China Amphibious Plane

A aeronave que tem o tamanho de um Boeing 737 vai ser usada para combater incêndios florestais e realizar missões de salvamento marítimo

Pequim lançou seu avião anfíbio AG600 feito em Zhuhai, que será usado para combater os incêndios florestais e realizar missões de salvamento marítimo, disse o governo chinês em comunicado que chamou a aeronave “um marco para o país.”

É o maior avião anfíbio do mundo, disse o governo, e tem o tamanho de um Boeing 737. Ele tem um peso de decolagem máximo de 53,5 toneladas e um alcance máximo de cerca de 2.800 milhas.

A longa aeronaves de 36,9 metros também tem uma autonomia máxima de 12 horas, segundo a agência de notícias estatal Xinhua.

AG600

O AG600 tem uma envergadura de 38,7 metros e pode decolar e pousar como um avião comum, mas também pode pousar e decolar em extensões de água de pelo menos 1.490 metros, 198 metros de largura e 2,5 metros de profundidade, segundo a Xinhua.

A aeronave também pode coletar 12 toneladas de água em 20 segundos e transportar até 12 toneladas de água em um único tanque de combustível. É também capaz de resgatar até 50 pessoas longe da costa.

A aeronave representa quase sete anos de trabalho de um grupo de 70 fabricantes de componentes aeronáuticos e equipes de pesquisa de mais de 150 institutos em 20 províncias e municípios chineses.

O avião será principalmente orientado para o mercado doméstico, segundo a Xinhua.

44
Deixe um comentário

avatar
44 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
32 Comment authors
TIPmajor505Glaxques 7 ex glaxs7Luiz Fellipe BarbieriScudB Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Clésio Luiz
Visitante

Claro que os chineses não vão querer ficar atrás do japoneses:
https://en.wikipedia.org/wiki/ShinMaywa_US-2

Fresney
Visitante
Fresney

esse avião é interessante para incêndios, imagina esse tempo de reabastecimento é incrível!!!!

Reinaldo Deprera
Visitante
Member
Reinaldo Deprera

Se o estado brasileiro fosse menos presente no mercado, essa seria uma boa aeronave de linha para a região amazônica.

Save Ferris!

Luciano
Visitante
Luciano

Estamos vendo um renascimento dos hidroaviões de maior porte?

JT8D
Visitante
JT8D

Luciano 30 de julho de 2016 at 12:19
“Estamos vendo um renascimento dos hidroaviões de maior porte?”

Não acredito. A China não é parâmetro para a definição de tendências na aviação mundial. Se a Boeing ou a Airbus lançarem um hidro-avião, aí sim seria um renascimento

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Estive na China na primeira quinzena deste mês. Achei o país fantástico. Guanghzou, uma mega cidade com 23 milhões de habitantes ( a grande SP tem 15), é completamente limpa, sem buracos no asfalto, transporte coletivo que funciona, sem violência. Impensável no Brasil. Ah, e mega aeroportos. Guarulhos é pequeno comparando.

ScudB
Visitante
ScudB

Uma observação :
“A aeronave também pode coletar 12 toneladas de água em 20 segundos e transportar até 3 7 0 toneladas de água”
Acredito que tem um zero a mais…
Achei mais fotos do bichinho : bmpd.livejournal.com/2032178.html
Um abraço!

Hawk
Visitante

Bela aeronave…

FRL
Visitante
FRL

Estimados colegas foristas, boa tarde.
.
Queiramos ou não, gostemos ou não, a China já é parâmetro de tendências em todas as áreas. Pode não ser o único parâmetro atual, mas que é um dos, é. E, queiramos ou não, gostemos ou não, a marcha dos acontecimentos indica que em um futuro não muito distantes a China será O (maiúsculo mesmo) parâmetro. Só não acontecerá se uma guerra interromper essa trajetória…

Aki vrx (Shandow)
Visitante

Curiosidade o modelo japonês custa caro porem tem as suas vantagens uma delas é a capacidade pousar em 330 metros na agua e levantar voo em 280 metros porem ele não pode ser operado pela aviação civil, existe regras da aviação civil que limita a velocidade mínima de aproximação para pouso na agua a cerca de 210km/h o US-2 supera o limite minimo em 130% aproximadamente 90km/h. http://robotpig.net/_images/posts/us2_4.jpg Os japoneses tentaram comercializar o US-2 para aviação civil mas esbarrou neste requisito se teria que reprojetar e retirar a turbina no centro da fuselagem, sem este sistema o projeto por mais… Read more »

FRL
Visitante
FRL

Prezados, assim que o KC-390 se consolidar e houver o início da amortização dos investimentos feitos, está ai um bom nicho que a EMBRAER poderia preencher (dos aviões anfíbios), contando com a FAB no tocante aos requisitos, pois seria de excelente emprego no ambiente amazônico e litorâneo, especialmente no que tange às ilhas oceânicas brasileiras.

Ulisses Paulino
Visitante

Com uma forte ajudinha dos desenhos da Beriev, é claro. Hidroaviões são plataformas incríveis e versáteis, porém, são de operação cara para uso comercial, exceto casos muito restritos.
No caso Brasil, grandes hidroaviões são desnecessários, visto que não há grandes lagos, mas certamente vetores menores e médios são de grande valia, principalmente na Amazônia.

Reinaldo Deprera
Visitante
Member
Reinaldo Deprera

Ulisses Paulino 30 de julho de 2016 at 17:13

Rio Negro, Amazonas e respectivos afluentes são perfeitos para a amerrissagem desse pássaro.

Save Ferris!

Joli Le Chat
Visitante
Joli Le Chat

Sinceramente não identifiquei Beriev nesse avião… Alguém me ajuda? Qual modelo Beriev seria o inspirador desse chinês?

luiz campos
Visitante
luiz campos

nasceu morto

Aki vrx (Shandow)
Visitante

https://www.youtube.com/watch?v=6C-WNzCRVmQ
Harbin SH-5 modelo antecessor do AG600.

Carlos Crispim
Visitante
Carlos Crispim

Acho que a informação importante é que países como o nosso deveriam ter aeronaves especializadas contra incêndios florestais, é cíclico acontecer incêndios de grandes proporções que sempre arrasam as reservas naturais protegidas, com milhões de animais mortos, não aguento ver isso acontecer e ter que assistir na TV bombeiros tentando apagar o fogo com tapa-tapas, é incrível não termos aviões tanques, sendo que se é verdade que não possímos grandes lagos podemos contar com rios enormes e largos, perfeitos para abastecer esses titãs. O Rio já teve um aviãozinho de combate a incêndio, igual aqueles de pulverização de inseticidas em… Read more »

Rommelqe
Visitante
Rommelqe

E aí Mo, fala agora dos “aviozinhos”, fala! Rsrsrsrs ,
A geometria da proa é incrivel!
Abs

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

um avião incrível pelo tamanho e pelas capacidades, para combate a incêndios que o saiba o KC390 vai ter essa capacidade. Gungzhou é linda demais só não mais que Xangai.

Oswaldo Júlio Neves de Oliveira
Visitante
Oswaldo Júlio Neves de Oliveira

Carlos Crispim, o avião que o CBMERJ comprou e utilizou por curto período espatifou se em Resende, matando o piloto, meses após este incidente no Campo dos Afonsos , quando uma menina morreu esmagada no pânico criado pela massa d’ água jogada sobre o espectadores de um ” Portões
abertos ” . Acho que era um Dromader

Rommelqe
Visitante
Rommelqe

O CBGB (comitê brasileiro de grandes barragens) possui um cadastro com mais de 400 reservatórios todos certamente com condições de receberem hidroavioes; se considerarmos todos os reservatórios registrados no Brasil ( superam mais de 10000) teremos uma quantidade enorme de locais próximos a centros urbanos desprovidos de aeroportos. Isso sem contar com lagios naturais e rios.
Acredito que a economia de recursos em pistas etc, poderia ser revertida para a viabilização dos hidroaviões.

SérgioLuis
Visitante
SérgioLuis

É uma copia do Kawanishi H8K

Rommelqe
Visitante
Rommelqe

Entendo que a concepção da proa, com aquela nervura em superficie curva, formando um anteparo que tangência a linha da fuselagem, é o responsável por convergir o fluxo de água captada para o tanque de armazenamento. Quando a água é dispersada sobre a área incendiada essa configuração possivelmente também seria utilizada para admitir ar no tanque ajudando a expulsar a água sem.necessidade de bombear ou contar só com a gravidade.

Rommelqe
Visitante
Rommelqe

Por outro lado, está geometria deve ser muito adversa de um ponto de vista aerodinâmico, só se justificando para as versões destinadas a combate a incêndios. Isto também vale se fosse utilizado exclusivamente para navegar, sendo igualmente um empecilho hidrodinâmico. Tem mais: no combate a incêndios, dispersar unicamente água liquida é pouco eficaz, pois devido ao calor há uma evaporação precoce que acaba não contribuindo para uma extinção mais ampla. Essa é a razão do por que vemos os aviões “bombeiros” lancando um.liquido colorido, pois a água é aditivada com substâncias que retardam a evaporação; talvez essas substâncias possam ser… Read more »

Tiago Silva
Visitante
Tiago Silva

“A China não é parâmetro para a definição de tendências na aviação mundial. Se a Boeing ou a Airbus lançarem um hidro-avião, aí sim seria um renascimento.” Falo a mais de uma década que a China ia surpreender o mundo com seus projetos aeroespaciais, me chamaram de louco e hoje ficam sem argumentos. O AG600 surpreende pelo tamanho e gostei do design dele, quanto a vendas internacionais não sei se vão rolar porém se as encomendas internas forem o suficiente nem precisam se preocupar. E quanto a definição de tendências todos os estudos dos mais variados mercados ligados a aviação… Read more »

Daniel Ramalho
Visitante

Seria uma ótima alternativa para patrulha marítima em substituição ao P-3 “1 voo, 1 pane” Orion?

Rommelqe
Visitante
Rommelqe

Dispensando qualquer conotação politico-ideologica, a China é uma fonte de alta tecnologia mais do que milenar . A maior esquadra naval ja construida pelo homem, mesmo incluindo os dados de hoje, é um exemplo. A pólvora, macarrão, ceramicas e porcelanas, etc e tal. O Marco Polo, coitado, foi la pensando em tirar proveito e encontrou os maiores comerciantes da humanidade. Não é por acaso que vestidos Dior, celulares Apple e canivetes Victorinox são todos fabricados na China, que domina o comercio mundial. Avioes e navios militares? Precisa desenhar? solta pecinha? Veja so se um alicate chines vendido na Alemanha sobreviveria… Read more »

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

1 vôo, 1 pane? De onde tirou isso?

Emerson R.B
Visitante

“”A o Planeta China””. O cara (num comentário acima)vai em umas das cidades satélites acha tudo aquilo lindo(pra ingles ver)e sai falando que é uma maravilha.Vai pro interiorzão que eu quero ver, e pq não vai visitar as “cidades fantasmas” da China tbm?
link com noticias confiáveis da China de dissidentes chineses.

http://www.epochtimes.com.br/categoria/china/

JT8D
Visitante
JT8D

Tiago Silva 30 de julho de 2016 at 21:22
Meu comentário foi mal entendido. A China é um pais geopoliticamente importante e uma grande potencia militar e econômica. Num futuro a médio prazo pode rivalizar em desenvolvimento tecnológico com EUA, Europa e Japão. Mas HOJE a China não é competitiva em termos de aviação comercial, ponto. Então a China pode fazer o que quiser dentro de suas fronteiras em termos de aviação, mas enquanto não estivermos vendo aviões chineses operando em nossas linhas aéreas, a China ainda não pode ser considerada parâmetro para definir as tendências tecnológicas da aviação comercial mundial.

Jose Carlos
Visitante

Me desculpem se acharem que eu disse alguma besteira mas, Esta a aerodinâmica, e o protótipo pintado de amarelo e ainda com o nariz em branco me pareceu ver um BANANA BOLT de asas. Não porque é Chinês, Amo a cultura Chinesa e admiro o que fazem. Em breve estarão falando e agindo como os Americanos falam e agem hoje. Esta aeronave tem tudo a ver com o projeto de posse e ocupação do mar da China. Japão, Tailandia, Filipinas, Vietnan e demais terão que buscar mais parceiros além de USA…

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

Muita gente se pergunta por que os hidroaviões não são populares e disseminados em nossa região amazônica repleta de rios por todo lado, inclusive com todas as suas povoações e cidades sendo a beira rio. A explicação é o custo Brasil… um hidroavião e suas despesas sempre são mais caras que os barcos usados lá. As tais voadoras, cegonhas etc, utilizados amplamente pelo povo ribeirinho, possuem como parte mais complexa um motor de popa com manutenção simples e relativamente barata. Não dá para competir. – Quanto a esse grande hidroavião chinês,para incêndios florestais e salvamentos, é coisa de país mais… Read more »

kfir
Visitante
kfir
Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Reinado, a realidade amazônica de hoje não é mesma do pós segunda guerra, naquela época os hidroaviões (como o PBY Catalina) foram de extrema importância, hoje já não são necessários para função de transporte regular de passageiros e cargas, pelo menos não deste tamanho, aeronaves de pequeno porte são mais proveitosos. Mesmo assim esta aeronave chinesa, como o Beriev russo e o Bombardier canadense são/seriam muito úteis (pelo menos é o que eu acho) para operações de combate a incêndios florestais e SAR (especialmente na costa brasileira). É o que eu penso.

Até mais!!! 😉

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Sim, fui juma das “cidades satélites”, e também em Sanya, uma ilha ao sul da China (foi invadida pelos japoneses na WW2). Sim, achei tudo lindo. Não conheci o “interiorzao” e nenhum dissidente chinês. Se for morar lá (ainda não decidi) pretendo conhecer. O que vi é muito superior ao Brasil.

Marcos
Visitante
Marcos

O CBGB (Comitê Brasileiro de Grandes Bobagens) não permitirá que nada prospere por aqui.

Delfim Sobreira
Visitante
Delfim Sobreira

Quantos soldados equipados poderia levar ?
Me passou algo fantasioso na cabeça, que tal aeronave pudesse realizar desembarque anfíbio… mas não houve alguns ekranoplanos russos com tal fim ?

ScudB
Visitante
ScudB

Amigo Delfim! Projeto de ekranoplano – 903 (Lun’) ou Utka – era concebido como UM NAVIO com propriedades voadoras.E , de fato , principal característica dele seria “uma aproximação rápida de tiro”.Qualquer outra tática de uso (com tropas de desembarque , por exemplo) consideravam-se plausível porem segundaria. Tanto que foram planejados somente 8 unidades deles na marinha soviética.Junto com evolução de mísseis Mosquito para Onix/Bastion necessidade dos navios do projeto 903 foi revisada. Pelo que lembro tem um navio da mesma classe da Lun’ com nome “Salvador” destinado as missões de busca e salvamento.Acredito que Google sabe se rola ainda… Read more »

Jose Carlos
Visitante

Comandante Rinaldo Nery, Sou encantado com a cultura e os cotumes Chineses; especialmente o fato de prestigiarem a vida em familia. Li seus comentários sobre este país e se acaso ainda não tenha assistido estes videos busque no youtube por * A BITE OF CHINA* e então Você poder[a ver muita coisa sobre a cultura e os costumes do interior da China. Tenho uma vontade imensa de conhecer este país e se tiver a chance de viver ao menos uns dois ou três anos no interior, em uma vila ou mesmo em uma fazenda. Desejo Lhe uma boa sorte e… Read more »

Luiz Fellipe Barbieri
Visitante
Luiz Fellipe Barbieri

Eu ainda prefiro o velho catalina, não sei se esse pato ao molho chines vai dar muito certo … no mais parabéns aos chineses .

Glaxques 7 ex glaxs7
Visitante

Daniel Ramalho

Por favor, O P3 Orion é uma aeronave antiquíssima e amplamente consagrada no seu segmento. Tanto assim que a Lockheed Martin tem feito modernização traz modernização do mesmo e ainda hoje é considerado uma aeronave insubstituível pra muitas Marinhas. Trocar uma aeronave versátil com uma autonomia invejável e de um custo aceitável por uma aeronave que mal está nascendo é totalmente ilógico.

major505
Visitante

Em tempos de helicópteros ainda existe espaço par um avião anfíbio no mundo?

TIP
Visitante

Prezados, Os comentários acima retornam pontos já abordados em outros posts… O uso de um anfibio no combate a incêndios florestais. Alguns apontam sobre o pouco número de lagos com espelho e profundidade o suficiente, outros falam dos rios que por serem com muitos meandros na daria para pouso. Mas a decisão de não usar anfibios é bem técnica : os ecossistemas brasileiros são muito sensíveis a utilização de água salgada para combate a incêndios florestais. Um grupo de especialistas do CBMERJ, Ibama entre outros fizeram estudos, visitaram a Grécia, que tem o maior contigente aéreo de combate a incêndios… Read more »

Reinaldo Deprera
Visitante
Member
Reinaldo Deprera

Wellington Góes 31 de julho de 2016 at 10:30

É tanta barca e catamarã transportando passageiro por lá que eu penso que hidroaviões grandes podem se dar bem novas linhas.

Save Ferris!