Home Noticiário Internacional Áustria: hora de voo do Eurofighter é de 80 mil euros

Áustria: hora de voo do Eurofighter é de 80 mil euros

5594
90

Segundo matéria publicada na imprensa local, o ministro austríaco da Defesa Hans Peter Doskozil está à procura de uma alternativa mais barata para o Eurofighter.

O principal motivo é o custo da hora de voo: 80 mil euros.

Os estudos da Áustria determinaram que o monitoramento do espaço aéreo pode ser realizado por apenas um sistema no futuro — esta tarefa é atualmente compartilhada pelo Eurofighter e o Saab 105. Os possíveis sucessores são:

  • Leonardo M-346: provavelmente a solução mais barata; o jato italiano também pode ser armado, e sua hora de voo é de apenas 10 a 15 mil euros. Mas ele não pode voar em velocidade supersônica;
  • Gripen: a última variante não é muito barata, mas as versões usadas ou antigas poderiam ser encomendadas.
  • F-16 Fighting Falcon: o mesmo acontece com o jato dos EUA da Lockheed, dos quais mais de 4.570 unidades já foram vendidas.
Subscribe
Notify of
guest
90 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
3 anos atrás

Roberto, que eu saiba a Áustria nunca teve F-5. Você deve estar se referindo aos SAAB Drakens!!!

mas será que está certo esta conta? Imprensa desinformada sobre assuntos de defesa tem em todo lugar.

Mais caro que a hora de voo do B-2!!!!!

Emmanuel
Emmanuel
3 anos atrás

De novo essa novela?
Compra logo o NG que tem a hora/voo mais barata e tá resolvido.

Abraço.

Emmanuel
Emmanuel
3 anos atrás

Ops…confundi com os suíços

Abraços.

Ivanmc
Ivanmc
3 anos atrás

Hora de voo a 80 mil euros, é muito. Será que vale a pena?

Tadeu 54
3 anos atrás

Acho que estes valores estão muito exagerados !

Ivanmc
Ivanmc
3 anos atrás

Das alternativas o F-16 seria interessante, mas com o NG saindo do embrionamento acredito que poderá ser este uma alternativa coerente. Acredito que comprar as verções anteriores do Gripen é só para esperar o novo Next Generation. Com isso, o NG é novo e se entregar o que promete será uma boa compra, estou benevolente. . Já peço desculpas, aos nobres autores do Poder Aéreo, não sei se é condizente anexar essa matéria ao meu comentário, obrigado. . ***Trecho do Aero Magazine: Hora voo do Gripen NG.*** “…o Gripen NG deverá ter um custo operacional inferior aos US$ 10 mil,… Read more »

Paulo Jorge
Paulo Jorge
3 anos atrás

Qualidade tem preço. O caça que chegou mais perto do equilíbrio custo x benefício foi o F-16. Todos os demais aviões ocidentais ou tem performance limitado pra custar pouco ou cobra uma barbaridade pelo desempenho.
Austeridade e defesa nem sempre caminham juntos.
A Áustria pode até adotar outros vetores mais em conta, porem saberá que em termos de dissuasão e desempenho, eles estarão bastante aquém do EF2000.

Paulo Jorge
Paulo Jorge
3 anos atrás

Ivanmc,

Não sou tão otimista quanto a SAAB sobre a hora voo da variante E. Melhor aguardar o primeiro esquadrão operacional, já que todos os fabricantes costumam demonstrar bastante otimismo para vender o produto.

Fábio Mayer
Fábio Mayer
3 anos atrás

Em custo de hora/vôo o F-16 (ainda) á imbatível, entre as aeronaves ocidentais. E o Gripen NG até tem uma proposta boa nesse sentido, o problema é saber quantos deles serão produzidos, quantos serão operados. Quanto mais aeronaves em uso pelo mundo afora, menor o custo operacional. Não é à toa que operadores de F-5 insistem em continuar com ele…

GeneralSofá
3 anos atrás

80 mil euros =0

Ivanmc
Ivanmc
3 anos atrás

Paulo Jorge 6 de julho de 2017 at 11:39
.
Pois é, Paulo Jorge. Mas por 80 mil euros hora voo, eu até prefiro o NG. Até pela logística Áustria Suécia ajudaria na sua fabricação em maior escala, logo poderia impulsionar os negócios aqui para nós na FAB, um pouquinho de bairrismo lógico. Ademais, a qualidade do Viper é indiscutível, sem dúvida. Contudo, qualquer um será mais interessante, Gripen ou F-16, financeiramente em relação ao Eurofighter.
Sds.

Tico
3 anos atrás

M-346: 10 a 15 mil euros a hora, gente isso aí é verdade? Se sim seria mais caro a hora vôo desse treinador que se alguns caças, entre eles o F-16 e gripen C/D, e está escrito como sendo euros, nossa…

Ferreras
Ferreras
3 anos atrás

A Europa caminha a passos largos para o total despreparo para um conflito real. A estrutura de custos deles é insustentável.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
3 anos atrás

Anos atrás, a Áustria abriu uma concorrência para comprar aeronaves. A Saab ofereceu o Gripen novo de fábrica, o consórcio Eurofighter ofereceu um lote de Typhoons excedentes do Tranche 1, que estavam “boiando” e não poderia receber modernizações para chegar ao Tranche 2 e 3, ou seja, era uma bomba e queriam se livrar dele. . O preço era de pai para filho, semelhante ou até mais baixo do que os suecos pediam no Gripen. Os austríacos ficaram com a impressão de que os suecos estavam tentado tirar vantagem deles, por terem sido operadores de Draken (“a vitória é certa”)… Read more »

Tico
3 anos atrás

Vendo esses valores aí dá pra entender bem porque o Vader era tão contra a compra dos Rafales pelo Brasil, imagina se ocorresse algo similar com a FAB ? E olha que eu torcia muito pelo Rafale.

ivo
ivo
3 anos atrás

eu não acredito nessa matéria,..ainda mais depois de dizer que o custo do treinador M-346 e de 10 a 15 mil euros.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
3 anos atrás

Paulo Jorge, levando-se em conta que o Typhoon operado pela Áustria é o Tranche 1, não compactuo com sua opinião de que o F-16, nas últimas versões, assim como Gripen E/F estariam aquém do desempenho daquele.
A menos que esteja se referindo aos LIFTs como o M-346 em vez dos caças F-16 e Gripen. Ai concordo que estão muito aquém do Typhoon austríaco.
.
No mais, trata-se de mais um produto da, ou com participação da, Airbus que se mostra caríssimo tanto para comprar, mas principalmente para operar. E cujo desempenho não é essa maravilha.

Paulo Jorge
Paulo Jorge
3 anos atrás

Rafael,

A matéria reporta F-16 e Gripens usados. São versões MLU e a “C”, respectivamente.
A performance é inferior sim.

Sds

Antonio de Samapio
Antonio de Samapio
3 anos atrás

Clésio Luiz 6 de julho de 2017 at 12:14 O Super Hornet era mais caro que o Gripen. O FX-2 era um conjunto de vários itens e requisitos que os caças deveriam atender, creio que talvez os requisitos tivessem pesos específicos diferentes, dependendo da importância dada pela FAB. Segundo a FAB, os três caças cumpriram todas as missões estabelecidas. Certamente o “custo de hora de voo” deve ter tido uma razoável importância no processo de escolha. No final das contas, o Gripen com certeza foi o melhor caça para a FAB e para o Brasil. Mas a gente tem que… Read more »

Ederson Joner
3 anos atrás

Poderiam ir de Gripens E, seria bom inclusive para o Brasil… 80.000 é dureza para qualquer força aérea!

Alex Nogueira
Alex Nogueira
3 anos atrás

Se realmente for tudo isso a hora de voo do Typhoon e do M-346 sem chance de vermos qualquer um dos dois aqui por essas bandas (me refiro aos nosso vizinhos)… espero que o Gripen não passe dos U$10.000, que na atual cotação já seria bem caro, o que pode comprometer em muito o treinamento, também espero que venha algum simulador(s) para ajudar. *Alguém arrisca dizer o por que da hora de voo ser tão cara? Combustível? Peças? especialização da mão de obra dos mecânicos? Obrigado.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
3 anos atrás

Paulo Jorge,
Não li a matéria da mídia austríaca. Neste resumo aqui do site consta que poderiam ser compradas as versões atuais caras ou as versões antigas, baratas.
Mesmo as antigas do Gripen e do F-16 tem vantagens e desvantagens em relação ao tranche 1, pois esta versão é apenas para defesa aérea. Ou seja, deve ser superior nesse quesito, mas perde fragorosamente nos demais.

Gallina
Gallina
3 anos atrás

Em primeiro lugar, deve ser ressaltado que há vários critérios para se aferir o valor da hora vôo. Certamente, para se chegar nesse montante de 80.000 euros, foi utilizado um critério “cheio”, mais realista, onde todos os parâmetros são levados em consideração. E, por esse critério, a versão ARMADA do M346 chegaria a algo entre 10.000 e 15.000 euros. Em segundo lugar, gostaria de saber no que um Gripen ou F-16 seria inferior a um Typhoon, além daquilo que já sabemos, que tem um valor de operação bem inferior… O que se tem dito é que os caças de quarta… Read more »

Walfrido Strobel
3 anos atrás

Isto é um típico caso de Ministro da Defesa falando besteira, ele quer a todo custo se livrar do Eurofighter depois das denuncias de corrupção e agora vem com esta troca prematura. Seria como se no futuro se comprovasse que houve corrupção na compra dos nossos Gripen e resolvessem trocar com 10 anos de uso. Eles estão precisando trocar o SAAB 105 da instrução de Caça e por isso entrou o M-346 ou M345 como alternativa, ambos tem versão de ataque que poderia complementar o Eurofighter tranche 1. Mesmo que um F-16 ou Gripen tenham uma hora de voo mais… Read more »

Juarez
Juarez
3 anos atrás

Das alternativas o F-16 seria interessante, mas com o NG saindo do embrionamento acredito que poderá ser este uma alternativa coerente. Acredito que comprar as verções anteriores do Gripen é só para esperar o novo Next Generation. Com isso, o NG é novo e se entregar o que promete será uma boa compra, estou benevolente. . Já peço desculpas, aos nobres autores do Poder Aéreo, não sei se é condizente anexar essa matéria ao meu comentário, obrigado. . ***Trecho do Aero Magazine: Hora voo do Gripen NG.*** “…o Gripen NG deverá ter um custo operacional inferior aos US$ 10 mil,… Read more »

Gallina
Gallina
3 anos atrás

Sobre o radar AESA, vou deixar aqui uma pergunta ao Cel Rinaldo Nery, ou a quem tenha conhecimento técnico real sobre a questão: é dito que o radar AESA é um divisor de águas para o caça, pois dobrou o alcance prático de detecção em relação ao radar mecânico. Para se ter idéia, o poderoso APG-63 teria alcance máximo contra um alvo de RCS de 5 m2, de 68 nm, sendo o alcance normal menor, na ordem de 55 nm. Hoje, se fala que caças pequenos teriam radares AESA com alcance de 90-100 nm, com caças pesados na faixa das… Read more »

Jeff
Jeff
3 anos atrás

O Roberto Santana tem razão, a Áustria fez um leasing de F-5 da Suíça em 2005, como tampão, até eles receberem os Typhoons.

Jeff
Jeff
3 anos atrás

E o F-5 nem é tão feio assim, sendo dos anos 70. A nossa pintura da FAB é que não ajuda em nada, a foto postada pelo Roberto não mente.
.
comment image

Jeff
Jeff
3 anos atrás

Qual é o valor da hora de vôo “cheia” do Rafale e do F-16, pra gente poder comparar com esses 80 mil euros? Alguém tem essa info?

Paulo Jorge
Paulo Jorge
3 anos atrás

Só pra deixar claro, eu gosto do Gripen e acho o vetor sueco ideal para operar numa Força Aérea que prioriza gasto com pessoal a despesas com equipamento. Não é proselitismo e sim a realidade fria dos números.
Não sei o caso da Áustria, mas acho inútil eles possuirem no inventário aviões com capacidade multirole, já que o propósito deles é defesa aérea apenas.

Sds

Juarez
Juarez
3 anos atrás

Antonio Sampaio escreveu:

“Certamente o “custo de hora de voo” deve ter tido uma razoável importância no processo de escolha”

Pois é, eu fico me perguntado qual a entidade espiritual que baixou na Copac e revelou o custo de hora voada de uma anv que até então fazia parte do CAD dos engenheiros da SAAB, muito interessante isto, ou temos mais um caso de abdução alienígena.

G abraço

Juarez
Juarez
3 anos atrás

Antonio Sampaio escreveu:

No final das contas, o Gripen com certeza foi o melhor caça para a FAB e para o Brasil.

Mais uma firmação tácita trazida talvez por alienígenas capazes de viajar ao futuro ou pelo J Fox com De Lorean.
Como é que ele “foi”, se ele ainda não é????

G abraço

Juarez
Juarez
3 anos atrás

Antonio Sampaio escreveu: “Vire e mexe aparece um aqui para meter o malho no Gripen. É provável que se o Brasil tivesse comprando e já operando 36 caças F-35, estariam no mesma lenga-lenga, mas por motivos diferentes, e quem sabe, mesmo que por vias erradas, até tivessem razão.” Tchê, o F 35, infelizmente não ficou no short list, mas se, e tão somente se, a Copac tivesse mantido sua decisão original e não tivesse sido “conduzida” pela ORCRIM, e se alguns elementos da comissão, bem como o alto comando não tivessem sido abduzidos por uma entidade interplanetária que faz cosquinha… Read more »

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
3 anos atrás

Juarez, concordo que não dá para saber qual será o custo real da hora de voo do Gripen E/F.
Mas dá para ter uma boa ideia, não?
O que deve consumir mais combustível: um GE F414, dois GE F414 ou dois Snecma M-88?
O que deve ser mais caro manutenir: um GE F414, dois GE F414 ou dois Snecma M-88?
Um avião não é só motor, mas isso pesa nos números finais.

Antonio de Samapio
Antonio de Samapio
3 anos atrás

Juarez 6 de julho de 2017 at 15:18
Sinto por você, talvez se você tivesse alguma mísera capacidade, estaria fazendo algo melhor, fazer parte do Copac por exemplo, ou quem sabe ao menos conduzindo a tropa pro rancho cantando: “Se eu morrer numa trincheira, é porque marquei bobeira”, mas não, limita-se a estar por aqui, destilando seu já conhecido hate.

Walfrido Strobel
3 anos atrás

Tico, não se impressione com o custo de uma hora de voo divulgado, cada operador usa uma forma de o calcular. É como se três proprietários do mesmo modelo de carro discutissem o custo do km rodado: O primeiro revela um valor muito baixo usando o gasto de gasolina como referencia. O segundo acha um valor maior usando o gasto em gasolina, oleo e custos das revisões com peças trocadas no seu calculo. O terceiro diz um valor alto, pois incluiu também o valor pago pelo carro dividido pelos km que pretende rodar no seu calculo. E todos estão certos,… Read more »

Juarez
Juarez
3 anos atrás

Olá Rafael, tudo bem?? Sabe Rafael, eu li varias vezes que o custo de hora voada do GripenC/D era de US$ 4.000, li também que Papai Noel viria junto com o trenó, as renas e os presentes.Rafael, o custo de hora voada do Mike hoje é o dobro disto para tu teres uma ideia. Realmente o custo de combustível responde por algo em torno de 30 a 35% da hora de voo e tem peso nesta conta, mas tem uma negócio chamado ESCALA DE PRODUÇÃO que costuma ser matador., explico: O consumo específico de combustível do Snecma do M 2000… Read more »

Paulo Jorge
Paulo Jorge
3 anos atrás

O tranche 1 austríaco me lembra os nossos Mirage 2000 “entubados” que estavam em situação similar e ficaram pouco tempo na ativa por aqui.

Paulo Jorge
Paulo Jorge
3 anos atrás

Juarez,

É por esse raciocínio que o F-16 continua sendo um best-seller para diversas forças com restrições orçamentárias. Um paiseco como o Chile banca 50 Falcons, então teu raciocínio faz todo o sentido.

Sds

Antonio de Samapio
Antonio de Samapio
3 anos atrás

Será que esse cara esqueceu que existem milhares de motores de Gripen fabricados e usados no mundo todo?
Teu problema é outro, já te falei, se não estás contente com a carreira que abraçou, acha que ganha pouco e é inimigo do relógio, faz como aquela tenente aviadora que apareceu no JN pilotando AMX, passou num concurso público para ganhar mais que um brigadeiro: Vai papirar.
Mas tem que papirar um bocado, só o rami rami do se aprende nas escolas militares não dá nem pra saída.

zorannGCC
zorannGCC
3 anos atrás

Olá Jeff! . Recentemente, a cerca de 2 anos, um relatorio na Assembleia Legislativa da França questionava os custos de operação do Rafale. Infelizmente, não encontro mais o link, (acho que apagaram a postagem lá na Assembléia Legislativa deles, porque impactava negativamente nas vendas), mas as informações eram as seguintes: a disponibilidade do Rafale era a segunda menor dentre todas as aeronaves da Armée de l’air, perdendo somente para a frota antiga de C-130. A disponibilidade alcançada em 2015 foi recorde e foi de apenas 36%, com uma frota co média de 5 anos de uso. Os Mirage, em todas… Read more »

Ederson Joner
3 anos atrás

Juarez 6 de julho de 2017 at 15:02 “Pois é, eu fico me perguntado qual a entidade espiritual que baixou na Copac e revelou o custo de hora voada de uma anv que até então fazia parte do CAD dos engenheiros da SAAB, muito interessante isto, ou temos mais um caso de abdução alienígena.”. Mesmo sendo ainda um “desenho de CAD” na época, ele muito se assemelha ao atual Gripen, sendo que seu motor será uma evolução (Como no SH), (você sabe disso!). Desta forma, como são conhecidos os custos do Gripen atual, e o novo motor já é altamente… Read more »

Juarez
Juarez
3 anos atrás

Strobel, lê de nov que tu escreveu, porque, por favor, tu é do meio tchê.
Existem dois custos, o Fly way e o custo total de operação e manutenção, somente. O custo apresentado aí é o segundo. São metodologias usadas por forças aérea ocidentais padrão.

G abraço

Antonio de Samapio
Antonio de Samapio
3 anos atrás

Ederson Joner 6 de julho de 2017 at 15:58 É isso mesmo, sua analogia está correta, e não precisa ser Stephen Hawking para perceber isto, o NG é uma evolução do C/D, seus custos são similares, com um motor amplamente fabricado, aos milhares, e conhecido, e ao que tudo indica, o Gripen foi concebido para ser um avião simples de operar, fácil, e portanto barato de manter. Me parece que esta seja uma filosofia da SAAB, quem nem ao menos dá este simples benefício em busca deste dedução razoavelmente lógica, apenas age de má fé mesmo, não se trata de… Read more »

Juarez
Juarez
3 anos atrás

Ederson Joner 6 de julho de 2017 at 15:58 Juarez 6 de julho de 2017 at 15:02 “Pois é, eu fico me perguntado qual a entidade espiritual que baixou na Copac e revelou o custo de hora voada de uma anv que até então fazia parte do CAD dos engenheiros da SAAB, muito interessante isto, ou temos mais um caso de abdução alienígena.”. Mesmo sendo ainda um “desenho de CAD” na época, ele muito se assemelha ao atual Gripen, sendo que seu motor será uma evolução (Como no SH), (você sabe disso!). Sim é verdade. Desta forma, como são conhecidos… Read more »

Juarez
Juarez
3 anos atrás

Antonio de Samapio 6 de julho de 2017 at 15:55 Será que esse cara esqueceu que existem milhares de motores de Gripen fabricados e usados no mundo todo? Não, não existem milhares de motores de Gripen fabricados no mundo. Existem sim motores GE F 404,o RM 12 que é uma customização deste, só existem os que hoje fazem parte do acervo dos operadores da anv que são não me engano são uns trezentos. Teu problema é outro, já te falei, se não estás contente com a carreira que abraçou, acha que ganha pouco e é inimigo do relógio, faz como… Read more »

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
3 anos atrás

Tudo bem, Juarez e você? Também mudo de nome se o custo total da hora de vôo do Gripen, seja A, B, C. D, E ou F, for de US$ 4 mil. Acho que você concorda que não dá para comparar a SAAB com a Dassault. A SAAB usa muitas peças disponíveis no mercado em vez de projetar e fabricar essas peças para o Gripen. Não dá para fazer isso com todas as peças, mas já ajuda bastante a cair o custo de manutenção. Não duvido que parte das peças do SH seja mais barata que do Gripen. Mas será… Read more »

Ederson Joner
3 anos atrás

Juarez 6 de julho de 2017 at 16:18 “Como é que tu afirma tacitamente que é “quase a metade” se o prototipo recém voou,e até agora não tivemos nenhum fedback disto???” Meu nobre, as aspas que eu coloquei “quase a metade”, indicam justamente que não tem nada de “tacitamente” nisso, eu comparo um SH com dois motores, isso é tão grosseiro como fazer comparações de automóveis. No final das contas, o Gripen não mudará muito, (sei que parece loucura minha), mas vamos deixar para quando ele tiver milhares de horas de voo, ok. Aí poderemos comparar com dados reais. Por… Read more »

Antonio de Samapio
Antonio de Samapio
3 anos atrás

Motor General Electric F414G.
Main applications Boeing F/A-18E / F Super Hornet
Saab Gripen NG
HAL Tejas Mk 2
Só para os Super Hornet, já ultrapassa em muito a casa do milão.
Se tens lições a dar, fico com pena de quem esteja disposto a te ouvir.

Bardini
Bardini
3 anos atrás

Segundo a “Dilmadona”, que foi quem assinou a papelada…
Rafale: Dava de comprar/ Não dava de dar manutenção/ ToT maomenos.
Super Hornet: Dava de comprar/ Dava de dar manutenção/ ToT uma bela porcaria.
Gripen: Dava de comprar/ Dava de dar manutenção/ ToT do que a FAB queria.