Home Espaço Foguete da SpaceX explode na plataforma de lançamento na Flórida

Foguete da SpaceX explode na plataforma de lançamento na Flórida

2601
27

falcon-9-explosion-879x485

CABO CANAVERAL, EUA -. Uma enorme explosão irrompeu em uma plataforma de lançamento da SpaceX nesta quinta-feira durante um teste de foguete de rotina para um lançamento previsto de um satélite de comunicações.

Não houve feridos, mas o foguete e o satélite a bordo foram destruídos, informou a SpaceX em comunicado.

O acidente foi um golpe severo à SpaceX, ainda lutando para recuperar o atraso com as entregas de satélite na sequência de um acidente de lançamento no ano passado. É também um revés para a NASA, que tem contado com a empresa privada para manter a Estação Espacial Internacional abastecida com suprimentos e, finalmente, astronautas.

SpaceX
Spacex Falcon 9

A SpaceX estava trabalhando para realizar um teste de lançamento de seu foguete Falcon não tripulado quando ocorreu a explosão ocorreu pouco depois 9h na Estação da Força Aérea do Cabo Canaveral. O teste foi antes do lançamento planejado de sábado de um satélite de comunicações de fabricação israelense, que deveria fornecer Internet caseira para África e Médio Oriente.

A SpaceX disse que, na preparação para o disparo do motor de quinta-feira – um teste realizado poucos dias antes de cada lançamento – “houve uma anomalia na plataforma resultando na perda do veículo e sua carga útil”. Detalhes adicionais não foram fornecidos. Não ficou claro se o foguete causou o problema ou qualquer outra coisa na plataforma.

FONTE: AP

27 COMMENTS

  1. Isso me fez lembrar alguns comentários que o Bosco postou aqui há algum tempo a respeito da utilização dos foguetes químicos e o investimento no projeto do von Braun em detrimento à continuidade dos investimentos nos projetos de Aviação da década de 50, que poderiam ter evoluído para meios alternativos de colocar objetos em órbita.
    .
    Imaginem a grana perdida numa explosão como essa, tanto no veículo quanto no satélite? Realmente essa não é uma tecnologia interessante para países emergentes como o Brasil investirem, sendo a Índia uma rara exceção de sucessos.
    .
    Talvez para nós o melhor mesmo seja seguir o curso que o IEAv está tomando no investimento da hiperpropulsão, apesar de acreditar que, até o momento, o único fruto que a pesquisa está gerando seja a publicação de artigos acadêmicos.

  2. Ainda bem que não matou ninguém, mas é de ficar preocupado que essa empresa pretenda enviar astronautas a ISS colecionando tantas falhas grotescas. O grupo de astronautas que for no voo de inauguração terá que rezar muito pra não ser fritado no espaço como em 1986 e 2003.

  3. Será que tem algo a ver com a explosão em Alcântara?
    Ou como foi no primeiro mundo, foi só um acidente, ao contrário daqui, onde teria sido sabotagem?

  4. Infelizmente acidentes acontece nesse tipo de empreendimento. A diferença entre os EUA e o Brasil é que lá há recursos abundantes para continuar o desenvolvimento e aprender com os erros, enquanto que aqui os recursos são tão escassos que qualquer erro mata o desenvolvimento, ao invés de gerar aprendizado

  5. Grande parte dos projetos tem falhas em sua fase inicial, principalmente aqueles que abrigam maior percentual de inovação como é o caso do projeto da SpaceX. Não é atoa que os Russos usam até hoje foguetes que remetem a década de 70 por já estarem com seus projetos consolidados.
    .
    E eu gostaria de destacar que o diferencial entre as características dos projetos da Spacex e dos Russos para com o Programa Espacial Brasileiro é que, ainda estamos corrigindo erros de um projeto que remonta a década de 70!!!
    .
    Sofremos de um mal que cega a opinião pública, um mal chamado POLITICAGEM, que nos torna perfeitos demais, onde não aceitamos nossos patéticos erros e fracassos e, como resultado, além de vítimas, temos os mesmos parcos e insignificantes investimentos feitos em um setor que, para muitos, do jeito que está é “próspero” mas que, infelizmente sofre de influência externa e por conta disto nunca decola porque “ELES” nunca deixarão. Aquele “ELES” que causaram a maior crise da história no Brasil, que causaram o Impeachment, que querem roubar toda a água do aquífero Guarani, que querem roubar o Pré-sal, etc, etc… Sempre o “ELES” e nunca o “NÓS”… Politicagem…
    .
    Este “mal” que ronda o PEB é o mesmo nos fez perder mais uma década. Planejamentos são feitos aos montes neste país e nada se cumpre. Precisamos mudar esta triste realidade da opinião publica e admitir nossos erros e só assim, conseguiremos buscar os acertos.
    .
    Leiam quem entende:
    http://brazilianspace.blogspot.com.br/2015/01/conheca-verdade-sobre-o-projeto-do-vls-1.html

  6. Caramba conspiração da sia?? deixando de lado as hipóteses factíveis e as do mundo empírico da maionese, os russos com sua tecnologia que solta peçinha continuam oferecendo carona para o espaço.

  7. “Ad astra per aspera”. A Spacex está desenvolvendo uma tecnologia inovadora de reaproveitamento do primeiro estágio de foguetes. Acidentes ocorrerão, com sorte sem vítima, mas como o Reagan disse após o acidente da Challenger, o “futuro não pertence aos fracotes mas aos bravos”…
    O programa espacial americano já teve vários acidentes mortais – a Apollo 1,a Challenger, a Columbia – mas isso nunca os fez parar. Ao contrário, investigaram-se os acidentes, sem paranoias, e seguiu-se em frente. Especialmente no caso da Apollo1, que tinha tudo para ser catastrófico, seguiu-se em frente.
    Aqui, quando o nosso míssil balístico (combustível sólido) disfarçado de VLS explodiu, o que fizemos? Na prática, paramos com o programa, botamos a culpa em alguma conspiração internacional, e é isso.

  8. Farias Cardoso, os EUA produzem motores de foguetes desenvolvidos na Rússia sob licença- ou seja, eles conhecem a tecnologia russa. O que a SpaceX que fazer – lançar um foguete e fazer o primeiro estágio pousar em uma plataforma no meio do oceano para reutilizá-lo – é a vanguarda da vanguarda em tecnologia de foguetes.

  9. Olá Ricardo – 15:44
    Você conhece alguma empresa privada no mundo que possui um foguete capaz de lançar satélites, abastecer a ISS e, para reduzir custos, fazer pousar o estágio lançador em uma plataforma no meio do oceano? A Space X fez isso 5 vezes num intervalo de 7 meses! Está fazendo história, é o setor privado entrando em área antes ocupada apenas por governos, seja pelos altos investimentos, riscos ou a chamada segurança nacional. Elon Musk planeja levar o homem a marte, tomara que ele consiga mas, se neste exato momento ele falasse: “parei” – ele, através da Spacex, teria feito o que muitas nações ainda apenas sonham.
    Mesmo com perdas como a de hoje, eu não chamaria isso de “falhas grotescas”.
    Abraços!

  10. Jonny Mnemonic, vi por um outro video quadro a quadro o momento da explosao e de fato tem algo que passa proximo ao foguete, se obervar bem parece que esse mesmo negocio passa em frente a camera faz a curva na torre retorna, some da tela e depois aparece em uma trajetoria linear passando proximo ao foguete durante a explosao, bem pode ser qualquer coisa

  11. Será que só eu acho esse Elon Musk o Eike Batista americano? Ele assim como o Eike tem boas ideias, só que quer gerenciar várias empresas ao mesmo tempo, empresas essas que precisam de pesados investimentos para cumprirem aquilo que prometem para os investidores, aliás hoje foi um dia péssimo para ele, a explosão do foguete da SpaceX (mandando o satélite do Facebook/Israel pelos ares), a solução dos problemas do piloto automático para os carros da tesla que seriam anunciados hoje foram adiados, sem contar nos problemas (prejuízos) da solar systems que ele acabou de comprar e ninguém entende porque, os críticos já começam a bater mais forte nele, os jornais e analistas já começam a duvidar de que ele possa entregar o que promete, parece que já vimos essa história antes em algum lugar, um megalomaníaco que queria tudo e acabou ficando sem nada por pura falta de foco e disciplina

  12. Olhei o vídeo quadro a quadro depois de ler em outros blogs sobre esse estranho objeto que se desloca próximo a Space x, se não for fake uma vez que na net temos esses constrangedores episódios de falcatrua, esse acidente me lembra muito um trágico acidente acontecido no brasil onde uma asa se partiu de um F-5 da FAB, se não me engano com Capitão Naumann, onde também existe indagações a respeito de um objeto que passa em grande velocidade no vídeo, contudo não quero aqui levantar teorias e ou afirmar nada, até por que são especulações e fontes oficiais não se manisfestam a respeito, porém achei curioso o que pra mim parece uma estranha e triste coincidência.

  13. Jr. O risco dele falir sempre existe, mas há uma diferença importante entre ele e o Eike, que é o ramo de atividades em que eles atuam. O Eike era extrator de matéria prima: cavou o buraco, não achou óleo, quase todo o investimento é prejuízo. O Elon Musk está desenvolvendo tecnologias, que é algo que mantém certo valor mesmo quando a empresa não dá certo. Só a tecnologia de recuperação do primeiro estágio de foguetes que a Spacex desenvolveu vale muito dinheiro. E a Solar Sistem e a Tesla, a rigor, são empresas de energia, e elas dependem do desenvolvimento de uma tecnologia chave que é o de armazenamento de energia de forma mais eficiente do que existe hoje. Hoje o desempenho das baterias é muito ruim: há muita perda, é cara, e dura pouco tempo antes de estragar… se ele desenvolver uma bateria com pouca perda, barata e durável – esse cara será o novo Rockefeller. Mas o desafio é enorme mesmo.

  14. Jonny Mnemonic – Isso é alguma coisa que passou bem perto da câmera, provavelmente um inseto. Em vídeos mais longos dá para ver que passa várias vezes esse negócio.

  15. Uma diferença entre o Eike e Elon Musk: Eike é um empreendedor, sua ambição era estar entre os mais ricos do mundo – nada de errado nisso, afinal suas atividades geravam empregos e impostos – lamento que tenha dado errado; já o Musk é um visionário, ele quer mudar o mundo, dinheiro não é o que move ele. Pesquisem sobre o Tesla modelo X, difícil não ficar encantado com a beleza e performance; ele está colocando no mercado baterias residenciais e painéis solares de alto desempenho; a maior fábrica de baterias do mundo é dele; a Spacex está caminhando para mudar o mercado de lançamentos; a Dragon é um módulo robótico capaz de acoplar com a ISS para abastecimento; é o criador do Pay Pal sistema de pagamentos que mudou o comercio eletrônico; está em testes, um projeto chamado Hyperloop, sistema de transporte de alto desempenho para ligar Los Angeles a São Francisco em 2020. Este cara pode quebrar sim, mas tem como não ser fã?

  16. Pode até ser WFonseca, mas pelo que tenho lido a benevolência e o entusiasmo dos investidores com ele parece que esta acabando, a ordem agora parece ser “chega de sonhos e comece a mostrar resultados” afinal investidor nenhum gosta de assinar uma folha de papel em banco. Como andei lendo a compra de uma empresa com a Solar system agora é um absurdo, o dinheiro esta curto e ele deveria usa-lo na Tesla e na Spacex que tem problemas e demandam dinheiro para soluciona-los.

  17. Johnatan,
    Propulsores para o espaço profundo irão surgir de diversos tipos no futuro próximo (iônicos, plasma, vela solar, fusão nuclear, etc.), mas para levar da superfície da Terra à órbita (até que construam o elevador espacial, dentro de uns dois mil anos) ainda será utilizando os velhos combustíveis químicos. Não há nenhuma esperança de que um dia se consiga desenvolver um sistema de antigravidade ou coisa parecida e qualquer especulação sobre o tema é do campo da “fantasia científica” e não da “antecipação cientifica”
    Não há como utilizar energia atômica (fissão ou fusão) dentro da atmosfera, pelo menos não na forma de foguetes.
    Dentro de 5 anos haverá foguetes capazes de colocar 150 t em uma órbita baixa. Daqui a vinte anos se colocará 250 t em órbita. Até meados do Século estaremos colocando 500 t em órbita baixa e no final do Século, 1000 toneladas. Mas ainda assim estaremos utilizando o velho princípio do foguete químico, podendo ou não utilizar algum tipo de motor aspirado dentro da atmosfera.
    Pequenas cargas e até passageiros poderão ser elevadas utilizando algum tipo de propulsão “exótica”, com o lasercraft ou o MHD, mas o grosso ainda será utilizando combustíveis e propelentes químicos.
    A grande revolução na colocação de cargas em órbita será, como bem lembrou o Edgar, a passagem da propulsão foguete simples para a propulsão aspirada na fase atmosférica (avião aeroespacial).

  18. Jacinto,

    Saber como se faz é diferente de saber fazer.
    Só isso que eu te falo hehehe.
    Todo o mundo sabe como se faz uma bomba nuclear . Mas saber fazer são outros 500…

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here