quarta-feira, janeiro 26, 2022

Gripen para o Brasil

KC-390 em Farnborough: assinado acordo entre Embraer e Boeing

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

KC-390 pousa em Farnborough em 7-7-2016 - foto via Twitter Embraer

Embraer e Boeing anunciam parceria global para venda e suporte do jato médio de transporte militar KC-390

Farnborough, Reino Unido, 11 de julho de 2016 – A EMBRAER e a BOEING assinaram acordo de parceria para vendas e suporte do KC-390, aeronave multimissão de transporte militar e reabastecimento aéreo. Segundo o acordo, as empresas explorarão em conjunto novas oportunidades de negócios, tanto para a comercialização da aeronave quanto para o seu suporte e manutenção. A EMBRAER vai fabricar a aeronave e a Boeing será responsável pelo suporte operacional.

Este acordo amplia uma colaboração já existente entre as empresas, que em 2012 anunciaram a intenção de comercializar conjuntamente a aeronave. “A expansão do nosso relacionamento permitirá oferecer o melhor avião de transporte médio para os nossos clientes, ao mesmo tempo em que os mantêm respaldados pelo melhor serviço de suporte disponível”, disse Jackson Schneider, presidente e CEO da EMBRAER Defesa e Segurança. “A BOEING tem uma notável experiência no mercado militar e o KC-390 é a aeronave mais eficiente em sua categoria.”

KC-390 Farnborough - foto Embraer“O acordo de parceria entre BOEING e EMBRAER reúne duas empresas fortes e reforça o nosso compromisso de ampliar a oferta de serviços a aeronaves que não são produzidas pela BOEING”, salientou Ed Dolanski, presidente da BOEING Global Services and Support. “Nossa vantagem é o alcance global da BOEING, o que proporciona maior flexibilidade, permitindo-nos atender rapidamente aos clientes, bem como aproveitar as sinergias que ajudam a reduzir custos e repassar esta economia aos clientes”.

O KC-390 é uma aeronave de transporte tático desenvolvida para estabelecer novos padrões na sua categoria, apresentando ao mesmo tempo o menor custo do ciclo de vida do mercado. É capaz de realizar diversas missões, como transporte e lançamento de cargas e tropas, reabastecimento em voo, busca e resgate e combate a incêndios florestais.  Trata-se de um projeto da Força Aérea Brasileira (FAB), que, em 2009, contratou a Embraer para realizar o desenvolvimento da aeronave.

O primeiro protótipo realizou seu primeiro voo em fevereiro de 2015 e dois protótipos estão atualmente em campanha de testes de voo, com média de dois voos por dia e comprovação da alta disponibilidade da aeronave. O avião está atualmente em uma turnê por oito países e espera receber a certificação até o final de 2017. A expectativa é que as entregas comecem durante o primeiro semestre de 2018.

DIVULGAÇÃO / FOTOS: BoeingEmbraer

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

53 Comments

Subscribe
Notify of
guest
53 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
robertobozzo

Puxa vida, vocês estão rápidos…. estava lendo uma noticia aqui no Aéreo, sobre a chegada do no 767 da FAB, saí para outro site onde li a reportagem sobre este acordo Embraer e Boeing e, quando voltei para coloca-la como off-topic, ela já estava aqui….

ivo

boas notícias para a Embraer, com a chancela da Boeing a vida da Embraer vai ser facilitada.
massss….o grande temor é que a Embraer seja engolida pela Boeing, pois o contrario não tem chances de ocorrer!

Ednardo de oliveira Ferreira

Golaço da Embraer

MARCELO SOUSA BASTOS

Acordo estranho, uma vez que a Boeing fabrica produtos similares, na pratica são concorrentes ..!! sei la, esperar para ver …

Luiz Fernando

Qual é o produto similar produzido pela Boeing???

Jony

A boeing não tem nunhum produto similar ao KC 390. Nada de estranho.

Doug Rodrigues

Uma parceria e tanto… Não há similar da Boeing para avião de mesmo porte… Com a chancela da Boeing e o conhecimento de mercado que eles tem, as encomendas tendem a serem maiores e assim o KC-390 vai se consolidar com certeza! Em troca, poderia também o GF lá fazer um acordo para: – 24 F18-SH para somar a encomenda dos 36 Gripens, quem sabe colocando 12 desses no NAe São Paulo (se for possível); – 12 Chinooks para o Exército. – 4 767 para converter em KC na IAI. São todos produtos Boeing que viriam a somar demais às… Read more »

Jack

Show de bola Embraer !!! Toda sorte para o KC-390

ivo

Luiz Fernando 11 de julho de 2016 at 11:40
Qual é o produto similar produzido pela Boeing???

eu também quero saber!

André Bueno

Um ponto a favor do -390. Mas será isso suficiente para ele decolar nas vendas. Penso que não, que ajudará mas não impulsionará com grande força. Lembrem-se, vendas militares possuem grande influência geopolítica e nem sempre o que é melhor e/ou moderno vende. O transporte médio norte-americano é o C-130 e será esse que o governo americano irá promover. O -390 continuará a comer pelas beiradas, mas essas podem ser eventualmente grandes.

Bardini

Doug Rodrigues,
.
O Super Hornet é pesado demais para operar no Opalão.

vicente de paulo

excelente noticia.

André Bueno

“Mas será isso suficiente para ele decolar nas vendas?”

Lucas Lima

Pessoal, poderia confirmar esta noticia !!
_________________

http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/fab-recebera-tres-cacas-gripen-para-seguranca-da-olimpiada

Vamos mesmo receber Gripens paras Olimpíadas ??
Se for verdade sera incrivel
_
COMENTÁRIO EDITADO

Doug Rodrigues

Bardini,
Obrigado pela resposta, não tinha certeza, mas desconfiava disso…
Para o Opalão, iam bem apenas os planejados Sea Gripen então né?

Ednardo de oliveira Ferreira

A Lockeed quem produz o Hércules.

A Boeing não tem produto neste nicho. Pode ser muuuuuuuuuuuuuito bom para as 2.

E no grande jogo econômico, não inimigos, há adversários. é comum que empresas concorram num mercado e sejam sócias em outras.

Renato de Mello Machado

É mais quê um empurrão,é o projeto sendo catapultado.Depende muito agora de o governo cumprir também sua parte.

Hawk

Quem eu saiba a Boeing não fabrica aviões do tipo que a Embraer fabrica e por isso talvez o interesse na parceria KC-390. Pode ser que abram muitas outras portas.

André Bueno

O negócio de uma empresa é ganhar dinheiro. Ainda mais se isso acontecer reduzindo o mercado e, portanto, o ganho de sua maior concorrente. Boeing [associada ao KC-390] x Lockheed e seu C-130.

Clésio Luiz

Com o fim da fabricação do C-17 a Boeing ficou sem nenhum produto nessa área. Como os F-18 e F-15 também sairão de linha até 2020, a Boeing corre o risco de ficar sem nenhum produto dedicado na área militar, apenas conversões de suas aeronaves civis. – Eu vejo esse acordo como uma carta na manga da Boeing para oferecê-lo na primeira concorrência que rolar nos EUA, produzido por eles lá claro. – Coisa semelhante eles provavelmente vão fazer na concorrência do T-X com a SAAB, provavelmente oferecendo um derivado o Gripen, embora role por aí que seria um projeto… Read more »

Rafael Oliveira

Clésio, não é que a Boeing precisa da SAAB. Sai mais barato as duas oferecerem um projeto em conjunto, derivado do Gripen ou não, do que a Boeing bancar um projeto sozinha.

Papan

Ótima notícia, eu quero ver agora o que os coxinhas de plantão vão dizer. Kkkkk

Clésio Luiz

Hum, vamos ver. Dizem que a proposta da Northrop é o T-38 todinho. Daqui pro fim do ano devem apresentar as propostas e veremos se são projetos derivados ou não.

WFonseca

É neste caminho que eu gostaria de ver o Brasil, trabalhando com gente capaz de agregar valor. Devíamos focar esforços em parcerias com Holanda, Israel, USA, Japão, Coreia do Sul, Canadá, entre outros. As relações ideológicas dos últimos anos representaram um downgrade para o país; o tempo gasto tentando validar o Mercosul não reverteu sua insignificância e nossa participação junto aos Brics não inseriu o Brasil em uma nova ordem mundial como muitos queriam. Sejamos práticos e objetivos, se queremos incrementar nosso comercio e nossas capacidades, não adianta aliar-se a Bolívia, Cuba ou Palestina, é preciso estar ao lado de… Read more »

JT8D

Papan 11 de julho de 2016 at 13:41
Papan, me explica aí, o que é que os “coxinhas” tem a ver com esse assunto? Também não entendi a lógica de um “adversários dos coxinhas” celebrar acordo com os EUA. É muita confusão mental, haja paciência

EDurval

Alguém me belisca porque estou sonhando.

Essa noticia e daquelas que se tornam um marco na historia da aviação brasileira, parabéns as duas empresas pelo respeito mutuo, agora e esperar pelas vendas.

Vida longa e prospera a todos

Walter L. Saint Martin

A Boeing tinha o YC-14, mas não emplacou.

https://en.wikipedia.org/wiki/Boeing_YC-14

Tadros

Se não posso com ela,m que alie a mesma! Simples assim. A Boing não tem produto similar em sua linha.

Tadros

A Embraer é o maior exemplo de que com trabalho, estudos e investimentos que: Sim podemos!
Estamos quebrando paradigmas. Primeiro foi o S.tucano e agora o KC 390. Ao futuro

Farroupilha

KC-390 – Feito com a qualidade Embraer e com logística mundial da Boeing – Quem, precisando de um cargueiro, vai recusar este pacote?

Hoje, 11/07, é apenas o primeiro dia de Farnborough, o que mais virá de bom até o último dia?
Embraer ainda tem vários outros produtos sendo mostrados in locu.

Daniel Dutra

Ótima notícia

João Bosco

Uma boa jogada de ambas as empresas. A BOEING passa a participar , junto com a EMBRAER, de um mercado dominado pela Lockheed-Martin e a disputá-lo com um produto brasileiro dando o devido suporte. Um mercado que a Boeing não tem um produto, mas o produto da EMBRAER que pode ser uma opção para ela.
Já imaginou a Boeing oferecendo o KC-390 para operadores do seu C-17, colocando-o como um irmão menor dele em sua propaganda?
Com o deslanche do KC-390, provavelmente será isso que vai acontecer….

by Mauro

Parabéns, ótima noticia, agora é só esperar pelos pedidos. Acredito que sera bom para ambas as partes, creio que as 2 empresas participando deste negocio ira movimentar a disputa no mercado EUA no mundo. O que não falta é competição e mercado, agora a EMBRAER tem uma parceira a altura.

by Mauro

Competição seria contra o C-130, tem o 400 e agora Portugal dono do kc 930 rapariga, fabricado em de trais dos montes pois pois, competição desleal gajo. kkkkkkkkkkkkkk

mbp77

A Boeing completa 100 anos de existência no ano corrente, sempre atuando no ramo aeronáutico. Expertise corporativa e visão de longo prazo não faltam a este pessoal. Aquele acordo lá de 2012 não era mero acaso. Está aí a prova. Parabéns à Embraer por comprovar, pela enésima vez, a qualidade de seus produtos e capacidade de seu corpo técnico. Que esta (bela) parceria possa nos trazer muitos e saborosos frutos adiante! Por fim, é importante lembrar a cooperação da FAB no decorrer do projeto, não apenas com capital (que infelizmente andou e anda faltando), mas com conhecimento operacional que permitiu… Read more »

mbp77

Dúvida:
Num cenário hipotético em que a Boeing vença uma futura concorrência nos EUA, e fabrique a aeronave em suas dependências, os royalties devidos à FAB na venda de células ainda seriam pagos?
Ou seja, independe do fabricante?
Sds.

Nilo Rodarte

KC 390 made in USA by Boeing? Acho que este é o primeiro passo e, ai sim, cada vez mais vai dar pra dizer que ele é o substituto dos C-130. Se o KC for aceito nas forças armadas americanas e de seus aliados, realmente tende a ser um sucesso como os E-Jets. Mas vai ter que ser fabricado lá, nos moldes dos Super Tucanos.

Adriano da Silva Castilhos

com o suporte da boeing,vai vender como água no farol.

Ednardo Sombra So

Isso é um tapa na cara de quem disse que seria um novo Osório.

Matheus

Nilo Rodarte

Não, o KC-390 vai ser sempre fabricado aqui, mas vai ser a Boeing é quem vai fazer a “propaganda” e dar suporte operacional.

Emerson R.B

Excelente noticia!!Empresa privatizada da maneira correta é outra coisa.

OBS:O que o Papan fumou ao digitar isso???Não entendi o que ele quis dizer.É esquerdista que odeia empresas privadas(a não ser que financie suas campanhas é claro) e acordos internacionais entre elas,não os “coxina”.
“Papan 11 de julho de 2016 at 13:41
Ótima notícia, eu quero ver agora o que os coxinhas de plantão vão dizer. Kkkkk”

Emerson R.B

Ótima noticia.

Ednardo de oliveira Ferreira

O contrato a princípio é de suporte. Mas nada impede que, num eventual contrato de fornecimento, os KC sejam fabricados em outros países.

Acho difícil ele entrar nos EUA. Eles têm dezenas e dezenas de hércules lá. No máximo entraria num contrato como da Guarda Costeira ou outros órgãos lá.

Mas quem disse que a Boeing só vende nos EUA? Tem meio mundo onde o produto pode entrar.

Não se enganem: contrato bom para os 2.

André Bueno

Tadros 11 de julho de 2016 at 15:48

Para este tipo de consideração, recue um pouco mais no tempo. O próprio Bandeirante, carro-chefe da Embraer em seus primórdios, é o primeiro exemplo. Depois vieram Xingu, Brasília, Tucano e CBA-123, este último sofisticado e caro demais para o mercado. Mais recentemente os ERJ, o Super Tucano, os Es, agora, o KC-390.

kfir

KC 390 fará um tour pelo oriente médio após a Europa!

aviãtion week
http://aviationweek.com/shownews/embraer-kc-390-makes-its-international-debut-farnborough-airshow

André Bueno

No texto do link que o kfir colocou, cita que o governo honra os pagamentos acordados desde o começo deste ano.

Walfrido Strobel

LM conseguiu sua primeira venda de 10 LM-100J, versão cargo civil do C-130J para operar no Brasil.
A Embraer nem sequer oferece uma versão C-390 para quem não quer Revo, a LM oferece o KC-130J, o C-130J e o LM-100J.
http://www.lockheedmartin.com/us/news/press-releases/2016/july/bravo-industries-announces-purchase-of-10-lm-100j-commercial-freighters-from-lockheed-martin.html

Caerthal

Walfrido,

Você me fez relembrar da resposta que o Oscar Niemeyer deu ao General Lot sobre a arquitetura do então futuro prédio do ministério do Exército. Este queria saber se seria de estilo moderno ou algo mais clássico.

– General, em caso de guerra o sr vai com armas novas ou velhas? assunto encerrado …

O Hércules tem um projeto dos anos 50. Quem mais quer um quadrimotor?

Gde abraço,

Nilo Rodarte

“Matheus 12 de julho de 2016 at 0:48
Nilo Rodarte
Não, o KC-390 vai ser sempre fabricado aqui, mas vai ser a Boeing é quem vai fazer a “propaganda” e dar suporte operacional.”

Obrigado pelo comentário. Sim, eu entendi isso, mas acho que não me expressei bem. Acho que esse seria o primeiro passo para, no futuro, possivelmente até para obter aceitação no mercado americano e de aliados, seria o KC 390 made in USA by Boeing. Começa com propaganda, suporte, dai pra fabricação sob licença é um pulo. Foi isso que eu quis dizer.

Walfrido Strobel

Caerthal, avisa para a Volga que hoje anunciou a compra de 20 Boeing 747-8 Cargo que seu projeto é dos anos 60 e o avião voa desde 1969, a 47 anos.

Últimas Notícias

Embraer conclui com sucesso reintegração do negócio de Aviação Comercial

São José dos Campos, 26 de janeiro de 2022 - A Embraer concluiu com sucesso a reintegração dos principais...
- Advertisement -
- Advertisement -