segunda-feira, março 8, 2021

Gripen para o Brasil

Canadá seleciona Airbus C295W para busca e salvamento de asa fixa

Destaques

Defesa aérea da Sérvia atingiu outro F-117 durante a Operation Allied Force

A história de como um jato de ataque stealth F-117 Nighthawk da Força Aérea dos Estados Unidos foi abatido...

HENSOLDT: Sistemas antidrone e de proteção de áreas críticas e estratégicas

Nos últimos anos, a venda de drones cresceu muito no mundo. Esses objetos voadores, cada vez mais comuns em...

FAB coordena Operação Escudo Antiaéreo

Operação aconteceu de forma conjunta entre a Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira No período...
Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

airbus-c295w

Hoje, o Governo do Canadá anunciou que selecionou o Airbus C295W para seu Programa de Busca e Salvamento de Asa Fixa.

Como parte do programa FWSAR, a Real Força Aérea Canadense (RCAF) comprará 16 C295Ws modificados para Busca e Salvamento (SAR). O contrato também incluirá o suporte a serviços prestados através de uma joint venture entre a Airbus Defense and Space e a PAL Aerospace.

Simon Jacques, Diretor da Airbus Defence and Space no Canadá, disse: “Estamos extremamente conscientes da importância da busca e salvamento no vasto e desafiador território do Canadá e estamos honrados por ter sido selecionados para fornecer a aeronave e o serviço para garantir que a missão seja realizada de forma eficaz. ”

O C295W apresenta substancial conteúdo canadense. Cada C295 é propulsado por motores Pratt & Whitney Canadá, os pilotos serão treinados em uma nova instalação desenvolvida pela CAE, e os sistemas eletro-ópticos para FWSAR serão fornecidos pela L3 Wescam. Suporte em serviço para a vida do programa será fornecido pela AirPro, uma joint venture entre a Airbus Defense e Space e PAL Aerospace. O apoio em serviço será conduzido por canadenses no Canadá.

Jacques acrescentou: “Cerca de 20% da aeronave já é canadense, o que significa que ela já atua como embaixadora mundial das habilidades, inovação e experiência dos canadenses. Agora ela vai começar a atendê-los diretamente. ”

Os C295Ws do Canadá serão entregues a partir de três anos após a adjudicação do contrato. Em serviço, eles se juntarão a cinco aeronaves Airbus CC-150 utilizadas no reabastecimento ar-ar, transporte e missões de viagem VIP.

“É extremamente gratificante receber este voto maciço em confiança para o C295 de um cliente altamente exigente”, disse Fernando Alonso, chefe da Airbus.

“Vindo em um momento em que o setor de turbopropulsores médios está em um down-cycle, é um sinal claro de que a robustez do C295, confiabilidade e custo-efetividade irá garantir que ele continua a ser líder de mercado.

“Além disso, demonstra que estamos no caminho certo com nossa estratégia de desenvolver e adaptar rapidamente versões de nossos aviões para atender às necessidades dos mercados emergentes”.

Quando o contrato for finalizado, 185 C295s terão sido encomendados por 25 países.

DIVULGAÇÃO: Airbus Defense & Space

NOTA DO PODER AÉREO: o KC-390 da Embraer também foi ofertado ao Canadá nesta concorrência, mas infelizmente não levou.

- Advertisement -

7 Comments

Subscribe
Notify of
guest
7 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rinaldo Nery

Será que o atraso na homologação do KC-390 influenciou nessa escolha? Ou o fato de o grupo motopropulsor do CASA ser canadense?

Edcarlos

Difícil procurar um motivo para a escolha, porem veja que até a FAB selecionou o C295W para a mesma função:

http://www.aereo.jor.br/2016/09/16/voa-o-primeiro-airbus-c295w-da-fab/

O KC-390 seria uma ótima aeronave para vigilância e patrulha, mas busca e salvamento acredito que o C295W se encaixa melhor na função.

Saudações!

Guilherme Poggio

Sem falar que se trata de uma aeronave (o C295) muito mais barata para comprar, voar e manter. São categorias totalmente diferentes.

Rinaldo Nery

Edcarlos, eu participei desse processo na COPAC, em 2009. Essa compra da versão SAR já fazia parte dos planos da FAB em aumentar a frota de C-105. Daí optou-se pela versão especializada, que não saiu com o radar que sugeri ao EMAER (não sei a razão). Ainda há a intenção de aquisição de mais aeronaves na versão cargueira, a fim de equipar o 1° ETA e o 1°/15° GAV.

Rafael Oliveira

Rinaldo, por favor, a FAB já cogitou comprar o C295 para patrulha marítima?
.
Parece-me que com a falta de dinheiro e a priorização do KC-390, é difícil sair uma encomenda do C-105 para transporte de carga.

Rinaldo Nery

Quem vai fazer Esclarecimento Marítimo será ARP (Aeronave Remotamente Pilotada).

Rafael Oliveira

Interessante, Rinaldo.
.
Vamos aguardar.

Combates Aéreos

Canhões do F-5: efetividade comprovada contra… F-5!

O curioso caso de um F-5E da FACh abatido por outro F-5E chileno em 1981 Nos últimos dias e...
- Advertisement -
- Advertisement -