Home Conflitos em andamento Su-24 sírios interceptados por F-22 Raptor

Su-24 sírios interceptados por F-22 Raptor

9257
91

Por David Cenciotti

Dois bombardeiros sírios Su-24 Fencer que pretendiam voar sobre uma área curda no nordeste da Síria, onde os Estados Unidos têm Forças de Operações Especiais operando, foram interceptados por caças F-22 e encorajados a deixar o espaço aéreo

Duas vezes nos últimos dias, jatos sírios executam ataques aéreos perto de onde os EUA têm forças especiais operando no nordeste da Síria, obrigando aeronaves da coalizão a interceptá-los.

Em 18 de agosto, jatos dos EUA foram enviados para interceptar os aviões de ataque sírios que estavam atacando alvos perto de Hasakah, para apoiar as forças do regime lutando contra as forças curdas da Síria. Cerca de 300 militares dos EUA operam na mesma área, treinando forças curdas que lutam contra o Daesh (Estado Islâmico).

Pilotos da Síria não responderam às chamadas de rádio feitas pelos curdos na frequência de emergência geral nem reconheceram chamadas tentadas pela coalizão no canal de segurança aérea usado para a comunicação com as aeronaves russas que operam sobre a Síria.

De qualquer forma, no momento em que os caças americanos chegaram à área, os aviões sírios já haviam escapado.

Su-24 sírio
Su-24 sírio

Após este primeiro “encontro imediato” o Pentágono advertiu o regime de Assad a não voar ou realizar incursões na área onde as forças especiais americanas estão operando. No entanto, em 19 de agosto, dois Su-24 Fencer, tentaram novamente penetrar no espaço aéreo perto de Hasakah.

Desta vez, os dois aviões de ataque da Força Aérea Árabe Síria foram recebidos por jatos americanos F-22 Raptor (que provavelmente já operavam na mesma área fornecendo Combat Air Patrol).

Conforme relatado pela ABC, um funcionário dos EUA disse que a presença dos jatos americanos F-22 “encorajaram as aeronaves sírias a deixar o espaço aéreo sem mais incidentes. Os caças da coalizão não empregaram suas armas”.

Esta não é a primeira vez que a presença dos F-22 impede aeronaves militares estrangeiras de perseguir as forças dos EUA.

Em março de 2013, alguns meses depois de dois aviões de ataque Sukhoi Su-25 operados pelo Pasdaran (nome informal do IRGC – o Exército dos Guardiães da Revolução Islâmica) tentarem derrubar um drone MQ-1 Predator americano que fazia um voo de vigilância de rotina em espaço aéreo internacional, o Pentágono decidiu escoltar os drones envolvidos em operações de ISR (Intelligence Surveillance Reconnaissance) com aviões de combate, incluindo os Raptors.

Em um episódio muito conhecido, um drone MQ-1 Predator americano foi interceptado por caças F-4E Phantom iranianos em espaço aéreo internacional. Caças F-22 Raptor que forneciam HVAAE (High Value Air Asset Escort) aproximaram-se por baixo dos jatos iranianos e apareceram de repente em sua ala esquerda e, em seguida, chamou-os pelo rádio com um famoso “you really ought to go home” (“você realmente deveria ir para casa”) que supostamente assustou os pilotos iranianos, que foram obrigados a deixar o drone.

FONTE: The Aviationist

Subscribe
Notify of
guest
91 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Madmax
Madmax
3 anos atrás

“Você realmente deveria ir pra casa”
Kkkk

Hawk
3 anos atrás

Eu vi comentário no site da matéria de um leitor que é o que também penso. A Síria está tão acabada que nem consegue nem mandar mais no seu espaço aéreo? Não digo só da presença dos EUA mas também da presença da Rússia.

Jorge F
Jorge F
3 anos atrás

Intrigante… Só espero que os novos/velhos aliados do Tio Sam não debandem novamente para o EI tal que o caos na região seja perdurado.

Jorge F
Jorge F
3 anos atrás

Ao menos a presença russa foi solicitada pelo louco e sanguinário Assad, e os demais?

augusto
augusto
3 anos atrás

O nome desse avião deveria ser Phantom não Raptor, como os f-4 já são phantoms é só colocar Phanton ii

zecaglob
3 anos atrás

Não precisava mandar os F22 bastava o F16 ou F15 esses eles tb não encaram não

hALEx
hALEx
3 anos atrás

Augusto, vc podia estudar um pouco mais. o nome do F-4 é Phantom II ! como entao chamar o Raptor de Phantom II ? ?

Delfim Sobreira
Delfim Sobreira
3 anos atrás

Augusto, na verdade o F-4 já é Phantom II. Houve um FH-1 Phantom antes dele.

Ricardo
Ricardo
3 anos atrás

A complexidade na região é tão imensa, que os turcos aplaudiram os sírios e apoiaram fortemente este ataque. Em todo caso a presença dos F-22 é uma ótima oportunidade dos russos fazerem testes de radar com S-400. A uns meses atrás a CNN noticiou que o S-400 travou em um caça da USAF e foi considerado provocação. Na altura disseram que foram informados por fonte anônima, ou seja, pode ser apenas invenção.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
3 anos atrás

Esse “você deveria ir pra casa” deve ser lenda. Existe fraseologia padrão para isso. E a gravação dela é utilizada para MISREP (Mission Report).

bosco123
3 anos atrás

Ricardo, O sistema antiaéreo S-400 não é um sistema anti-stealth dedicado. Para que se torne um sistema efetivo contra aeronaves stealths a ele tem que ser agregado radares outros, de baixa frequência. Os radares comumente associados ao sistema S400 são: 91N6E: radar de busca que opera na banda C (obrigatório); 96L6E: radar de aquisição que opera na banda S ou C (opcional); 92N6: radar de aquisição e engajamento que opera na banda X (obrigatório). Nenhuma dessas bandas: X, C e S são consideradas de “baixa frequência” e portanto os radares associados a eles em tese não têm capacidade anti-stealth. Apenas… Read more »

augusto
augusto
3 anos atrás

na verdade um s-alguma coisa sozinho não é páreo nem pra um 4,5 gen bem armado mas uma iads com os s-400s ou s-300s sim .

carcara_br
carcara_br
3 anos atrás

Certeza que existem radares vhf na região, só não tenho certeza quanto a integração com os S-400.
Pro colega ai em cima S-xxx fazem parte de uma rede de defesa que incluem os pansistir e buks que estão na síria, então ali não tem essa de caça bem armado fazendo alguma coisa sozinha. Pra derrotar a rede de defesa só com muito trabalho e organização de muitas aeronaves.

bosco123
3 anos atrás

Radares de baixa frequência banda L são de uso comum no mundo por serem de longo alcance e como não poderia deixar de ser até Brasil operas esses radares no controle de tráfego e do espaço aéreo (vale salientar que dependendo da classificação a banda L faz parte da UHF).
Já radares de banda UHF com frequência mais curta que a banda L e os radares VHF são mais “raros” e só teriam utilidade na detecção de aeronaves stealths.

Aéreo
Aéreo
3 anos atrás

O uso do F-22 por aquelas bandas é mais uma retórica de propaganda politica do que algo militarmente necessário. Considerando que este é um ano eleitoral nos EUA Considerando que a Rússia tem conseguido impor a agenda militar na luta contra o ISIS. Considerando na percepção dos europeus, com seus milhões de refugiados e centenas de mortos em terrorismo, é o governo de Putin e não o de Obama que parece estar fazendo a coisa certa por lá, isto é apoiar o governo linha dura que mantenha o fundamentalismo controlado. Na cabeça do ocidental médio, aquele que vive na Europa… Read more »

bosco123
3 anos atrás

Só de curiosidade, podemos resumir o espectro de RF utilizado por radares da seguinte forma, das mais altas frequências às mais baixas: Ka Ku X C S L UHF VHF HF (radares OTH) – Das bandas Ka até C o radar é capaz de orientar um míssil guiado por radar semi-ativo ou por comando de forma autônoma. As bandas S e L podem guiar um míssil orientado por radar ativo (que operam com radares autônomos nas bandas X, Ku e Ka) ou por radar semi-ativo, desde que a “iluminação” do alvo seja feito por um radar de banda C ou… Read more »

bosco123
3 anos atrás

Aéreo, O problema estaria resolvido? Você acha que foi o Bush que colocou na cabeça desses fanáticos muçulmanos a vontade de dominar toda a região e até parte da Europa e de levar o terror a todo o mundo? Isso já existia meu amigo. Isso é milenar. Nenhum poder na Terra iria fazer isso acontecer se já não existisse. A questão não são os governantes que você citou, ou a exploração do Ocidente ou mesmo os israelenses que dominam a Palestina ou a Primavera Árabe, a questão é a rivalidade entre sunitas e xiitas, mesmo porque uma hora esses governantes… Read more »

Aéreo
Aéreo
3 anos atrás

O Bush ao intervir no Iraque com o pretexto de procurar armas químicas e biológicas, criou as bases para o que é o ISIS. Com o pretexto de combater a Al Qaeda, criaram algo pior. Com o agravante de que agora, depois do erro que foi a guerra de 2003, nenhuma nação na OTAN está disposta politicamente a mandar tropas pra resolver este problema, oque é a única solução militar efetiva contra o ISIS. O governo dos EUA em uma atitude maniqueísta arma os rebeldes sírios, contra os russos, como armou Bin Laden contra os soviéticos. Estão criando hoje o… Read more »

Ivan da Silveiraa
Ivan da Silveiraa
3 anos atrás

Boa noite! 1 – Muito bom, Bosco! jovens seguidores oriundos da população de imigrantes muçulmanos nos países europeus, que se sentem discriminados nos países que acolheram seus pais. (excelente comentário) 2 – Se a gente for observar até em Dubai, que se diz aberta a mudanças, um estrangeiro ocidental com o bolso cheio de dinheiro é discriminado em várias situações (perda de liberdades). O tratamente de países com população majoritariamente muculmana com nós não é nada agradável e nem de longe comparável a liberdade construída pelo ocidente (nós). Nesse caso a recíproca não existe, isso é inegável! Enfim, eles são… Read more »

bosco123
3 anos atrás

Aéreo, Volte um pouco mais no tempo. O Bush interveio no Iraque em 2003 por conta de um nexo de eventos que remontam à invasão do Kuwait pelo Saddan em 1991. Por 12 anos a invasão do Iraque pelos EUA foi adiada. Esqueça a tal mentira das armas químicas. Era sabido que mais cedo ou mais tarde os americanos iriam acabar o serviço. O que os americanos fizeram foi só aproveitar o momento do pós 11/09 pra fazê-lo já que a opinião pública estava mais aberta a uma invasão. Ninguém, pelo menos ninguém com mais de 40 anos, tinha dúvidas… Read more »

Ivan da Silveiraa
Ivan da Silveiraa
3 anos atrás

Aéreo, o problema da guerra civil da Síria é anterior ao Estado Islâmico, bem anterior. Na essência é uma guerra civil onde o mundo fica olhando os combates sem reagir. Aéreo, no seu texto você pode substituir o termo “EUA” por países como: Itália, Alemanha, Reino Unido, França entre outros…a conversa de tentar jogar toda a balança em cima dos EUA não cola em 2016. (basta separar fatos de retóricas). Pelo jeito nenhum desses países prestam…somente o ditador bashar al assad!

bosco123
3 anos atrás

Correção: “os sunitas (que eram minoria no Iraque)”, e não “maioria”.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
3 anos atrás

Os F-22 estariam vindo da base Americana na Turquia? Ou da base Americana ekj Aviano na Italia?

Djalma
Djalma
3 anos atrás

Infelizmente os USA está cavando a própria cova, enquanto os inimigos se levantam e se alimentam ironicamente dos próprios americanos. Vide china, uma ditadura comunista abraçada pelo ocidente, e agora cuba e irã, daqui a pouco, a venezuela e a coréia do norte também se juntam na mesa… 🙁
(Adeus mundo livre)

horatio nelson
horatio nelson
3 anos atrás
bosco123
3 anos atrás

Horatio,
Dizer que foi sabotagem é um tapa na cara dos familiares das vítimas. Salvo é claro se suas alegações tiverem bases reais e aí o MP deveria ser informado.
Quem não faz parte da “solucionática” faz parte da “problemática”.

bosco123
3 anos atrás

Voltando ao caso da Síria fica claro a ideologização do tema. Nenhuma, literalmente, nenhuma, ação tomada pelos EUA é pelo menos tida como satisfatória ou pelo menos irrelevante. Todas são consideradas nefastas de algum modo pela torcida adversária. Até mesmo caças F-22 (que todo mundo sabe que estão lá) em patrulha interceptarem caças sírios. Não interessa se a OTAN foi convidada a estar lá ou não. O fato a ser considerado é que eles estão lá segurando um pouco a coleira dos russos e do sanguinário Assad, que prefere matar toda a população a entregar o osso. Aliás, fazendo um… Read more »

bosco123
3 anos atrás

Isso me lembrou um filme de terror muito interessante que mostra um mundo dominado por alienígenas mas que só quem tem um óculos especial é que pode vê-los:
https://www.youtube.com/watch?v=wDPF83VwpvQ

_RR_
_RR_
3 anos atrás

Aéreo… . A essa altura, creio que já está mais do que claro que Bush tão e somente levou a cabo suas atitudes em concordância com a agenda da Penísula Arábica… Nem mais nem menos… Saddam Hussein era muito mais um problema dos árabes que dos americanos… . Ora pois, observe… Por que os americanos estão intensificando a exploração de seus próprios recursos em hidrocarbonetos…? Por que estão delegando cada vez mais responsabilidades aso árabes? Por que os outros movimentos na geopolítica da região ( relaxamento das sanções contra o Irã, por exemplo )? Pra se verem livres de uma… Read more »

wellington
wellington
3 anos atrás

Mais acreditar que os Americanos estão lá pela bondade em seus corações é ser muito ingenuo,veja o que os sauditas estão fazendo no iemêm, um massacre e com apoio americano

_RR_
_RR_
3 anos atrás

Bosco123,
.
Teoricamente, radares na banda L podem realmente proporcionar uma solução de tiro sem necessidade de um DT em específico. O sistema SPYDER-SR, por exemplo, aparentemente pode operar somente com o Elta EL/M-2106, na banda L, e que pode controlar as UTs. O outro radar que “oficialmente” complementa esse sistema, o Elta EL/M-2084 ( usado notadamente com o SPYDER-MR ), opera na Banda S como sistema de vigilância…

_RR_
_RR_
3 anos atrás

Djalma, . O Ocidente, pouco a pouco, se readéqua a uma nova ordem… Investidores estão sendo gradualmente desestimulados de investir na China ( principalmente pelo aumento inevitável dos custos chineses ), despejando suas apostas em outros países ainda em desenvolvimento, como Índia e Vietnam. . Venezuela e Coréia do Norte, a menos que passem por amplas e profundas reformas, permanecerão como estão. Aliás, é o que cubanos buscam fazer… . E quanto aos iranianos, a questão está ligada ao equilíbrio de poder daquela região. Com russos e chineses exercendo cada vez mais influência no OM, é evidente que os americanos… Read more »

Ocidental Sincero
Ocidental Sincero
3 anos atrás

Deve ser muito difícil coordenar uma guerra assim, quando um só pais tem 2 comandos que abastecem 3 grupos ou mais, e eles não falam entre si e é cada um por si. Curdos, Daesh e Al-Nusra (Jabhat Fatah al-Sham) . Com certeza os americanos irão se indispor cada vez mais com a força aérea Síria e Russa. E assim, fica muito claro o que os americanos estão fazendo na Síria: garantir um território para a passagem do futuro gasoduto proveniente do Catar e da Arábia. Então, o próximo passo americano é ferrar em definitivo o governo do Iraque. Lembrando… Read more »

Rafael Luciano da Silva
Rafael Luciano da Silva
3 anos atrás

Passou da hora do Assad sair do trono..

bosco123
3 anos atrás

RR, Sobre a banda L poder guiar mísseis com orientação autônoma sem precisar de um radar de apoio de maior frequência, foi o que disse no meu comentário das 23:11: “As bandas S e L podem guiar um míssil orientado por radar ativo (que operam com radares autônomos nas bandas X, Ku e Ka) ou por radar semi-ativo, desde que a “iluminação” do alvo seja feito por um radar de banda C ou X. Também em tese podem guiar mísseis orientados por IR.” No caso, eu citei os radares de iluminação banda X ou C se o míssil for do… Read more »

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
3 anos atrás

O Assad ja matou mais de 400 mil pessoas (civis). O genocidio continua mas ninguem faz nada, porque o Obama tem medo de enfrentar a Russia.

E ainda aparece por aqui o Ocidental Sincero, dando todo o apoio a carnificina indiscriminada do Assad.

Por causa de pessoas como voce, temos que bombardear o OM.

horatio nelson
horatio nelson
3 anos atrás

bosco costumo concordar com tudo q vc fala, mais nesse caso vc está totalmente equivocado em dizer q sabotagem é um tapa na cara dos familiares rsrs, então falar q foi causado por causa das vitimas não é ??? me perdoe mais tapa na cara é acusar quem esta morto isso é um tapa na cara e não quem matou… A causa apontada pelo relatório final de investigação, concluído pelo Comando da Aeronáutica em fevereiro de 2004, foi um ‘acionamento intempestivo’ provocado por uma pequena peça que ligava o motor; X da questão até hoje não se sabe por que… Read more »

Jacinto Fernandes
Jacinto Fernandes
3 anos atrás

O Oriente Médio sempre foi um dreno (dreno não: ralo, porque ralo é o que leva a água para o esgoto) no orçamento de defesa do EUA que, a despeito disso, precisavam atuar lá garantir sua segurança energética – e de brecha, acabavam garantindo a segurança energética de outros países, também. Mas agora os EUA já têm esta segurança, o que eles obtiveram com o desenvolvimento de tecnologias. Qual o sentido de continuar a gastar bilhões de dólares para uma região que, objetivamente, não tem solução? Melhor retirar-se e deixar que outros países, que não têm segurança energética assegurada e… Read more »

_RR_
_RR_
3 anos atrás

Bosco123,
.
Perfeito.
.
Saudações.

CWB Paraná
CWB Paraná
3 anos atrás

Somente falar algo contra os americanos, que aqui na trilogia começa o choro e a mudança de assunto. Ir contra a doutrina não deve ser fácil. Padrão Made in Brazil : A)Torcedor fanático de futebol (rivalidade cega, violenta e irracional, deixando de lado o fator esporte) B) Católico apostólico romano não praticante (não lê a bíblia e não segue os dogmas da igreja católica) C) Viciado na programação da rede globo (assiste diariamente a deturpação dos valores éticos e religiosos; sempre consumindo sem questionar violência, vulgaridades, crimes e desvio moral da infância e juventude) D) Orientação política de direita (não… Read more »

_RR_
_RR_
3 anos atrás

Ocidental Sincero… . “Então, o próximo passo americano é ferrar em definitivo o governo do Iraque…” . Com ajuda direta em material militar e apoio político…? . “…garantir um território para a passagem do futuro gasoduto proveniente do Catar…” . Observe melhor o mapa do OM… Pulando do Qatar para a Arábia Saudita, Iraque e Turquia, não haveria qualquer necessidade de incluir a Síria nesse suposto gasoduto… E se se pretende uma coleta no Mediterrâneo, se poderia muito bem passa-lo pelo território de Israel ou cruzar o Golfo de Aqaba até o Sinai… Aliás, duvido muito que Assad, que estava… Read more »

Ednardo de oliveira Ferreira
3 anos atrás

O que piorou na região nos últimos 100 anos foi apenas a capacidade de fazerem estrago. por serem o meio do caminho ente Europa, Ásia e África já eram importantes. Depois do Petróleo e do canal de Suez, o dinheiro que correu ali só fez aumentar a violência e capacidade de morte de grupos que por séculos já se matavam. recomendo a leitura do livro “Jerusalém – a biografia”, de SIMON MONTEFIORE. O livro fala da cidade desde sua fundação até os anos 2000. Apesar de falar da cidade, acaba falando de toda a região. Meu resumo: aquilo ali é… Read more »

Ednardo de oliveira Ferreira
3 anos atrás

Quanto à matéria, é sacanagem F22 x Su 24. Conta pela comédia, até porque já tem semanas que os americanos têm feito interceptações na região.

bosco123
3 anos atrás

Horatio, Não é “falar que foi causado pelas vítimas”, é dizer o que foi investigado e concluído. A área em que as vítimas trabalhavam é uma área de alto risco e está sujeita a esse tipo de acidente. Se houve a ignição prematura de um foguete não quer dizer que era preciso a tal chave ser girada. Foi uma falha técnica. Nada demais nesse ramo de atividades. O problema é que no caso houve várias vítimas. Eu não culpo nem o governo brasileiro e a sua crônica falta de verbas nem ninguém em especial. Agora, falar de sabotagem dá a… Read more »

Ricardo
Ricardo
3 anos atrás

Para o bem ou para o mal Saddam Hussein e Kadafi mantinham estabilidade em seus países. Ao serem removidos ficou um vacuo gigantesco de poder em seus países e hoje tanto a Líbia quando o Iraque são o caos sobe a Terra e a fraqueza desses países alimentou fortemente a ISIS. O erro dos EUA foi não ter um plano adequado após a queda desses ditadores. E não devemos esquecer que quem armou Saddam Hussein até os dentes foram os EUA para conter o Irã. Afinal da guerra Iran x Iraque os iraquianos tinham um exercito tremendamente poderoso e Saddam… Read more »

bosco123
3 anos atrás

Ricardo,
Gostaria de saber mais sobre a ajuda americana ao Iraque na época da Guerra Irã-Iraque. Nunca tinha ouvido falar isso. E se é verdade o fez com din-din porque equipamento o Iraque não tinha nenhum de origem americana. Era tudo europeu e soviético.

Tomcat3.7
3 anos atrás

Interessante parte do texto de um livro escrito por um pastor norte-americano ( O Reino que Alvoroçou o Mundo , David W. Bercot );
” _ Os Estados Unidos têm usado sua enorme riqueza e poderio militar
principalmente para conseguir seus próprios interesses egoístas.
Raramente usam seu dinheiro e poder para ajudarem uma nação pobre
e impotente, a não ser que essa nação seja importante para os próprios
interesses norte-americanos.”
E creio eu que “todos” os outros países tbm tenham o mesmo modos operandi.

Sds.

Aéreo
Aéreo
3 anos atrás

Ivan da Silveiraa > você pode substituir o termo “EUA” por países como: Itália, Alemanha, Reino Unido, França entre outros… a conversa de tentar jogar toda a balança em cima dos EUA não cola em 2016. Volte um pouco mais no tempo. O Bush interveio no Iraque em 2003 por conta de um nexo de eventos que remontam à invasão do Kuwait pelo Saddan em 1991. Por 12 anos a invasão do Iraque pelos EUA foi adiada< Perfeito Bosco, vamos voltar no tempo então. Quando os EUA capturaram Saddam Hussein perguntaram a ele porque ele invadiu o Kuwait em 1990… Read more »

bosco123
3 anos atrás

CWB Paraná, Não é falar contra os americanos, é distorcer os fatos. Isso é que irrita nos discursos dos russófilos. Demonstra um interlocutor ignorante ou de má fé. Os dois tipos são difíceis de engolir. Quanto ao seu quadrinho, eu por exemplo não me encaixo, senão, vejamos: 1- sou ateu e não acredito em revelações sobrenaturais de qualquer natureza; 2- detesto futebol e nunca gostei (apesar de ter jogado futebol de salão regularmente até uns 25 anos atrás- hoje tenho 55). Não sigo sequer a “Seleção Brasileira em época da Copa”. Só curto de esporte o MMA e F1 (estou… Read more »

Aéreo
Aéreo
3 anos atrás

>>>As bandas UHF e VHF são praticamente inúteis em guiar mísseis seja qual for o sistema de orientação deles e se prestam unicamente à detecção e acompanhamento, e não ao rastreio, engajamento, iluminação, controle de tiro, etc<<< Não necessariamente Bosco. Em alguns sistemas ABM, o direcionamento do míssil interceptador se dá por um radar de VHF ou UHF, por exemplo, nos sistemas Don-2N, Dunay, Daryal. Radares como o EL / M-2080, operam na faixa de 500 MHZ – 1000MHZ para guiar o interceptador Arrow. Isto é na faixa inferior de UHF.