Home Aviação de Caça Caças chineses J-10B treinam para o torneio militar Aviadarts 2017

Caças chineses J-10B treinam para o torneio militar Aviadarts 2017

4720
47

A China divulgou fotos dos novos caças J-10B que estão se preparando para a próxima fase da competição militar Aviadarts 2017, que terá lugar de 29 de julho a 12 de agosto deste ano com as participações da China, Azerbaijão, Bielorrússia, Cazaquistão e a Rússia.

A nova versão do J-10 é facilmente identificável pela nova entrada de ar DSI (diverterless supersonic intake), pelo IRST (infra-red search and track) no nariz, estabilizador vertical modificado, aletas ventrais e nariz modificado para um radar AESA. O primeiro voo do protótipo ocorreu em dezembro de 2009.

SAIBA MAIS:

47 COMMENTS

  1. O J-10 é espetacular! Um caça bem equilibrado, moderno, sem megalomanias ou delírios, tem qualidade, centenas de unidades construídas, é um projeto novo e está mostrando para que veio, sucesso total. As imagens ficaram excelentes!!

  2. Sem dúvida é um grande caça, mesmo eu achando que essas fotos não favoreceram bela nave!!! E essa probe de reabastecimento, podia ser retrátil…

  3. O J-10 é um projeto que começou em 2002 e já foram construídos cerca de 400 caças, impressionante a tecnologia e desenvolvimento dos chineses. Em contra partida, tem um cacinha cujo projeto se arrasta desde 1987 e que tem um pouco mais da metade disso, tá louco.

  4. Existem suspeitas de que o radar AESA do J-10 é uma cópia autorizada do ELTA 2052. Este caça é parte israelense em corpo e alma. Os chineses parecem estar fazendo um excelente trabalho, o caça parece ser muito bom além de ser lindo!

  5. Ivanmc 27 de junho de 2017 at 21:35
    .
    Baita comparação… Não sei qual sua fonte, mas não bate com a minha, que diz que o desenvolvimento do J-10 começou em 1988, com primeiro voo em 1996, em 1999 eles tinham 6 protótipos, no final dos 2000 eram 9 protótipos e em 2002 sendo entregue o primeiro da linha de produção.
    .
    Acho que se compararmos com o Gripen, existe uma pequena diferença… Bem “pequena”…
    .
    Em 1982 o contrato para desenvolvimento, e enquanto o J-10 entrava em produção, os suecos começavam a entregar as aeronaves do “Batch 3” do Gripen.
    .
    Em 2009 os Chineses já apareceram com um J-10B, mais nacionalizado e se fala ainda que vão pular para um tal de J-10C, que talvez seja algo próximo do que o Gripen E/F será.

  6. Interessante que os chineses herdaram o modo russo de construir capacetes para os seus pilotos, com a máscara de oxigênio caída e encostado no queixo. Como fica feio isso…

  7. Essa, digamos, forma de emprego ou ataque nos remete ao Xavante… parece coisa da década de 70, mas tá valendo mesmo assim.
    Quer dizer que é isso então?? um caça super moderno que “emprega” foguetes burros em voo picado?
    Me ajuda aí..ô….
    Convenhamos que uma sonda retrátil seria pedir demais, não?

  8. Ivanmc…
    Daqui a quatro anos o NG brincará de fazer o J-10 de alvo..
    Melhor ler um pouco mais sobre o que é o Gripen E.

    Abraço.

  9. Emmanuel 27 de junho de 2017 at 22:05.
    .
    Faço votos para que tenhamos ao menos um NG operacional em quatro anos. Quanto ao J-10 ser alvo de NG, será difícil, não pode-se subestimar a tecnologia chinesa atualmente. Mas, cada um com a sua opinião, ok.

  10. Construíram um caça para suas defesas e agora estarão prontos para exportá-los. Impressionante. Pelo menos valorizam e investem em tecnologia(cópia ou não) Aqui ainda estamos engatinhando. Não temos uma defesa aérea ou naval para nos garantir alguma segurança externa ou dissuadir qualquer investida. Gostaria que tivéssemos pelo menos dois esquadrões para a minha querida FAB e uma versão naval(dois esquadrões) para MB. até a chegada dos Gripens. Temos de aprender e muito. Parabéns Israel e China.

  11. Talvez seja feio, talvez não seja tudo aquilo, mas foi um degrau no desenvolvimento de jatos e caças da China, quem sabe mais uns 2 ou 3 projetos como esse e eles cheguem no patamar de Rússia, França, EUA. E assim, de degrau em degrau eles vão ultrapassando muita gente grande. Né? Nem solta mais tanta pecinha assim.

  12. Cada comentário que a gente lê sobre o Gripen, tentando detratá-lo, que tem horas que eu penso estar no site do Naval em alguma matéria sobre naufrágio de um corsário carregado de “pérolas”.
    Típico de quando a ideologia predomina sobre o senso analítico.
    Sds.

  13. Algum tempo atrás li um comentário que dizia mais ou menos o seguinte: “os caças russo são excelentes!! para os russos”.
    Basicamente se referia as dificuldades de manutenção e logísticas que outros operadores pelo mundo tem ao operar material russo.
    Salvo melhor juízo, o mesmo tipo de comparação pode ser feito em relação ao J-10, mesmo que seja um bom avião, as dificuldades logísticas para manter um avião chinês, no ocidente, tendem a ser muito grandes.
    A comparação do J-10 com o Gripen, foi muito bem feita pelo Bardini.

  14. Poxa não dava para ter feito o tubo de reabastecimento aéreo retrátil não? Estragou o desenho da aeronave que no mais é muito bonita. Não que isso seja tão importante né?

  15. Jad.Bal.Ja, é provável que o projeto original não previa reabastecimento aéreo. Na época que se iniciou o projeto, acho que a China nem tinha reabastecedores. Se não me engano, isso mudou depois da chegada dos Flankers.
    .
    Então essa sonda provavelmente foi acrescentada bem no fim do projeto.

  16. Kkkkkkkk
    .
    O ufanismo beira a irracionalidade! Rsrsrsrs
    .
    O J-10B, por mais “atrasado tecnologicamente” que seja (segundo os “ispertos”), existe e está operacional. E cara, um caça, do porte do J-10, operando com radar AESA, IRST, etc, etc, etc…. é um senhor avião, quisera a FAB tivesse algo que equiparasse a ele.
    .
    E não sou eu quem afirma, mas a própria FAB, pois segundo seu cronograma, só em 2021 é que o Gripen E FABiano (aquele com WAD e que só em 2019 voará), será declarado operacional.
    .
    Repito, o que o J-10B é HOJE, o que o Gripen E deverá ser no futuro (pelo menos é o que se espera). O resto não passa de vontade, desejo, delírio. É coisa de gente esnobe, que come sardinha enlatada, achando que arrota caviar.
    .
    Até mais!!!

  17. Rússia e China têm algumas coisas em comum:
    i) Não têm aliados. No máximo uns caras com interesses pontuais em comum;
    ii) Em qualquer conflito terão que se virar sozinhos;
    iii) Têm doutrina militar na base do quantidade x qualidade (obs.: o que não significa que não tenham bom material, mas quantidade será sempre a prioridade)
    iv) por serem nações gigantes e continentais, seus objetivos primários são próximos e além mar a única ameaça que eles têm são os EUA;
    v) direitos humanos e sacos pretos nunca foram lá um grande problema para eles, sejam defuntos nacionais ou estrangeiros;
    vi) o que os protege contra grandes ameças (leia-se OTAN e EUA) são seus mísseis nucleares intercontinentais. As armas convencionais são para conflitos regionais e próximos contra inimigos convencionais. Não há cenário de conflito entre nações nucleares em que não se recorrerá a elas. e cenários apocalípticos são de perda total e geral.
    vii) Têm um sem número de vizinhos brigões em suas fronteiras.

    Tudo isto impacta em seus projetos e doutrinas militares.
    i) suas armadas de superfície têm por missão manter linhas de abastecimento ‘próximas ao continente’. Não estão ali para enfrentar armadas a 5.000 km ou 6.000 km.
    ii) a contenção naval está por conta da frota de submarinos e dos bombardeiros navais (estas aeronaves com alcance combinado entre elas e suas armas em mais de 4.000km)
    iii) quem disse que a Rússia e China precisa de caças capazes de derrubar um F22 ou um F35? Como explicado, num conflito entre nações deste tamanho a verdadeira arma de contenção são as nukes. A Rússia e China só precisa de aviões suficientemente capazes de enfrentar nações de médio porte e nações não nucleares.
    iii) Rússia ou China são respectivamente o 1o e 3o maiores países do mundo. Com a diferença que eles têm questões de conflito ou tensão em quase todas as suas fronteiras. Quantidade faz diferença sim porque eles têm de marcar presença para todo canto. Os EUA só tem algum adversário relevante a mais de 4.000km de distância (sem considerar o Alaska)
    iv) estes países não são democracias plenas. Uma democracia plena geralmente traz uma ligeira estabilidade interna que eles não têm.
    v) Há alguns conflitos nacionalistas ainda. China com Taiwan e Rússia com algumas de suas repúblicas e ex-repúblicas. Isto gera uma tenção permanente e local que requer meios e recursos militares.
    vi) “gente” lá é algo “barato”. Russo e chinês em caixão não dá a repercussão que um gringo morto dá para suas populações. Um general russo não precisa blindar seus soldados o tanto que um americano precisa. Um chinês não pede perdão por uma bomba que cai na casa errada. Isto muda tremendamente todo o contexto situacional de um comandante.
    vii) Todos os conflitos atuais são pelas mesmas causas dos últimos 70 anos: não é território, mas por zonas de influência (diga-se onde posso colocar minhas marionetes). E o fato é que o planeta está pedindo arrego. Água, combustível e diversos outros recursos básicos estão cada vez mais escassos. têm-se que ir cada vez mais longe buscá-los.
    viii) Eu não tiraria onda com os chineses. Os americanos não tiram. Seus projetos são cópia descarada? são. Mas em projetos deste nível de tecnologia copiar é só para quem já é fera. E o fato deles conseguirem fazer sua versão de praticamente qualquer tecnologia mostra que em não mais que 15 anos estarão fazendo coisas surpreendentes.

  18. este textão foi para conceituar o seguinte: os chinas sabem o que estão fazendo. este avião provavelmente é inferior ao gripen NG. mas tem um detalhe: os chinas podem produzi-lo à vontade sem depender de ninguém. e numa guerra no fim das contas quantidade sempre conta.

  19. Acho que qualquer um que afirme que o J-10B é hoje o que o Gripen E deverá ser no futuro, também se enquadra na categoria da vontade, desejo, delírio. Tem menos informações reais sobre as capacidades do J-10A/B/C do que do F-35. Sabe-se muito pouco sobre os equipamentos chineses, seus motores, aviônicos, manutenção, etc. Podem ser excelentes, até, mas sabe-se na verdade muito pouco e ficar com aquela comparação estilo Super Trunfo não leva ninguém à lugar algum.
    .
    Quando usa a expressão “quisera a FAB tivesse algo que se equiparasse a ele.” confirma totalmente o que eu disse acima. A FAB não diz que o J-10B é equiparado ao Gripen. Na verdade a FAB nem ao menos menciona o J-10, e acho que jamais mencionou. Você está apenas dizendo que o J-10 está operacional e que o Gripen não está. Ué, não sei qual a novidade nisso. Que todos aqui gostariam que o Gripen estivesse operacional, acho que não é nenhum mistério, certo?
    .
    Mas fazendo um exercício mental aqui, caso o J-10 fosse adotado ao invés do Gripen, o que teria acontecido? Integração de aviônica ocidental para facilitar compatibilidade com os sistemas da FAB, integração de componentes locais, um pacote de compensação industrial com transferência de tecnologia, etc.? Qual seria o custo adicional disso? Não sei mesmo. Os Chineses já investem muito por essas bandas, mas em áreas civis. Eu vou pesquisar, mas desconheço cooperação tecnológica em área militar com ToT. E isso sabendo que seria um bom negócio para eles.
    .
    Em suma, é muita variável desconhecida…

  20. Kkkkkkkk
    .
    Leandro, desculpe, não entendi o que tu colocaste! Quem escreveu que a FAB comentou algo sobre o J-10B?! Quem comentou que seria melhor este ou aquele?! Se você se ligou, apenas, na expressão “quisera”, ela remete ao querer de que a FAB tivesse um caça com as capacidades do J-10B, não quer dizer que eu queira este caça na FAB, apesar de achar que não seria uma opção ruim (com certeza é bem melhor do que os F-5M e AMX cegueta). Ah tá, não foi eu quem fez uma comparação by Super Trunfo de algo que existe, com algo que ainda irá existir (operacionalmente falando). Sugiro rever o que eu escrevi e o que os outros, inclusive você, escreveu.
    .
    No mais, repito, o que o J-10B é hoje, um caça operacional, equipado com modernos sistemas embarcados, é o que o Gripen E deverá ser no futuro. Ou seja, um caça operacional com modernos sistemas embarcados. Até lá, é só um projeto e ponto. Você concordando ou não. O que existe de Gripen operacional são só os C/D, nem mais os Gripens A e B estão operacionais.
    .
    Repito, o resto é delírio de gente que adora fazer comparações Super Trunfo. Aliás, esse papinho eu paro por aqui.

  21. Imaginei outro dia essa máquina com um motor francês e aviônica israelense , mais um radar italiano ou sueco. Armamento ocidental.

  22. Não se tem muita informação das capacidades dos aviões chineses MAS esta tendência de achar que tudo que vem da China é automaticamente inferior ao equipamento ocidental é extremamente equivocado, não se aplica aos chineses o antigo conceito dos equipamentos soviéticos de que são inferiores mas produzidos em quantidade. A China produz quase todos (ou a maior parte) dos bens industriais/comerciais consumidos no ocidente a duas décadas. A tecnologia militar chinesa se beneficia claramente da sua posição de maior produtor comercial do planeta. NUNCA os russos puderam se beneficiar desta simbiose industrial.
    Em mesmo fontes russas já há informações que a não ser as conhecidas limitações das turbinas aeronáuticas as cópias chinesas dos projetos russos SUPERAM os originais em vários subsistemas e na fabricação e montagem das aeronaves.

    É apenas uma questão de TEMPO pois dinheiro e pessoal os Chineses tem sobrando….

    Quanto a ciência se os fanboys tivessem um pouquinho de conhecimento saberiam que a China já é o país que mais pesquisa e desenvolve tecnologia no mundo e caso não tenham notado é alarmante o número de artigos de pesquisas americanas e ocidentais anunciadas nos meios de comunicação em que quando você vai ler o pesquisador é na verdade um CHINÊS numa Universidade Ocidental…

  23. Leio e presto muita atencao a tudo e a todos no que escrevem. Disso sempre acrescento algo mais aos meus parcos conhecimentos, mas voce Wellington e pqe nao o tal Gilberto……..cacanba meu, a vida de voces eh sempre ser do contra e escrever o q nao escreveram ou insinuaram. Entender eh uma coisa, mas compreender eh outra bem mais complexa e acho q vcs nao sabem isso. Afirmar q a tecnologia chinesa nessa area esta ou eh superior a tudo o q de melhor tem no ocidente ou mesmo na Russia eh no minimo um acidente AVC. Nesse jogo, nenhuma informacao por mais q seja confiavel a fonte, nao corresponde a realidade sendo somente um jogo de SUPER TRUNFO, ou sera que vcs acreditam em papai noel. Duvido q conhecam a China in loco ou alguma de suas provincias industriais. Por favor, repensem um pouco mais sua afirmacoes e ironias, elas desgastam os neuronios de qualquer um. Os chineses sem sombra de duvidas estarao num patamar muito elevado em centenas de areas do conhecimento e suas aplicacoes, porem ainda a um enorme caminho a percorrer , tempo e paciencia eh algo q eles tem de sobra e sua propria historia ai esta para confirmar. Pena q nem eu ou voces verao essas mudancas nesse nivel pois isso ainda vai levar muito tempo ( c certeza ja chegaram em desenolvimento proprio e tecnologia igual aquelas dos idos 80 , mas tem muito chao a frente) Sds

  24. O tempo passa, o tempo voa e as carapuças recheadas de metonímias continuam numa boa.
    Só juízos de valor. Juízos de realidade nenhum. Isso não é mais desonestidade, é pura imoralidade mesmo. 😉

  25. Duas dúzias de J-10 com aviônica israelense seria uma excelente opção para os argentinos e faria aquele quarteto de EF2000 tranche 1 lá das Falklands tremer nas bases.
    Quanto a comparação com Gripen, acho impertinente. Não há como comparar uma aeronave em desenvolvimento com outra operacional. Se observamos bem, o Gripen E é quase uma aeronave nova, como o SH foi com relação ao F18 Legacy.
    Deixa o F39 dizer a que veio e em que configuração ele virá para a FAB (lembrem do AMX que até hoje não entrega o que prometeu). Aí poderemos comparar.

  26. Se for pelos dados técnicos disponibilizados pela Saab, a performance do “Gripen E” será semelhante a do J-10B. Já sobre os aviônicos com certeza os ocidentais levam vantagem. O motor americano é muito mais confiável e etc… Me arrisco a dizer por intuição que o o Gripen E será melhor, se os dados fornecidos se confirmarem. Mas é impossível comparar sem saber os dados reais de quando o aparelho estiver operacional.

  27. A regra da área não se resume apenas a fuselagem “garrafa de coca-cola”. No F-15 e F-16 há alguns aspectos que são aplicação da tal regra, por exemplo.
    .
    Mas a regra da área ajuda em velocidades transônicas, acima de mach 1.3 (eu acho) ela perde importância.
    .
    O Mirage 2000 foi um dos últimos a ter a tradicional fuselagem de coca-cola.

  28. Pelas fotos dá pra ver que ele tem o corpo um pouco acinturado, não é muito, mas tem.
    Como falaram muito ali em cima, se fosse um motor confiável o jato seria muito melhor, mas nada que em algumas décadas os chinas já não dominem, para os próximos projetos.
    Onde esses caras vão parar?

  29. Quisera termos alguns esquadrões(dois ou três) até a chegada dos Gripens. Quanto à logística e manutenção, acordos e parcerias podem ser feitas. A china , em com qualquer país que possui meios para vender aeronaves(caças) quer manter seus negócios sem prejuízo e poder entrar no mercado competitivo como de armamentos.

  30. Digo o mesmo para ti Celso conheces toda a tecnologia ocidental ou presume ou repete igual a um papagaio fanboy ???

    Como EU disse os aviões chineses tem alguns subsistemas melhores que os originais RUSSOS. E quem disse isso são fontes russas.
    Você não sabe ler ou entende o que quer.

    Boa parte do que o ocidente consome é feito na China, Apples incluídos.

    Com a tecnologia ocidental e metodologia fabril comercial e industrial DISPONÍVEL dentro de suas fronteiras para aplicação nos produtos militares baseados na tecnologia militar russa eles TENDEM a ter um patamar de qualidade ainda mais alto e com a mesma cadência de produção em MASSA (ou maior) que a antiga USSR.

    Lembre-se em produtos militares não existe copyright, nem é possível reclamar aos chineses de usar tecnologia ocidental o que eles tem ACESSO eles simplesmente usam sem pedir licença…

    E eles já começam a ter uma fortíssima P&D nativa e começam a ter suas próprias soluções em termos de equipamento militar.

    E sempre há a pergunta de bilhão de dólares de quantos destes milhares de pesquisadores e professores chineses nas Universidades e centros de pesquisa ocidentais que eventualmente contribuem num fluxo de DUAS vias de direção fornecendo dados e informações para sua pátria mãe ???

    É somente isso que as pessoas que acham que só o que presta é o que é YANKEE custam a entender….

  31. Segundo várias fontes o J-10B ja usa um radar AESA, mas existem controvérsias devido ao fato de terem divulgado em detalhes o radar do J-10A e até hoje não divulgarem nem o modelo deste radar AESA do J-10B.
    Duas publicações especializadas em aeronaves chinesas, a sinodefence e a chinese-military-aviation dizem que:
    .
    J-10A: …is equipped with an indigenous Type 1473 fire-control radar featuring a mechanically slewed planar array antenna, capable of tracking 10 targets and engaging 2 (using semi-active radar-homing AAM) or 4 (using active radar-homing AAM) of them simultaneously.
    .
    J-10B: …..housing a new fire-control radar which is thought to be an X-band PESA developed by the 607 Institute (track 10, engage 4 simultaneously), the first of such type ever being developed for a Chinese fighter aircraft, giving J-10B a stronger multi-target engagement and ECCM capability. It was rumored that initially the aircraft was planned to be fitted with an AESA developed by the 14th Institute but the radar was not ready by the time the aircraft was ready for production.
    .
    J-10C: ….with enhanced 4th generation electronics including an AESA radar, which is finally available, was under development.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here