 2012, a aeronave Kfir da FAC participaram do exercício internacional Red Flag nos EUA. Atualmente a Colômbia dispõe de 20 caças deste tipo, pois infelizmente acidentes ocorreram com algumas aeronaves. O IAI Kfir colombiano tem no seu armamento mísseis Rafael Python 5 e Derby, bem como a bomba Spice 1000.

Em novembro de 2013, o governo da Colômbia informou que dois bombardeiros Tupolev Tu-160 violaram seu espaço aéreo por alguns minutos em uma viagem para a Nicarágua a partir de Venezuela. Nesta ocasião os bombardeiros foram interceptados por aviões Kfir da Força Aérea Colombiana. Este evento ocorreu em um momento de tensões diplomáticas entre a Colômbia e Nicarágua, e as relações com a Venezuela também não eram os melhores. Em 2016 as aeronave Kfir da FAC estavam passando por manutenção e revisões nos seus motores (General Electric J79), uma vez que continuarão a ser uma parte importante da defesa do país até que um novo caça seja adquirido para complementá-los e, eventualmente, substituí-los.

FONTE: Fuerza Aérea Colombiana via Facebook, Wikipedia

67
Deixe um comentário

avatar
67 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
32 Comment authors
RuanFábio MayerJeffCaçador CometaEduardo Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Alex Nogueira
Visitante
Alex Nogueira

Python IV e V são os mísseis IR com visual mais arrasador, imagino para o inimigo só de visualizar alguns desses nos cabides já deve fazer pensar 2x.

Leônidas Pereira
Membro
Leônidas Pereira

Complicado é o inimigo chegar perto o suficiente pra vê-los ainda nos cabides.

Paulo Jorge
Visitante
Paulo Jorge

Esse avião é uma prova viva que comprar armas francesas para fugir de eventual embargo de Washington é roubada. Sabotaram Israel lá nos anos 60 e Argentina na década de 80.
Bom mesmo é comprar e ter total Know how da aeronave. O resto é proselitismo.

Sds

Marcelo
Visitante
Marcelo

Argentina bem que podia ter pego o lote de Block 60 ofertado.

Antonio de Sampaio
Visitante
Antonio de Sampaio

A Colômbia tem este avião de caça e só, seu maior problema hoje é que não existe um programa FX em curso.
Este avião este no limite de sua vida útil, além do que, existem em pouquíssimas unidades, tão pouco dispõe de um avião AEW&C, o que torna sua situação ainda mais crítica.
Não há notícias de que o atual governo esteja disposto a embarcar num financiamento de um U$ 3 ou 4 bilhões de dólares em busca de caças novos.
Estão caminhando para o que é a Argentina nos dias de hoje.

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Se a Argentina não consegue pagar 10 milhões de primeira parcela de um negócio mais barato, imagina encarar Kfirs.
.
São belos aviões, mas gostaria de ver a FAC voando Gripen.

Emmanuel
Visitante
Emmanuel

Eu até reclamava da situação da FAB mas quando vejo nossos vizinhos…
Fico imaginando como a Venezuela está mantendo os seus Sukhoi.
Fora o Chile, não vejo vida fácil para ninguém. Talvez seja por isso que governante nenhum está muito preocupado com defesa no cone Sul.

Abraço a todos.

MARCELO SOUSA BASTOS
Visitante
MARCELO SOUSA BASTOS

Para o contexto Geopolítico da America do Sul esta bom demais …

horatio nelson
Visitante
horatio nelson

o caça pode ter 80 anos, armado com python+derby dá uma surra em qualquer J da vida ou SU da vida

André Luiz.'.
Visitante
André Luiz.'.

Alexandre Galante 28 de julho de 2017 at 13:22
Melhor em quê, Galante? (não é contestação a sua afirmativa!, é curiosidade mesmo!)

Paulo Jorge
Visitante
Paulo Jorge

É verdade que o Kfir colombiano já abateu um Flanker venezuelano ou foi retórica?
Li algo a respeito há algum tempo atrás…

Adriano Luchiari
Visitante
Adriano Luchiari

Um bom vetor, um bom radar ou apoio de AEW&C, bons mísseis, disponibilidade e domínio dessa tecnologia. Essa é a receita para uma boa aviação de caça, independente de qual seja a idade ou procedência das aeronaves.

Gustavo
Visitante
Gustavo

Realmente, o Kfir é melhor que nossos F-5, a não ser pelo RCS que é maior que nossos Mike. Mas entre as forças aéreas, a unica vantagem que a FAB leva é na quantidade, pois a Colômbia tem poucos Kfir e talvez menos ainda em condições de voo.

Emmanuel
Visitante
Emmanuel

Gustavo, eu iria mais longe. A FAB tem o E-99, o que dá uma vantagem muito grande para a nossa força aérea.
Podemos vê-los primeiro. E isso muda o jogo para o nosso lado.
Mesmo sendo uma força com quase 40 anos, sou mais nossos F-5 + E-99 do que os Kfirs deles.
Abraço.

Paulo Jorge
Visitante
Paulo Jorge

Individualmente o Kfir é de outra categoria, já que deriva do Mirage 3 com motores e aviônica mais modernos.
O F-5 brasileiro pode levar alguma vantagem na maior quantidade e no apoio de AEW.
1:1 não tem comparação. O Kfir vence com folga.

Walfrido Strobel
Visitante

A prioridade da Colômbia ainda é a guerrilha, não tem nenhuma pressa para comprar caças.

Antonio de Sampaio
Visitante
Antonio de Sampaio

Até onde sei, eles possuem 12 Kfir, isso não dão nem pra saída.
Contra o Su-30 de Maduro não tem a menor chance, e sem um meio AEWC como dispõe a FAB em apoio aos F5M, também tem pouquíssimas chances, com um radar que controla o espaço aéreo num raio de pelo menos uns 400 Km, o que vão fazer?
Tudo somado, sua aviação de caça mesmo para os padrões do sub continente, é apenas testemunhal.
E nem quero lembrar sua pior desgraça, eles se quer tem um programa FX em andamento.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Hoje há 24 células disponíveis para conversão ao B 60 e uma infinidade de peças de toda ordem para reposição, inclusive motores em enorme quantidade.
Motores GE kfir J 79 MAINTENANCE
http://www.iai.co.il/17457-en/bedek_enginesdivision.aspx

Antonio de Sampaio
Visitante
Antonio de Sampaio

Teoricamente, os Mirage argentinos eram muito superiores aos Sea Harrier ingleses. Voavam ao dobro da velocidade, o que em tese deixaria sem chances os oponentes, além de em maior altitude. Em termos de capacidades, segundo a turma dos wilpedistas simplistas, o Sea Harrier poderia até ser considerado “inferior” até mesmo ao AMX, já que algumas de suas características, são mesmo mais modestas que as do AMX. Mas na prática, o que eles fizeram contra os poucos aviões britânicos durante a guerra das Malvinas?? Cuidado rapaz… uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa… Dizer que só perderam porque… Read more »

Peter
Visitante
Peter

Não sei se perceberam, mas nada mais se ouve nem se fala dos caças venezuelanos…..sumiram do mapa….decerto não deve estar havendo nenhuma manutenção e devem estar recolhidos….duvido estarem a postos para qualquer tipo de reação…

Corsario137
Visitante
Corsario137

Eu sou suspeito, sou fã do Kfir.
Se eu fosse uma força aérea do terceiro mundo já teria arrematado esse ultimo lote dos israelenses há tempos!
Um caça de ataque com DNA de interceptador. Armados com P5, Derby e Spices…
Não fui a favor deles na FAB justamente por serem bons demais, ia acabar sendo um tampão eterno que atrapalharia o FX2.
A Argentina ta comendo uma bola gigante deixando eles passar.

Tamandaré
Visitante
Tamandaré

Melhor que o Kfir só se Israel tivesse feito todo esse “upgrade vitaminado” num Mirage F.1

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Fui censurado por colocar vídeos sobre o tema ? Kkkk valeu AI 5

Moita
Visitante
Moita

Paulo Jorge 28 de julho de 2017 at 14:24 Tecnicamente, é boato. Começou na crise da fronteira entre a Venezuela e a Colômbia em 2015. Oficialmente o governo venezuelano acusou o colombiano de cooperar com gangues que roubam/desviar comida e itens básicos para vender na Colômbia, mas é possível que a crise tenha sido motivada mesmo por uma operação dos colombianos contra o Cartel de los Soles, un grupo de traficantes infiltrado nas forças armadas venezuelanas, que teve uma intensidade de prisões no fim de 2015, inclusive com prisão de vários militares venezuelanos. Durante a crise a Venezuela moveu tropas… Read more »

WSMDAL
Visitante
WSMDAL

Os Mirage 2000C da FAB nunca tiveram vida fácil contra os F-5M.

Os F-5E dos agressors (USAF e USN) sempre fizeram oponentes mais poderosos passar sufoco.

Os Soviéticos testaram o F-5E (ex-Vietnam) contra o Mig-21BIS e Mig-23 em DACT e passaram sufoco.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares
Antonio de Sampaio
Visitante
Antonio de Sampaio

WSMDAL 28 de julho de 2017 at 22:09 Já publiquei isso aqui, e iria publicar novamente, mas você o fez. O F-15 não é páreo no mano a mano contra o F-5E do Esquadrão Agressor, é claro, que se o combate for levado para o campo moderno estilo BVR, o F5E terá problemas, mas no mano a mano dentro do campo visual, o F-15 não vence o manobrável F-5E, tem que ser dois pra um, ou perde. E os MIG-21 nunca foram páreos contra os F5E que os soviéticos se apoderaram no Vietnã, sempre perdiam, mesmo trocando de pilotos entre… Read more »

Flanker
Visitante
Flanker

Os F-5M possuem aviônica bastante semelhante aos Kfir colombianos. OF-5 possui uma relação potência/peso um pouco pior do que o Kfir, mesmo sendo o caça da Northrop mais leve que o israelense. Missões dissimilares entre os F-5 e Mirage III da FAB eram muitas vezes vencidas pelos F-5, que se nostra mais ágil em dogfight, sendo que a configuração em delta é prejudicial em curvas de pequeno raio e tendem a levar a perda de energia pelo grande arrasto. Já em altitudes elevadas e em uma arena maior, a vantagem tende para o delta. Lembrem-se que o delta da Dassault… Read more »

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Sobre as Falklands também é muito importante mencionar o tempo curtíssimo que os Mirage/Dagger argentinos tinham disponível sobre as ilhas devido à falta de combustível, o que muitas vezes os impedia de usarem sua maior velocidade para combaterem as aeronaves inglesas.
.
Sobre o resto dos debates, eu realmente gostaria de participar, mas infelizmente eu não me recordo aonde guardei meus baralhos de Super Trunfo.

Glasquis 7
Visitante

Até onde sei, a Colômbia tem prioridades no seu aspecto militar, muito mais relevantes (nestes momentos) do que a renovação da sua força de caças. Embora tenham sondado, faz pouco tempo, os F 16 MLU do Chile, as ameaças que a Colômbia tenta combater na atualidade são assimétricas. Mesmo assim, continuam tendo uma força racional e mais ou menos bem dimensionada às suasnecesidades. Lembremos que atualmente a Venezuela não ameaça a ninguém que não seja o próprio povo.

WSMDAL
Visitante
WSMDAL

Os Sea Herrier tinham um histórico muito positivo de DACT contra Lightning, F-15, F-14, F-5, F-106, F-4.
Eram mais monobraveis e tinham taxa de subida bem superior aos Mirage.

bruno
Visitante
bruno

os Colombians fizeram uma otima escolha ao longo prazo jaais terao problemas com o tio Jacob e tem tambem a opcao de obter boa technologia por um prezo relativamente barato se a Colombia quizer podem panhar os f 16s e f15s que acho que ja deram baixa na forca misseis BVR nos kafirs o tio Jacob e pavoro kkkkkkkkkkkkkk

Delfim Sobreira
Visitante
Delfim Sobreira

Kafirs são vetores gen, 2++, mesmo bem pilotados suas células são antigas e foram bem usadas. A sorte é que os bolivarianos são mal treinados.

Antonio de Sampaio
Visitante
Antonio de Sampaio

Glasquis 7 29 de julho de 2017 at 5:07 Concordo totalmente com o seu comentário. Não vejo o Brasil alvo de algum tipo de ameaça, assim como a Colômbia, vejo que nossas ameaças são também assimétricas, e diria até, totalmente parecidas com as ameaças assimétricas que a Colômbia padece. Neste caso, assim como os Kfir dão e sobram para a Colômbia, também não vejo necessário a compra destes modernos caças Gripen para FAB, a um custo de U$ 5,4 bilhões de dólares, loucura! na falta de inimigos, nossos F5M dão e sobram para enfrentar nossas ameaças, que não temos, me… Read more »

Gallina
Visitante
Gallina

Antonio de Sampaio 29 de julho de 2017 at 0:31 Não faça isso. Se não sabe, não afirme. Afirmar que o F-5 é mais manobrável que o F-15, foi uma das piores coisas que já li aqui. Tem matéria aqui mesmo do Poder Aéreo mostrando a evolução do conceito de manobrabilidade. Em suma, taxa de giro (sustentada ou instantânea), aceleração e razão de subida são os principais parâmetros aceitos para aferir a capacidade de manobra na arena WVR. E nisso um F-5, um avião sub motorizado e que com um míssil sob as asas manobra tão bem quanto um A380,… Read more »

Antonio de Sampaio
Visitante
Antonio de Sampaio

Gallina 29 de julho de 2017 at 12:42
Então você deve ter razão, e quem está errado, é o pessoal do Esquadrão Agressor, que até compara o preço de um F5 e de dois F-15, que são necessários para enfrentá-lo num ar ar dentro do alcance dos canhões.
Quem também deve estar errado, e você certo, são os soviéticos, que pilotaram os F5E do Vietnã, e mesmo usando o MIG-21, um de seus caças mais manobráveis, que era temido pelos pilotos da USAF, não conseguia pegá-lo num doguinho.
Enfim, estamos aqui para aprender.

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

A única coisa em que o F-5E se aproxima do F-15C é a taxa de curva instantânea, com uma diferença de menos de 1 grau por segundo. Em todo o resto, a vantagem do Eagle é muito maior. . Em um combate simulado, o piloto de F-15 neófito muitas vezes passa a vergonha de perder para o Tiger, mas é para isso que eles vão para lá, para aprender. A partir do momento que o piloto do Eagle aprende a usar as vantagens do F-15 sobre o F-5E, ao mesmo tempo negando ao Tiger usar seu único ponto forte, adeus.… Read more »

WSMDAL
Visitante
WSMDAL

Obviamente que o F-15 está em outra liga.
O que eh importante ressaltar eh que o F-5E bem pilotado dá trabalho. Equipado com HMD e mísseis IR all aspect eh adversário indigesto.
Quem quiser saber mais como foram os testes dos Soviéticos com o F-5E:
Livro: America’s Secret MiG Squadron: The Red Eagles of Project CONSTANT PEG
https://www.amazon.com/Americas-Secret-MiG-Squadron-CONSTANT/dp/1849089760/ref=pd_bxgy_14_img_2?_encoding=UTF8&pd_rd_i=1849089760&pd_rd_r=660D7CSED7KRJGQRSVXF&pd_rd_w=BhTes&pd_rd_wg=B2hMt&psc=1&refRID=660D7CSED7KRJGQRSVXF

Antonio de Sampaio
Visitante
Antonio de Sampaio

Clésio Luiz 29 de julho de 2017 at 13:10

No Iraque, os pilotos de F-15 enfrentaram o muito mais formidável MiG-29 e ganharam.
____________-
Pô véio, os pilotos iraquianos nem sabiam que os F-15 estavam por ali, eram detectados pelos radares dos Awacs, o F-15 era acionado, e apenas lançava seu míssil de longo alcance e ia embora, quem se encarregava de guiar o míssil até o Mig iraquiano era o próprio radar do Awacs, quando não um satélite.
Essa comparação não existe.

Gustavo
Visitante
Gustavo

F-15 menos manobrável que F-5? Cara, que criatividade! O F-5 perde sua energia rapidinho, não tem potencia para sustentar um combate com F-15 nem nos primeiros 20 segundos…

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Antonio, você está jogando Super Trunfo com as cartas macetadas. Não generalize as informações e nem muito menos as distorça. Principalmente cheque essa informação sobre o AWACS guiando mísseis por exemplo. E outra coisa, o MiG-21 poderia ser temido pela USAF… principalmente pelos pilotos de F-105, por motivos óbvios, mas não era temido pela USN, e utilizavam praticamente a mesma aeronave. Também não sei se você sabe, mas os canhões do F-5 não tem lá uma fama muito boa quando disparado durante manobras de alto G. Parece que emperra com facilidade, ao passo que o M61 fica sempre numa boa.… Read more »

Antonio de Sampaio
Visitante
Antonio de Sampaio

Leandro Costa 29 de julho de 2017 at 15:07 Essa do F5 dar couro no F15 no cara a cara, é dito pelos próprios norte americanos, da escola Top Gun, não posso fazer nada, documentário feito por eles mesmos. Sobre o F15 abatendo um Mig 29 no Iraque, também foi dito por um piloto de F-15, ele mesmo que abateu o Mig29, todo o tempo, a missão foi conduzida pelo AWACS, é provável que o piloto de Mig nem soubesse da presença dele no local. O MIG29 decolou e um satélite já o plotou na decolagem, sabiam até o modelo… Read more »

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Então acho melhor você prestar mais atenção no que assiste. Por exemplo, a NFWS, atual STFI, também conhecida como TOPGUN, é um programa da Marinha Americana que ** NUNCA ** utilizou o F-15. Na Guerra do Golfo, esse papo de AWACS guiar mísseis via datalink (que é o que eu suponho que esteja querendo dizer), estava ainda engatinhando, se é que já existia algo além de um conceito disso. O acompanhamento feito por AWACS é algo corriqueiro, que praticamente existe em toda e qualquer operação aérea envolvendo aeronaves americanas desde a Guerra do Vietnã, quando o conceito de AWACS começou… Read more »

Gallina
Visitante
Gallina

Antonio de Sampaio 29 de julho de 2017 at 12:52 Eu não deveria, mas vou te levar na boa, partindo do pressuposto de que age de boa fé, e não seja apenas mais um i.m.b.e.c.i.l dando risada através de um teclado das asneiras que posta. Seja humilde, pergunte. Mesmo alguém que não foi militar, como eu, as vezes pode lhe ajudar. Sem prepotência, e com o tempo, irá formando uma noção bem clara de conceitos corretos. Os parâmetros de desempenho do F-5 talvez sejam os mais conhecidos do mundo ocidental. Há documentos na internet mesmo, em pdf, com toda a… Read more »

WSMDAL
Visitante
WSMDAL

A Colombia está planejando sim substituir os Kfir. Provavelmente será uma escolha entre o F-16 e o Gripen.

WSMDAL
Visitante
WSMDAL

O piloto é um fator muitas vezes relevado a segundo plano pelos entusiastas:

T-38 x F-22:

http://gizmodo.uol.com.br/rei-dos-avioes-f-22-e-derrubado-por-humilde-aviao-de-treinamento-t-38/

WSMDAL
Visitante
WSMDAL

Texto interessante… LAST EDITED ON 06-Feb-01 AT 05:30 AM (GMT) I think your right about BVR. To include;According to guys I knew in the then 527AS (Aggressor Squadron) in Alconbury. When newbie F-15 guys went up against F-5 (flown by guys that really knew how to push the F-5) in non-BVR situations. The F-5 won most of the time. (I have a print from a gun camera frame {the F-5 being one of the last in USAF inventory to use 16mm gun film) showing an Eagle within gun range. After these Aggressor guys showed them how to beat an F-5… Read more »

Gallina
Visitante
Gallina

WSMDAL 29 de julho de 2017 at 16:38
Há uma série de fatores envolvidos e nada é tão linear assim. Treinamento e tática são fundamentais sim.
Agora, eu posso colocar um Onix para disputar e vencer uma corrida contra uma BMW Z5 (um carro citado esses dias), se eu limitar esse último a andar apenas em primeira marcha…
Abraços