domingo, maio 16, 2021

Gripen para o Brasil

MiG 1.44 é o pai do J-20?

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

mig-144_j-20

A configuração das asas, dos canards e dos estabilizadores verticais do novo caça chinês J-20 é muito parecida com a do MiG 1.44 russo, que foi desenvolvido para fazer frente nos anos 90 ao futuro Advanced Tactical Fighter (ATF) da USAF. Este último acabou se materializando no F-22 Raptor.

Em 2011, a Reuters noticiou que especialistas suspeitavam que a Rússia teria ajudado a China no desenvolvimento do caça “stealth” J-20, fornecendo tecnologias do demonstrador MiG 1.44.

Esta não seria a primeira vez que a China utiliza um projeto abandonado: o caça J-10 é claramente baseado no caça Lavi israelense.

mig-1-44

MiG 1.44 - 3

MiG 1.44 - 2

MiG 1.44 - 1

- Advertisement -

65 Comments

Subscribe
Notify of
guest
65 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
ALEX SP

As vezes não se precisa criar novos conceitos, e somente aperfeiçoar o que já foi criado.

JPC3/Deagol

Fizeram bem em não construir esse mig.

Felipe Silva

Talvez. Aí também tem um pouquinho de F-22 e F-35 no radome e nas entradas de ar, respectivamente.

Rodrigo M

É provável que sim, embora visualmente o “shape” do MIG não parece ter tanta preocupação com baixo RCS (Radome do radar não é facetado, entradas de ar comuns, portas do trem de pouso também não são facetadas..etc. Como nos 5°G)
Talvez por essas e outras os russos tenham abandonado e partido para um genuinamente “stealth”.
Mas.. Como um caça 5°G não se resume apenas em um “shape” de baixo RCS e este MIG deveria se tratar de um bom projeto, muita coisa pode ter sido reaproveitada e de quebra os russos podem ter faturado algum $$$ com isso.

TJ Lopes

Ou talvez, trate-se apenas do fato que para requerimentos semelhantes a solução seja semelhante.

carcara_br

Se a Mig tivesse levado o projeto em frente talvez o J-20 fosse russo kkkk…
Certamente há alguma relação se é consentida ou não…

Clésio Luiz

Resposta curta: não
Resposta longa: realmente não.
.
O Mig é close-coupled canard o Chengdu não. Isso por si só já desqualifica qualquer parentesco dos dois, para não falar da posição das tomadas de ar.

Dekko

Nao é um clone. É o “pai”, ou seja, serviu de base pra aperfeiçoar.

Gabriel

Muito provavelmente , esses chinas não perdem uma opotunidade sequer de copiar

carcara_br

Clésio,
tem como explica melhor essa terminologia, fiquei meio perdido

Bardini

Clésio Luiz 2 de novembro de 2016 at 17:58
.
Comentário muito interessante. É algo que eu nunca havia percebido.
.
Gripen, Rafale e Typhoon optam pelo close-coupled canard, pois esta configuração possibilita maior desempenho em missões de superioridade aérea, permitindo realizar manobras com grandes ângulos de ataque em velocidades subsônicas, por exemplo.
.
Seria o J-20 um Long-arm canard, já que esta configuração é mais recomendada para aeronaves que visam com um perfil de voo supersônico na maior parte do tempo?

Renato Passos Santos

Mas… Eu achava que o Typhoon também fosse considerado long-arm canard e otimizado pra velocidades super sônicas… Será que o Iväny tá lendo essa discussão? 🙂

Ubiratan Schuch Pinto

J-10 é baseado no Ye-8, não no Lavi.

Edcarlos

Também tem esse:

https://www.youtube.com/watch?v=yUBHciefBz8

Saudações!

Renato Silva

Sempre me lembro do filme “Firefox” com Clint Eastwood.

Delfim Sobreira

China gosta de design’s abandonados.
O JF-17 tem cara de F-20, o J-10 de Lavi, agora o J-20 com pinta de MiG-1.44.

ScudB

Resposta – não.
O pai do J-20 é MIG 1.46 cuja documentação foi vendida para China após fechamento do projeto.
Um abraço!

USP

O j-10 é baseado no Ye-8. É melhor copiar do que não fazer nada….

Rommelqe

Realmente, o J20 não tem muita coisa em comum com o Mig1.44 avião. Essa questão muito bem colocada pelo Clesio, pode ser vista na distancia entre os planos horizontais que passam pelas cordas dos perfis das asas, logicamente considerando um posição neutra dos carnards, e que são mais proximas quando vistas em planta. A denominação close-coupled significa, simplificadamente, que a iteraçao dos fluxos nos carnards “mais perto” das asas são mais intensas, em particular na região da fuselagem. No F20, os carnards são poisicionados praticamente no mesmo plano das asas principais e a aresta de saida relativamente distante da borda… Read more »

Rommelqe

Outra observação: as escalas dos dois aviões no desenho comparativo parecem ser diferentes. O mig seria menor do que ilustrado, ou é só impressão?

Wellington Góes

O Mig 1.44 foi uma resposta da Mig baseado nos eurocanards, não à toa a semelhança, especialmente, com o Typhoon (tomadas de ar) e Rafale e Gripen (posicionamento dos canards pós cockpit) e, conforme citado mais acima, o caça russo tinha como objetivo ser um multifuncional, igual aos parentes europeus. – Isto não quer dizer que o J-20 não tem nada de parecido com o Mig 1.44, na a solução aerodinâmica é muito parecida sim (delta canard, dupla deriva vertical e dupla barbatanas dorsais, ambas levemente inclinadas para fora, além de um pequeno distanciamento destas em relação aos motores, o… Read more »

Celso Reis

Se ter asas em delta e canard é sinal de que foi copiado, então o Rafale é cópia do Typhoon que é cópia do Gripen que é cópia do Rafale…, não se pode ser tão prosaico nesta questão, é apenas uma configuração semelhante. Se pensarmos que realmente é uma cópia por ter esta configuração, na aviação comercial quase todos os aviões seriam cópias uns dos outros, DC-8 cópia do 707, o CV-990 cópia dos dois primeiros, A-320 cópia do 737 e por ai vai…

Django

O Mig 1.44 é pai do Rafale, Typhoon e J-20.

JPC3/Deagol

O que o Rafale tem a ver com Mig-1.44?

JPC3/Deagol

O Gripen é totalmente diferente do F-20.

JPC3/Deagol

“”Django 2 de novembro de 2016 at 23:18″”

Basta olhar para o avião para ver que você está errado.
Mas também, com a coragem de dizer que o mig é pai do Rafale não duvido de mais nada.
Eu achei que era piada até, o Rafale veio até antes.

Basta olhar com os olhos. Não é porque teve influência que o avião seja o mesmo ou até parecido. São aviões muito diferentes.

Pela sua lógica o Gripen é um F-5 dos anos 60? Porque é mais ou menos isso que o F-20 é.

Bardini

Django 2 de novembro de 2016 at 23:09 . “Depois do Derby equipando os A-4 na década de 90 na MB” . Meu comentário: Bardini 31 de outubro de 2016 at 20:29 . “O Derby foi introduzido na metade dos anos 90, se não me falha a memória. Poucos A-4 ainda voavam nesta época. E os que voavam, já tinham ou estavam em processo de modernização ou em desativação.” . Vou desenhar para você, já que não entendeu: Me referia a possível data de introdução do Derby no mercado. Nesta época, poucos A-4 ainda voavam pelo mundo “E os que… Read more »

Iväny Junior

Olá Renato . Bem lembrado sobre o “grand arm” ou “closed couple” em relação aos canards do Typhoon. A meu ver, os do Typhoon também são otimizados para velocidades supersônicas (uma vez que ele faz mach 1.4 em supercruise). . Quanto a semelhança e primeiro protótipo do Mig-42 ou 1.44, vejo sim muitas semelhanças com o J-20, vide porte físico e motorização iguais, porém, é necessário ver que este avião seria o primeiro de uma série. Eles provavelmente estavam testando uma forma base para a fuselagem, uma liga de metais de baixa reflexão e a disposição de manobrabilidade do delta-canard.… Read more »

Alexandre Santos

Apenas para informar, na cultura Chinesa copiar não é feio e tem muito valor é assim que eles pensam, por isso….. tudo é válido,

Ulisses

Pessoal li em outros tópicos que a China tornou dados do F-35. Eles podem ter pego o projeto do Mig 1.44 é aplicado conceitos e tecnologias adquirisse com esses dados, além é claro do desenvolvimento local.

Hawk

Uma coincidência: no jogo “Command and Conquer Generals” que é a China vs EUA o caça da China é justamente o MIG 1.44. Até meu filho que viu a matéria do J-20 aqui no site achou que era o mesmo avião do jogo.

Joao Vasco

Alguem sabe dizer que fim deu o Su-47, a russia ainda pretende fabricar ?

Juliano Bitencourt (JB )

Copiar só vale a pena se tiver um plano, um programa, uma estratégia, devidamente apoiada pela sociedade. Na China vale a pena, pois não vai ser descontinuado. Fico pensando no caso brasileiro, temos condição não só de participar do desenvolvimento do Gripen biplace, do Sea Gripen, mas também, Embraer e Saab desenvolverem um caça de 5° geração com a mesma filosofia do Gripen. Com tecnologias que hoje já são provadas e aprovadas. Sem abusar de tecnologias super caras. 5° G. pé no chão.Temos capacidade técnica e financeira para isso. E poderíamos ainda por cima lucrar, vendendo um 5G acessível para… Read more »

JPC3/Deagol

Juliano Bitencourt (JB ) 3 de novembro de 2016 at 12:36 Sem desdenhar da nossa Embraer não acho que temos capacidade técnica e financeira. Competência acredito que nossos engenheiros tenham, mas a capacidade técnica precisa ser desenvolvida. “”Com tecnologias que hoje já são provadas e aprovadas.”” O problema é que essas tecnologias provadas e aprovadas não são de quinta geração. Como ECM no radar ou unidades hidráulicas independentes. Nós aqui comentaristas nem sabemos do que um caça 5G de verdade faz. Na minha opinião, é claro. Se Rússia e EUA demoram 15 anos… Fazermos junto com a SAAB até acredito… Read more »

Delfim Sobreira

Eu já sei que avião os chineses copiaram… hehehe…

https://www.youtube.com/watch?v=4yySrcLlSmc

MadMax

Bobagem.
São bem diferentes.
É como se o engenheiro que desenhou o MiG 1.44 tivesse sido contratado uns quase 25 anos depois para instruir um monte de engenheiros chineses a fazer um caça bombardeiro.
A evolução das soluções tecnológicas de 1/4 de século fazem eles serem bem diferentes.

ScudB

Amigo João Vasco!
Projeto C-37/Su-47 foi fechado. O exemplar existente continua sendo usado como laboratório.
As soluções e “descobertas” foram catalogadas e parcialmente transferidos para outros projetos (PAK FA , por exemplo).
Um abraço!

Juliano Bitencourt (JB )

JPC3/Deagol 3 de novembro de 2016 at 13:39
É muito difícil mesmo. Precisaria que o mais alto nível de comando desse apoio total, irrestrito. E mesmo as tecnologias já conhecidas e usadas na 5 g. teriam que ser simplificadas, ou barateadas. Brasil, Suécia e India(se não tivesse no T50), mas Coréia do Sul poderiam financiar. Mas agora minha viagem na maionese foi longe demais. Melhor voltar para a realidade dos Super Tucanos, ultra AMX e mega F5.

Marcos

O que poderia recair de um projeto para o outro seriam soluções encontradas, por exemplo, no desenho dos componentes internos da aeronave. O próprio Mig 1.44 originalmente tinha os estabilizadores verticais instalados sobre o motor, sendo posteriormente afastados.

Rommelqe

Se tiver asas principais e canard for uma premissa para serem aeronaves iguais então o precursor foi o flyer dos Wright? Ou o 14-bis do Santos Dumond? Sim, voavam.

Rommelqe

Se possuir…..

zorannn

Não sei porque se dá tanta importância ao ‘copiar’. Isto acontece em todo lugar e em todos os ramos de negócio. Você monta uma empresa e um ramo novo ou um novo produto e em 6 meses terá inúmeros concorrentes. E o vencedor, aquele que deve conquistar o mercado, nem sempre é quem teve a idéia inicial. Para copiar também é necessário ter competência e conhecimento técnico. Todos copiam. . Se o rítmo de crescimento econômico chinês continuar o mesmo, em poucos anos estarão dominando inúmeros mercados, inclusive em produtos de alta tecnologia. Tudo ali é feito de forma planejada.… Read more »

zorannn

Uma observação interessante: . Estamos acostumados a ver aí inúmeros armamentos, mockups, modernizações no Irã. E sempre questionamos se estes desenvolvimentos eram reais, ou se não passavam de propaganda. Ainda ficávamos surpresos de ver F-14 e F-4 voando após tantos anos de embargo americano. . O Irã forma 4 vezes mais engenheiros do que a gente. Se somos capazes de desenvolver um míssil ar-ar, um torpedo pesado nacional, um missil de cruzeiro, por que o Irã não seria? . Eles fizeram um acordo, estão conseguindo derrubar os embragos e estão investindo em formação de mão de oibra. Oque ainda não… Read more »

Renato Carvalho

Zorannn.
1.101.568 engenheiros?? isso aí não ta inflacionado não?
Ta certo que tem gente a dar com pau na China mas não vejo onde alocar tanta gente anualmente!

zorannn

Mais um dado interessante: . Em 2000 a China teve 1.832 patentes registradas na área tecnológica. Os EUA tiveram 1.875, a Russia 1.962 e o Japão 935. . Em 2010 a China teve 60.908 patentes registradas na área tecnológica. Os EUA tiveram 11.905, a Russia 5.698 e o Japão 7.332. . O registro de patentes é resultado direto dos investimentos em pesquisa. Notem que todos estes países aumentaram muito seus investimentos em pesquisas na primeira década deste século. Isto fruto direto da globalização dos mercados. Ou seja, o principal é investir no desenvolvimento de produtos/tecnologias e em seguida produzir onde… Read more »

hamadjr

A China não esta sendo considerada potência somente porque tem gente que compra produtos medíocres, já uma potência por que aproveitou sua cultura milenar num projeto de sociedade, para quem não sabe eles tem desenvolvidos carros elétricos de melhor performance sem concorrentes.

zorannn

Olá Renato Carvalho!
.
Dei uma pesquisada aqui: Em 2012 eram 4.193.129 alunos cursando engenharia na China (dados do World Bank International Benchmarking Study, 2012). Então terem formado mais 1.100.000 engenheiros em 2015 parece ser um numero bem real. Se a Russia forma 400.000 com a população que dispõe, não vejo porque a China não possa formar mais de 1 milhão.

Bardini

zorannn 3 de novembro de 2016 at 20:50
.
Falando em copiar, a China é o que é hoje pq Deng Xiaoping copiou boa parte do modelo que Lee Kuan Yew desenvolveu em Cingapura.

Renato Carvalho

zorannn,
isso explica muita coisa, o que se diz da China em grande parte aqui por foristas não passa de preconceito, me fez lembrar quando Hitler pediu um relatório sobre a URSS antes de invadi-la, depois de dar com os burros n´agua se convenceu de que o relatório estava eivado de informações baseadas em preconceitos, deu no que deu..

ScudB

Brasil precisa de (no minimo) triplicar a quantidade dos engenheiros lançados para MERCADO a cada ano.Qualidade desses engenheiros nem vou colocar como questão HOJE. Exemplo : um engenheiro com especialidade em radio-tecnica (espécie de radio eletrônica generalizada e ampliada) faz: – mais de 400 horas de matemática superior com direito de facultativo de mais 50-100 horas com matérias como “interpolação pelo método dos splines” bhuauauauauaua!!! – mais de 400 horas de circuitos – mais de 400 horas de eletrodinâmica – mais de 320 horas de transmissão – mais de 320 horas de codificação e etc etc E isso sem horas… Read more »

zorannn

Comentário ficou preso.

Reportagens especiais

‘Se é bonito, voa bem’ – o Dassault Mirage

Mirage é um nome dado a vários tipos de aviões a jato projetados pela empresa francesa Dassault Aviation (anteriormente...
- Advertisement -
- Advertisement -