sábado, fevereiro 27, 2021

Gripen para o Brasil

Snecma vai ajudar a desenvolver motor Kaveri indiano

Destaques

Defesa aérea da Sérvia atingiu outro F-117 durante a Operation Allied Force

A história de como um jato de ataque stealth F-117 Nighthawk da Força Aérea dos Estados Unidos foi abatido...

HENSOLDT: Sistemas antidrone e de proteção de áreas críticas e estratégicas

Nos últimos anos, a venda de drones cresceu muito no mundo. Esses objetos voadores, cada vez mais comuns em...

FAB coordena Operação Escudo Antiaéreo

Operação aconteceu de forma conjunta entre a Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira No período...
Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

gtx-35vs_kaveri

A Organização de Pesquisa e Desenvolvimento da Defesa (DRDO) da Índia anunciou que um contrato foi adjudicado ao fabricante de motores francês Snecma para ajudar o antigo Centro de Pesquisas e Turbinas a Gás (GTRE) a completar o desenvolvimento do motor turbofan Kaveri para o caça Tejas.

A empresa francesa terá que preparar o motor para os voos na aeronave de combate leve Tejas até 2018. O GTRE tem enfrentado dificuldades durante anos para reduzir o peso do grupo motopropulsor e aumentar seu empuxo.

O contrato da SNECMA para ajudar no desenvolvimento do motor do caça Tejas faz parte do “offset” da compra pela Índia dos 36 caças Rafale.

FONTEwww.business-standard.com

- Advertisement -

27 Comments

Subscribe
Notify of
guest
27 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
MARCELO BASTOS

Ta ai uma das contrapartidas da compra dos RAFALE´s

Nonato

Isso sim é tecnologia

Delmo Almeida

Muito bom! Escolheram um bom parceiro para a missão!!!

Pedro Rocha

Olá senhores! No final das contas a Índia acabou levando vantagem! É impagável a tecnologia do M88 que a França vai repassar para a Índia por conta da venda do Rafale! Vejam o que a vaidade da Dassault fez com o contribuinte francês! A França deveria ter ficado no desenvolvimento do Euro Caça mas o senhor S. Dassault preferiu construí 50 caças do que 500 conjuntos de asas! A Índia já domina a integração de aviônicos e armamentos e agora se não houve nenhum acidente de percurso vai alcançar o grupo propulsor. Como é bom negociar com dinheiro em caixa… Read more »

Nonato

Como eles irão ensinar?
Parece que fazer os indianos sabem. Mas não cabe no avião e o empuxo não é o desejável.
Vão recomeçar do zero?
O Brasil deveria estar fazendo isso. Universidades. Alunos projetando, vez por outra a Embraer chegando junto.
Ir fazendo.
Até um dia se aproximar do desejável.

WSMDAL

Não está escrito que vão transferir tecnologia da M88. Vão tentar ajudar a resolver os problemas da Kaveri.

Papan

Também duvido muito francês transferir tecnologia, ajudar não significa transferir.

Maria do Carmo Lacoste

Papan 21 de novembro de 2016 at 20:20 Os franceses eram os mais relutantes na transferência de tecnologia requerida pela FAB, e isso partia dos acionistas majoritários da Dassault, eram terminantemente contra, e eles não estão errados. Transferência de tecnologia é válida quando você está bem adiantado em um projeto ou programa, mas lhe falta algo decisivo, algo sensível que você ainda não tem, que vai demorar e custar muito dinheiro, então você paga a alguém por isso. Mas se você está muito aquém, ou seja, em uma fase bem preliminar de algum projeto, eu não vejo muita vantagem em… Read more »

Antonio Oliveira

É mais difícil consertar uma coisa ruim do que começar outra boa do zero. Existem inúmeras evidências que comprovam essa afirmação.
Abandona isso e começa outra do jeito certo

Luciano Baqueiro

Cara Maria do Carmo Lacoste, a Rolls-Royce forneceu oficialmente o modelo ‘Nene’ p/ os russos ainda na década de 40.

Luciano Baqueiro

Um adendo só p/ contextualizar historicamente : Churchill havia perdido as eleições logo após a guerra e os trabalhistas assumiram. Se o velho ainda estivesse no comando, não passaria na cabeça de ninguém iniciar essa negociação – ninguém ( russo ou inglês ) teria coragem.

Carlos Alberto Soares-Israel

Veremos.
Por enquanto GE 404, será que ficarão assistindo ?

Nonato

Se o Brasil começasse a fabricar turbinas não necessariamente seria boa.
Dificilmente se começa com algo que é excelente.
Durabilidade, economia, desempenho…

Pedro Rocha

Olá senhores! Não subestimem os indianos, pois como havia falado: quem tem “dimdim” num mercado competitivo (até a Ucrânia fabrica turbofans) é quem dita às regras! Só compra 36 Rafaele se houve off set. Lembrando que a Índia tem sim capacidade e vontade de absorver qualquer tipo de tecnologia. Só para ilustrar houve varias criticas sobre o custo da modernização dos Mirage 2000, porem esse custo é irrisório se entender que a Índia agora possui um vetor de penetração estratégica numa plataforma que eles confiam e dominam. O Brasil e a Índia no aspecto de capacidade técnica são bem parecidos,… Read more »

Ivan Recife

Após a compra do Dassault Rafale, mesmo que “apenas” 36 (trinta e seis), mesmo que “de prateleira”, mesmo que em configuração europeia (com os Snecma M88-2 quando os países mais quentes pedem algo mais forte), mesmo com tudo que se possa falar, o caminho natura da Índia era buscar apoio na França para um projeto estratégico como o turbofan Kaveri. . Vantagens para a Índia: . – A Organização de Pesquisa e Desenvolvimento da Defesa (DRDO – Defence Research and Development Organization) está claramente em uma encruzilha tecnológica com o projeto Kaveri. Consegue construir o “danado”, mas falha em alcançar… Read more »

donitz123

De novo?
.
No passado a Snecma já havia abocanhado um contrato de 600 milhões de dólares para ajudar os indianos no desenvolvimento da Kaveri. A Kaveri é um saco sem fundo de recursos e já passou da hora de ser enterrada.

aldqueiroz

Nonato 21 de novembro de 2016 at 18:49
Concordo! Aliás, a CELMA, teria capacidade para uma empreitada dessas?, se houvesse o devido suporte político?…

Jeff

Em resumo, o Brasil não desenvolve tecnologia, não compra, não copia e não rouba.
Nossa falta de vontade de fazer alguma coisa construtiva pelos país e pelos brasileiros é notória.
Parabéns aos Americanos, aos alemães, aos franceses, aos russos, aos ingleses, aos chineses, aos iranianos, e parabéns até para os Norte-coreanos, que para o bem ou mal e cheio de embargos ainda conseguem desenvolver algumas tecnologias que o gigante adormecido não tem.

John

Exato Jeff. Concordo. Somos essa nação de gente em coma.

Maria do Carmo Lacoste

Jeff 22 de novembro de 2016 at 11:06 Você se submeteria a comer carne de cachorro ou insetos, para simplesmente não morrer de fome, em troca da “incrível tecnologia” da Norte Coreia, que o gigante adormecido não tem? Lá também não tem energia elétrica, a maior parte do tempo vivem às escuras. Por que não vai pra lá experimentar viver naquela potência tecnológica? Sobre a Índia, seu PIB Per capita é hoje de US$ 1,6 mil, o do Brasil gira em torno de de US$12 mil. Ninguém come bomba, avião e urânio. A gente tem que ler cada coisa por… Read more »

Delmo Almeida

Maria do Carmo Lacoste, Concordo, mas acho que o ponto que o Jeff falou não é que está pesquisando o melhor preço de passagem para a Coréia do Norte. Todo mundo sabe que eles estão um pouco longe de ser uma Noruega da vida, mas ele se referiu ao fato de terem vontade política de fazer “o que é necessário” para alcançar certas tecnologias. O Brasil é o paraíso na terra nesta comparação, mas mesmo assim seria bom uma dose de determinação de constância na busca por tecnologias sensíveis. Não precisa quer deixar os EUA no chinelo, mas seria legal… Read more »

Delmo Almeida
EduardoSP

Jeff 22 de novembro de 2016 at 11:06
Mas se precisar de gente para fazer uma festa, não tem pra ninguém!

Maria do Carmo Lacoste

Delmo Almeida 22 de novembro de 2016 at 18:06 Falta pouco, muita gente só pegou o Brasil e a FAB comprando avião de segunda mão, avião já antigo, e veja de saímos e onde chegamos…. Fabricamos Super Tucano (êxito mundial), KC-390 (apesar das aves de mau agouro, não tenho dúvida que vai fazer seu sucesso também) e agora o Gripen NG….só para ficar na linha de Hawk Peixoto.. Nenhum país da América Latina nem sonha em ser capaz de algo assim. País aqui do lado, que já foi considerado “potência”, não tem nem no que voar, nada mesmo, faz tempo… Read more »

Jeff

Maria Lacoste, não estou defendendo o gordinho xingLing lá da coréia, só estou comparando que até um país miserável igual ao deles quando tem vontade (mesmo que seja militar), produz alguma coisa. Concordo com você eles não são referencia pra nada. Abraço.

Jeff

Uma vez já disseram que o que o Brasil precisa é um “ditador bom”. E eu concordo.

Pangloss

Jeff,
Todos os ditadores se consideram muito bons. Mas boa parte deles, senão todos, são bem mentirosos.
Sobre a Coreia da Morte, é importante ressaltar a sua dependência da China. Todas as “conquistas tecnológicas” deles são, em verdade, doações chinesas para o malvado favorito de Pequim.

- Advertisement -

Combates Aéreos

Caça Gripen derrotou o F-16 e F/A-18 em exercícios

Em vários exercícios realizados entre os caças Gripen C suecos e aviões de combate de países europeus, o Gripen...
- Advertisement -
- Advertisement -