Home Indústria Aeronáutica Saab e Embraer inauguram o Centro de Projetos e Desenvolvimento do Gripen...

Saab e Embraer inauguram o Centro de Projetos e Desenvolvimento do Gripen no Brasil

7600
33

gddn

A Saab, empresa de defesa e segurança, e a Embraer Defesa & Segurança inauguram hoje o Centro de Projetos e Desenvolvimento do Gripen (Gripen Design Development Network – GDDN), em Gavião Peixoto (SP). O GDDN será o hub de desenvolvimento tecnológico do Gripen NG no Brasil para a Saab e a Embraer, junto às empresas e instituições brasileiras parceiras: AEL Sistemas, Atech, Akaer e Força Aérea Brasileira, por meio de seu departamento de pesquisa DCTA.

O GDDN contempla o ambiente e os simuladores necessários para o desenvolvimento dos caças. Além disso, o GDDN está conectado à Saab na Suécia e aos parceiros industriais no Brasil, assegurando transferência de tecnologia e desenvolvimento eficientes.

inauguracao-do-gddn-1

“Temos um compromisso de longo prazo com o Brasil. O lançamento do GDDN é um marco importante no programa brasileiro do Gripen, pois será a base para a transferência de tecnologia e o desenvolvimento dos caças no país”, disse Håkan Buskhe, CEO e presidente da Saab.

“Embraer e Saab têm ambas um histórico longo e comprovado no desenvolvimento e aplicação de tecnologias inovadoras na indústria aeronáutica. Essa cooperação é fundamental para garantir o melhor apoio às operações da Força Aérea Brasileira pelos próximos anos”, disse Jackson Schneider, presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança.

O edifício do GDDN está localizado nas dependências da Embraer, em Gavião Peixoto (SP), onde também ficará baseado o Centro de Teste de Voos do Gripen e onde será realizada a montagem final da aeronave.

Gripen-E-rollout-5

Fatos sobre o programa de transferência de tecnologia

Entre 2019 e 2024, 36 caças Gripen NG serão entregues à Força Aérea Brasileira. Para cumprir o cronograma, a Saab tem uma forte parceria colaborativa com empresas brasileiras, tais como Embraer, AEL Sistemas, Akaer, Atech, Mectron, Inbra e Atmos.

O programa de transferência de tecnologia para o Brasil cobre quatro áreas que visam fornecer à indústria aeroespacial brasileira a tecnologia e o conhecimento necessários para manter e desenvolver o Gripen no Brasil:

• Treinamento teórico
• Programas de Pesquisa e Tecnologia
• Treinamento on-the-job na Suécia
• Desenvolvimento e produção

inauguracao-do-gddn-2

Entre outubro de 2015 e 2024, mais de 350 profissionais, entre engenheiros, operadores, técnicos e pilotos das empresas parceiras da Saab e da Força Aérea Brasileira, irão à Suécia para participar de cursos e treinamentos on-the-job. Habilidades e conhecimentos serão adquiridos pela indústria brasileira, possibilitando um extenso trabalho de desenvolvimento e produção do Gripen, incluindo a montagem final no Brasil. Até hoje, cerca de 100 profissionais brasileiros estiveram na Suécia e começaram a retornar ao Brasil no início deste mês. O programa de transferência de tecnologia é dividido em 60 projetos-chave, com duração de até 24 meses.

A Embraer desempenhará um papel de liderança na execução do programa e realizará uma grande parte do trabalho de produção e entrega das versões monoposto e biposto do Gripen NG. A empresa será responsável por uma quantidade considerável do trabalho em desenvolvimento de sistemas, integração, testes de voo, montagem final e entregas de aeronaves. Além disso, Embraer e Saab serão responsáveis pelo desenvolvimento completo da versão biposto do Gripen NG.

DIVULGAÇÃO: MSLGROUP Publicis Consultants

33 COMMENTS

  1. Petardo claro que não esta acontecendo o gripen é igual a uma mulher esta se ajeitando colocando uns detalhes aqui outros ali, demora, com certeza demora mas depois quem ela aparece toda linda e maravilhosa todo mundo se encanta. Deixa ele chegar pra tu ver o encanto que este caça vai fazer na FAB, vai ser um salto, uma mudança muito profunda tanto em táticas como técnica, consciência situacional, enfim, ai a FAB vai ver que estava na época da pedra lascada e achava que estava bem.

  2. O último Gripen dos 36 adquiridos, que já é uma quantidade pífia por sinal, para um país de mais de 8,5 milhões de km² será entregue só em 2024 ainda? Não sou entendedor do assunto, mas acredito que ainda tenha que se somar a esse período, o tempo para as aeronaves se tornarem de fato operacionais na FAB. Se eu estiver errado alguém poderia me explicar, por favor.

  3. As primeiras são entregues em IOC, que são capacidades reduzidas, mas que cumprem a missão. Em 2024 já são todas entregues com toda a capacidade, enquanto se ajusta as primeiras.

    Em tese, tudo que faltar para a operacionalidade da aeronave recém chegada estará ligada a pilotos e equipe de solo, se ocorrer.

  4. Vem cá, isso é no Brasil mesmo, ou é em algum outro país da América Latina?
    Me belisca que eu tô sonhando.
    Deve ser aqui do lado, não pode ser, deve ser em algum país dado como “exemplo a seguir” em matéria de Indústria Defesa, e olha que quando falo de “ID” em algum país da região, estou cometendo um solecismo.
    Me belisca, truta.

  5. A FAB sabe exatamente onde está e o que é capaz de fazer com que tem, que o Estado Brasileiro proporcionou a ela. Ela sabe que não está bem, e sabe exatamente o que o Gripen NG poderá proporcionar. Aliás, o Gripen NG vai atender os requisitos definidos por ela mesma.

  6. O Gripen é um ótimo caça, o ideal para o nosso bolso.
    Mas essa história de transferência de tecnologia, a nossas custas, favorecendo poucas empresas, sem nenhuma instituição de ensino não me agrada. Tecnologia é como músculo, se não exercitar atrofia, olhando para nossa indústria de defesa, abandonada, tenho um déjà-vu do futuro dessa tecnologia, e do nosso dinheiro.

  7. Os primeiros serão montados pelos suecos. Depois por brasileiros na Suécia. Se não me engano, essas duas etapas somam uns dez caças. Depois feito aqui.

  8. A FAB fez um “mistério” em outra mídias, sobre algo que aconteceria hoje relacionado ao Gripen, e ainda especificou o horário: às 16hs.
    Confesso que empolgado, eu imaginei uma outra coisa…
    Mas, vamos em frente.
    Já é alguma coisa né.. E que não se vê sempre por essas bandas..

  9. @Clayton

    Sempre li que o plano seria de 108 aeronaves, o que ainda é pouco para um país que pleiteia mais voz internacional através do CS da ONU e do BRICS.

  10. Global 6000 do CEO e Presid da Saab no flightradar24.com sobre o norte da Bahia, proa do OA.
    REGISTRATION
    SE-RMT
    MODE-S CODE
    4AC9B4
    ______________________________

    Muito bom Tema/Tópico, postei antecipadamente no PA há vários dias.

  11. É para frente que se anda, apesar de atrasado. Prefiro está opção, do que compras de prateleiras, especialmente com relação a equipamentos estratégicos.

    Até mais!!! 😉

  12. Claro que esses 36 são o primeiro pedido, deverá haver mais.
    Apesar de achar o Gripen um excelente caça, deveríamos ter um caça verdadeiramente de superioridade área.
    Pelo menos uns 18 desses, dezoito quem sabe F-18, pelo menos as turbinas seria compatíveis !

  13. Wellington Góes 23 de novembro de 2016 at 0:11
    Concordo! As ditas ‘compras de prateleira’ se justificam quando a necessidade operacional se sobrepõe às oportunidades de desenvolvimento tecnológico que a opção pelo projeto proporcionam, ou caso as restrições orçamentárias tornem infactível desenvolver tecnologia própria.
    Abraços!

  14. Comentário editado

    NG com IOC em 2025 e olhe lá, não pode dar nenhuma zebra. A FAB tem a ideia de anunciar um novo lote de 36 células em 2021, coisa que em função dos fatos que estão ocorrendo agora, com o caixa do GF indo para o porão do poço não vai acontecer. O plano de 108 células já foi revisto e deverá ficar nas 72 se chegar lá.
    Cel Nery, o senhor vai se lembrar, nós vamos repetir a década de 70 na formação da av. de caça.

  15. É NESTE centro que irá acontecer (ou não) o fato de MAIS IMPORTANTE do Programa Gripen para o desenvolvimento tecnológico da FAB e do Brasil…
    A coisa que mais vale em tecnologia e capacitação PARA O FUTURO.
    O desenvolvimento da versão F biplace que (até agora) será EXCLUSIVAMENTE de FAB.

  16. O Chile e outros países vão de Gripen NG num futuro bem próximo, aguardem e veram. É o caça mais moderno e faz muito bem para os bolsos sul-americanos.

  17. off topic: No flightradar tem um avião (1756202) da Embraer fazendo testes sobre o oceano, decolou de São José dos Campos agora está voltando para o continente.

  18. Juarez,

    Tenho uma visão mais otimista em relação a sua informação, se a FAB anunciar o segundo lote em 2021 seria sensacional, acho que ela vai coincidir com a mudança do nosso ciclo econômico.

    O economista mais cético e pés no chão que acompanho diz que o Brasil voltará a ter superávit em 2019, e superávit realmente relevante a partir de 2025/2026, se a FAB anunciar um segundo lote em 2021 o provável é que seja para entrega a partir de 2025, ano seguinte ao fim do primeiro lote.

    Então me parece que os recursos federais estarão voltando justamente quando o segundo lote deve esta pintando. Se conseguirmos 72 Gripen durante o período de 8 anos (2019 a 2027) já estará muito bom, da uma média de 9 caças por ano.

    Fonte: http://www.valor.com.br/brasil/4785427/superavit-primario-so-ocorrera-em-2019-e-pequeno-diz-mansueto

  19. Olá E Silva, sim eu li o Mansueto também, mas tudo isto tem que combinar com os Russos como diria o Garrincha, as reformas tem de passar, as regras trabalhistas tem que ser flexibilizadas, e urge uma reforma tributária, e sem redução de funcionalismo público e aumento de impostos não vamos a lugar algum , a dívida pública bateu nos TRÊS TRILHÕES, a 14,5% ao ano, não preciso te dizer nada, então conforme disse o Charlie Alfa, naquele café da manha para alguns mais chegados, depois que as câmeras e os microfones foram desligados, em 2024 a primeira linha da FAB será composta de 14 A1M e 36 F 39, e por alguns F 5 M que ainda não tiverem caído, sem possibilidades de receber nenhuma anv nova, além do KC 390(o 67 deve vir mas é pontual, usado e barato) por pelo menos dez anos, então até 2026 eu colocaria as barbas de molho.

    G abraço

  20. É verdade Juarez, tudo depende das reformas passarem. Pelo menos a do Teto dos Gastos e a da Previdência já controlariam as despesas. A trabalhista e a tributária já seriam um bônus pois iriam tornar as receitas mais racionais..

  21. Gallitto,

    ” … Apesar de achar o Gripen um excelente caça, deveríamos ter um caça verdadeiramente de superioridade área. …”

    Na América do Sul, o que há superior? É como aquela piada ” Não tenho que correr mais que o tigre, tenho que correr mais que você.”

    Gde abraço,

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here