segunda-feira, maio 17, 2021

Gripen para o Brasil

1° Grupo de Defesa Aérea realiza campanha de tiro aéreo

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

f-5em-tiro-aereo

O treinamento foi a oportunidade de formar líderes de esquadrão da aviação de caça

Militares do 1° Grupo de Defesa Aérea (1° GDA), sediado em Anápolis (GO), realizaram, no final de setembro, o primeiro treinamento de tiro aéreo com as aeronaves F-5M. O objetivo foi capacitar os pilotos do esquadrão no emprego armado ar-ar da aeronave. A campanha ocorreu em Santa Cruz (RJ).

No treinamento, os pilotos utilizaram o canhão de 20 mm contra um alvo aéreo de 10m de comprimento por 1,8m de altura. O alvo foi rebocado por outra aeronave F-5M a uma distância de 500m.

Para verificar os acertos, os pilotos utilizaram um método com cores. As aeronaves atiradoras, por exemplo, tinham munições pintadas de verde, azul, vermelho ou amarelo. Já o alvo, que também é chamado de biruta, ao ser alvejado em voo, ficava com as marcações das cores das munições. Dessa forma, cada piloto pode aferir os resultados após o recolhimento do alvo.

Além de aperfeiçoamento dos pilotos, a campanha de tiro aéreo foi importante para o treinamento dos militares que lidam direta ou indiretamente com armamentos aéreos e dos mecânicos de aeronaves. Eles realizaram o preparo e municiamento das aeronaves, com foco especial na segurança de voo, ao longo de todo o exercício que teve duração de 12 dias. O 1º GDA contou ainda com o apoio de manutenção do 1º Grupo de Aviação de Caça (1° GAVCA).

Segundo o Comandante do 1° GDA, Tenente-Coronel Cezar Fischer da Silva, a campanha é importante para manter os pilotos treinados no emprego ar-ar de armamentos. “É primordial para que a III Força Aérea (unidade que coordenada a aviação de caça da FAB), possa aferir o desempenho das tripulações e dos sistemas de armas no cumprimento das Ações de Defesa Aérea. Além disso, a esse tipo de deslocamento operacional permite também treinar uma importante característica do poder aeroespacial: a mobilidade”, ressaltou sobre a distância percorrida pelo esquadrão entre Anápolis e Santa Cruz (RJ): cerca de 920 km.

f-5em-pc

Líderes de esquadrão

O treinamento também foi a oportunidade para formar novos líderes de esquadrão da aviação de caça. Isso foi possível porque eles comandaram a missão de deslocamento de Anápolis para o Rio de Janeiro com a condução segura de sete aeronaves.

FONTE: FAB

- Advertisement -

31 Comments

Subscribe
Notify of
guest
31 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
E.Silva

Como estão a formação dos pilotos para o Gripen NG? Além daqueles dois oficiais outros também vão para a Suécia? Os dois que foram estão treinando em simulador?
Seria interessante acelerar a formação destes aviadores já que os F-5M estarão nas últimas daqui a 5 anos, além de diminuir o tempo necessário para que o GDA esteja operacional no Gripen.

Clésio Luiz

A FAB receberá os primeiros Gripens E antes do modelo F biposto, imagino. Então é provável que a formação nos primeiros anos serão feitos na Suécia, em Gripens D?

Caçador Cometa

Clésio existe um cronograma para que sejam enviados pilotos à Suécia. Em número de 10 se não me falha a memória.

Marcio

Nao entendi como funciona esse sistema de alvo alguem poderia me explicar?
Eh muniçao real?

Marcio

Nao entendi como funciona esse treinamento, é com munição real?

Tadeu Mendes

E o treinamento com misseis ar-ar? Não fazem?

Caçador Cometa

Marcio,
Sim com munição real. A ponta dos projéteis é pintada cada qual em uma das cores mencionadas no texto.

Tadeu Mendes,
Como já fora mencionado pelo Cel Nery, nem a USAF realiza treinamento para todos os seus pilotos com lançamentos de mísseis ar-ar. O que é feito é uma campanha de lançamento, com os mísseis que se encontram com as suas validades prestes a irem pro espaço.

Abraços

Junior Cesar

É bom treinar mesmo, pra vê se assim eles tenham uma chance contra os poderosos caças Venezuelanos.KKKKKKKKK

Luiz Antonio

Boa noite.
Na minha condição de leigo creio que posso perguntar: Tiro áereo com canhão e alvo rebocado? Isso sugere Dog-fight. Contra quem iriamos combater? Algum especialista poderia esclarecer o cara-pálida que vos escreve?

Caçador Cometa

Não necessariamente um dogfight. O tiro de detenção ocorrido ano passado foi realizado em condições bem mais estáveis e vem de um treinamento como este esclarecido pela matéria.

Rinaldo Nery

Complementando o que o Caçador Cometa postou, o circuito de tiro aéreo é um “ballet” no céu. Na minha opinião, é uma das modalidades onde se exige mais “pé e mão” e visão espacial. O alvo, depois, é alijado próximo à pista, e é realizada a contagem dos acertos (a tinta permanece nos furos) com a presença do piloto do reboque e dos atiradores. Há uma fase de treinamento (100 cartuchos por aeronave) e 10 passes por aeronave (se não me engano). Depois há uma fase de qualificação, com 10 ou 20 cartuchos por aeronave, e passe único.

Luciano

Cel Nery, essa quantidade de projeteis permanece para o treinamento dos novos F5EM com um canhão apenas?

Rinaldo Nery

Boa pergunta, Luciano. Acredito que sim. Com o novo software de pontaria e HUD a precisão ficou superior ao modelo antigo com dois canhões.

Carlos Alberto Soares

A FAB poderia ter divulgado imagens.
Bom manter a faca entre os dentes.

paco

Não adianta. Maduro tem Sukhois modernos novos de fábrica. Melhor nem nos defendermos, a vergonha seria maior e seriamos humilhados eternamente pelos maduristas.

paco

Venezuela só impõe respeito agora por terem tido um presidente general peitudo, apesar de esquerdista Chavez era general e tinha ousadia e coragem. Reformou todas as forças bolivarianas e deu dignidade para os militares que agora são bem equipados e não servem só para desfile. Diferente das nossas FAS que são cabides de emprego para adolescentes filhos de oficiais. Podem me apedrejar, mas essa é a verdade.

Mauricio R.

O treinamento realizado teria mais a ver com as competições “William Tell” e “Gunsmoke” da USAF.

Rui chapéu

paco:
“Reformou todas as forças bolivarianas e deu dignidade para os militares”

Mas deu papel higiênico tb ou só dignidade??

Carlos Alberto Soares-Israel

paco 13 de outubro de 2016 at 9:28
General ?
Pesquise, vai estudar !
Ten Cel

Silvio (Solskhaer)

Creio que em qualquer força aérea do mundo há treinamentos e aperfeiçoamentos de pilotos e armas, porém, há os para a imprensa noticiar e os secretos, obviamente.
O quê isso quer dizer para mim: Vamos treinando com o que temos pessoal e seja o que Deus quiser!

Luiz Antonio

Em relação aos comentários do colega Paco, independente das suas alegações quanto à patente do Chavez, concordo com ele quanto às diferenças de importância das às Forças Armadas dos respectivos países. Enquanto a Venezuela possui aeronaves mais modernas (aprestadas ou não para o combate) e não possuem papel higiênico, aqui no Brasil os militares dizem amém a políticos corruptos que os puseram de joelhos e quem sabe alguns até na cadeia por retaliação ideológica e estou me referindo não apenas aos Ptralhas, pois esse desmonte das FA Brasileiras já vem de longa data, iniciado por FHC e posteriormente com golpes… Read more »

Gustavo

Falando nisso, como sera que esta o aviador que deu um rasante com mirage 2000 em Brasilia? Espero que esteja bem e voando.

Rinaldo Nery

Ai, cada coisa que eu leio… “Treinamentos secretos”, “oficiais presos pelo PT”, “General Chavez, que deu dignidade”.
O oficial em questão foi, depois do ocorrido, instrutor no 2°/5° GAV, formando novos caçadores. Não fez nada demais. Aliás, fez o que mandaram ele fazer. Está muito bem, obrigado.

Tadeu Mendes

Paco,

O peitudo do Chavez morreu e a Venezuela também.

O Chavez já foi enterrado (quem descanse em paz no inferno), mas a Venezuela continua podrindo dia a dia.

Ter dignidade significa ter papel higiênico para limpar o traseiro. O mal cheiro deve estar insuportável naquela latrina chamada Venezuela.

Rinaldo Nery

No inferno fazendo companhia aos assassinos covardes Che Guevara e Carlos Marighela. Logo Fidel vai se juntar aos três.

Caçador Cometa

Caro Paro.

Não foi bem o que vi em duas viagens pelo interior da Venezuela. Lá suborna-se policiais em beira de estrada com chocolate para te deixarem passar até onde desejas ir. Me diga onde há dignidade nisto?

Não vivo em um cabide de emprego muito menos sou filho de oficial. Meu pai ficou na escola até a quinta série do fundamental. Minha mãe até a oitava. Não me considero melhor que ninguém nesse mundo, mas botei meu nome naquela relação de pilotos da associação brasileira de Pilotos de Caça. Pense melhor antes de escrever bobagens.

Delfim Sobreira

Cel Nery.
.
O piloto do rasante fez a citada manobra por ordens ?
Os danos foram inesperados ?
Ou foi pra dar um susto na Véia, sabidamente com medo de avião e um estorvo pros pilotos do GTE ?
.
Não fale o nome de Marighella, Coronel. Não dê idéia, embora eu ache que os esquerdinhas atuais não tem estofo. O único que morreu atualmente foi um cinegrafista jornalístico e ainda tem gente da imprensa clamando pela absolvição de seus assassinos.

Rinaldo Nery

Delfim, era cerimonia de troca da bandeira na Praça dos Tres Poderes, sob responsabilidade da FAB. A III FAE, atendendo ordens, determinou a passagem baixa sobre a cerimonia. Mirage 2000, assim como outra aeronave de caça da mesma categoria faz muito barulho. Não podia dar outro resultado.
Paro, também não sou filho de oficial. Fui competente e passei no concurso da EPCAR, em 1979. No Estado de Santa Catarina todo passamos só dois, eu e o meu amigo Yochikatsu Sogo. Ah, continua sendo mais concorrido que FUVEST etc.

Farroupilha

Independente da idade, do número, e das potencialidades de nossos F-5, gosto muito deles. Bom treino para seus pilotos! – – Se tivéssemos indústria aeronáutica, e industrialização em geral, desde o início do século passado, bem que esse caça poderia ter sido um projeto brazuca SBBB… simples, bom, barato e bonito lá na década de 60, sendo vários degraus acima do Xavante, e claro descartando a compra dos Mirage III, e sendo fabricados mais de 200 F-5 só para nós (de Xavantes foram 166), isso sem contar as centenas para exportação então. Mas como o Brasil gosta muito de só… Read more »

Vagner

Quanta sandice…
e só para constar, já que parece que é demérito, o filho de Oficial (cujo pai ganha menos que dezenas de carreiras públicas) também faz o mesmo concurso público que os civis, para entrar nas FFAA.

Renan

No começo do ano, conversando com um piloto se A-29 ele me disse que não se faz mais disparados aéreos usando birutas, pois o disparo real havia sido substituído por “sistemas eletrônicos”. Não entrei em detalhes.

Reportagens especiais

Primeiras fotos da apresentação do protótipo do KC-390

Os editores do Poder Aéreo estão nas instalações da Embraer em Gavião Peixoto, no interior de São Paulo, participando da...
- Advertisement -
- Advertisement -