sábado, fevereiro 27, 2021

Gripen para o Brasil

Temer na China: aviões na pauta

Destaques

Defesa aérea da Sérvia atingiu outro F-117 durante a Operation Allied Force

A história de como um jato de ataque stealth F-117 Nighthawk da Força Aérea dos Estados Unidos foi abatido...

HENSOLDT: Sistemas antidrone e de proteção de áreas críticas e estratégicas

Nos últimos anos, a venda de drones cresceu muito no mundo. Esses objetos voadores, cada vez mais comuns em...

FAB coordena Operação Escudo Antiaéreo

Operação aconteceu de forma conjunta entre a Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira No período...
Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

T-Xc protótipo no DCTA e vice-presidente Michel Temer - foto 2 Novaer
Michel Temer quando ainda era vice-presidente conhecendo o protótipo do T-Xc no DCTA

ClippingNEWS-PAAlém de tentar fechar o máximo possível de negócios com os chineses, o presidente Michel Temer usará a reunião do G20 para fazer negociações paralelas. O principal interesse é atrair investimentos para a área de infraestrutura, mas outros assuntos estarão em pauta como a venda de aviões brasileiros, a relação com a Venezuela e até uma possível nova formatação do Brics (sigla do grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). De acordo com fontes ouvidas pelo GLOBO, a Arábia Saudita quer o apoio do Brasil para entrar no bloco, o que é visto com “bons olhos” pelos membros do grupo.

Temer conversará sobre o assunto com o vice-primeiro ministro do país, o príncipe Mohammad bin Salman Al Saud. Agradecerá o apoio da Arábia Saudita à reforma das estruturas de governança global, em especial do Conselho de Segurança das Nações Unidas. E tentará negociar com o príncipe aviões da Embraer. O Brasil tem interesse em vender para os sauditas aeronaves de transporte milita e reabastecimento KC-390.

Esse será o primeiro encontro de um chefe de Estado brasileiro com uma alta autoridade saudita desde a visita oficial do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva a Riade em 2009. A Arábia Saudita é o principal parceiro comercial do Brasil no Oriente Médio e é aliada dos Estados Unidos, país que já declarou apoio ao novo governo brasileiro.

Temer agradecerá o apoio da Arábia Saudita na suspensão, em novembro do ano passado, do embargo às exportações de carne bovina brasileira, medida que favoreceu o comércio bilateral.

O presidente tentará negociar as aeronaves militares da Embraer. Em reunião com o primeiro ministro italiano, Matteo Renzi, Temer aproveitará o interesse italiano na aquisição das aeronaves. A Itália já manifestou o interesse em comprar os aviões. As entregas devem começar no ano que vem. Esse é um dos itens da pauta cheia com o italiano.

Ele também pedirá o apoio da Itália à negociação de acordo de livre comércio entre o Mercosul e a União Europeia. E ainda tentará atrair investimentos italianos para a área de infraestrutura no Brasil.

Com a Itália, a relação bilateral anda boa. Há dois meses, foi fechado até um acordo para o comércio de pequenas e micro empresas e cooperação de smart-ups. No entanto, Temer terá de fazer uma reaproximação com outros países.

É o caso da Espanha. Com Mariano Rajoy, presidente em exercício, Michel Temer terá uma agenda mais simples e genérica. Segundo fontes ouvidas pelo GLOBO, o presidente pedirá apoio para o acordo dos europeus com o Mercosul e investimentos.

A última vez que chefes de Estado dos dois países se reuniram foi em 2012. O governo brasileiro considera que essa é uma boa oportunidade para retomar contatos bilaterais de alto nível. Ele convidará o Rei Felipe a visitar o Brasil no ano que vem. Temer quer dobrar o comércio com a Espanha até 2025.

Com o espanhol, o presidente ainda falará sobre a situação da Venezuela. Defenderá o referendo para a manutenção ou não do presidente Nicolás Maduro no poder e dirá que a prosperidade daquele país _ que amarga a maior retração do mundo _ é importante para o Brasil. No entanto, lembrará que as relações estão suspensas e que o governo venezuelano seque aceitou as doações de remédios que o Brasil ofereceu.

Já com o primeiro ministro japonês, o interesse é a venda de carne “in natura”e frutas e investimentos em infraestrutura.Temer dirá que quer visitar o país o mais breve possível.

FONTE: O Globo

- Advertisement -

54 Comments

Subscribe
Notify of
guest
54 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Jakson de Almeida

Aproveita e negocia umas fremm’s italianas por alguns esquadrões de KC-390.

Tomcat3.7

Prefiro que negocie corvetas chinesas (e fragatas também).

Pantineiro

Tomara mesmo que seja uma viagem produtiva para o nosso pais.

Bueno

e o T-Xc onde entra?

zorannn

É isto aí que presidente tem que fazer no exterior. Tentar melhorar a venda de nossos produtos.

Carlos Campos

Quero q ele afunde o São Paulo, ele é buraco negro de recursos, e ainda gerador de acidentes.

Conteo

Vender KC-390 a rodo, renegociar com a UE e se reaproximar com o mundo fazendo negócios de alto-nivel. Finalmente um governo que queria entrar no grupo de gente grande.

Temer não é nenhum santo, mas ele já está fazendo mais do que a Dilma fez em 8 anos.

Tamandaré

Se ele é “golpista” eu não sei. Mas que é UM BILHÃO DE VEZES melhor presidente que a Dilma…. ahhh, isso ele é com certeza!!! 🙂
.
Boa tarde a todos

Tamandaré

Amigos, desculpem o OFF TOPIC:
.
Parece que ouve um incidente com um IA-63 Pampa II do Grupo 4 de Caça. Houve poucos danos e o piloto pousou em segurança. Alguém saberia algo a mais?

Wellington Góes

Pra vender à Arábia Saudita, não precisa de pedir bença aos EUA, como a reportagem do GLOBO (que é de se esperar) deixa a entender. Ô viralatice dos diabos!!! :/ – Quanto a esta possibilidade de estender o BRICS aos sauditas, será uma boa moeda de troca a venda de aviões KC-390 e assim postergar, ou quem sabe enterrar de vez, a aquisição de aviões Antonov, como se veiculou tempos atrás. – Já os italianos, acho pouco provável o KC-390 emplacar alguma venda a eles (a relação com a LM e seu C-130J é carnal com o C-27J), ou qualquer… Read more »

Maria do Carmo Lacoste

Wellington Góes 2 de setembro de 2016 at 17:05
Já acho que o KC-390 na Itália tem muito mais chances que o A-29, tão pouco o Emb-145 faz sentido pra eles.. eles já devem usar algo mais padrão OTAN…
Acho que o KC-390 para a Itália é via de mão dupla para os AMX italianos descomissionados e que a FAB tem interesse em comprar, para nós é negócio… outra coisa, quem vai comprar os AMX da Itália se ninguém mais no mundo usa esse avião?
Arábia Saudita no BRICS é tudo de bom também…

augusto

MT bom so nao pode reconhecer a China como economia de mercado como a politica desastroza do nine fez !

Clésio Luiz

Eu tenho ressalvas com um maior relacionamento com a Arábia Saudita. Embora eles tenham dinheiro a rodo, o suposto financiamento por parte deles de grupos extremistas é algo muito delicado politicamente.

Nonato

Não concordo Arábia saudita nos brics. Daqui a pouco haverá 50 países.

Nonato

Brics é a reunião de potências emergentes.
Apesar de características bem distintas (inclusive Índia e China que são adversários) têm interesses comuns.
Colocar a Arábia saudita é colocar um estranho no galinheiro.
País árabe, não é potência. Pode acabar se tornando uma Venezuela do Mercosul.
Só faz atrapalhar…

Jr

Clésio, os EUA, a China, a Grã Bretanha, a Itália, a Espanha, a França, enfim muitos países ocidentais não tem ressalva alguma de fazer negócios com eles, porque o Brasil teria?

Wellington Góes

Maria, os EMB-145 AEW&C gregos são padrão OTAN, os A-29 seriam para apoiar suas tropas terrestres em TO como o Líbano e o próprio Afeganistão, por exemplo, ou mesmo no Iraque. São bem mais em conta do que os Tornados, ou os Giblis (AMXs italianos). Quanto aos AMXs excedentes, corroboro com tua afirmativa, não existe outro mercado que não a FAB.

Clésio e Nonato, também tenho as minhas ressalvas quanto à Arábia Saudita, mas negócios são negócios.

Grande abraço e um ótimo final de semana a todos!!! 😉

Gutin

A AS como qualquer outro pais deve ficar fora do BRICS na minha opiniao, ate a Africa do sul nao era pra ter entrado rra pra ser bric e so

Clésio Luiz

Jr, segundo o texto, a AS já é o maior parceiro comercial do brasil na região. Então nós também fazemos negócio com eles. . A ressalva que eu me refiro é na arena política, envolvendo Conselho de Segurança da ONU e coisa e tal. Muito se comenta sobre as coisas sórdidas que o dinheiro saudita financia, a intervenção deles no Iêmen, etc, e eu não acho que seria bom para nós quando o negócio estourar e eles começarem a recorrer aos seus “parceiros” para apoio diplomático. Claro que nós estaríamos lá trás na lista, mas mesmo assim, terroristas adoram uma… Read more »

Renato Vieira

Bem….ao menos os pensamentos e atitudes já mudaram um pouco, o planalto e o Itamaraty já não vêem um inimigo no norte (EUA), já deixamos de priorizar parcerias com Cuba, Bolívia, Equador, e demais membros da ALBA. E é isso, se quisermos sair da crise e fazer jus a uma das letras o BRICS temos que focar quem compra, quem tem algo para oferecer. …e não quem vem nos “pedir” e “receber” porto e outras coisitas más! Parece que botaram fogo do bananal, há muitos outros produtos mais interessantes e valorozos para se vender ao invés de fazer escambo com… Read more »

Alex

Arábia Saudita não é potênci. Veja os números daquele pequena terra. E depois veja o seu arsenal.

Nonato

Alex. Respeito qualquer país.
Mas você entendeu o que falei. São um dos maiores produtores mundiais de petróleo (Venezuela, Irã, Iraque e Nigéria também são). Quanto ao arsenal não a torna uma potência econômica, diplomática, etc. Há outros países muito bem armados que estão longe de ser potência. Grécia, Paquistão, Polônia, Coréia do Norte…

Bardini

A AS tem um orçamento militar maior que o da Rússia… Bem que poderia tentar trazer um bolo desses petrodólares pra cá.

Billy

Esse Bric é uma piada. É o inoperante Mercosul nivel mundial. Não passa duma bobagem retórica duma patota anti ocidente. Um paiseco sem projeção alguma como a Africa do Sul foi incorporado apenas para uns negros serem mostrados como “bandeira” contra os pérfidos homens brancos heteros do oeste. Agora mais uma ditadura, patrocinadora do terrorismo internacional, Arábia Saudita, quer se juntar à gangue. Temer vai continuar nessa armadilha?? Deveríamos nos retirar já desse grupo.

Bruno

Um passo MUITO importante, é sair desse MERCOSUL que é algo 200% inutil! Se nem a União Europeia era importante o suficiente pro Reino Unido, porque seria o MERCOSUL para nós? O MERCOSUL é uma piada, porque não funciona, ninguém da a minima pra ele, obviamente porque os próprios membros não o dão! É quela velha história, tem alguma vantagem carregar uma roda nas costas? Não? Então para de carregar, pô!
Não queria falar de política aqui, mas nesse caso não teve como.

Farroupilha

Algumas coisas levantadas neste post e nos comentários são ótimas para várias horas de boa conversa num bom lugar. Como o espaço aqui é limitado vou apenas ficar numa: Arábia Saudita + BRICS… Vejam como o destino geográfico é amargo no caso de alguns países, no caso do Brasil o colocou longe dos principais mercados consumidores do mundo e entre tranqueiras a leste, oeste, norte e sul, que além de subdesenvolvidas, também são das maiores produtoras de entorpecentes do mundo bem coladinhas em suas fronteiras terrestres. No caso da AS, a geografia a colocou num deserto torrificante e cercada de… Read more »

Gilberto

O problema é que a Arabia é (ademais de potencia militar) sobretudo potencia economica e financeira, e agora começaram a investir em tecnologia, assim que em pouco tempo poderiam ser potencia tecnologica

Gilberto

Quem desdenha do Mercosul, é porque não conheçe a importancia que ele teve e ate mesmo tem para a industria do Brasil, se devemos sair dele ou nao, teria que ser depois de ter sido feita uma analise pragmatica e não por questões envolvendo simpatias.

Gilberto

Comparar Arabia Saudita com Venezuela só porque sua economia esta baseada no petroleo deve de ser pura gozação e mais ainda quando alguem esqueçe ou não sabe, que Arabia Saudita é potencia economica, financeira, militar e no ambito de defesa cibernetica, faz poucos os Sauditas começaram a invertir forte em tecnologia, o que me faz pensar que dentro de não muito passaram a ser potencia tecnologica em ao menos algumas areas.

Evitem afirmar algo sobre o que não sabem, e parafraseando ET Bilu sugiro que busquem conheçimento.

Celso

Prezado Gilberto, a meu ver sua comparacao tbm nao tem pe nem cabeca. A AS tem uma populacao de inumeras tribos , centenas de principes herdeiros, a maior parte da populacao ainda ive em tendas, etc….sua historia nao existe antes dos idos 1900, visto q sempre foi um deserto divido por oasis. Enquanto sua fortuna atual q eh dividida por poucos tiver como respaldo o petroleo, ainda sera possivel a sobrevivencia desta parte do mundo e suas atuais froneiras. A tendencia futura deste pedaco do mundo eh q eles voltem novamente as suas origens e sem fronteiras. Mais uma coisa,… Read more »

Celso

Ahhh….mais um pequena questao…as FAs deste pseudo pais tem milhares de equipamentos militares e onde a maior parte esta estocada e cuidada pelos seus vendedores europeus e americanos e a um custo absurdo. Se quiserem usar so uns 50% destes equipamentos, terao q contratar mercenarios………….escreo pqe conheco. Sds

Carlos Campos

potencia militar não é, estão levando uma surra do Iêmen. se vier para ajudar que sejam bm vindas

Alberto Figueiredo

Depois de todo alvoroço político, o KC-390 e o Gripen NG viraram “armas do inimigo” rsss.

Alberto

Off Topic:

New Griffin dá a defesa uma dor de cabeça: “O enorme fosso” ( tradução do google)

Fonte: http://www.svd.se/nya-gripen-ger-forsvaret-huvudbry-gapet-for-stort/om/naringsliv

Delfim Sobreira

Boto fé na ancestralidade fenícia do Temer que bons negócios serão fechados.

hartmam

Gostaria de perguntar aos especialistas deste site se o sistema se a plataforma automática UT30BR
fabricada pela empresa nacional ARES poderia ser adaptada para o KC-390.Obrigado.

Farias Cardoso

Quem manda nos BRICS são a Chjina e a Russia. O Temer quer mostrar uma importância que o Brasil não tem.

camargoer"

Caro Defim, o mascate comprou um par de sapatos “made in China” em sua visita paga com impostos dos brasileiros. Um belo mascate que compra para si as coisas na lojinha do concorrente…

Maria do Carmo Lacoste

Farias Cardoso 4 de setembro de 2016 at 8:46
au au.

Delfim Sobreira

Camargoer, apenas uma presença com o anfitrião.

camargoer"

Riso.. ora Delfim, quanta elegância do mascate. Se a Hilary comprar um par de sapatos em Jaú, perde a eleição.

Maria do Carmo Lacoste

camargoer” 4 de setembro de 2016 at 12:51
A Hillary não comprou sapatos em Jaú, a Hillary quando era Secretário de Estado comprou foi A-29 Super Tucano da Embraer, Sierra Nevada fabrica e vende nossos A-29 por empenho pessoal de Hillary Clinton, e reze para que ela ganhe a eleição, pois mais A-29 serão vendidos, quem sabe até para a USAF.
E quem já levou o A-29 para os EUA, pode levar também o KC-390.
Relaxa, acabou e já era.

Nonato

Quem manda nos Brics são China e Rússia?
Talvez, muito embora, economicamente, a Rússia não seja potência.
O Brasil não tem importância?
Kkk.
Uma das maiores populações do mundo, entre os maiores PIBs.
Está passando um mau momento. Mas é uma das grandes potências mundiais.
Território, PIB, população, indústria…
Sapatos de Temer. Deve ter ido comprar porque é barato, né?
Ou porque a qualidade é melhor…
Fala sério.
O sapato furou na viagem.
Aproveitou e comprou um robô para o filho.
E ainda se saiu bem como um presidente que não fica trancado num hotel.
Foi ao shopping…

Juarez

camargoer” 4 de setembro de 2016 at 9:47

Caro Defim, o mascate comprou um par de sapatos “made in China” em sua visita paga com impostos dos brasileiros. Um belo mascate que compra para si as coisas na lojinha do concorrente…
Camargoer, A Dilma, em sua visita aos EU alugou dez limousines para a comitiva com impostos pagos por nós. Na viagem de volta da Europa quando ia passar por cuba, parou em Lisboa uma noite e gastou 25.000 reais num restaurante, não me recordo de tu teres feito algum comentário cobrando mais rigidez nos gastos da “Presidanta”.

G abraço

camargoer"

Juarez. Como está? Política também é feita pelos símbolos. E o significado da imagem custou caro.

Maria do Carmo Lacoste

offi tompic… Obama teve um contra tempo ao desembarcar na China, não desceu do Air Force One pela porta principal com a enorme escada, e sim por uma portinha na barriga do avião, com escada própria e sem o tradicional tapete vermelho, a imprensa brasileira não deu essa informação, li num jornal português. A imprensa dos EUA está furiosa e acha que foi proposital mesmo, para constranger Obama. Os jornalistas que estavam a bordo do avião foram impedidos de acompanharem Obama, uma funcionária do governo dos EUA, acho que era Secretário de Estado, não tenho certeza, foi até a segurança… Read more »

Farroupilha

Nonato 4 de setembro de 2016 at 16:11,
Éhh!.. Meu véio, assino embaixo desse seu comentário.

Parece até que fizeram um clube de conspiracionistas internacionais contra o Brasil… Nas considerações deles aqui tudo é errado e atrasado. Vixe mainha!!
Os outros países não possuem limitações e defeitos só nós. Então tá!

Ricardo Da Silva

” O GLOBO”, existem fontes melhores…… cruzaram com a página do Itamaraty por acaso ?

Renato B.

A Arábia Saudita pode ter um exército muito bem armado, mas no Yemen conseguiu mostrar que ter não significa SABER operar. Podem ser bons compradores dos nossos produtos, mas sinceramente não recomendo muito mais relacionamento do que isso.

Antonio Palhares

A Arábia Saudita será muito bem vinda. O negócio é deixar de mimimi e fazer negócio. Muitos negocios. O que eles querem é ter um pouco mais de opções em relação aos Estados Unidos. Os americanos lhes empurram goela abaixo produtos de defesa caríssimos que eles ainda não tem condições efetivas de utilizar. Se sobrar alguma coisinha que venha para o lado de cá, será bem vinda. Honestamente acho que vem.

- Advertisement -

Combates Aéreos

- Advertisement -
- Advertisement -