F-22 - desdobramento em Lakenheath - formatura com F-15 e Typhoon - foto USAF

Desdobramento de um mês na Base Aérea Lakenheath da RAF, com cerca de 220 pessoas e 12 caças F-22 Raptor da Base Aérea de Tyndall, da USAF, foi completado em 8 de maio. Foram realizados treinamentos com caças F-15, Eurofighter Typhoon, além de desdobramentos na Romênia, Lituânia e participação no 100º aniversário da Esquadrilha Lafayette, na França

Na segunda-feira, 9 de maio, a Força Aérea dos EUA (USAF) divulgou nota e fotos informando que foi completado, com sucesso, o desdobramento de um mês na Base Aérea Lakenheath da RAF (Força Aérea Real Britânica) de cerca de 220 pessoas provenientes da Base Aérea de Tyndall (Flórida – EUA) e 12 caças F-22 Raptor do 95º Esquadrão de Caça. A missão chegou ao fim no dia anterior, 8 de maio. Segundo a USAF, trata-se de um desdobramento histórico, o maior já realizado pelo F-22 Raptor na Europa até hoje, como parte do treinamento da Força de Resposta Global (Global Response Force).

Segundo o comandante da 48ª Ala de Caça, coronel Robert Novotny, “o desdobramento do F-22 em Lakenheath faz todo sentido”, pois a base é “a casa da aviação de caças de combate na Europa, o lugar onde nós trabalhamos com nossos aliados da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) para afiar nossas capacidades táticas e reafirmar nosso comprometimento com a aliança”. A 48ª Ala é conhecida pelo nome “Liberty Wing” (Ala da Liberdade), sendo formada por três esquadrões de caças F-15 da USAF que operam na base britânica. Novotny também disse que “o envio dos Raptors para a Área de Voo Baixo 7 (Low Fly Area 7, no País de Gales – Wales) foi uma oportunidade para que seus pilotos qualificados em voos a baixa altitude pudesem conferir, em primeira-mão, as extraordinárias oportunidades de treinamento que temos no Reino Unido”.

F-22 - desdobramento em Lakenheath - foto USAF

Durante o período em que operaram desdobrados em Lakenheath, os caças Lockheed Martin F-22 participaram do exercício Iron Hand 16-3, conduziram treinamento aéreo com todos os três esquadrões da “Liberty Wing” e com caças Typhoon da RAF. Também foram desdobrados para a Romênia e Lituânia (membros da OTAN), com o apoio de aviões de reabastecimento em voo, e participaram das comemorações do 100º aniversário da Esquarilha Lafayette, em Paris.

F-22 - desdobramento em Lakenheath - formatura com F-15 e Typhoon - foto USAF

Sobre o treinamento com os caças Typhoon da RAF, o primeiro tenente Jolly Foss do 95º Esquadrão, que é piloto de F-22, afirmou que este foi um dos principais objetivos do desdobramento para o Reino Unido: “Há diferentes capacidades, aqui, um diferente espaço aéreo ao qual não temos acesso em casa, e ser capaz de nos integrar aos três esquadrões de F-15 e aos Typhoons permitiu avançarmos em nossos objetivos de exercícios.” O piloto também explicou os diferentes tipos de missões realizados: “Tivemos surtidas longas, mandando algo como 10 a 12 jatos da força azul contra 10 aviões na força vermelha, surtidas táticas, na qual buscamos destruir alvos em terra, e missões de defesa aérea, onde impedimos o inimigo de se aproximar de uma linha.”

F-22 - linha de voo em Lakenheath - foto USAF

VEJA TAMBÉM:

Previous articleSeminário da Saab sobre sensores, com transmissão na madrugada de quinta-feira
Next articleGoverno Sueco deverá fazer à Índia uma ‘oferta estruturada’ do Gripen NG
Subscribe
Notify of
guest
13 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Flamenguista

Algumas toneladas de, digamos, diplomacia voadora, dando recado ao vizinho Putin.

Frederick

OFF TOPIC

A Presidente de República, ao apagar das luzes, cancela R$ 101.000.000,00 destinado ao projeto A-1M para direcionar a combustíveis, lubrificantes, material de manutenção e suprimento aeronáutico.

Portaria nº 160, de 10 de maio de 2016, publicado hoje no Diário Oficial da União.

Boa semana.

Frederick

Em tempo; R$ 21.940.449,00 de Pesquisa e desenvolvimento no Setor Aeroespacial cancelados no mesmo ato.

Lucas Lima

Eles querem provocar a Russia, assim ela atacara primeiro, deixando uma imagem ao mundo que Russia começou a guerra, fazendo com que a OTAN e o mundo entre em guerra com Russia…. NÃO CAIA NESTA PUTIN

DomSaf

“…combustíveis, lubrificantes e material de suplemento aeronáutico”

Olimpíadas.
(não excluindo a questão político/administrativa)

Clésio Luiz

Posso estar enganado, mas me parece bem evidente na última foto, que a USAF não anda aplicando RAM nos F-22 a algum tempo. Faz sentido, porque a aplicação é o que deixa as aeronaves com baixo índice de disponibilidade e é provavelmente o fator principal nos elevadíssimos custos de hora de voo do Raptor.

Claro que em aeronaves operando em linha de frente a situação é outra e vale a pena aplicar o caro material.

Anderson Fraga

Clésio, certo eles. Não vejo fazer sentido usar RAM em exibições de superioridade aérea, i.e, como é esse o caso

schwanka

Devia deixar um avião pra ele, sem piloto e combustível DEVIDO AO SEU ATO.

Galeao

Tem um com o bico torto!

Sds
GC

Rogatti

vamos supor… os russos resolvem partir para #porrada … e despacham de subs …a 100km da costa inglesa “algumas nuc estratégicas” visando pontos militares ingleses…..a começar, bases aonde se tem o estado da arte da aviação militar inglesa/EUA….

o ponto é … seria uma “improvável” guerra OTAN vs Rússia … baseada em armas nucleares estratégicas ou o negocio descambaria para … baratas win (guerra mundial termonuclear)…

Jose Souza

uma “improvável” guerra OTAN vs Rússia… acredito seria com o uso de armas nucleares estratégicas… se descambaria para uma termo nuclear mundial…. depende … aposto que os políticos europeus bâmbis jogam a toalha na primeira “N-porrada” russa.

ronaldo de souza gonçalves

È uma imprensão os os EUA tem pouco efetivo na Otam, pareci que ele não confia que a Europa pode resistir muito num avanço sovietico,se acontecer algum dia acontecer tanto que mantem f-4 na Alemanha e mesmo assim poucas unidades.Isto obriga os suecos ,noruega e Polonia sem viverem com medo. O EUA mudou o foco para Asia parece sempre querendo demonstrar poderio naquelas aguás uma coisa é certo o EUA não tem tanto efetivo para atuar em varias frentes.