Home Aviação de Caça O LEITOR PERGUNTA: por que o Super Tucano tem velocidade inferior aos...

O LEITOR PERGUNTA: por que o Super Tucano tem velocidade inferior aos aviões da 2ª Guerra Mundial?

16693
46
O Super Tucano quando ainda era protótipo, voando como YAT-29

O leitor Luiz Jorge da Costa escreveu:

Sou um interessado:
Visito os sites do Exército, Marinha e Aeronáutica regularmente.
Gostaria que alguém explicasse para mim (os dados abaixo buscados na internet):

  • Zero japonês 534 km/h
  • Spitfire inglês 584 km/ h
  • P-51 americano 703 k/h
  • BF109 alemão 640 km/h
  • FW190 alemão 656 km/h
  • Me262 a jato alemão 900 km/h
  • A-29 Super Tucano brasileiro 590 km/h

Por que no século 21 o super tucano tem velocidade inferior aos aviões da 2ª guerra mundial?

Os editores convidam os leitores do Poder Aéreo a darem suas respostas nos comentários à pergunta do Luiz Jorge.

Quem quiser fazer suas perguntas para publicação, favor enviar e-mail para alexgalante@aereo.jor.br

46
Deixe um comentário

avatar
45 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
38 Comment authors
AugustoJulioJOSÉ N BITTENCOURTNonatocarcara_br Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Fernando A Lunkes
Visitante
Fernando A Lunkes

Porque o Super Tucano não é caça

Roberto Dias
Visitante
Roberto Dias

Estes aviões listados da WWII, são em sua época interceptadores, precisavam voar rápido para alcançar seus alvos, quase sempre bombardeiros. O ST, é um caça leve de ataque, projetado para ataque ao solo e interceptação de pequenas aeronaves. Portanto , a velocidade não é sua principal característica.

Fábio Mayer
Visitante
Fábio Mayer

Porque na época eles eram interceptadores.

Flavio
Visitante

Com caças supersônicos fazendo o papel de interceptação e superioridade aérea, o A-29 não precisa desenvolver grandes velocidades!

O que lhe traz diferencial é justamente a manobrabilidade de um turbo-hélice em um cenário onde os caças mais velozes não conseguiriam desempenhar sua função de forma eficaz!!!

Por exemplo m F-16 da USAF no Afeganistão precisava dar 3 ou 4 voltas para fazer diversas passagens levando mais tempo para bombardear um cenário onde hoje eles fazem em menos tempo e com menos combustível com um A-29 que faz tudo em zigue-zague em uma só passagem!

horatio nelson
Visitante
horatio nelson

resposta porque o p-51 era uma avião a frente do seu tempo e o a29 não foi desenvolvido para voar mach 1 caso contrario seria dotado de turbinas….curiosidade a maior velocidade atingida por um turbo-helice na historia foi 925 km/h do tu-142

Maylton F Silva
Visitante
Maylton F Silva

Comparando com um avião visualmente semelhante o P-51D (Mustang): Mustang Tucano potencia 1315 HP 1600 Hp Peso vazio 3350 Kg 3200 Kg carga Max 5262 Kg 5400 Kg Os desempenhos deveriam ser semelhantes, não são porque o Mustang é mais limpo em termos de aerodinâmica, e porque provavelmente a velocidade máxima é limitada pro questões de manutenção e segurança, a velocidade de cruzeiro do P-51 era 82% da máxima e a do AT-29 88% assim fica claro que o AT-29 um limite mais baixo que o P-51, possivelmente a velocidade máxima pode ser aumentada para algo na ordem de 640… Read more »

Francisco
Visitante
Francisco

Além das razões apontadas acima, existe uma razão entre o combustível transportado, a velocidade e o tempo de permanência sobre o alvo. O ST é um avião planejado para apoio aéreo, logo, é imprescindível que possa chegar rápido e passar o maior tempo possível sobre a área que deve atuar. Todos os aviões relacionados, entravam e saiam… Esta mesma razão refletia no alcance e tempo de combate, mas eram, tanto os aviões listados quanto seus adversários, na velocidade atingida. Além do mais, o indicativo “velocidade máxima” implica, necessariamente, em seu emprego apenas em situação de emergência.

Roberci
Visitante
Roberci

Luiz, destes que voce listou excluo o Me 262, por ser um jato e o Zero, que era mais lento e bem mais leve. O restante possuia uma aerodinamica voltada a velocidade e manobrabilidade. Seus motores também geravam, no minimo, 300 hp a mais do que o do ST. E como disse o Roberto Dias, as finalidades são totalmente distintas.

Ricardo Pinto
Visitante
Ricardo Pinto

A comparação esta incorreta. Para a função do ST, seria melhor comparar aos : JU-87 Stuka P-63 Aira Cobra A-36 Apache ( P-51A ) A-1E Skyraider Todos aviões de apoio de ataque aproximado da 2°GM… Estes sim seriam os concorrentes do ST “hoje”… Lembrando-se que o St não é um “caça” de combate como o Zeke, o Mustang o Spit e o Jug como dito la em cima. Fiz a mesma pergunta la nos anos 80 a alguem que era ligado ao projeto, a resposta foi clara… “ele não precisa ser mais rápido do que isto para cumprir a missão… Read more »

Augusto
Visitante
Augusto

O ju-87 stuka foi fundamental na guerra relampago promovida pela alemanha na 2GM dando apoio as divisoes rapidas de ataque fazendo bombardeios ao solo.

elton
Visitante
elton

mudando de assunto, é possivel comprar um tucano direto da fabrica ? original, nao replica. ate um usado serviria, sera que tem algum aqui no brasil ? o dia que a mega sena sair ja sei onde investir !

Ricardo Nascimento
Visitante
Ricardo Nascimento

o ME-262 era um jato equipado com os motores Junkers Jumo 004

Renato
Visitante
Renato

Qual o alcance deles?

Paulo
Visitante
Paulo

Meu palpite: Se quer uma aparelho rápido hoje em dia já compre logo um jato!! KKKK Brincadeira. Acontece que na segunda guerra quando os motores a jato estavam apenas no princípio do desenvolvimento o motor a pistão estava no ápice e foram tiradas tudo o que se podia dele. Logo as grandes velocidades obtidas facilmente pelas novas tecnologias dos jatos deixou para trás as tentativas de altas velocidade com grandes esforços/consumos dos aparelhos à hélice.

carvalho2008
Visitante

Qual deles podia carregar 1,5 ton de armas e voar 6 horas….?
.
A estrutura foi focada para isto…

Guilherme Poggio
Editor
Famed Member

A discussão é complexa e vai longe, pois envolve aerodinâmica. Eu apenas gostaria de acrescentar aos comentários acima que as asas, assim como outros componentes estruturais dos aviões, são projetadas para determinadas cargas alares máximas. E essas cargas são funções das velocidades máximas de projeto (requisitos do operador). . Se um projeto estipula uma velocidade máxima de 500 km/h as asas serão projetadas tendo isso em mente. Se outro projeto visa uma velocidade máxima de 700 km/h, o projeto da asa não será o mesmo do anterior. . Tendo isso em mente e respondendo diretamente à pergunta (Por que no… Read more »

MadMax
Visitante
MadMax

Simplesmente porque o requisito do projeto determinava essa velocidade.

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Como as respostas acima ainda não tocaram na ferida, aqui vai o meu pitaco: . A origem do Super Tucano está no treinador Tucano. O EMB-312 era propulsado por um motor P&W PT-6 com 750 SHP. A função dessa aeronave não era a maior velocidade final possível, mas sim treinamento primário de pilotos. Para isso, é necessária uma asa com grande área alar e um perfil de asa voltado a grande quantidade de sustentação e docilidade de manejo, fazendo uma aeronave que não é veloz, mas tem velocidade de estol baixa e perdoa erros de pilotos. . Então some a… Read more »

Antonio Carlos
Visitante
Antonio Carlos

Ele não precisa ter velocidade compatível com a de um caça por um simples motivo: ele não foi projetado para ser um caça e sim para ser uma aeronave de ataque ao solo.

Não é à toa que a designação dele é A-29 … O “A” vem de “ataque”. Se ele fosse concebido para ser um caça, a designação dele seria “F-29”, com um “F” de “fighter”.

Um dos problemas da mídia brasileira, que ajuda nessa confusão toda, é chamar tudo o que voa de “caça”. Não à toa, o “A-1” é rotineiramente designado na mídia como sendo um “caça”.

luiz jorge da costa
Visitante

Puxa!!!!
Fiquei extremamente contente com as respostas dadas e eu agradeço de coração.
Essa pergunta estava no meu âmago há alguns anos e eu não tinha coragem de formular
porque estava com medo de ser ridícula.
Fico mais contente ainda porque inúmeros personagens deste site acorreram em meu socorro
sem me depreciar.
Muito obrigado a todos pelos esclarecimentos.

Gilberto Rezende/RS
Visitante

Saindo do ostracismo daqui só pelo G.P. Poggio só para LEMBRAR a tal “asa do Super Tucano” é na verdade projetada para os requisitos ainda mais modestos do Tucaninho original da AFA… Nem a pau e corda foram “projetadas” para desempenho algum… Por isso que venho defendendo a TEMPOS que para evitar que o Super Tucano tenha o mesmo fim inglório de abandono do Tucano original o Super Tucano deveria ganhar um upgrade MID Life em que o item 1 seria fazer o que não se fez no projeto ALX original que é projetar uma ASA compatível com o peso… Read more »

Alexandre Galante
Visitante
Member

Gilberto, segundo o Flightglobal, a Embraer usa uma asa um pouco diferente do Tucano no Super Tucano (ALX).

https://www.flightglobal.com/FlightPDFArchive/1999/1999%20-%201504.PDF

“Embraer has discarded the original Tucano wing, endowing the ALX with a wing that employs the NACA 63-415 aerofoil at the root and which moves to the NACA 63 A-212 at the tips.”

Esses seriam os perfis de asa do Super Tucano:

http://airfoiltools.com/airfoil/details?airfoil=n63415-il

http://airfoiltools.com/airfoil/details?airfoil=n63212-il

Gilberto Rezende/RS
Visitante

Adaptada ainda assim, realmente não é a mesma asa, mas o conceito e dimensões são as mesmas. A desproporção da asa com literalmente a mesma carga alar do Tucano com mais que o dobro da potência do Super Tucano é gritante, até entendo a desculpa da Embraer mas para mim não passa mais do que isso desculpa… Mas isso foi irrelevante a final para o sucesso inegável da aeronave… Mas hoje refazer o projeto da asa para um requisito de desempenho mais agressivo (e aumentar ainda mais a capacidade de armamento) seria desejável e necessário seja para um MIDLIFE UPGRADE… Read more »

Fábio Mayer
Visitante
Fábio Mayer

Bem, quase todo mundo aqui entende mais do que eu do assunto, e eu só olho e aprendo.

Mas lanço um desafio:

O Spitfire, mesmo mais rápido, seria páreo para um A-29, mesmo este sendo avião de ataque? O Spitfire teria alguma chance de compensar o projeto moderno do A-29?

Guizmo
Visitante
Guizmo

Tenho uma história interessante: há 10 anos, em 2007, estive numa visita fechada no Museu da Tam em São Carlos e o Sr. Rolim, irmão do Comte e tbm piloto era o manager do museu e nos guiou na visita.

Havia um Spitfire todo reformado, orgulho do museu pois se tratava de um dos poucos exemplares no mundo com capacidade de voo. Ao chegar no Brasil, num traslado maluco pinga pinga, o caça inglês foi escoltado por Tucanos da FAB, e disse-nos o comandante, que o piloto deu total potência no motor e os tucanos da Fab não conseguiam alcança-lo….

carvalho2008
Visitante

Esta é para o Mestre Gilberto Resende,
.
Seu ALX Remodelado Push Pull….rzrzrz
.
comment image?w=1024
.
comment image
.
comment image?w=1024
.

Ivanmc
Visitante
Ivanmc

Eu creio que o Emb Tucano foi desenvolvido para treinamento e talvez na configuração de suporte leve. E, com o passar dos anos na falta de um caça leve o tucano começou a preencher essa lacuna. Sendo que, no ano de 1991 na cidade de Resende no Rio de Janeiro um Coronel instrutor, na área de manutenção, deu uma palestra que a FAB estaria esperando o F-16 para compor e o tucano como suporte terrestre, este em uma versão mais avançada, na qual é hoje o A-29. Contudo, o projeto da Embraer deu certo derivou o Super Tucano, como uma… Read more »

helio
Visitante
helio

Prezado Luiz Jorge da Costa,

A resposta está, como muitos já disseram, na função idealizada para a aeronave. Pensando só em termos de Brasil – embora a aeronave tenha uma carreira internacional sólida – ele foi pensado para treinamento e ataque leve, funções para as quais velocidade não é a prioridade.

Seu projeto previa que a caça, na FAB, fica para os F-5 e para o FX-2 (que hoje sabemos ser o Gripen).

Já as aeronaves que você citou são caças e interceptadores, uma função que exige, justamente, a velocidade como uma de suas características essenciais.

JT8D
Visitante
JT8D

O Super Tucano foi projetado para ataque leve e não para interceptação. Além disso, é uma aeronave segura, de manutenção simples e baixo custo de operação. Os caças da Segunda Guerra foram projetados “no desespero”, tentando tirar até a última gota de desempenho da tecnologia disponível na época. Os custos de operação, a durabilidade e a segurança não eram prioridade, e sim a sobrevivência em combate frente aos caças inimigos

Aéreo
Visitante
Aéreo

O Super Tucano é uma aeronave de ataque, portando seus requisitos de “levantamento de peso” são mais rígidos que seus requisitos de velocidade. O PC-21 também é mais rápido que o Super Tucano. 685 km/h x 590 km/h (16%) Porem quando se compara o MTOW (peso máximo de decolagem), o Super Tucano é superior. 4.250 kg x 5.400 kg (+27%). O mesmo acontecia na época da IIWW. O Me 109 tinha V.max de 640 km/h o Junkers Ju 87 míseros, 390 km/h. Um caça e o outro bombardeiro de mergulho. Porem em MTOW a vantagem se invertia, 5.000 kg contra… Read more »

ZANZAN_PAMPA
Visitante
ZANZAN_PAMPA

O último modelo do PC-9 chega a mesma velocidade do “SUPER” com aproximadamente 1100 cavalos.O PC-21 com o mesmo motor ultrapassa o “SUPER” em quase 100km/h entre outras qualidades e refinamentos aerodinâmicos!

ZANZAN_PAMPA
Visitante
ZANZAN_PAMPA

Sem qualquer embasamento, mas ainda assim sou capaz de jurar que um Spitfire nas mãos de um bom piloto, derrubaria uns 7 “SUPER” antes de levar um único tiro no traseiro.Em outras palavras, enquanto houvesse munição estaria na vantagem. Lembro que a República Dominicana realizou um portões abertos nos moldes nossos e lá estavam os “SUPER” recém adquiridos e fazendo sua estreia para o público, juntamente com os antigos P-51 MUSTANGS (remanescentes do força aérea do ditador Trujillo). Lendo os Comentários dos que presenciaram o evento sobrou DECEPÇÃO e críticas quanto ao “SUPER”. Obviamente foram comentários de leigos, mas aos… Read more »

Roberto F. Santana
Membro
Famed Member
Roberto F. Santana

Todos os aviões que você cita tinham motores supercompressor, ou seja, mantinham a mesma potência praticamente em todas as altitudes operacionais, o motor do Super Tucano desenvolve 1.600 shp somente e exatamente a 15 graus de temperatura e ao nível do mar.
As hélices desses aviões tinham mais eficiência nas circunstâncias citadas.
Esses seriam os motivos principais, o peso, a aerodinâmica e o formato da asa, no caso, não têm muita relevância.

Paulo Lopes
Visitante
Paulo Lopes

ZANZAN_PAMPA 24 de maio de 2017 at 7:20
Poxa, com tudo isso, por que será que não está nem no cardápio do OA-x da USAF??
Que injustiça com o PC-21.

Antônio de Sampaio
Visitante
Antônio de Sampaio

ZANZAN_PAMPA 24 de maio de 2017 at 7:42 Sua comparação é na mesma linha de querer comparar o Mirage III dos Argentinos contra o Sea Harrier dos ingleses. O Mirage voava ao dobro da velocidade do Sea Harrier, e voava mais alto, em tese, uma grande vantagem, o problema é que eram aviões de gerações diferentes. Mergulhando na sua comparação absurda e sem sentido, o grande diferencial era que o Sea Harrier combatia usando mísseis, portanto não necessitava se colocar atrás dos Mirage III, uma enorme vantagem, e atirava de mais longe. Não custa lembrar que o Super Tucano é… Read more »

ZANZAN_PAMPA
Visitante
ZANZAN_PAMPA

Para mim a melhor versão do Tucano ainda é o SHORT TUCANO. Se fosse produzido novamente e modernizado, não faria feio por mais 30 anos.Tudo foi respeitado ali.Estética,potência que não agride o projeto inicial, canopy aerodinâmico e que não prejudica a ação do leme de direção tornando-o pesado, fuselagem proporcional e não de limousine.Uma bela aeronave e voa como um demônio.

Luiz Fernando
Visitante
Luiz Fernando

Isso porque não conhece a performance do Ana Raio… Esse sim é o capeta!!!
Mas essa comparação proposta não tem sentido. É como comparar um carro atual, um SUV, com um carro de corrida da década de 40/50.
Finalidade diferente… Tecnologia embarcada totalmente diferente… Nível de segurança e custos de operação diferentes…
Dependendo das condições e do que se quer, um ou outro pode ser “melhor”. Só velocidade, ou outro aspecto isolado, não diz NADA, ainda mais ao ar comparar banana com pepino.

carvalho2008
Visitante

No DogFigh ele pode até perder se for no canhão Vs canhão….mas o que vazar no ataque simplesmente extermina o campo de avição do adversario….e dai nem haveria -P51D para decolar….mas é um exercicio imaginativo interessante….
.
Um ponto interessante seria o comparativo de blindagens….

Archimedes
Visitante
Archimedes

Os caças da segunda guerra citados eram os interceptadores como conhecemos hoje a exemplo dos mirage, F-15 entre outros…dai a necessidade da concepção de aviões velozes com relação peso / potência calculados para atingir este resultado. Com exceção do P-51, todos eram limitados em seu raio de ação…mais uma característica dos interceptadores. um outro fator importante nesta relação era o peso de cada modelo…todos eram muito leves. No caso do ME-262 seu peso era bem maior que os dos caças listados mais sua performance era compensada pelo uso de motores a reação.

José Roberto Penteado
Visitante
José Roberto Penteado

Um amigo especialista em Guerra Eletrônica me confidenciou que num embate na fronteira, A-29 da FAC em confronto com os Sukoy da FAV não foram percebidos por esses, enquanto aqueles durante todo o tempo monitoraram os Sukoy… Alguns A-29 estavam equipados com contra-medidas eletrônicas… Isso é para quem acha que os Sukoy dariam uma surra nos A-29. Outra informação é a de que a FAV está arrependida de tê-los comprado. Logística péssima… Perguntem para a FAB o que ela está achando dos helicópteros de ataque russos…

carvalho2008
Visitante

Mestre Jose Roberto Penteado,
.
Mas como o A-29 monitorou os Sukoi? ele até ficar invisivel pelo casulo de interferencia eu até entendo, mas sem radar…somente poderia monitorar no visual…e visual x visual….da no mesmo uai…não entendi isto….
.

carcara_br
Visitante
carcara_br

Ficar invisível com uso de interferência não é das tarefas mais fáceis pra não dizer impossível. Mais provável que tenham voado baixo, muito baixo e os sukois passado por cima, sem muita cerimônia.

Nonato
Visitante
Nonato

Interessante observar que a matéria gerou muita participação, atendendo a convocação. Traduzindo a questão sob outro prisma seria: se os turboélices de 70 anos atrás já atingiam 600 km/h, por que não hoje? Pelo que se percebe, a evolução da tecnologia conduziu ao aumento de velocidade por meio de jatos. Altas velocidades já foram atingidas com os jatos, tipo 3.000 km/h. Seria possível continuar evoluindo para 20.000 km/h talvez. Mas as forças armadas americana e soviética pararam em bombardeiros a jato na faixa de 800 a 1.000 km/h e caças com velocidade máxima na faixa de 2.300 km/h. E esses… Read more »

luiz jorge da costa
Visitante

Eu continuo lendo e estou fascinado com os comentários e a enorme participação dos internautas.
No fim, parece-me que dei alguma contribuição ao acirrar debates sobre a matéria.
Eu não sabia que o A-29 era para ataque ao solo.
Um internauta sugeriu a confusão entre o A e o F que ERA o meu caso.
Obrigado

JOSÉ N BITTENCOURT
Visitante

Não sou especialista em aeronaves atuais, mas gostaria de comentar dois pontos q vi enos comentários. O primeiro é sobre o desenvolvimento dos motores a pistão. O problema básico, no final dos anos 1940, era q os materiais disponíveis na época tinham chegado ao limite. Um motor a pistão, hj em dia seria mto mais leve do q um radial de 21 cilindros, gerando a mesma potência e com consumo de combustível mto menor. Mas ainda assim os TH sao mais eficientes. Tb não podemos esquecer q parte da potência ê gasta pra tirar o sistema do chão – acho… Read more »

Julio
Visitante
Julio

Um avião militar é uma arma e, como tal, têm as especificações para sua época e local de uso. No WW2, como exaustivamente dito acima, a missão dos caças era a de interceptação, inclusive de foguetes B2. Com o advento do jato, os aviões de hélices pareciam ser coisa do passado, mesmo com o surgimento do turboélice. Mas a roda da história girou de novo, eis que vieram as guerrilhas, com bases dispersas e em locais de difícil acesso, como os Talibãs nas montanhas do Afeganistão. Os caças a jato se tornaram rápidos demais. Pior, caros no treinamento, na compra… Read more »