Home Noticiário Internacional Uma imagem captura a força da USAF no Pacífico

Uma imagem captura a força da USAF no Pacífico

5067
28
A B-52 Stratofortress, B-1 Lancer and B-2 Spirit are shown on the flight line at Andersen Air Force Base, Guam, Aug. 10, 2016. 2
Um B-52 Stratofortress, B-1 Lancer e B-2 Spirit na linha de voo da Base Aérea de Andersen, em Guam

Deborah Lee James, a Secretária da Força Aérea dos EUA, twittou uma imagem na quarta-feira passada que resume o braço aéreo da tríade nuclear dos Estados Unidos.

Os bombardeiros B-52, B-1 e B-2 aparecem lado a lado na linha de voo da Base Aérea de Andersen em Guam, onde os aviões e seus respectivos esquadrões estão atualmente realizando a operação “Constant Bomber Presence” no Pacífico. Esta imagem mostra pela primeira vez todos os três atuais bombardeiros dos Estados Unidos operando juntos em Guam.

Com capacidade nuclear, os bombardeiros de longo alcance dos EUA no Pacífico tem proporcionado à região relativa paz e estabilidade desde o fim da Guerra do Vietnã. Agora, com a China ameaçando seus vizinhos e construindo ilhas militarizadas, a presença dos aviões norte-americanos tornou-se mais frequente.

Subscribe
Notify of
guest
28 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ednardo de oliveira Ferreira
4 anos atrás

se tem um lugarzinho no mundo que seria varrido numa eventual guerra nuclear seria Guam.

Flamenguista
4 anos atrás

Além da dissuasão nuclear, acho que os EUA tem a doutrina de atacar um CG inimigo com os B-2 com armas convencionais, salvo engano.

bosco123
4 anos atrás

Guan é protegido pelo sistema THAAD e por navios dotados do SM-3.
E se for atacada com armas nucleares a resposta será igualmente nuclear.

Juarez
Juarez
4 anos atrás

Recado dado aos Xing Ling, e também ao gordinho erótico da Coreia do norte. Quando uma imagem fala por mil palavras.

G abraço

Ednardo de oliveira Ferreira
4 anos atrás

O diacho de um conflito nuclear desta escala é que pior que morrer nos momentos iniciais, só sobreviver nos dias seguintes.

Farroupilha
Farroupilha
4 anos atrás

Mais uma medonha imagem patética e desabonadora da raça humana. Que ainda vivencia prolongada era de guerras lamentáveis.
Todo equipamento desenvolvido para destruição e morte de seres racionais são fruto de civilizações recheadas de indivíduos egoístas e maléficos.
E ainda tem gente que espera ingenuamente intercâmbios sociais com seres estelares. rsrsrs!!!

Aldaz
Aldaz
4 anos atrás

O mundo real não tem nada de bonito. Quem pode mais chora menos. É assim que a raça humana caminha e é assim que achara seu destino.

augusto
augusto
4 anos atrás

Flamenguistas os B-2 vão se focar em destruir ICBMs moveis, postos de comando são fixos podem ser atacados por misseis de cruzeiro ou por intercontinentais

Fredy Palmeira
4 anos atrás

A guerra faz parte da natureza humana meu amigo. Nossa história foi forjada pela guerra que, assim como os crimes e epidemias, se mostrou um essencial e eficaz instrumento de controle populacional. Vc já imaginou uma sociedade pacífica, sem crimes e sem guerras? A população global já teria passado dos 10 bilhões e estaríamos vivendo um total caos social. Seja como for, o antigo brocardo é hj mais atual de que nunca: “Se queres paz, prepara-te para a guerra”.

TTTT
TTTT
4 anos atrás

O objetivo é ter forca de derretenca seja por acordos ou forca militar. Acabar com o conflito na hora que ele comecar pra evitar uma guerra decgrandes proporcoes

bosco123
4 anos atrás

A guerra e a espécie humana se confundem. O dia que não tiver mais guerra a espécie humana terá evoluído para algo diferente do que é e não caberá mais utilizar o termo “humanidade” para definir o conjunto desses seres pacíficos.

Fredy,
Que me perdoem os “criacionistas” mas complementando o que você disse, o espírito guerreiro foi essencial para a evolução da espécie humana. Devemos mais como seres biológicos aos brutos do que aos gentis.

Emerson R.B
4 anos atrás

HA “”Farroupilha 15 de agosto de 2016 at 14:31 “”, vai dizer isso pra Coreia do norte ou pra antiga URSS e pra China.Falso moralismo é uma Desgraça!!
https://youtu.be/BXv3LN8O_dM

mauriciosilva2014
mauriciosilva2014
4 anos atrás

Olá.
Para um exercício conjunto, nada mais intimidante que essas três gerações de bombardeiros juntas.
Mas para o TO do leste asiático, o B-52 me parece inadequado. Mas como se trata de um exercício…
SDS.

Antonio Carlos Jr Zamith
4 anos atrás

A frota submarina da USN No pacifica é de 35. Só eles podem destruir a China comunista varias vezes. Essa operação para mostrar aos aliados dos EUA na área que não serão abandonados como trump nazi diz.

bosco123
4 anos atrás

Maurício,
O B-52 é um vetor de mísseis cruise convencionais (JASSM-ER) e de bombas planadoras JWOW. E ainda pode lançar mísseis despistadores/interferidores MALD-J. Ele é essencial nessa teatro de operação.

Antônio,
Isso seria verdade se os Tomahawks nucleares estivessem operacionais, mas tudo indica que não estão. Aí, só sobram os Tomahawks convencionais que não dá pra fazer nem cócegas na China. rrsrsrss

Abraço aos dois.

bosco123
4 anos atrás

Correção: JSOW

Jeff
Jeff
4 anos atrás

Uma pena que os militares brasileiros não levaram adiante suas pesquisas nucleares e o desenvolvimento de bombas nucleares.

mauriciosilva2014
mauriciosilva2014
4 anos atrás

Olá Bosco.

O B-1 Block E também é uma plataforma de lançamento do AGM-154 JSOW e do AGM-158 JASSM, levando vantagem na velocidade (que pode superar mach 1) e de ser um aparelho para penetração em baixa altitude, coisas em que o B-52 não consegue ter desempenho semelhante.
De forma geral, tanto o B-1 quanto o B-2 apresentam melhor desempenho que o B-52 em TO de alta intensidade, como o caso do leste asiático. É nisso que baseio meu comentário e opinião sobre a presença do velho (e admirável) Buff em Guam.
SDS.

Flamenguista
4 anos atrás

Augusto, concordo com vc, mas eu estava dizendo que os B2 atacariam um carrier group inimigo.
SRN

bosco123
4 anos atrás

Jeff,
Pra que mais uma arma de destruição em massa? Já temos a falta de saneamento básico, a fome, os assassinatos, as estradas esburacadas, a falta de assistência médica, a falta de segurança no trabalho, a corrupção endêmica, a falta da educação, o crime organizado e a pura e simples malversação das verbas. Isso tudo é responsável por cerca de um milhão de mortes no Brasil.

augusto
augusto
4 anos atrás

Ata entendi seu comentário errado mas mesmo assim acho que o trabalho de afundar um CG inimigo ficaria com a US Navy no máximo um B-1 armado com umas JASSM-ER, O B-2 deve ficar restrito a operações onde o B-1 e o B-52 não conseguiriam fazer

Jacinto Fernandes
Jacinto Fernandes
4 anos atrás

Fazendo piada com assunto sério, eu tenho um amigo que afirma que o Brasil já tem uma bomba atômica. Ela se chama Angra-3….

Flamenguista
4 anos atrás

Augusto, seria o mais provavel mesmo, mas acho que já fizeram até exercício desse tipo … se alguem puder confirmar.

Paddy Mayne
Paddy Mayne
4 anos atrás

Faltou lembrar do quarto elemento indispensável nessa estratégia: o KC-135. Dá para ver a deriva de alguns deles lá ao fundo…

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
4 anos atrás

Só para refrescar a memoria: um submarino da classe Ohio sozinho; sem a ajuda de bombardeiros ou ICBMS. da USAF, pode acabar com a China em questão de minutos.

Os B-52s, os B-2s. e os B1-Bs. estão aí como mensajeiros diplomáticos. O perigo e a morte, estão no fundo do mar.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
4 anos atrás

E tem mais: os bombardeiros nao sao considerados First Strike Weapons, mas os ICBMs. e os SLBMs. sao.

Delmo Almeida
Delmo Almeida
4 anos atrás

Tadeu Mendes, correto! Cada um dos 14 SSBN Classe Ohio possui 24 mísseis balísticos intercontinentais com até 4 ogivas cada (limitação dada por tratados internacionais, não pela capacidade do míssil) e podendo viajar até 12 mil km para atingir o alvo se estiver com carga baixa! Sem contar que são os vetores mais difíceis de serem localizados.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
4 anos atrás

Delmo,

Pelo menos um Ohio està sempre patrulhando aquela área. Provavelmente o tempo da trajetoria ballistica de um SLBM lançado de um Ohio até o território chines, deve variar entre 6 e 11 minutos.