Home Noticiário Nacional Ozires Silva: ‘Estamos criando uma verdadeira tragédia para o nosso futuro’

Ozires Silva: ‘Estamos criando uma verdadeira tragédia para o nosso futuro’

13987
64

Ozires Silva 010a

Governo deveria ser o catalisador do sucesso da sociedade, e não o “atrito”, diz fundador da Embraer; “onde estão os nossos líderes? Já esta provado que não estão em Brasília”

ClippingNEWS-PASÃO PAULO – O bordão “Brasil é o país do futuro” nasceu com uma visão promissora para o País, mas logo tornou-se o “lugar comum” para concluir a ideia de que não conseguimos evoluir em certos aspectos e ficamos esperando por um futuro que nunca chega. E se depender das políticas adotadas pelo nosso governo no campo educacional, estamos fadados a ficar cada vez mais atrasados do resto do mundo. Essa visão é de ninguém menos que Ozires Silva, 85 anos, fundador da Embraer (EMBR3) e que “venceu na vida” principalmente graças aos esforços pessoais nos estudos – o que torna essa análise ainda mais preocupante.

“A magia da transformação passa pela educação. Basta ver o que aconteceu com a China e a Coreia do Sul nas últimas décadas. Aqui não temos isso: o Governo Federal não tem e nunca teve um plano para mudar isso. Estamos criando uma verdadeira tragédia para o nosso futuro e para as gerações de nossos netos”, disse Ozires em almoço palestra promovido pela OEB (Ordem dos Economistas do Brasil), realizado no começo de julho no Terraço Itália, em São Paulo.

Por cerca de 40 minutos, ele explicou por que o Brasil está ficando – e deverá ficar – cada vez mais para trás na esteira da evolução do mundo e apontou como a falta de líderes em Brasília é determinante para nos manter nesse atoleiro. Como um ótimo contador de histórias, Ozires ainda narrou toda a trajetória da Embraer, desde a fundação até a posição mundial de destaque, comovendo os ouvintes mas ao mesmo tempo mostrando o quão difícil é criar tecnologia dentro de um país tão acostumado a produzir commodities.

Confira abaixo os principais destaques do discurso de Ozires Silva:

A magia da educação e a “herança maldita” do Brasil
A magia da transformação passa pela educação. Basta ver o que aconteceu com a China e a Coreia do Sul nas últimas décadas. Em 1988, eu, juntamente com outras personalidades mundiais da época, fomos chamados por Peter Druker, que havia sido contratado pelo governo chinês para criar um projeto de conquista do mercado mundial. Hoje vemos onde ela chegou. Isso mostra a importância de ter líderes, pois eles que guiarão as pessoas a fazerem algo em conjunto que resultará em um bem comum.

Aqui no Brasil não temos isso: o Governo Federal não tem e nunca teve um plano para mudar isso. Estamos criando uma verdadeira tragedia para o nosso futuro e para as gerações de nossos filhos. Sem dúvida nenhuma não chegaríamos onde chegamos [com a Embraer] sem educação. Inovação é fundamental. O problema é que o Brasil não está preparado para assumir os riscos de criar algo novo. Se não assumirmos isso, o futuro de nossos filhos estará em risco.

Nossos líderes não estão em Brasília
No passado, os líderes mudaram o mundo. E continuarão fazendo isso. Dai eu pergunto: onde estão os nossos líderes? Já esta provado que não estão em Brasília. O governo brasileiro não tem funcionado como um catalisador do sucesso da população, ele tem sido um atrito. Os líderes são sempre necessários. Então, seja um deles: ao invés de esperar alguém, seja você a mudança. Precisamos confiar em nós mesmos.

A “triste” semelhança entre brasileiros e chineses
Os países emergentes estão encontrando seu caminho, hoje em dia produtos coreanos e chineses estão no mundo todo, mas nosso produto não. Não há produtos brasileiros nas ruas e cidades do mundo. O Brasileiro é igual o chinês: o chinês só compra produto chinês; o brasileiro também. Oportunidades estão aí e precisam ser aproveitadas, mas sem marca e sem propriedade intelectual não vamos evoluir.

Vendemos barato, compramos caro; como fechar a conta?
O mundo está menor, cada vez mais globalizado, mas não estamos aproveitando as novas tecnologias que surgem. São raras as inovações no Brasil, e uma das razoes é a dificuldade de levantar capital de risco para aplicar e gerar valor, e não apenas aplicar para gerar retorno financeiro. Os empreendedores precisam disso para ter sucesso. Mas infelizmente ainda somos uma terra de commodities. Estamos vendendo barato e comprando caro. No longo prazo, essa conta fecha?

MAB - 6 - EMB-110 Bandeirante
EMB-110 Bandeirante

Embraer: do sonho de criança ao “dia de sorte”
Em 1945, quando tinha 14 anos, eu e o Zico [amigo de Ozires que ajudou a idealizar a Embraer, mas que morreu em 1955 em um acidente aéreo] frequentávamos o Aeroclube da minha cidade natal, Bauru. Nós discutíamos por que os aviões do aeroclube tinha que ser todos importados dos EUA. Em 1906 Santos Dummont deu seu primeiro voo, então por que 40 anos depois não tínhamos nossos próprios aviões? Além disso, o Brasil sempre foi um país continental e estava em crescimento, o que criava a necessidade de mobilidade. Havia também sinais de globalização, ou seja, poderíamos fazer aviões no Brasil e vender em outros lugares.

Como não havia graduação em aeronáutica, entramos na FAB (Força Aérea Brasileira) via concurso em 1946. Em 1950, foi criado o ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica), onde poderíamos ter a base de estudo. Mas eu só consegui a bolsa para ser engenheiro em 1962. Me formei aos 32 anos. Agora que eu tenho a qualificação correta, não podia ficar de braço cruzado: no ano seguinte, montei uma equipe de engenheiros para colocar de pé a seguinte ideia: criar aviões que poderiam atender a demanda regional de voos. Muitas cidades menores não tinham a infraesturtura para receber aviões muito grandes, e por isso essas cidades estavam perdendo serviço regular mesmo com o crescimento da economia do País como um todo. Nosso projeto era provar ser possível um avião pousar numa pista pequena.

Sofremos com a baixa credibilidade: o estrangeiro não queria colocar dinheiro nesse projeto, enquanto o governo rejeitou a ideia de uma sociedade mista e disse que algo desse porte tinha que ficar com a iniciativa privada. Até que surgiu o que eu gosto de chamar de “dia de sorte”: era domingo, 20 de abril de 1969. Presidente da República [Artur da Costa e Silva] estava indo para Guaratinguetá e havia uma comitiva enorme para recebê-lo, mas por causa de uma neblina, ele teve que ir pra São José dos Campos. Eu e minha equipe estávamos trabalhando naquele domingo. Então como não tinha ninguém lá par recebê-lo, eu tive que fazer isso sozinho. Era a minha chance de de fazer uma “lavagem cerebral”e convencê-lo a criar uma estatal de fabricante de aviões. E ele acreditou: em 19 de agosto de 1969, foi criada a Embraer.

Hoje, voamos em 90 países, e o curioso é que foi esse o número que “chutei” em 1969 quando o presidente me perguntou quantos países eu achava que teriam interesses em nossos aviões.

FONTE: InfoMoney

64 COMMENTS

  1. Governos guiam mas também são reflexos de seu povo e o que o brasileiro médio tem se tornado é extremamente desalentador.
    O senhor Ozires é um exemplo de liderança que faz acontecer, mas o nosso nível chegou a tal ponto que precisamos urgentemente de líderes que recuperem valores básicos dos indivíduos, caráter, moral, patriotismo e senso coletivo.
    Líderes religiosos e cívicos são uma raridade, não só no Brasil, mas no nosso país são uma questão de sobrevivência pra ontem.

  2. Acredito que com esse novo ministro das relações exteriores ” imposto” aos brasileiros, toda essa situação ruim descrita pelo Sr.Ozires só tende a piorar. Compraremos cada vez mais produtos americanos, chineses, europeus….E cada vez menos tecnologia nacional vejam a mectron a base de Alcantara e terras na Amazônia disponíveis para estrangeiros entre outras coisas.Agora quanto a educação, mais do mesmo, ou seja, cada vez menos.

  3. Eduardo M Silva 27 de julho de 2016 at 21:21
    Interessante seu raciocínio. Quer dizer que em dois meses o novo governo foi responsável pela quebra da Mectron? Suponho que os 13 anos do governo anterior não tiveram qualquer influência nisso, certo?

  4. JT8D não estou me limitando a dois meses de governo, mas que de dois meses pra cá a situação nesse sentido irá se deteriorar ainda mais. Não quero me limitar a uma visão em preto e branco tendo que decidir qual ideologia partidária é melhor ou não.O descaso com o Brasil é antigo de muito antes das ideologias que hoje disputam o poder, mas o grupo que no momento está com as rédeas nas mãos ao meu ver é um facilitador de interesses estrangeiros. Isso não quer dizer que o outro grupo seja melhor, ambos são prejudicial à qualquer sociedade que deseje ser minimamente organizada e com um plano de desenvolvimento sério. Não enxergo hoje no Brasil nenhum grupo político competente, todos parecem amadores, corruptos e com interesses distorcidos no poder.
    Essa é minha opinião.

  5. O Eng. Ozires merece todo o nosso respeito e admiração. Não ha palavras para conseguir agradecer a este brasileiro, e aos seus pares, o enorme bem que fizeram pelo nosso pais.
    Temos que trabalhar muito para tentar seguir seus passos e replicar, pelo Brasil afora, um minimo que seja de sua competencia e ética.

  6. “DomSaf 27 de julho de 2016 at 20:55
    “Governo Federal não tem e nunca teve um plano para …” TUDO ?
    Sem mais.”
    .
    Mas meu amigo… isso é um problema de todas as esferas da sociedade brasileira… a falta de planejamento !!!
    A iniciativa privada, o governo federal, os governos estaduais… dentro de nossas casas. Tirando pouquissimas excessões, o planejamento não faz parte da vida do brasileiro.

  7. Grande brasileiro o Sr Ozires! Falou tudo! O país perdeu o bonde e ainda estamos dormindo… Precisamos acordar, não podemos achar normal nossa educação, nossa segurança, nossos gastos com a folha pagamento, nossa corrupção etc. eh preciso recobrar a indignação. Não podemos pensar que “o Rio eh assim mesmo” ou “todo político rouba”. Não dá para continuar pensando que ideologia xy vai trazer mais igualdade ou que somos atrasados por culpa dos USA, tem muita gente que põe filho no mundo e acha que o governo vai dar saúde, educação, moradia etc. Precisamos ajudar a mudar esta mentalidade, tal como disse o Sr Ozires!

  8. Ozires Silva um grande brasileiro!

    Pena ele não ter citado diretamente, nessa entrevista, a maior burrada feita na educação deste país: Progressão Continuada.
    Pois não é que, hoje, com a tal Progressão Continuada, as crianças brasileiras desse método de ensino, sequer sabem usar uma calculadora básica. Ficam sem saber porque no display aparece 2×8=16 e não =10 surge essa dúvida na cabecinha delas lá no 7º, 8º ano, no qual elas fantasticamente chegaram sem nada aprender, do básico do básico… interpretar textos e dominar as quatro operações fundamentais da aritmética.
    Mas…
    Talvez o pior de tudo a respeito da Progressão Continuada:
    A ausência do perigo da reprovação simplesmente esvazia a autoridade do professor em sala de aula. Ele deixou de ser um foco de interesse e necessidade para os estudos da turma, para se tornar um simples boneco na mão de alunos, pais e pedagogos.
    Grande parte de nossos jovens estão crescendo com insignificante noção de autoridade, de respeito a quem sabe mais ou está numa posição de comando.
    Progressão Continuada igual a receita para afundamento maior ainda da vergonhosa jangada Brasil.

    Querem melhorar nossa Educação ,com rapidez, sem bla bla blas teóricos pedagógicos, e sem gastos irreais de 1º mundo? Retorno ao ensino tradicional na escola pública.

  9. Ao mestre todo o meu respeito, e concordo com cada palavra.

    Essa coisa de país do futuro meus pais escutavam eu escuto e muito provavelmente meus filhos (quando eu tiver rs) também vão escutar. Infelizmente não temos líderes no governo lá temos basicamente sangue-sugas.

    O povo brasileiro esta muito mau acostumado, quando você fala em investimentos em educação tem gente que vira a cara e em muitos casos acha ruim,mas dos exemplos que o Ozires citou me apego a Coréia do Sul que era uma nação em alguns casos pior que o Brasil 60 anos atrás.

    Naquela época o que eles tinham era mão de obra barata e olha a revolução que fizeram, nos dias atuais vendem conhecimento. Vejo com tristeza a mente do colaborador brasileiro que acredita firmemente que para a sua evolução profissional a empresa tem que investir nele,não posso generalizar mas quantas vezes escutamos frases do tipo “se a empresa quer ela que pague”.

    Vou demonstrar através da minha experiência.

    Trabalhei numa empresa de manutenção de componentes que hoje não existe mais,quando em 2012 tomei a decisão de ir estudar inglês fora e me aperfeiçoar já que é a língua padrão na aviação. Fui alvo de piadas, do tipo “nossa como é trouxa”,”vai fazer sem o chefe pagar” e assim por diante.

    Fui estudei e voltei, garanti assim uma nova porta para o meu futuro no setor e hoje muitos daqueles que fizeram piadinhas estão capengando no mercado de trabalho por falta de qualificação.

    O lance de criar líderes tem que vir de bons exemplos e acima de tudo de uma grande vontade própria, e assim este é o meu objetivo multiplicar o meu conhecimento e vender o diferencial no mercado que em alguns casos tem muita gente num mesmo nível.

    Metas sim tenho muitas e estou planejando todas para atingir:

    Habilitações: FAA/EASA
    Instrumentador de ensaios em voo : de todos eu acho o mais complexo, mas porque não!
    Mestrado : Rinaldo Nery gostaria muito de bater um papo sobre contigo!
    Doutorado : Logo após o mestrado

    Objetivo final: Ser um multiplicador de conhecimento.

    Alguns podem achar que é pretensão demais, mas digo é apenas o começo.

  10. E quem disse que nossos “líderes” de Brasília querem um futuro melhor???????? Prezado Sr. Ozires, se derem educação de verdade para o povo, como um Renan Calheiros poderia se eleger tantas vezes? Sarney? Cunha? Um Maranhão da vida, como poderia ser eleito deputado?????? Perca as esperanças, se o povo tiver educação esses coronéis jamais seriam eleitos, e não é problema só do Nordeste não, tem Pezão, Cabral, Tiririca, Romário, e etc… O povo só vota neles por que é ignorante e vende seu voto por uma lata de goiabada. Não vejo o Brasil melhorando nem em 50 anos, pois não interessa, infelizmente.

  11. Dispensável dizer que o sr. Osires Silva é muito inteligente, mas ele é, sobretudo, motivo de orgulho para o Brasil e exemplo para todos os cidadãos do país. Em uma frase esse senhor explicou tudo: “O governo brasileiro não tem funcionado como um catalisador do sucesso da população, ele tem sido um atrito”.

  12. Quem tem contato com a esfera pública sabe muito bem que isto não vai mudar. A mídia vende ignorância e é a velha história do pão e circo para o povão (vide olimPIADA). Hoje a sociedade brasileira tem profundo amor ao dinheiro e somente a este, resumindo, sempre tem um esperto achando que o outro é otário.

  13. um heroi nacional levantou a Terceira maior companhia de aviacao do mundo na 8 economia do mundo cercado por um governo de vigaristas e trapaceiros sua vida foi mole naum quanta gente ele naum deixou para traz

  14. Continuamos quintal americano. O Brasil não pode se dar ao luxo se seguir suas políticas públicas sobretudo educação sem aprovação de Washington. Nunca seremos potência com a interferência e a intervenção dos americanos no Brasil. O impedimento de um presidente eleito democraticamente foi a maior prova do conluio existente entre a elite entreguista brasileira e eles. A doutrina Monroe e Operação Condor é mais atual que nunca, agora o Serra entrega Alcântara, privatiza a Petrobras, BNDES, BB, CEF, o Moro quebra as construtoras, espinha dorsal de nossa economia, sobretudo a Odebrech, parceira na construção dos PROSUB a exemplo do que ocorreu com a Pan Air de Simonsen e os dirigentes e também os militares os mesmos de sempre assistem passivamente em nome da soberania e da defesa de nosso território o desmonte da 7a economia mundial. Pra piada ficar ainda melhor nas férias escolares os ilustres ainda vão tomar chá com a rainha e levam seus recursos para Orlando, curiosamente ficam admirados como tudo funciona bem nos países desenvolvidos. Pepe Escobar, essa sociedade é realmente um vexame.

  15. “Governo Federal não tem e nunca teve um plano para …”

    A critica dele e’ que falta planejamento central no Brasil? De que nao ha’ mais empresas estatais e que o governo nao interfere ainda mais na economia? O que ele quer, uma Uniao Sovietica tupiniquim?
    O problema do Brasil e’ justamente que o governo planeja TUDO, regula TUDO, tarifa TUDO, interfere em TUDO, e da pitaco em TUDO.

    Olha, a EMBRAER e’ uma excecao a regra. A esmagadora maioria das estatais foram cabides de empregos, nao geraram nada e deram enormes prejuizos a nacao (vide Petrobras).
    E a EMBRAER so’ existe hoje porque foi privatizada. Nos anos 90, estava falida. Ao ser privatizada, o grupo Bozano demitiu 2/3 dos funcionarios, e a produtividade mais do que dobrou. A empresa ate entao era um imenso cabide de empregos.
    Vale lembrar que o Osires Silva foi um dos criticos mais ferrenhos a privatizacao da EMBRAER.

  16. Que falta que não faz a esse país mais pessoas como Ozires Silva! Ele merece ser ‘reverenciado’ como um herói da Nação! Eu me sinto revigorado quando leio/ouço qualquer coisa que ele diga!

    Tiago Silva 28 de julho de 2016 at 0:35
    Faça!, batalhe por seus objetivos! Aproveite enquanto não tem filhos e/ou outros compromissos familiares que dificultam (mas não impedem!), e vá em frente! 🙂

  17. É bem isto aí mesmo!
    .
    Estamos ficando cada vez mais atrasados. Não formamos técnicos/engenheiros em quantidade, muito menos com qualidade. Isto se reflete diretamente na qualidade do que produzimos e na produtividade de nossa mão de obra.
    .
    Quer coisa mais ridícula do que às vésperas das Olimpíadas, termos obras fundamentais para os jogos sendo entregues incompletas, ou com tantos problemas que sua utilização é impossível? É o BRT, é o Metrô, são os apartamentos para alojar atletas, e por aí vai…. É uma bagunça, uma incompetência total! E estamos falando de construção civil (nada muito complicado – isto não é um reator nuclear, ou um acelerador de partículas)!! Queremos mostrar que o Brasil é um a país sério, e não conseguimos sequer construir um edificio de apartamentos direito para alojar atletas!!
    .
    Isto me envergonha, enquanto Engenheiro Civil. Estamos regredindo. O ensino superior vem piorando. Você não consegue mão de obra qualificada sequer para reformar uma casa, quanto mais para levantar um estádio. O cara se denomina pedreiro, tem mais de 10 anos de experiencia e não sabe assentar um azulejo corretamente. Quem trabalha na área sabe que a qualidade da mão de obra está cada vez pior. Além de não termos a formação profissional, temos uma educação familiar cada vez pior. Há 20/30 anos, o cara não sabia fazer, mas era uma pessoa honrada, hoje não temos sequer isto… o cara não está nem aí!
    .
    A Embraer, e algumas outras poucas empresas, são pequenas ilhas de excelencia, num mar de imcompetencia.

  18. Vou postar novamente pq acho que não foi a primeira, se repetir, por favor excluam.

    Como um empresário vai montar algo aqui se nossa constituição e leis são comunistas, alegando sempre o “bem estar social”??
    Deem só uma olhada nesses 2 exemplos de como o governo atrapalha a iniciativa privada aqui no BR
    1-Trabalhador viciado em crack terá de ser readmitido
    http://www.conjur.com.br/2013-jan-07/usuario-crack-dispensado-ato-discriminatorio-readmitido

    2-Justiça do Trabalho suspende demissão em massa em frigorífico
    http://g1.globo.com/sp/presidente-prudente-regiao/noticia/2016/07/justica-do-trabalho-suspende-demissao-em-massa-em-frigorifico.html

    Ou seja, o cara monta empresa e quem controla ela é o governo. Não pode nem fechar se não dá lucro, e se seus funcionários forem viciados é sua obrigação cuidar dele!

    Não tem como competir com outros países.

    Além de outro motivo, nosso governo é deficitário, encheu de Funcionários públicos ganhando acima da média mundial, porém não tem $$ pra pagar isso. O que que ele faz??? Paga uma FORTUNA em juros para ficar rolando a dívida.
    Qual empresa vai gastar dinheiro, tempo, ter dor de cabeça com nem-nem crakento, para depois se a empresa der errado ele não poder nem fechar ela e ter que ficar sustentando pessoas improdutiva ou atividade improdutiva??
    Só louco!
    É melhor pegar essa verba, emprestar para o Governo Federal e ficar rico sem fazer nada.
    Ex: Títulos do Tesouro Direto chegam a render 11% em um mês

  19. zorannn 28 de julho de 2016 at 11:30
    Entendo bem o desgosto do amigo. Mas, pergunto: o que podemos, nós, indivíduos, fazer para tentar melhorar ao menos um pouco essa realidade? Não estou fazendo uma pergunta retórica de resposta previsível e pessimista! Em verdade, quero suscitar a reflexão. É preciso abandonar paradigmas, “pensar fora da caixa” (isso é um clichê, mas é verdade!), fazer diferente! Ou jamais iremos mudar…!
    Abraços!

  20. ““A magia da transformação passa pela educação. Basta ver o que aconteceu com a China e a Coreia do Sul nas últimas décadas… Aqui não temos isso: o Governo Federal não tem e nunca teve um plano para mudar isso. Estamos criando uma verdadeira tragédia para o nosso futuro e para as gerações de nossos netos.”
    “O Brasileiro é igual o chinês: o chinês só compra produto chinês; o brasileiro também… Mas infelizmente ainda somos uma terra de commodities. Estamos vendendo barato e comprando caro. No longo prazo, essa conta fecha?”
    Em poucas frases, sintetizou com extrema lucidez o triste quadro que paira sobre o futuro de nosso país.
    Os frutos disso já estamos vendo em nosso dia a dia. A destruição de nossa cadeia industrial é um dos sinais mais claros disso.
    Somente uma pessoa do calibre/grandeza como o Sr. Ozires Silva para assim o fazer.
    Ademais, não existe mais educação pública no Brasil, como bem lembrado pelo colega Farroupilha.
    Existe sim, doutrinação ideológica.
    E assim segue o triste (e já longevo) cortejo fúnebre.
    Sds.

  21. Fico feliz em ver internaltas criticando esse governo interino e entreguista, o plano de instabilidade e sabotagem do nosso pais continua, a entrega da base de Alcantara, avenda da Mectron, e a paralizacao de todos os projetos estrategicos de defesa. quando tudo terminar, as forcas armadas nao terao outra escolha senao compras de prateleiras de cacarecos usados e doacoes de sucata. Viva a democraCIA!

  22. O Brasil teve uma grande chance na década de 50, agora é tarde, a tendência é piorar.
    Hoje o Brasil não passa de uma África muito mau disfarçada.

  23. “O governo disse que algo desse porte tinha que ficar com a iniciativa privada.”
    ——–
    O governo só esqueceu que o Brasil é um ambiente hostil à iniciativa privada. Hoje, assim como no passado, sofremos com uma grande carga tributária, uma burocracia gigante e direitos trabalhistas que diminuem a margem de ação dos empresários. O Brasil é um dos últimos países no ranking de liberdade econômica, e sem liberdade a iniciativa privada fica sufocada.

  24. Ozires, Brasileiro (assim, com B maiúsculo) que respeito imensamente, e sua habitual crença de que a Embraer é ele, somente ele, e sua circunstância.

  25. ” A doutrina Monroe e Operação Condor é mais atual que nunca, agora o Serra entrega Alcântara, privatiza a Petrobras, BNDES, BB, CEF, o Moro quebra as construtoras, espinha dorsal de nossa economia, sobretudo a Odebrech, parceira na construção dos PROSUB ”
    .
    Parei de ler aqui, só bobagens.

  26. Gosto de dizer que o Brasil sempre foi uma espécie de paciente em profundo estado de coma, desde que nasceu. Quando esboçava uma reação minimamente tímida, todos se animavam e acreditavam que tudo ficaria bem, que estava escrito nas estrelas que o tal paciente nasceu para brilhar, ser um vencedor e tinha assegurado o seu lugar ao sol, mas a reação que o paciente esboçava eram apenas espasmos. Alarme falso. Uma falsa ilusão aos olhos de quem acreditava que o paciente um dia acordaria. Uma tolice. Pois bem, este paciente, entrou em fase terminal á cerca de 13 anos atrás e veio á falecer de fez. O que vejo hoje, são algumas poucas pessoas próximas, ainda muito apegas ao falecido paciente, tentando ressuscitar em vão, um cadáver em completo estado de putrefação. Mas há alguns grupos independentes, muito pequenos e tímidos ainda, de cidadãos tentando trazer de volta a vida, algumas partes do corpo do falecido Brasil, de modo que essas partes possam reviver novamente, de forma independente, sem o corpo do qual fazem parte e que está morto. Essas “partes” seriam o Rio Grande Do Sul (Movimento Pampa Livre ou República dos Pampas), Paraná, Santa Catarina e Rio Grande Do Sul (O Sul É Meu País), São Paulo (Movimento República de São Paulo), Rio de Janeiro Independente, Nordeste Independente e por aí segue… Não tem mais jeito. Assim é o Brasil. Um lugar morto que nunca deu e nunca dará certo. Disso eu já me convenci, e olha que não sou velho, ainda sou jovem. Que dirá os mais velhos (que possuem os pés no chão). Mesmo que seja doído aceitar e de admitir, vamos acordar e enxercar a realidade nua e crua das coisas como elas realmente são. Sem delírios e sem fanatismos.

  27. O maior feito do Sr oziris foi saber lidar com pessoas de pensamento do tamanho de uma ervilha, e a imensa quantidade de bocós fazendo piada durante o desenvolvimento do ipd-6504..

  28. Boa noite.

    Concordo com o Farroupilha. Essa “progressão continuada” é uma vergonha.
    Quanto aos comentários sobre entregar o país para estrangeiros etc..só poder ser brincadeira de vocês, certo? Voltamos a década de 90 com as mentiras sobre as privatização? Parece isso! Tem gente que parou no tempo pelo jeito. Durante quase duas décadas o mercado brasileiro foi invadido por produtos chineses, a China comprando centenas de enormes blocos/fazendas de terras no Brasil, empresas de alimentos, comprando portos e ferrovias, companhias e distribuidoras de energia, comprando hidrelétricas e pequenas centrais hidrelétricas, parques eólicos. Enfim, setores de transportes (inclusive aviação), equipamentos, energia, mineração, eletroeletrônico e de telecomunicações invadidos por empresas chinesas. Daí eu leio alguém dizer: invasão dos EUA? Ou é brincadeira ou vai estudar! Como diz um amigo: você está de sacanagem ou é burro assim mesmo? Só poder ser brincadeira! Não há absolutamente nada de errado na compra e venda de produtos entre países. Errado é não aproveitar isso, como diz a matéria acima!
    Durante todo o texto acima, com base no Sr. Ozires Silva, em nenhum momento ele culpa os estrangeiro pelos problemas do Brasil. Pois isso seria imbecil. Eu entendi exatamente o oposto do que alguns aqui entenderam, durante todo o texto fica claro a insatisfação com o próprio Brasil, Brasil de ontem e de hoje. No próprio texto está explicito: vendemos aviões para 90 países. E não há nada de errado nisso! O texto não diz que devemos ser protecionistas. A Embraer tem fábrica nos EUA e até ontem tinha na China e deve ter em outros países. Isso é errado? Óbvio que não! O Brasil vende Commodities para o mundo todo! Tem algo de errado nisso? Óbvio que não! A InBev brasileira do setor de cervejas é uma das líderes mundias no seu setor, compraram dezenas de imensas outras marcas pelo mundo, inclusive a Budweiser dos EUA. E não há nada de errado nisso!……..quando o Brasil ocupa espaço no exterior todos ficam felizes, “dai pode” e quando outros países investem no Brasil “não pode”. Isso é hipocrisia de alguns!…………….
    Não há nada de errado em fazer parcerias com outros países para explorar a base de Alcântara (até ontem tínhamos parceria com a Ucrania e ninguém dizia: “venderam o Brasil”), agora se rolar uma parceria com os EUA vão dizer: “venderam o Brasil”???? É sério isso? Para alguns países pode e para outros não? Temos que explorar essa base o quanto antes, perdemos décadas e bilhões de dólares por causa desse papo idiota de falso nacionalismo! Falando em falso nacionalismo, como anda a nossa refinaria na Bolívia? Se dormir no ponto daqui uns anos ninguém mais deseja a base por “n” motivos. Daí não adianta reclamar! Não há nada de errado em ter investidores interessados na Mectron, isso pode resultar em bons frutos se os brasileiros estabelecerem regras para o negócio. Simples assim!……………
    Pior disso tudo é ver gente misturar política partidária com esse assunto, culpando, por exemplo, o governo interino que está 2 meses na direção. Com 2 meses não da nem para fazer licitação de papel higiênico para o monstruoso Governo Federal………
    Em economia existem vários elementos para analisar, o que adianta ter recursos naturais, mão de obra, população grande, demanda por produtos e serviços se não há um dos fatores mais importantes: investimentos? Investimento nacional ou estrangeiro é fundamental…no caso brasileiro de preferência do setor privado para não comprometer o já comprometido orçamento público. Basta ver uma cidade pequena de 4 mil habitantes, sem novidades, morta, de repente aparece um investidor e a cidade tem um salto de crescimento. Investimento é fundamental.

    Abraço!

  29. Os defensores das privatizações afirmam que, hoje, a Embraer é um sucesso somente porque foi privatizada. entretanto esquecem que no período de 1992 a 2002 70 empresas federais e 55 empresas estaduais foram privatizadas. Então fica a pergunta: Como estão as outras? será que cresceram tanto quanto a Embraer? ou será que a Embraer “cresceu” somente porque hoje é controlada por uma empresas norte-americanas e, depende do governo dos USA para vender os tucanos?
    O sistema Telebras foi todo privatizado e,hoje, temos o pior e mais caro serviço de telefonia do mundo e com um agravante, as empresas são em sua maioria estrangeiras.
    Empresa privada não é esse poço de competência como afirmam seus defensores, basta ver que recentemente a OI/BR recorreu ao governo federal porque está quebrada.

    Sobre as empresas privatizadas cito a fonte: http://www.fpabramo.org.br/fpadefato/?p=225

  30. Pedro Calmon…. De onde você tirou que o Ozires foi um crítico ferrenho da privatização??? Diz aí para gente argumentar…

  31. Farias Cardoso 29 de julho de 2016 at 8:13
    Par uma empresa ser bem sucedida ou fracassar em seu negócio, seja ela privada ou estatal, depende de:
    1º. Ter FOCO em seu negócio e em seu mercado alvo, com objetivos claros e realistas de desempenho operacional e financeiro;
    2º. Ter um quadro de colaboradores de QUALIDADE, com excelência em sua formação acadêmica e COMPROMETIMENTO com o sucesso da empresa!
    O problema das empresas estatais no Brasil, todas elas!, é a maldita ingerência política que o governo da ocasião exerce sobre elas! Desde sempre que as empresas estatais são mais um instrumento de politicagem, de toma-lá-dá-cá… Não há empresa que dê bons resultados assim!
    Para a EMBRAER, que (acredito) sempre atraiu as melhores e mais bem formadas ‘cabeças’ do Brasil, a privatização fez bem por diminuir a ingerência política sobre a empresa. Ela ganhou mais foco em sua atividade, e menos interferência em suas decisões administrativas.

  32. Mais um exemplo claro de nossa pobreza educacional são os posts acima dos trolls à canhota.
    Estes já foram devidamente alienados e doutrinados pela turma vermelha.
    A mesma que prega doutrinação ideológica em nossas escolas públicas.
    A tragédia já se faz presente, não é preciso o futuro chegar.
    Sds.

  33. Por mais que insistam no contrário, a única e exclusiva culpa do país estar (e viver eternamente) nesta situação de pobreza cultural, espiritual e financeira é do povo brasileiro. O povo que sabe o que quer, ou que deseja alguma mudança, se rebela.

  34. Pedro Calmon – Falou tudo, não gosto do governo militar justamente por causa dessa mentalidade de criar estatais. Apesar de terem ficado do lado dos EUA a economia no governo militar era mais parecida com a da união soviética! Criaram centenas de estatais e alavancaram o crescimento através de construções, no começo pode parecer bom, até porque gera muitos empregos, mas depois o país quebra totalmente como aconteceu com o Brasil e com os soviéticos. Tem um vídeo interessante que mostra que a China usa o mesmo método para dar uma ilusão de crescimento.
    https://www.youtube.com/watch?v=2yL7t0j_4tQ

  35. Farias Cardoso;
    A diferença é que quando a empresa privada dá prejuízo, quem perde dinheiro são os DONOS.
    Quando a empresa estatal é deficitária, TODOS pagam.
    E quando vc fala de telefonia brasileira, é justamente pq ela não é completamente privatizada. A Anatel é um Câncer.
    Veja o exemplo da telefonia da Romênia, completamente privatizada.
    Ponha isso no google: telefonia romenia privatizada – Leia a matéria do IMB. Vc entenderá melhor.

  36. Farias Cardoso.
    .
    É muita bobagem junta! Privatizar sozinho não é receita de sucesso. Qualquer um sabe disto, mas sempre tem os que gostam de distorcer a verdade para defender seus pontos de vista. Temos uma carga tributária absurda, leis trabalhistas antiquadas que favorecem a falta de produtividade isto sem contar todas as deficiencias em infraestrutura que temos. É o famoso custo Brasil. E como o Rui Chapeu citou,, quando uma empresa privada dá prejuízo, quem perde dinheiro são os DONOS. Quando a empresa estatal é deficitária, TODOS NÓS pagamos.

  37. “Ozires Silva, um dos Fundadores da Embraer” fica muito melhor posto.

    Salvo a manta equivocada, o coronel tem razão.

    Para os curiosos sobre o efeito do estudo ao desenvolvimento, concretizado na Embraer, o caro Ozires não estava sozinho.

    Pesquisem sobre o Brigadeiro Paulo Victor, a relação catedrática de Max Holse, o magnífico Guido Pessotti, Heroshi Kameyama, Pedro Paulo Lima, Ciro Bondesan, Iraja Jarbas, Cel. Roberto, Maj. Juarez, Pimentel.

    E rigorosamente todos devem ao Montenegro e esse, por sua vez, ao Muniz.

    Ninguém faz nada só. É o processo contínuo e NISSO concordo sem tirar uma vírgula de Ozires.

  38. Sem educação realmente não temos nem presente nem futuro. Mas ele bem sabe que foi no final dos governos militares que se iniciou o desmonte do ensino público sob a batuta do Jarbas Passarinho que igualou a educação publica no Brasil pelo pior nível de ensino e salário, que era praticado nos estados do Norte. Houve um êxodo de professores e alunos para uma rede particular para atender professores e famílias que não aceitaram o nível imposto, Hoje o que temos é o resultado daquilo. Também me entristeço.

  39. Já que o texto começa falando exatamente sobre Educação e o atraso do Brasil em relação a outros países que se desenvolveram BEM mais rápido e, no texto, fica notadamente destacada a preocupação do mestre Ozires Silva e com o futuro do país tenho que manifestar minha opinião.
    O único político que sempre foi postulante a Presidência da República e que sempre defendeu a Educação como mola propulsora do desenvolvimento do Brasil foi Leonel Brizola.
    Leonel Brizola.
    Ele foi prejudicado diversas vezes pela Rede Globo e sua máquina de jornalismo, era a principal figura que os Estados Unidos sempre almejaram impedir de governar o país, por ser corajoso, não baixar a cabeça e não calar a boca por dinheiro ou por pressão.
    Quando mostram escolas no Rio de Janeiro, o estado com maior corrupção no país e a cidade mais corrupta também, sempre o que se vê são imagens das escolas construídas por Brizola para funcionarem em turno integral, mas que governos posteriores deixaram funcionar em turno normal.
    Diversos setores da imprensa apoiados por capital estrangeiro sempre tentaram prejudicar Brizola por ter sido o governante que expulsou uma empresa americana geradora de energia pagando apenas US$ 1,00 quando estatizou a empresa criando a CEEE.
    Em 1989 a imprensa patrocinada, a Globo e muito capital estrangeiro e da elite brasileira temiam a transformação do Brasil com a eminente eleição de Leonel Brizola para a Presidência e fizeram de tudo para eleger o rico empresário Fernando Collor e exaltando Lula para que também tirasse votos de Brizola. Ele começou a campanha como franco favorito e acabou em terceiro. A imprensa conseguiu eleger Collor, o “caçador de marajás”, como ela mesma o apelidou em muitas reportagens. E quando ele se aproximou de Leonel Brizola ouvindo seus conselhos para construir por todo país as muitas escolas de ensino em dois turnos com refeições de qualidade para as crianças, os CIACs que o FH mudou para CAICs e encerrou as construções, a imprensa patrocinada US$, Globo, os interesses estrangeiros US$ e a elite nacional trataram de fazer aparecer a apropriação de sobras de campanha, o caixa 2 e deram grande destaque a compra de um Fiat Elba com parte das sobras de campanha para, daí, fazerem as massas irem as ruas e apoiarem o ipeachment, motivadas também pelo plano econômico que dera errado.

  40. Roberto, acho que você reduziu o conceito de patriotismo. Amor à Pátria e orgulho dela não se resumem a esses valores morais que citaste. Aliás, pode-se dizer que sequer se resumem aos valores morais, quanto mais de alguns poucos indivíduos dentro de uma país.
    .
    Aqueles que sentem orgulho da Embraer por ela ser brasileira não sentem orgulho de uma grande lata de parafusos, mas daquilo que foi necessário para que ela fosse construída. Estudo, dedicação, competência, vontade de fazer algo excelente para seus clientes, etc, etc.
    .
    Também discordo de sua crítica a visar o lucro material e financeiro como se isso fosse algo ruim. É esse o principal motor do desenvolvimento tecnológico. Se milhares ou milhões de pessoas não visassem o lucro nós certamente não estaríamos comentando algo nessa matéria. Você quiçá teria tido contato com 1% do que viu em sua vida. Pior, poderia ser um caçador/coletor em alguma tribo.
    .
    Quanto à ironia sobre a corrupção na Embraer, não é vergonhoso que a Guerra das Malvinas tenha sido uma aventura fracassada, fruto da incompetência de um general alcoólatra que decidiu atacar um inimigo mais poderoso, enviando para a morte centenas de militares, tudo em nome da permanência no Poder de um grupo de ditadores facínoras? Ou que a Argentina além de ter seus valorosos pilotos que realizaram missões em condições tão adversas também possuísse pilotos que assumiram missões imorais e covardes, nos chamados “vôos da morte” arremessando pessoas inocentes e indefesas ao mar, para que além de uma morte cruel, sequer seus familiares pudessem enterrar seus corpos ou mesmo saberem de suas mortes?
    .
    Enfim, o fato de pessoas da Embraer serem corruptas não afeta aqueles que nela trabalham honestamente, projetam e produzem excelentes aviões. Aos primeiros, desejo que paguem por seus crimes. Aos últimos, confesso minha admiração e orgulho de serem meus patrícios (mesmo que uma parte deles não seja).
    .
    .

  41. Caro Roberto Santana,

    1 – Aparentemente você emprega uma noção de valores morais mais ampla do que a minha, que, por exemplo, uso valores religiosos e sociais como outros tipos de valores imateriais. Se for realmente isso, pode desconsiderar essa parte do meu comentário, pois não há uma real divergência.
    .
    2 – Se partirmos do pressuposto que os valores morais são obrigações e não são dignas de orgulho, também não seria o caso dos argentinos terem orgulho de seus pilotos, pois “a coragem, o dever, o companheirismo militar” também são obrigações dos militares, se formos ser rigorosos, de qualquer pessoa. Então, para mim, você está sendo incoerente em destacar um e menosprezar outro. No mais, projetar um avião é muito mais complexo do que um sapato.
    .
    3 – “uma empresa que visa somente lucro material e financeiro jamais pode ser motivo de verdadeiro patriotismo, porque não existe valor moral nisso”. Para mim, há um valor moral intrínseco, se a empresa age honestamente e de forma eficiente. Uma empresa lucrativa continua existindo, empregando e entregando produtos que satisfaçam seus consumidores. Bom, você pode não concordar com isso e considerar uma obrigação da empresa. Discordo, mas respeito sua opinião.
    .
    4- Generalizei da mesma forma que, na minha opinião, você generalizou ao dizer que um ato de corrupção dos diretores da empresa seria motivo para que todos os admiradores da Embraer sentissem vergonha de um dia tê-la admirado. É claro que na realidade wu procuro responsabilizar cada pessoa por aquilo que fez, em vez de fazer esse tipo de generalização. O fato do Galtieri ser um facínora estúpido e ter utilizado a coragem de alguns pilotos argentinos como propaganda populista pra se manter no poder não altera o valor moral dos pilotos. A Embraer não deixa de ser competente e eficiente só porque pagou propinas em alguns casos. Claro que se essa for uma conduta rotineira dela, como era a das grandes empreiteiras brasileiras, eu deixarei de admirá-la enquanto empresa, mas ainda manterei minha admiração pelas pessoas honestas que nela trabalham.
    .
    5- Sim, pode ser que todos os empregados competentes se importem com a corrupção e isso afete o trabalho deles. Não sei. Se eu fosse piloto argentino eu me sentiria mal de ter participado de uma missão cuja origem foi um ato vergonhoso. Claro que também pensaria que apenas cumpri ordens, que fiz o meu melhor e que não me era exigível conduta diversa. Mas ficaria com raiva de entrar num avião com grande chance de perder minha vida enquanto o presidente e seus asseclas enchiam a cara num gabinete, pensando apenas em dinheiro e poder.
    .
    Att.

  42. Caro Roberto, escrevi uma longa resposta mas ela ou não foi enviada ou ficou presa no spam.
    .
    À noite dou uma olhada se ela apareceu e, sendo o caso, redijo-a, novamente.

  43. Agradeço a dica, prezado Roberto.
    .
    Eu costumo separar valores morais de valores religioso, sociais e materiais. Por isso falei que patriotismo não se resume apenas a valores morais.
    .
    Se você não considera o lucro algo ruim, retiro minha conclusão precipitada.
    .
    Se você trata como obrigação de um empregado ser estudioso, dedicado e competente, também deveria tratar como obrigação de um piloto militar ser corajoso, cumpridor dos seus deveres e imbuído de companheirismo militar. Infelizmente, essa não é uma regra, de forma que acho natural elogiarmos e nos orgulharmos de pessoas que “apenas” cumprem suas obrigações.
    .
    Minha generalização foi feita para mostrar que sua tese de que a corrupção de alguns diretores seria motivo de vergonha para quem admira a Embraer não é válida, pois se deve avaliar o “conjunto da obra” e não apenas fatos isolados. Claro que se restar comprovado que a Embraer pratica corrupção de forma generalizada, como algumas construtoras brasileiras, aí eu concordarei que ela não deve ser motivo de orgulho.
    .
    Obviamente que você sabe que projetar e fabricar aviões é mais complexo e exige maior conhecimento do que produzir sapatos.
    .
    No mais, quis dizer que apesar dos atos heroicos dos pilotos, não há motivo para se orgulhar da Argentina na Guerra das Malvinas, pois essa guerra sequer deveria ter sido iniciada, eis que se tratou de mero subterfúgio para que uma corja de militares incompetentes e covardes permanecessem tiranicamente no Poder.
    .
    Quanto ao seu comentário final sobre os empregados dedicados da Embraer se importarem com os desvios realizados pelos corruptos, isso é o que uma pessoa honesta deve pensar. Porém, tenha lá minhas dúvidas se há uma obrigação moral de sair da empresa ou tomar outra medida assemelhada. Eu até admiraria algo do tipo, assim como admiraria que algum piloto argentino que desertasse por discordar das práticas imorais dos presidentes argentinos da época. Mas não vejo como algo exigível.

    .PS: essa resposta acabou saindo mais sucinta que a anterior.
    .

  44. Obrigado pela resposta, caro Roberto.
    .
    Realmente não havia ficado clara essa parte da cooperação.
    .
    Uma última indagação. Na sua opinião, quais os valores da nossa Pátria?

  45. Rafael Oliveira, se me permite responder a sua pergunta, os valores da nossa Pátria são: Ordem e Progresso. Está inscrito na nossa Bandeira. Valores relegados a segundo plano estão na letra da introdução do Hino Nacional original:

    “Espera o Brasil que todos cumprais com o vosso dever.
    Eia avante Brasileiros, sempre avante,
    Gravai com buril os pátrios anais do vosso poder,
    Eia avante Brasileiros, sempre avante.
    Servi o Brasil sem esmorecer,
    Com ânimo audaz cumpri seu dever,
    Na guerra ou na paz, à sombra da Lei,
    À brisa gentil, o lábaro erguei,
    Do belo Brasil, eia Sus, ó Sus!”

  46. Obrigado, Adriano e Roberto.
    .
    Interessante como as duas respostas são bem diferentes.
    .
    De acordo com a CF/88, teríamos:
    .
    Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos:

    I – a soberania;

    II – a cidadania;

    III – a dignidade da pessoa humana;

    IV – os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa;

    V – o pluralismo político.

    Parágrafo único. Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição.

    Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil:

    I – construir uma sociedade livre, justa e solidária;

    II – garantir o desenvolvimento nacional;

    III – erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais;

    IV – promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.
    .
    Qualquer valores que eu atribua ao Brasil, em verdade, serão os valores que eu entendo como os “melhores”. No fundo, serão mera projeção dos meus valores. Então prefiro não expô-los, pois sei que não correspondem à realidade do país.
    .
    No mais, obrigado pela conversa. Até a próxima.

  47. Quanto ao Sr. Ozires Silva, sem dúvida alguma, trata-se de um dos melhores dos nossos cidadãos brasileiros. Mas também gostei muito dos comentários publicados no site, e queria expor aqui a minha opinião pessoal.

    Quanto ao quintal americano, a Coréia do Sul também é quintal americano e progrediu bastante. A destruição do Brasil certamente não interessa aos americanos. Até o Vietnam, país de governo comunista (“pero no mucho”), palco de longa guerra com os americanos há meio século, e com quem hoje mantém boas relações diplomáticas, funciona relativamente bem.

    Quanto à privatização: a privatização de empresas públicas, para mim, é um erro, pois os recursos que são da população não devem ter um outro dono além do próprio povo. Exemplos: companhias de energia elétrica, de distribuição de água, rodovias, etc. O problema é que o governo saneia as empresas para privatizar. Ora, se pode sanear, não precisa privatizar. A privatização de bens públicos torna os cidadãos reféns de valores de mercado.

    Quanto à raiz dos problemas da nação: o que faz o poder legislativo, em qualquer esfera? Só inutilidades e leis para aumentar a arrecadação ou lucro de desconhecidos e possíveis apaniguados. Vejam o caso da lei dos faróis acesos nas rodovias, o problema do novo tipo de tomadas, que, ao invés de trazer segurança, só aumenta riscos. Vejam o caso da Receita Federal, que trata os contribuintes mais fracos com extremo rigor e como criminosos quando cometem pequenos erros. Por acaso ela cobra impostos de chefes de grandes quadrilhas, alguns até presos em cadeias de segurança máxima? Quando alguém compra uma automóvel, por exemplo, cerca da metade dele é imposto. Se ele for financiado, financia-se o imposto também. Na Receita Federal(de novo), se uma multa for cobrada, os juros do parcelamento transformam o pagamento da multa numa operação financeira. É discutível se é melhor pagar o parcelamento ou pedir empréstimo a juros para pagar uma multa à vista. E o problema do caos logístico? E o da reforma tributária? E o caos da educação? O poder legislativo assiste a todos esses fatos passivamente.
    Este é o poder que efetivamente governa o país, pois são eles que criam as leis. As leis são as normas a serem seguidas por todos. Um bom poder legislativo se antecipa aos problemas futuros do país, prevendo os riscos que a comunidade corre ante às ameaças, às tendências dos acontecimentos locais e globais e mesmo diante de problemas ambientais em curso, como o aquecimento global. Porém ele se omite e espera que o Executivo lhe mande uma medida provisória que entra numa fila para ser aprovada. Cerca de 5 centenas de deputados e 81 senadores não conseguem dar um rumo à nação. Estamos sem bússola. Nem Lula, nem Dilma, nem Temer, nem seja lá quem for conseguirá dirigir a nave Brasil. O Executivo se resume a resolver problemas pontuais, como se governassem a própria casa: se faltar gás, compra-se o bujão, se faltar pão, corre-se à padaria. Não parece haver planos ou metas.

    A verdade é que não sabemos escolher o “filé” do governo, que são os deputados, senadores e demais componentes do Poder Legislativo. Graças à ignorância, o povo vota em corruptos, transformando-se, dessa forma, em cúmplices deles. E o problema maior está nos corruptores. Pois estes criam o ambiente para a corrupção. Da mesma forma que não adianta suprimir um traficante sem evitar o consumo, pois é o consumo que gera o mercado das drogas.

    O Sr. Ozires Silva, em sua palestra, diz que “O governo brasileiro não tem funcionado como um catalisador do sucesso da população, ele tem sido um atrito.” É atrito, sim, pois as iniciativas de quem as tem falecem diante da carga tributária. Por exemplo: o caso das baterias de no-break. No-breaks são aparelhos que se destinam a alimentar computadores quando falta energia elétrica. A energia necessária para esse instante é armazenada em baterias dentro deles. Essas baterias são feitas de chumbo e ácido sulfúrico, matéria-prima simples, disponível facilmente no Brasil. Mas é mais barato comprar na China! O chumbo é o metal mais pesado (dentre os não radioativos) e essas baterias dão meia volta ao mundo para chegar aqui e, mesmo assim, é mais barato comprar lá. Porquê? Existem algumas fábricas aqui, que as importam da China. Resolve o problema? Claro que não.

    Os políticos brasileiros vivem fora da realidade de seus cargos, procurando enriquecer às custas das oportunidades que seus apadrinhados aparelhados lhes criam. Estamos chegando à triste situação na qual cada político nomeado para algum posto no Executivo deve ser primeiro investigado, tantos são os corruptos instalados no Legislativo. Eles interferem no Executivo criando tentáculos capazes de lhes garantir os benefícios financeiros. Por isso, o Executivo é “aparelhado”. O aparelhamento infiltra “pessoas do partido” nas altas cúpulas e postos importantes e tira desses órgãos a capacidade de funcionar corretamente. Na verdade, os cargos aparelhados deveriam ser preenchidos por especialistas no assunto, sem necessariamente terem algum partido, pois o que precisa ser feito tem que ser feito e não depende de partidos. Os ministros e seus auxiliares não precisam ser políticos. O lugar de negociar é no plenário.

    A verdade é que o Brasil se transformou num país de “faz de conta”: o professor finge que ensina, o aluno finge que aprende, o pedreiro finge que sabe assentar o azulejo, e “vai levando”. Os estudantes não levam a sério seus estudos. O desinteresse pelo aprendizado é geral. Para a maioria dos estudantes, aprender é sempre um tormento. Essa é a realidade do país. Vejam o caso dos engenheiros: Muitos deles não sabem a diferença entre kW e kWh. Acredito que poucos saibam fazer conversões de unidades físicas. Devido à conjuntura econômica, um curso de engenharia serve para transformar o estudante num “peão” de alto nível em alguma indústria, o qual será depois descartado aos 40 anos, na sua idade mais produtiva. A mentalidade das pessoas “apodreceu”. Vejam as frases já citadas: “Para a evolução profissional de um empregado, a empresa tem que investir nele”; “Se a empresa quer, ela que pague”, e outra que sempre ouvi: “Eu quero o meu…”

    Quanto aos funcionários públicos: o problema dos funcionários públicos não é somente dos concursados. É principalmente do aparelhamento. É a história dos cargos políticos. Ao invés de administradores com visão, para os principais postos são indicadas pessoas sem metas, sem planos, sem vergonha de se beneficiar do dinheiro público. Numa estrutura pública contaminada com essas pessoas, nada funciona. Quem realmente conhece o trabalho a ser feito não tem acesso às reais necessidades. Porque tudo é político… Isso vem de longe, já foi problema no passado, mas o que aconteceu nos anos de PT foi um exagero.

    Diante de tudo que escrevi, o que devemos fazer, a meu ver, é eleger um novo legislativo em todas as esferas: federal, estadual e municipal com pessoas que nunca estiveram lá, de preferência pessoas bem instruídas e que tenham pensamento imparcial, para poderem analisar imparcialmente as consequências das decisões.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here