F-22 - desdobramento em Lakenheath - formatura com F-15 e Typhoon - foto USAF

Desdobramento de um mês na Base Aérea Lakenheath da RAF, com cerca de 220 pessoas e 12 caças F-22 Raptor da Base Aérea de Tyndall, da USAF, foi completado em 8 de maio. Foram realizados treinamentos com caças F-15, Eurofighter Typhoon, além de desdobramentos na Romênia, Lituânia e participação no 100º aniversário da Esquadrilha Lafayette, na França

Na segunda-feira, 9 de maio, a Força Aérea dos EUA (USAF) divulgou nota e fotos informando que foi completado, com sucesso, o desdobramento de um mês na Base Aérea Lakenheath da RAF (Força Aérea Real Britânica) de cerca de 220 pessoas provenientes da Base Aérea de Tyndall (Flórida – EUA) e 12 caças F-22 Raptor do 95º Esquadrão de Caça. A missão chegou ao fim no dia anterior, 8 de maio. Segundo a USAF, trata-se de um desdobramento histórico, o maior já realizado pelo F-22 Raptor na Europa até hoje, como parte do treinamento da Força de Resposta Global (Global Response Force).

Segundo o comandante da 48ª Ala de Caça, coronel Robert Novotny, “o desdobramento do F-22 em Lakenheath faz todo sentido”, pois a base é “a casa da aviação de caças de combate na Europa, o lugar onde nós trabalhamos com nossos aliados da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) para afiar nossas capacidades táticas e reafirmar nosso comprometimento com a aliança”. A 48ª Ala é conhecida pelo nome “Liberty Wing” (Ala da Liberdade), sendo formada por três esquadrões de caças F-15 da USAF que operam na base britânica. Novotny também disse que “o envio dos Raptors para a Área de Voo Baixo 7 (Low Fly Area 7, no País de Gales – Wales) foi uma oportunidade para que seus pilotos qualificados em voos a baixa altitude pudesem conferir, em primeira-mão, as extraordinárias oportunidades de treinamento que temos no Reino Unido”.

F-22 - desdobramento em Lakenheath - foto USAF

Durante o período em que operaram desdobrados em Lakenheath, os caças Lockheed Martin F-22 participaram do exercício Iron Hand 16-3, conduziram treinamento aéreo com todos os três esquadrões da “Liberty Wing” e com caças Typhoon da RAF. Também foram desdobrados para a Romênia e Lituânia (membros da OTAN), com o apoio de aviões de reabastecimento em voo, e participaram das comemorações do 100º aniversário da Esquarilha Lafayette, em Paris.

F-22 - desdobramento em Lakenheath - formatura com F-15 e Typhoon - foto USAF

Sobre o treinamento com os caças Typhoon da RAF, o primeiro tenente Jolly Foss do 95º Esquadrão, que é piloto de F-22, afirmou que este foi um dos principais objetivos do desdobramento para o Reino Unido: “Há diferentes capacidades, aqui, um diferente espaço aéreo ao qual não temos acesso em casa, e ser capaz de nos integrar aos três esquadrões de F-15 e aos Typhoons permitiu avançarmos em nossos objetivos de exercícios.” O piloto também explicou os diferentes tipos de missões realizados: “Tivemos surtidas longas, mandando algo como 10 a 12 jatos da força azul contra 10 aviões na força vermelha, surtidas táticas, na qual buscamos destruir alvos em terra, e missões de defesa aérea, onde impedimos o inimigo de se aproximar de uma linha.”

F-22 - linha de voo em Lakenheath - foto USAF

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
13 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Flamenguista
4 anos atrás

Algumas toneladas de, digamos, diplomacia voadora, dando recado ao vizinho Putin.

Frederick
Frederick
4 anos atrás

OFF TOPIC

A Presidente de República, ao apagar das luzes, cancela R$ 101.000.000,00 destinado ao projeto A-1M para direcionar a combustíveis, lubrificantes, material de manutenção e suprimento aeronáutico.

Portaria nº 160, de 10 de maio de 2016, publicado hoje no Diário Oficial da União.

Boa semana.

Frederick
Frederick
4 anos atrás

Em tempo; R$ 21.940.449,00 de Pesquisa e desenvolvimento no Setor Aeroespacial cancelados no mesmo ato.

Lucas Lima
4 anos atrás

Eles querem provocar a Russia, assim ela atacara primeiro, deixando uma imagem ao mundo que Russia começou a guerra, fazendo com que a OTAN e o mundo entre em guerra com Russia…. NÃO CAIA NESTA PUTIN

DomSaf
DomSaf
4 anos atrás

“…combustíveis, lubrificantes e material de suplemento aeronáutico”

Olimpíadas.
(não excluindo a questão político/administrativa)

Clésio Luiz
4 anos atrás

Posso estar enganado, mas me parece bem evidente na última foto, que a USAF não anda aplicando RAM nos F-22 a algum tempo. Faz sentido, porque a aplicação é o que deixa as aeronaves com baixo índice de disponibilidade e é provavelmente o fator principal nos elevadíssimos custos de hora de voo do Raptor.

Claro que em aeronaves operando em linha de frente a situação é outra e vale a pena aplicar o caro material.

Anderson Fraga
4 anos atrás

Clésio, certo eles. Não vejo fazer sentido usar RAM em exibições de superioridade aérea, i.e, como é esse o caso

schwanka
4 anos atrás

Devia deixar um avião pra ele, sem piloto e combustível DEVIDO AO SEU ATO.

Galeao
Galeao
4 anos atrás

Tem um com o bico torto!

Sds
GC

Rogatti
Rogatti
4 anos atrás

vamos supor… os russos resolvem partir para #porrada … e despacham de subs …a 100km da costa inglesa “algumas nuc estratégicas” visando pontos militares ingleses…..a começar, bases aonde se tem o estado da arte da aviação militar inglesa/EUA….

o ponto é … seria uma “improvável” guerra OTAN vs Rússia … baseada em armas nucleares estratégicas ou o negocio descambaria para … baratas win (guerra mundial termonuclear)…

Jose Souza
4 anos atrás

uma “improvável” guerra OTAN vs Rússia… acredito seria com o uso de armas nucleares estratégicas… se descambaria para uma termo nuclear mundial…. depende … aposto que os políticos europeus bâmbis jogam a toalha na primeira “N-porrada” russa.

ronaldo de souza gonçalves
ronaldo de souza gonçalves
4 anos atrás

È uma imprensão os os EUA tem pouco efetivo na Otam, pareci que ele não confia que a Europa pode resistir muito num avanço sovietico,se acontecer algum dia acontecer tanto que mantem f-4 na Alemanha e mesmo assim poucas unidades.Isto obriga os suecos ,noruega e Polonia sem viverem com medo. O EUA mudou o foco para Asia parece sempre querendo demonstrar poderio naquelas aguás uma coisa é certo o EUA não tem tanto efetivo para atuar em varias frentes.