Home Indústria de defesa Taiwan liberado para comprar 56 JSOW e 50 AGM-88B

Taiwan liberado para comprar 56 JSOW e 50 AGM-88B

2800
10
F-16 lançando AGM-154

A Agência de Cooperação de Segurança e Defesa dos EUA (DSCA) notificou o Congresso de que a administração Trump liberou a venda de 56 mísseis AGM-154C JSOW e 50 mísseis anti-radiação AGM-88B para Taiwan.

O pacote JSOW custará a Taiwan US$ 185,5 milhões e os AGM-88B vão custar de US$ 147,5 milhões.

A China já protestou contra esta possível venda de armas, pois considera Taiwan uma província rebelde.

10
Deixe um comentário

avatar
10 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
5 Comment authors
BoscoPaulo CesarJorge FerreiraNonatoPaulo Jorge Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Paulo Jorge
Visitante
Paulo Jorge

Estão certos. Na adianta gastar bilhões em aeronaves ultramodernas para lançar Mk82 e congêneres.

Bosco
Visitante
Bosco

AGM-88B??? Nem sabia que ainda estava sendo fabricada. Já tão na versão E.

Nonato
Visitante
Nonato

Essas bombas terão pouca utilidade. Taiwan não vai atacar a China. Se ocorrer ataque da China, certamente tentarão destruir os aviões e pistas de pouso. Provavelmente lançariam mísseis de cruzeiro. Só depois de liberado o ambiente é que levariam aviões, navios e desembarcariam tropas. Mas pode ser que não haja alguma invasão pré meditada, mas apenas algum confronto… Aí essas bombas poderiam ser úteis… Soltar contra navios? O que acha Bosco? Você entende muito de características de armas. Mas poderia também tratar aqui de estratégias militares. Sinto falta disso na trilogia. Só se fala em equipamentos específicos sem se discutir… Read more »

Nonato
Visitante
Nonato

Acho que Taiwan precisa muito é de mísseis antiaéreos, antinavio, antimísseis, inclusive contra mísseis balísticos.

Bosco
Visitante
Bosco

Nonato, Não é fácil para a China invadir Taiwan por 2 motivos: 1- não tem como fazê-lo sem muitas baixas por parte dos habitantes da ilha e isso não é desejado; 2- a proteção dada pelos EUA. Se as ilhas forem atacadas haveria uma feroz resistência e isso iria causar baixas que acho os próprios chineses não estão dispostos a bancar. Os chineses podem destruir a ilha com “certa” tranquilidade, mas não podem recuperá-las assim tão fácil. Em mesmo a superioridade chinesa pode ser bem comprometida tendo em vista que ela não conseguiria concentrar toda a sua força para a… Read more »

Nonato
Visitante
Nonato

Valeu, Bosco.
Só não entendi porque seria mais complexo do que esses outros casos.
A Coreia do norte não é tão fraca e poderia atacar Seul.
O Irã também não é tão fraco.

Bosco
Visitante
Bosco

Nonato,
No caso de Taiwan o que a China quer é a anexação e daí o imenso poder de fogo da China teria que ser empregado com parcimônia. Já no caso do Irã e da CN o que se pretende é um ataque “punitivo” onde se tem objetivos específicos (o programa nuclear e de mísseis) que podem ser alcançados (ou não) em poucos dias de operações.

Jorge Ferreira
Visitante
Jorge Ferreira

Politica contra A2AD em andamento… É bom os chineses abrirem os olhos e continuarem fazendo o dever de casa.

Paulo Cesar
Visitante
Paulo Cesar

a FAB usa algo semelhante a isso, ou ira usar futuramente no Gripen?

Bosco
Visitante
Bosco

Paulo, O Brasil fabrica (ou fabricava) um míssil antirradar, o MAR-1, que é da mesma categoria do AGM-88B. Não faço a mínima ideia se a FAB adquiriu esse míssil para os AMX. Penso que não!! Quanto à JSOW também a FAB não tem nada parecido. A única arma ar-sup guiada que a FAB tem (ou tinha) eram bombas guiadas a laser de “queda livre” Lizard, semelhantes à Paveway americana. Há algum tempo foi noticiado que a FAB teria adquirido (acredite quem quiser) para o Gripen E (que ainda nem se sabe ao certo quando estará pronto e acabado) bombas planadoras… Read more »