Home Noticiário Internacional Caças F-22 Raptor perdem revestimento ‘stealth’ na Síria

Caças F-22 Raptor perdem revestimento ‘stealth’ na Síria

11141
6

Fort Worth Alliance Air Show 2015 - F-22 - 14

Caças furtivos F-22 Raptor da Força Aérea dos EUA (USAF), que estão participando de operações militares na Síria, começaram a perder seu revestimento de absorção de ondas radar.

Conforme relatado pela Aviation Week, de fato, o revestimento absorvente de radar, que esconde os Raptor dos radares, enrugou e começou a descascar. Segundo a USAF, uma das razões deste problema são as condições climáticas que afetam a área de operações.

Uma afirmação confirmada por John Cottam, chefe do programa F-22 da Lockheed Martin, que observou que fatores externos, como chuva e poeira de areia, não apenas enrugam e descascam o revestimento, mas também o transformam em seu estado líquido original.

De fato, este não é o primeiro problema enfrentado pelo revestimento de absorção de radiação do F-22: de acordo com o Southfront.org, em 2009, pilotos dos EUA reclamaram que o revestimento era facilmente removido da fuselagem do Raptor durante o contato com óleo combustível e lubrificante.

No entanto, a Lockheed Martin alega que desenvolveu um novo revestimento, mais resistente, que será aplicado a todos os F-22 durante as operações de manutenção. De acordo com estimativas preliminares, este processo levará pelo menos três anos.

Note-se que esta não é a primeira vez que a furtividade do Raptor é comprometida: como foi relatado recentemente, um problema do sistema de armas que afetava a seção reta radar (RCS) de um Raptor F-22 pertencente ao 43º Esquadrão de Caça da Base da Força Aérea de Tyndall (AFB), Flórida, foi resolvido no mês passado por meio de solução de custo-benefício desenvolvida por um militar de 23 anos de idade.

Diferentemente, uma solução econômica será muito improvável para superar este novo problema.

FONTE: theaviationgeekclub.com

Subscribe
Notify of
guest
6 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Bosco
Bosco
3 anos atrás

Teoricamente 80% da furtividade do F-22 é creditado à sua forma.
Em tese mesmo sem a “pintura” RAM ele ainda tem nível de furtividade VLO.

Edcarlos
Edcarlos
3 anos atrás

O maior problema do F-22 é o numero insuficiente de aeronaves fabricadas, um numero maior de F-22 não exigiria que todas tivessem pintura RAM. UM F-22 menos furtivo seria a solução ideal para aposentar os velhos F-15.

Saudações!

Mauricio Silva
Mauricio Silva
3 anos atrás

Olá.
Grande mestre Bosco, parece que eu resolvi pegar no seu pé… 🙂
Sim, é verdade que cerca de 80% da furtividade do caça se deve ao seu formato. Mas somente se o feixe do radar o atingir diretamente de frente, pois a RCS (Radar Cross Section) será a menor possível. É óbvio que você sabe disso.
Se o feixe do radar atingir o aparelho por um ângulo diferente (como por exemplo, na “barriga” da fuselagem), ai entra em cena os materiais absorvedores de ondas eletromagnéticas.
É um problema sério, que ainda aflige os B-2 e F-35.
SDS.

Bosco
Bosco
3 anos atrás

Sem dúvida Maurício!
Mas apenas se um feixe der radar atingir perpendicularmente nos aspectos inferior e superior é que há esse rigor e como sabemos é muito pouco provável que isso ocorra. Pelo menos não tempo suficiente para fazer diferença.
Um abraço.

Mauricio Silva
Mauricio Silva
3 anos atrás

Olá. Grande Bosco, não precisa ser “exatamente” na perpendicular dos planos inferior ou superior. Basta que a projeção do vetor de incidência seja maior no plano base/superior do que na área frontal. Em outras palavras, que o feixe de radar “acerte” mais o plano inferior ou superior da aeronave que o plano frontal. Sem a “proteção” dos materiais absorvedores/dispersores de radiação (tratamento das superfícies), o aparelho stealth será quase tão detectável quanto um avião convencional (equivalente). Considerando que as principais bases de radar estão no solo (naquele TO), o problema apresentado pelos F-22 é bastante significativo. Há pesquisas que tentam… Read more »

Wagner
Wagner
2 anos atrás

o grande problema do f22 é a lockheed martin, que a décadas vem pisando na bola com a usaf, omitindo problemas ou mentindo performance, como também adoram passar a perna na northrop grumman. já não somente ouvi falar como também recebi confirmação através tanto de sites quando notícias, de que o f22 tem muitos mais problemas do que a camada anti radar, o design dele não encaixa direito com a estrutura, tornando ainda mais caro a manutenção e diminuindo a capacidade de manobras, o f22 não pode forçar g muito mais elevado se não causará problemas estruturais imediatamente. o design… Read more »