Home Comando da Aeronáutica Aeronáutica confirma reestruturação

Aeronáutica confirma reestruturação

13579
80

Saab F-39 Gripen

Prezado jornalista,
Segue abaixo texto original do documento enviado pelo Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, ao efetivo do Comando da Aeronáutica no dia 26 de agosto.
Atenciosamente,
Centro de Comunicação Social da Aeronáutica

Reestruturação da FAB
“A Força Aérea Brasileira dará nos próximos meses relevantes passos rumo a sua profunda mudança estrutural.

Neste momento, serão necessários o entendimento e o compromisso plenos das senhoras e dos senhores, de todos os postos e graduações, para tornar possível a execução das modificações, necessárias para capacitar a nossa Força Aérea para os desafios do futuro.

Daqui a 25 anos, a FAB completará 100 anos de existência e, longe de ser uma data longínqua, trata-se de um marco que precisa ser alcançado com ações desenvolvidas desde já. É responsabilidade de todos nós, hoje, pavimentar um futuro do qual todos iremos nos orgulhar.

Os estudos para a reestruturação foram iniciados em 2015, por um grupo por mim indicado. Em uma segunda fase, a equipe foi ampliada com a participação de representantes de todos os Órgãos de Direção Setorial, convivendo com a realidade da Força, resultando em um estudo preliminar. Então, em uma terceira fase, foram pesquisadas, estudadas e identificadas soluções para detalhar os conceitos propostos e consolidar o programa de reestruturação.

Agora, é chegada a quarta fase.

É o momento de iniciarmos a execução das ações identificadas no programa de reestruturação. As lideranças, em todos os níveis, devem ter um alto comprometimento em atuar diretamente nessas tarefas, além de instruir e motivar seus subordinados. Cabe a cada segmento de nossa Força Aérea, agora, a viabilização da referida proposta, no que concerne a sua área de atuação e à apresentação de possíveis adequações na estrutura do seu órgão.

As mudanças, que serão explicadas adiante, envolverão parte significativa do efetivo. Porém, desde já, é relevante ressaltar que tudo ocorrerá de forma gradual.

Assim, dirijo-me às senhoras e aos senhores com o propósito de tornar claro os próximos passos, no que tange a extinções, desativações, criações, transferências e subordinações de organizações.

EXTINÇÕES E CRIAÇÕES DE ORGANIZAÇÕES A SEREM EFETIVADAS ATÉ 31 DEZ 16

a) O COMGAR e o COMDABRA se tornarão, respectivamente, o Comando de Preparo (COMPREP) e o Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), ambos comandados por Tenentes-Brigadeiros.
b) A SEFA passará a ter suas responsabilidades ampliadas, incluindo atividades administrativas.
c) A DIRINT se tornará a Diretoria de Administração (DIRAD), subordinada à SEFA.
d) As ALA 1 (AN), ALA 2 (NT), ALA 3 (GL), ALA 4 (CG), ALA 5 (CO), e ALA 7 (MN) serão criadas, todas comandadas por Oficial-General, mantendo sob sua subordinação as Unidades Aéreas e de Aeronáutica sediadas.
e) Os GAP tipos A, B e C serão criados.
f) Os V COMAR, VI COMAR e VII COMAR serão extintos, tendo suas atribuições e responsabilidades redistribuídas para outras organizações.
g) As I FAE, II FAE, III FAE e V FAE serão extintas e suas atribuições serão absorvidas pelo COMPREP e pelas ALAS.

Obs. 1: Os I COMAR, II COMAR, III COMAR e IV COMAR serão mantidos até 31 dez 2017, quando serão extintos. Neste período, as BABE, BAFZ, BARF, BASV, BASP e BAST mantêm as suas subordinações aos respectivos COMAR.

Obs. 2: Os comandantes, ainda em comando, serão designados para outros cargos.

DESATIVAÇÕES DE OM A SEREM EFETIVADAS ATÉ 31 DEZ 16

a) As BAAN, BANT, BAGL, BACG, BACO e BAMN serão desativadas e substituídas pelas respectivas ALAS.

b) O 1º/16º GAv será desativado. Futuramente, será reativado em Anápolis, operando a aeronave F-39 Gripen.

Obs.: Os comandantes, ainda em comando, serão designados para outros cargos.

TRANSFERÊNCIAS DE UAé A SEREM EFETIVADAS ATÉ 31 DEZ 16

a) Transferência do 2º/7º GAv de Florianópolis para Canoas.

b) Transferência do 1º/6º GAv de Recife para Anápolis.

c) Transferência do 3º/8º GAv da BAAF para BASC.

Obs.: Quanto ao 3º ETA e ao 4º ETA está em curso um estudo relacionado a um melhor aproveitamento operacional, levando em conta a junção de ambas as unidades aéreas.

SUBORDINAÇÕES DE OM A SEREM EFETIVADAS ATÉ 31 DEZ 16

Além da subordinação das Unidades Aéreas e de Aeronáutica sediadas nas ALAS, há que se considerar ainda:

Fica subordinado à ALA 1
CPBV.

Ficam subordinados à ALA 2
ETA 2; e 1º/8º GAv.

Ficam subordinados à ALA 3
BASC e suas UAé;

BAAF;
1º/7º GAv; e ETA 4.

Ficam subordinados à ALA 5
BASM e suas UAé; e
BAFL.

Ficam subordinados à ALA 7
BAPV e suas UAé;
BABV e suas UAé;
ETA 1; e
3º/7º GAv.

Fica subordinada ao GABAER
a) BABR e suas UAé.

Fica subordinado à BABR
a) BINFAE-BR.

As BAFL e BAFZ terão seus efetivos reduzidos, adequando-se à nova realidade.

A cidade de Anápolis assistirá, ainda, à formação de um grupo de extrema relevância estratégica para a FAB: o Grupo F, que será criado ainda em 2016, atuando na implantação dos caças F-39 Gripen.

Tais medidas foram profundamente estudadas por um grupo de oficiais-generais e são consideradas cruciais para as ações de reorganização, padronização e melhoramento dos processos administrativos e operacionais da Força. O objetivo é simplificar e modernizar a estrutura organizacional, administrativa e operacional, além de aperfeiçoar a gestão dos efetivos.

Os objetivos, metodologias e passos foram fundamentados em estudos completos. Não tratamos de gerenciamentos personalistas ou com foco em interesses individuais.

É importante, neste momento, que todos percebamos a natureza institucional de cada decisão, com vistas, unicamente, ao futuro da Força Aérea Brasileira. Nossas ações, hoje, terão seus positivos efeitos, ainda mais expressivos, para aqueles que haverão de nos suceder. A reestruturação visa contribuir para o cumprimento da missão em sua plenitude.

A FAB deve construir suas capacidades no longo prazo, com o propósito de superar seus desafios no futuro. E, para tanto, as senhoras e os senhores são fundamentais para tornar possível o sonho de, em 2041, chegarmos aos nossos 100 anos de existência como exemplo de uma força operacional, profissional e de extrema eficiência e eficácia no cumprimento de suas missões”.

Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato

80
Deixe um comentário

avatar
78 Comment threads
2 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
52 Comment authors
Doug VenanTiago da CostaHMS_TIRELESSTamandaréEron Gomes Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Gostaria de saber a opinião de quem é/foi da FAB ou de quem tem maiores conhecimentos sobre a organização da FAB, para saber o impacto das mudanças.

De qualquer forma, parabenizo o Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato pela iniciativa. Antes tarde do que mais tarde ou nunca.

Juarez
Visitante
Juarez

Rafael, eu já tinha alertado aqui na trilogia que isto iria acontecer, com Alas substituindo FAEs e Comar, e vem mais por aí, é isto ou desaparece como FA, pois com toda esta gigantesca estrutura física não tem como ir adiante. Falta ainda a redução e a padronização de meios com descarte de ANVs em excesso e o principal, redução de pessoas e principalmente de oficiais generais. O esperneio já começou, inclusive com gente da trincheira fazendo relatórios para o desgoverno PT alertando sobre um possível desmonte da FAB, é o CORPORATIVISMO no seu mais profundo cerne. Digo mais, acho… Read more »

césar
Visitante
césar

Faltam agora a Marinha e o Exercito. Redução de efetivo, isso não foi falado nas reformas da FAB.
É muita gente fazendo nada.

general-lee
Visitante

Mais cinco anos e vão terceirizar a força aérea..kkkk ou vão contratar a rapoza para cuidar do galinheiro,,,enquanto isso os Generais continuam ganhando…..e filhas…cont…….e oficiais a jorar pelo ralo…….me recuso a continuar a comentar essa porc…. sds

Adriano Luchiari
Visitante
Adriano Luchiari

Juarez, por favor, me explique o significado de ALA, eu desconheço.

Roberto Bozzo
Visitante
Roberto Bozzo

Srs. boa noite. Acompanho o site a muitos anos, mas confesso que estas mudanças ficaram um pouco complicadas de entender…. alguém poderia pormenorizar as mudanças ? Por exemplo, na nota pula-se da ALA 5 para a 7, cade a ALA 6? Algumas mudanças parecem ser mais de nomenclaturas do que de reestruturação propriamente dita…
Agradeço.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

ALA não é uma sigla. É uma estrutura de Força Aérea, semelhante a uma Brigada no EB. Fiquei curioso em saber como será a estrutura dessas ALAS, visto que os COMAR tem alguns Serviços Regionais. Interessante saber, também, como será a reestruturação do Sistema de Saúde. Essa reestruturação foi iniciada na gestão do TB Paes de Barros (hoje na ANAC), quando CEMAER. O grupo de trabalho foi composto de excelentes oficiais (conheço a maioria). Havia, sim, a necessidade dessa quebra de paradigmas. A missão fim é: voar e combater. Mas o GF ainda fica enchendo o saco com as missões… Read more »

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Obrigado Juarez! . Fazer relatório para o PT, a essa altura do campeonato, é igual fazer relatório para o meu cachorro. Acho que o Meirelles deve ter gostado da ideia e é capaz de ajudar a bancar o TB. Mas é claro que prefeitos e parlamentares vão chorar as pitangas. Por isso, vão reduzindo os efetivos e só depois fecham de vez as bases. . A redução de aeronaves, pelo menos as de combate, está ocorrendo de forma silenciosa, com a não modernização dos A-1 e com a aposentadoria dos F-5, que serão substituídos em menor quantidade pelos F-39. .… Read more »

Alexandre Galante
Visitante
Member

Ala é Asa ou Flanco.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Rinaldo, você esqueceu da pior missão que a FAB executa: transporte de políticos pelo GTE.
.
As de caráter subsidiário e humanitárias eu acho uma boa união do útil (horas de vôo para os pilotos) ao agradável (prestação de serviços a população). Mas, é claro, que a prioridade deve ser a avião de combate.

Papan
Visitante
Papan

Bom a algum tempo atrás fiz um questionamento sobre a defesa do espaço aéreo em Natal que é a porta de entrada do Brasil na região nordeste, acho agora que com essas mudanças a FAB olhará com bons olhos um grupamento de caça naquela região que é importantíssimo e estratégico para nosso país. Vejo com bons olhos a fusão com outros esquadrões.

JT8D
Visitante
JT8D

Rinaldo, você poderia por favor dar sua opinião sobre a AFA? Seria conveniente terceirizar a formação de pilotos ou a AFA deveria ser mantida nos moldes atuais? Obrigado

Antonio Carlos Jr Zamith
Visitante

e +1 herança maldita da Dilma 171 Roussef e sua máfia pt. Agora as forças armadas sofrem mais que o Estado Brasileiro quebrou para aqui virar Venezuela. Abandono de bases e parques de matbel tem que pagar o Gripen.

Papan
Visitante
Papan

Grande Mestre Alexandre Galante, quando vi ALA me lembrei da palavra ALADA, 1º ALADA em Anápolis onde é baseado o 1ºGrupo de Defesa Aérea GDA os Dijon Boys, nome dado aos pilotos brasileiros treinados na França para pilotarem o Mirage F103 na década de 70. Lembrando a todos que o Portões Abertos na Base Aérea de Anápolis será no domingo próximo dia 04 de Setembro e Brasília dia 03 no Sábado, provavelmente para facilitar a logística pela proximidade de ambas Bases Aéreas, por experiência própria vou a BAAN, lá tem fortes emoções, já em Brasília não, porque aqui em Brasília… Read more »

Alexandre Galante
Visitante
Member

Papan, também me lembrei da 1ª Ala de Defesa Aérea ou 1ª ALADA do início dos anos 1970, dos Mirage IIIEBR. Abs!

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

JT8D, a AFA não é um aeroclube que só forma pilotos. É o berço da formação dos lideres da nossa Força Aérea, onde se incute nos Cadetes os valores básicos das FFAA e da sua oficialidade: honra, honestidade, culto à verdade, civismo, patriotismo, liderança, caráter, companheirismo, idealismo, sentimento de compromisso e outros. Valores esses que sumiram da sociedade civil. Além dos atributos físicos e de higidez da profissão militar.
Não me consta que a USAF cogita em terceirizar a USAFA, em Colorado Springs, ou a RAF terceirizar o Cranwell College, ou a França a Ecole du L’Air.

Juarez
Visitante
Juarez

O que está sendo pensado é algo parecido com que a RAF faz, a formação básica sendo feita por uma empresa terceirizada ou aeroclubes, então o cadete viria para AFA voar Tucaninho ou seu sucessor, na aviação de rosca a mesma coisa.

G abraço

JT8D
Visitante
JT8D

Rinaldo Nery 29 de agosto de 2016 at 21:11
Obrigado Rinaldo. é o que eu pensava, mas queria ouvir a opinião de alguém que conhece profundamente o assunto

Renato
Visitante
Renato

Qual o destino da Base Aérea dos Afonsos?Os paraquedistas, do EB, ao que me conste, serão alocados em outro estado.Grato pelo esclarecimento!

JT8D
Visitante
JT8D

Juarez 29 de agosto de 2016 at 21:21
Juarez, obrigado pelo esclarecimento

Wagner
Visitante
Wagner

Porque, não fecham as escolas militares rolhas como a EPCAR,Escola Naval e a ESPCEX, nunca vi e não vejo a real utilidade de ser manter tais escolas, só para o aluno tirar um excelente EM!? Temos q gastar o q temos nos bolsos.

Marcos
Visitante
Marcos

Não adianta trocar de sigla, mudar de lugar. É necessário mudar a mentalidade, muito mais da população civil, que acham que as FFAA não servem para nada. Não temos inimigos? Não temos porque não defendemos nossos interesses.
Em 1945, a Alemanha em pleno colapso, tinha operacional cerca de 1000 aeronaves. E o Brasil foi para com a Europa com quantos caças mesmo?
A coisa não mudou muito nesses anos.

Bardini
Visitante

Muito boa notícia. Essas mudanças ai são mais que bem vindas, são necessárias. É isso ou vão deixar de voar, e olha que as aeronaves mais caras nem chegaram ainda e a Kombi é nova.
.
Se fosse a “Mais Antiga”, estariam batendo o pé por mais verba e pessoal. Ponto para a “Mais Nova”, que assume a dianteira no tocante a inovação.

Caio Romão
Visitante
Caio Romão

“O 1º/16º GAv será desativado. Futuramente, será reativado em Anápolis, operando a aeronave F-39 Gripen.”
.
Ué, então, vão ser no mínimo 12 caças do 1 GDA e mais 12 do Adelphi ?
Sim, porque pelo que eu li o 1 GDA não vai ser desativado. Por favor, me corrijam se eu estiver errado. Minha unica dúvida foi nesse ponto.

Rprosa
Visitante
Rprosa

Aos que apoiaram as mudanças planejadas pergunto qual o impacto destas mudanças no orçamento da FAB? qual o impacto destas mudanças na operacionalidade de nossa Força Aérea? Qual o impacto destas mudanças na formação e capacitação de nossos militares? Uma análise preliminar não se demonstra nenhuma ruptura ou mudança onde de fato se sangra o orçamento da FAB, onde esta o fechamento de representações militares em países inexpressivos, cadê o corte no orçamento dos clubes militares ou nos benefícios de nossos brigadeiros, cadê o corte no serviço de táxi aéreo para nossos “honrados e prestimosos políticos”, cadê corte no acervo… Read more »

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

Boa notícia essa da FAB. Parabéns!!
Reestruturar e se modernizar, não só com os novos meios aéreos que estão chegando zero bala (kc-390, Gripen E/F), mas também com nova rede organizacional já com os olhos no futuro, que exige mais qualidade que quantidade, é algo muito bem vindo para nosso Brasil e sua Defesa.

E… será que a participação crítica de civis curiosos e apreciadores de assuntos militares da internet, com múltiplas opiniões, algumas doces e outras até bem ácidas, sobre nossas FFAA tem uma ponta de influência nessa remodelação da FAB?

Blind Mans Bluff
Visitante

A historia sendo escrita. Boa sorte para a FAB neste caminho e que inspire as outras forças a se modenizarem tambem.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Tem muito comentário inteligente, mas também tem cada bobagem. Juarez, ajuda aí. Responde pra esse Rprosa ou vou ser mal educado. Farroupilha, não sei te dizer, mas, ao contrário do que muitos pensam, há tempos a FAB já vem pensando essa reestruturação. Parece um cliché, mas os militares sempre foram o povo de farda. Sabíamos que temos que fazer mais com menos, e algo tinha que ser feito. Óbvio que em algum momento a voz da sociedade civil foi ouvida. É pra ela e pro País que as FFAA trabalham. Paradigmas são difíceis de quebrar, e as FFAA são um… Read more »

Adriano Luchiari
Visitante
Adriano Luchiari

Obrigado pela explicação, Cel.

Rui Chapeu
Visitante
Rui Chapeu

Até que enfim heim! O dinheiro dos civis agradece!
Esse corporativismo que o Juarez falou ensinam na AFA ou são só os que “apodreceram/avermelharam” no meio do caminho?
Enfim, tomara que economizem um monte com isso, e que usem o dinheiro pra manutenção e compra de equipamentos que é tão precário na FAB.

Bueno
Visitante
Bueno

Parabéns para a FAB, por uma gestão inteligente e eficiente.

zorannn
Visitante
zorannn

Parabens á FAB!
.
Jamais imaginei que eu veria uma mudança tão grande na organização da Força e nem que fosse tão pra já!

Rodrigo Maçolla
Visitante
Rodrigo Maçolla

Toda e qualquer mudança encontra sempre resistência, não sou especialista em organização militar, to longe disso, Mais como administrador, entendo que qualquer organização tem que sempre procurar a máxima eficiência para cumprir a sua missão final, e pelo que to entendendo é isso que a FAB ta procurando fazer, e acho que estão de parabéns, mesmo porque isso não é uma coisa que se decidiu agora e já vem sendo discutida, vamos ver o resultado final, torço pra que na prática surta efeito de redução de custo, aumento de eficiência, consequentemente se possa investir o dinheiro onde é realmente necessário.… Read more »

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

Coronel Rinaldo Nery obrigado pelos clareamentos nessa sempre presente nebulosidade de opiniões e informações. Abraço e boa semana! – Terceirizar treinamento para segurança privada tudo bem, mas para os militares é só o que faltava, nada a ver. Imaginem a terceirização de treinamento para tripulantes de tanque de guerra no Exército… Será que se eu comprar um Sherman eu posso abrir uma auto escola de MBT? rsrsrs – E já que estamos em tempos de muitas mudanças por todo lado também gostaria de ver nossos Exército e Marinha de Guerra entrando, num futuro próximo, nessa tendência proativa da FAB. Nossa… Read more »

Anderson Beliski Peres
Visitante
Anderson Beliski Peres

Num primeiro momento vejo isto como um retrocesso do nosso aparato militar, ao invés de crescer como país soberano diminuímos cada vez mais! Extinguir Comar é apagar a identidade social dos cidadãos das respectivas localidades e digo ainda que uma reestruturação sempre é bem vinda, porém para melhorar nossas ferramentas de defesa! Um país imenso como o Brasil mostrando-se cada vez mais pequeno devido a má gestão política do nosso país! Deixo aqui uma reflexão!

Haiti começou extinguindo suas FA e desde então virou um inferno. Brasil desloca em acelerado no intuito de virar um Haiti…. Lamentável!

Fligth
Visitante
Fligth

Muito bom. Deveria ser levada tal visão para toda estrutura governamental do país, diminuindo neste caso, aquele monte de cargos que só servem para presentear os políticos e seus aliados. . Quanto as FFAA creio que a médio e longo prazos essa diminuição do efetivo e concentração dos militares de carreira na atividade fim, possibilitará o aumento dos soldos e melhorias nas condições de trabalho (melhores PNR, investimento em hospitais mais bem estruturados visto a quantidade menor de cidades que vão ser o centro do comando, etc) e a desoneração da folha com inativos tendo em vista a entrada dos… Read more »

Marcel Danton Silva
Visitante
Marcel Danton Silva

A aeronáutica tem a vantagem da longa distancia percorrida em poucos minutos, pode ficar relativamente perto dos grandes centros, mas o ideal seria ficar sempre no “miolo” dos Estados estratégicos. Chega de grandes contingentes nos já enormes grandes centros. Chega de Realengo/Flamengo, Chega de Campo de Marte/Abilo Soares, Será que estamos finalmente rumando para isso? O exército fez umas mudanças timidas, mas vez…agora a marinha…jesuis! Faz nada. Nem piloto acha.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

No Brasil é complicado falar em terceirização. Em outros países onde ocorre a terceirização de parte da formação, a empresa fornece os aviões escolhidos pela FA e os instrutores (geralmente ex-pilotos da FA local) e recebe por isso. Mas outros conteúdos da formação são passados pela própria FA.
.
Acho que dá para cortar gastos em outras áreas da FAB antes de pensar nisso. Por exemplo, contratando planos de saúde para os militares em vez de manter hospitais.
.
E poderiam cortar a TV FAB. Muito tenente-jornalista para mostrar pouca coisa.

Celso
Visitante
Celso

Se juntarmos as tantas e modestas opinioes de muitos aqui, c certeza ja teriamos dado um tremendo passo para racionalizar os recursos da FAB e outras. Mas como dizem por ai……segue o feretro. Sds

Alex Faulhaber, RJ
Visitante

O que acontecerá aos A-1 do Adelphi??

ivammc
Visitante
ivammc

A FAB poderá ser extinta, os 36 gripens são para dar tempo de evacuar Brasília e só. Porque se fosse para ampliar e melhorar a nossa força aérea seria escolhida uma plataforma diferente, um padrão superior de caça que tenha um poder continental de ação. Assim sendo, seria mais racional com um país grande como o Brasil. Não pretendo esgotar as especificações das plataformas atuais e tecnológicas que existem no mundo para termos escolhido, uma porque a esmagadora maioria dos comentaristas desse site entende bastante de aeronaves e outra que não é o sentido do comentário. Contudo, essa é a… Read more »

Julio Cezar Sal
Visitante
Julio Cezar Sal

É triste saber da desativação da BACO e a história dela no Rio Grande do Sul.

Jeff
Visitante
Jeff

Triste é ver todo um país se desmanchando por seus próprios erros, e uma população boquiaberta e dividida caindo no jogo dos dois lados do poder. Nosso lado sempre perdendo, e o “lado” lá de cima sempre ganhando, de qualquer forma.
Até quando isso???

Bardini
Visitante

“d) As ALA 1 (AN), ALA 2 (NT), ALA 3 (GL), ALA 4 (CG), ALA 5 (CO), e ALA 7 (MN) serão criadas, todas comandadas por Oficial-General, mantendo sob sua subordinação as Unidades Aéreas e de Aeronáutica sediadas.”
.
Faz sentido pensar que cada ALA terá um esquadrão de caça?
.
6 Esquadrões subordinados a suas respectivas ALAs:
.
ALA 1: Anápolis
ALA 2: Natal
ALA 3: Galeão
ALA 4: Campo Grande
ALA 5: Canoas
ALA 7: Manaus
.
Forma aqueles dois triângulos…
.
Não tenho tempo mas, seria interessante fazer um mapa com as novas mudanças para se ter uma maior visão da coisa.

Bardini
Visitante

“Julio Cezar Sal 30 de agosto de 2016 at 11:50
É triste saber da desativação da BACO e a história dela no Rio Grande do Sul.”
.
Ficam subordinados à ALA 5
BASM e suas UAé; e
BAFL.
.
A ALA 5 fica sediada em Canoas, você leu o texto?

Daniel
Visitante
Daniel

Julio Cezar, pelo que se entende do documento a BACO, assim como as demais Bases Aéreas listadas, irão mudar de denominação mas não serão extintas, continuarão inclusive com transferência de esquadrões para estas localidades, tal como o 2º/7º que será deslocado de BAFL para BACO.

E.Silva
Visitante
E.Silva

Julio,

Pelo que entendi a somente a nomenclatura BACO foi extinta, assim como a BAAN, BANT, BAGL, BACG, BACO e BAMN serão desativadas e substituídas pelas respectivas ALAS.

Juarez
Visitante
Juarez

A BACO está no corredor da morte, em 2017 vão refazer as contas, e tanto ela quanto BAFL poderão fechar.

G abraco

Julio Cezar Sal
Visitante
Julio Cezar Sal

Desculpem, mas desconheço as siglas, por isto fiz meu comentário por ser morador da região.

Juarez
Visitante
Juarez

A proposição está abaixo do que seria necessário reduzir e racionalizar, no planejamento inicial seriam cinco Alas, mas eu acho que não vai ter remédio, no biênio 17/18 vem mais medidas de redução.

G abraco

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Flight, parabéns pelo seu comentário. Você foi um dos poucos que entendeu o texto e a proposta de mudanças.

Fligth
Visitante
Fligth

Obrigado Cel. Tenho muito carinho pela FAB, só sai mesmo em decorrência de encarreiramento e salário a longo prazo. Mas os 6 anos que passei no COMGAR foram bem marcantes e saudosos. Deixei vários amigos na Força. Lembro do dia em que o Sr. e o então Maj (se não me engano) Baptista Júnior chegaram lá e começaram a organizar o Nu 2º/6º GAv, juntamente com um Cap de bigode e calvo (não me lembro do nome, mas lembro de uma de suas histórias onde ele teve que ejetar) e foram a 1S Eulina (que era da minha seção –… Read more »