Home Aviação de Caça Mais informações do primeiro voo do caça Gripen E na coletiva de...

Mais informações do primeiro voo do caça Gripen E na coletiva de imprensa da Saab

4375
9

A Saab realizou hoje uma coletiva de imprensa pela Internet para dar mais informações do primeiro voo do caça Gripen E de nova geração.

Participaram da coletiva o vice-presidente sênior e chefe da Saab Business Area Aeronautics Jonas Hjelm, os pilotos de teste Marcus Wandte e Hans Einerth, e o Chefe da Unidade de Negócios Gripen Jerker Ahlqvist.

Jonas Hjelm destacou que o Gripen E é de fato um novo avião e que por trás da visibilidade do histórico primeiro voo, existe muito trabalho de empregados dedicados, clientes, parceiros, fornecedores e milhares de horas em equipamentos de testes. Ele também agradeceu ao apoio da FMV – Swedish Defence Materiel Administration, pelo apoio prestado ao primeiro voo.

Segundo Hjelm, a fuselagem do Gripen E foi completamente redesenhada, o sistema de aviônica é totalmente novo, no qual a estrutura foi dividida em funcionalidade crítica de voo e funcionalidade tática separadas. Daí vem o conceito de “smart fighter” ou caça inteligente, que significa que o Gripen poderá ser adaptado mais rapidamente no futuro para novas ameaças, sistemas e táticas. No sistema de aviônica anterior, qualquer alteração no software demorava anos e a partir de agora, no novo sistema, será muito mais rápido introduzir modificações e novas capacidades.

Ele ainda reforçou que o primeiro voo significa que o sistema de aviônica totalmente qualificado foi aprovado e que agora estão mais confiantes de que o restante do programa será cumprido no cronograma.

O piloto de testes Marcus Wandt que voou o Gripen E e estava visivelmente entusiasmado, disse que o avião se comportou muito bem desde a partida e que nenhum aviso de problema surgiu, diferentemente do que se espera de protótipos que voam pela primeira vez.

Wandt destacou que pode sentir a maior potência do motor do avião em relação ao Gripen C/D. Após a decolagem, ele subiu com o trem de pouso baixado até certa altitude para testar as características de voo e, em seguida, fez uma aproximação simulada para pouso. Segundo Wandt, o caça se comportou exatamente como no simulador. Na sequência, o piloto subiu novamente e recolheu o trem de pouso, para depois colocar o avião em modo de combate e testar algumas manobras, nas quais também obedeceu perfeitamente aos comandos, superando as expectativas.

Gripen E durante o primeiro voo

Na volta, baixou o trem de pouso e pousou suavemente finalizando o voo aplicando os freios da aeronave, que também funcionaram bem.

Na parte de perguntas de jornalistas que assistiam à coletiva, o piloto de testes Hans Einerth disse que o Gripen E foi acompanhado por dois caças Gripen atuando como “chasing aircraft” para servir de referência de velocidade de pouso ao piloto Wandt, caso o Gripen E sofresse alguma pane nos instrumentos e precisasse voltar à pista.

Einerth, em resposta à outra pergunta, disse também que o próximo voo só ocorrerá depois que todos os dados gravados do primeiro voo forem analisados e isso deve demorar algumas semanas.

Jonas Hjelm, respondendo uma questão sobre o cronograma, afirmou que apesar do anúncio no ano passado do adiamento do primeiro voo, o mesmo ocorreu como prometido no segundo trimestre de 2017. As primeiras entregas aos clientes estão confirmadas para 2019, de acordo com as expectativas.

O piloto Hans Einerth, respondendo a uma questão sobre quais as diferenças entre o Gripen E 39-8 pré-série e as aeronaves de produção de série, disse que o Gripen 39-8 utiliza todos os computadores e aviônica dos aviões de produção, mas não leva todos os sensores. Em seu lugar, o 39-8 leva equipamentos de medição e por isso é mais pesado que os aviões de série.

Jerker Ahlqvist, respondendo a uma pergunta sobre as principais diferenças do Gripen E em relação ao Gripen C/D, disse que o Gripen E tem mais potência, maior capacidade de armas externas, sistema de aviônica completamente novo que facilitará atualizações para novos sensores e armas.

Sobre possíveis futuros clientes além de Brasil e Suécia, Jonas Hjelm mencionou a Finlândia e a Bélgica, mas disse também que o Gripen E se encaixa muito bem nos requisitos de vários outros países.

Hans Einerth, respondendo sobre os pilotos de testes que vão voar o Gripen E, disse que a Saab tem 7 pilotos e que alguns vão voar o avião e que pilotos dos clientes também vão voar.

Jerker Ahlqvist disse que a primeira aeronave de série já está em produção, com a fabricação detalhada de vários componentes e ela deverá voar em 2019.

Encerrando a coletiva, Jonas Hjelm e Jerker Ahlqvist disseram que todos na Saab estão muito felizes e orgulhosos de, depois de muito trabalho dia e noite em computadores, simuladores e equipamentos de teste, fazer parte dessa jornada e desse momento.

Gripen E 39-8 pousando após o voo inaugural
Subscribe
Notify of
guest
9 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Kobáuca
Kobáuca
3 anos atrás

Como é bom ver notícias do gripen, estava me sentindo triste por ter quase nada sendo noticiado, fora algumas matérias esporádicas, nada saia de novo!!! Acho que a partir de agora, vai ter material mais frequente!!! iiiuuuu…kkk

Adriano R.A.
Adriano R.A.
3 anos atrás

Creio que o IRIS é um dos sensores que não foi instalado no protótipo. Ao menos não consegui notar.

Kobáuca
Kobáuca
3 anos atrás

Pelo que eu entendi.. os sensores não foram instalados pra liberar espaço, foram instalados equipamentos de telemetria para os primeiros vôos de testes..

alexandrefontoura2013
alexandrefontoura2013
3 anos atrás

Adriano, acho que você quis dizer IRST, não? IRIS-T é o míssil ar-ar, já encomendado pela FAB para nossos F-39E/F Gripen.

alexandrefontoura2013
alexandrefontoura2013
3 anos atrás

O Gripen E/F será um marco para a FAB!

Adriano R.A.
Adriano R.A.
3 anos atrás

Isso mesmo Alexandre, obrigado!

Daglian
Daglian
3 anos atrás

O que me intrigou foi o fato de, logo no primeiro voo, o trem de pouso ter sido levantado e abaixado durante voo (se não me engano). Não é costume que, neste voo inaugural, o trem de pouso permaneça abaixado o tempo todo? Por que nesse caso foi diferente?

Luciano
Luciano
3 anos atrás

Daglian, por questões de segurança é normal não recolher o trem de pouso no 1º vôo, mas as últimas aeronaves geração E2 da Embraer também recolheram em seus 1ºs vôos. Isso passa uma impressão de que o projeto foi bem feito e que confiam nele, acho é mais uma ferramenta de marketing. Abs.

Daglian
Daglian
3 anos atrás

Agradeço a resposta Luciano, deve ser algo nesse sentido mesmo.

Abs.