M-346-LAVI_617-1

A Força Aérea de Israel recebeu sua última aeronave M-346 Lavi da Alenia Aermacchi, informou o Ministério da Defesa de Israel.

A entrega do 30° avião conclui um acordo que viu os primeiros jatos desembarcaren em Israel em 2014, disse o ministério em um comunicado. O fabricante italiano Alenia Aermacchi, agora extinto, era uma subsidiária da Leonardo-Finmeccanica.

As aeronaves M-346 foram entregues em tempo recorde, no prazo de dois anos a partir da data de entrega da primeira aeronave, com uma taxa de produção de cerca de 1,5 aviões por mês, segundo o ministério.

Os jatos atualizaram a capacidade da força aérea para treinar seus futuros pilotos.

A compra das aeronaves fez parte de um acordo assinado em 2012 entre Haifa e Roma que envolve ofertas recíprocas de contratos públicos com empresas de defesa.

M-346-LAVI_680-1

Subscribe
Notify of
guest
30 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Jr
Jr
4 anos atrás

Se a FAB um dia viesse a ter um treinador, esse seria disparado o meu favorito

Guilherme Poggio
Editor
4 anos atrás

30 aviões em dois anos. Realmente é impressionante a velocidade de produção e entrega das aeronaves para tempos modernos.

Tiago Silva
Tiago Silva
4 anos atrás

Isso sim é uma entrega “á jato”.

Ederson Joner
Ederson Joner
4 anos atrás

Realmente muito rápida a entrega, e que aeronave bonita, provavelmente serão muito importantes para o papel da Força aérea israelense.
Dezoito desses em Natal não seria nada mau para a FAB, (Base aérea de Natal)…

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
4 anos atrás

Em Natal, para formação de caçadores ou para equipar uma UAE de Caça com aeronaves de melhor performance?
Se for pra formar caçador, depois do curso ele sofrerão um “downgrade”, visto que o curso de Liderança de Esquadrilha é realizado nos Terceiros, que são equipados (e serão por muitos anos) com o A-29.

Reinaldo Deprera
Reinaldo Deprera
4 anos atrás

LIFT não existirão mais. O Super Tucano exterminou essa categoria de pássaro.

Save Ferris!

Space Jockey
4 anos atrás

Se nao tivessem acabado com os jatos na categoria eu preferia os L 159…

Bardini
4 anos atrás

Essa aeronave se devidamente equipada, na minha opinião, fariam muito bem o meio de campo entro os Gripens e os Super Tucanos, não somente como um “LIFT”, mas substituindo os A-1 em boa parte de suas funções e os já aposentados Xavantes. Mas… é só o que eu penso… . Enfim, o que a Elbit fala a respeito do M-346: “This comprehensive training solution was selected by the IAF, so the pilots and WSOs will be ready and qualified to progress directly to 4th and 5th generation fighter aircraft (F-16, F-15, F-35). Parallel to training in the Flight Training Center,… Read more »

Nonato
Nonato
4 anos atrás

Sei que acham rápido para os padrões da indústria aeronáutica atual.
Mas eu, particularmente, acho muito lento.
1,5 avião por mês.
Na época da segunda guerra mundial não apenas fabricavam aos montes, mas também os desenvolviam para ontem.
Se eu fosse um fabricante e recebesse uma encomenda de 100 aviões tentaria entregá-los o quanto antes. Seis meses.

Bardini
4 anos atrás

Nonato, o tempo passa, a tecnologia avança…
https://img834.imageshack.us/img834/9351/boeingb17cflyingfortres.jpg

Bardini
4 anos atrás

A complexidade dos sistemas aumenta, a quantidade de peças, a quantidade de funções as missões…
https://img543.imageshack.us/img543/9937/boeingmcdonalddouglasf1.jpg

Rustam Bogaudinov
4 anos atrás

Guilherme Poggio 21 de julho de 2016 at 17:46,

surprisingly for someone, it is the Italians poor results)

Russian Corporation “Irkut” in 2015 (Irkut, Sukhoi factory)

production and distribution:

-18 Combat training Yak-130

– 20 Su-30 + 10 technology kits for assembly in India
___

surpreendentemente para alguém, é que os italianos pobres resultados 🙂

Corporação russa “Irkut” em 2015 (Irkut, Sukhoi de fábrica)

produção e distribuição:

-18 Combate do treino Yak-130

– 20 Su-30 + 10 kits de tecnologia para a montagem na Índia

Nonato
Nonato
4 anos atrás

Bardini, provavelmente você tem mais conhecimento do ramo do que eu. Mesmo assim, tomo a liberdade de discordar. Sem dúvida a tecnologia evoluiu. Inclusive os processos de trabalho. Numa indústria automobilística (a despeito das especificidades), grande parte dos trabalhos são realizados por robôs. O fato de veículos modernos disporem de injeção eletrônica em vez de carburador não torna a montagem do carro mais demorada. Muito menos a existência de air bags, ABS e controle de estabilidade. Está tudo projetado. Taís itens já foram desenvolvidos. Já chegam para montagem prontos. A suposta maior complexidade decorrente do maior número de peças e… Read more »

Bardini
4 anos atrás

Os italianos produziram mais do que esses 30 M-346 de Israel nos últimos 2 anos…

fonseca
fonseca
4 anos atrás

offtopic
vejam que drone atrevido.
escapou de jatos e mísseis israelenses.
Bosco, isso procede?
http://sputniknews.com/middleeast/20160720/1043307657/syrian-drone-used-american-technology.html

Bardini
4 anos atrás

A volks produz milhares de “gols” todos os meses, quantas “LaFerrari” são produzidas no mesmo espaço de tempo?

Rui Chapeu
Rui Chapeu
4 anos atrás

Nonato: Tem que entender outra coisa. Vc fabrica esses aviões em 6 meses, ok. E se vc não receber mais encomendas nesse tempo? Tem que mandar todos funcionários embora, ou vai simplesmente pagar pra eles ficarem a toa? Hoje eles demoram mais por esse motivo e tb pq não há a necessidade de se fabricar tantos de forma rápida. É por isso que a Marinha americana fica pedindo Super Hornet de 12 em 12, pq não precisa todos ao mesmo tempo e pra dar longevidade a linha de produção. Se der uma guerra, vamos dizer Russia X EUA, só um… Read more »

Ederson Joner
Ederson Joner
4 anos atrás

Nery, me perdoe pelo erro, mas o que eu vejo como interessante, é esta aeronave nas bases em que os pilotos da FAB passam a pilotar jatos, não seria esta a proposta desta aeronave? Eu não conheço exatamente os passos dos pilotos da FAB, após a academia, mas como já foi dito, está bela aeronave Italiana seria um degrau entre os ST e os futuros Gripens. Como o Sr. Vê esta categoria de aeronaves na FAB, se não estou enganado, a FAB não teria muito interesse, haja vista suas frequentementes faltas de verbas. Mas por outro lado, estes jatos custam… Read more »

Rodrigo Maçolla
Rodrigo Maçolla
4 anos atrás

Lindo “jatinho” uma parceria com a Embraer pra produzir, ou montar por qui e fornecer p/ FAB e demais força aéreas da América do sul, como Chile, Colômbia, Peru, Argentina não seria de anda impossível….. Mais acho que devemos ir devagar um degrau de cada vez

Roberto Dias
Roberto Dias
4 anos atrás

O T27 foi concebido na época do T37, exatamente para baixar custos de treinamento com aviões a jato, foi uma revolução no treinamento militar, acho que mudar isso seria um retrocesso, ainda mais se a fórmula está dando certo.

Ivan
Ivan
4 anos atrás

Existe um debate doutrinário quanto a necessidade ou não e um LIFT na formação dos pilotos de combate.
.
Claro que a questão custo é determinante.
.
A FAB entende que o AT-27 e A-29 são suficientes.
.
A Flygvapnet entende que seus futuros pilotos de combate podem pular do SAAB 105 (um treinador básico ‘a jato’) para o Gripen através de modernos simuladores.
.
Entretanto as forças aéreas mais poderosas e experientes continuam usando o LIFT para a transição.
.
Este M346 está entre os mais modernos e melhores LIFTs do mercado.
.
Abraço,
Ivan.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
4 anos atrás

Exato, Ivan. Cada Força Aérea com sua doutrina. Quando o AT-26 foi desativado e o A-29 entrou em operação, a FAB teve dúvidas se iria necessitar de u LIFT ou não. A prática e o tempo demonstraram que não há necessidade. A FAB NÃO TERÁ um LIFT. Em outras matérias (várias. …) onde se debateu esse assunto, um forista postou que “tinha um amigo que voa F-5 que disse pra ele que o LIFT faz falta”. Meus companheiros de turma foram comandantes de UAE de Caça da primeira linha, e nunca fizeram tal afirmativa. Servi na III FAE, comando operacional… Read more »

Hawk Rusk
Hawk Rusk
4 anos atrás

Que bonito esse pássaro! Achei curioso terem usado o codinome “Lavi” já que era de um outro projeto israelense:
https://en.wikipedia.org/wiki/IAI_Lavi

Ulisses Paulino
4 anos atrás

Como dito antes, as forças mais poderosas do planeta usam LIFT. A maior, está em concorrência para um novo, mesmo conhecendo as qualidades de modernos treinadores como ST e Texan II. Isso deve ter alguma razão.

ederjoner
4 anos atrás

o ST é muito bom, mas para quem não tem tanta falta de verba, vão preferir um Lift como este ou até a versão russa que é supersônica, pois além de conseguir se aproximar mais das características das aeronaves de alto desempenho, podem ser usados em patrulha ou até ataque. Um Lift como este, é muito mais eficaz no patrulhamento, podendo “buscar” jatos executivos que são usados por traficantes, missão bem complicada para uma aeronave turboélice como o ST. Como já disseram, cada força como seus problemas, mas quem pode, vai comprar M-346, Yak 130, T50 e etc. Quem não… Read more »

glaxs7
4 anos atrás

A FACH teve durante algum tempo, a ideia de que o Super Tucano poderia preencher a lacuna de treinador pra sua aviação de caça mas não durou muito e reativou seus 8 treinadores avançados T-36 Halcón dos que hoje só opera 6 e intercala com os A-36 Toqui. É de conhecimento público que o Chile tem procurado a substituição dos seus treinadores avançados mas permanece na espera da definição Americana sobre os próximos treinadores. Acredito que seja por uma questão de ordem orçamentária, já que os custos seriam mais acessíveis, caso consiga se “pendurar” numa compra americana. Por outro lado,… Read more »

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
4 anos atrás

Em Israel, a força aérea seleciona os jovens academicamente brilhantes das escolas secundarias.

Lá êles aprendem (desde os 15 ou 16 anos) a pilotarem treinadores, e é muito comun ver pilotos de combate com 19, 20 ou 21 anos de idade na linha de frente, voando os F-15 e F-16.

Êles aprendem a combater antes mesmo de iniciarem seus estudos universitarios na Academia da Força Aèrea.

É a melhor força aérea do mundo.

Antonio Carlos Jr Zamith
4 anos atrás

Quem não sabe a FAB precisa desde os anos 70 de uma jato de treino que faça transição do tucano para os caças a jato e esse era o favorito. Era o programa FX-3, mas o Gripens sugou o que tinha de verba com Dilma 171 Roussef falindo o Tesouro Nacional e tão cedo haverá verba até pagar a SAAB. O mesmo aconteceu com os KC-767 do programa KC-X2. +1 herança maldita da Dilma 171 Roussef e sua máfia pt contra o Brasil.

fonseca
fonseca
4 anos atrás

concordo com Nonato. Uma empresa tipo a Embraer. Fabrica diversos tipos de avião. Tem engenheiros, técnicos e linhas de produção. Os técnicos e engenheiros, após concluir a fabricação de 50, 100 aviões poderiam ser alocados para fabricar tucanos, phenom, etc. se eu fosse um país ou empresa aérea, não ia querer ficar esperando cinco anos para receber minha encomenda. muitos países têm urgência. vide ìndia. segurança não pode esperar. O Brasil, tirando o problema orçamentário, precisa de escoltas para ontem. caças também. imagine uma empresa aérea ficar esperando anos e anos. tempo é ouro. cinco anos é muita coisa. eu… Read more »

Delfim Sobreira
Delfim Sobreira
4 anos atrás

Se não houvesse desânimo depois do veto americano à exportação do AMX-T à Venezuela, teríamos nosso LIFT.

Que inclusive poderia ir pra Israel, pois a Elbit participou do projeto.