A linha de produção em série do cargueiro deve iniciar no próximo ano, com uma expectativa de geração de 1.060 empregos diretos e 5.300 indiretos

KC-390 - cena 8 video Conexao FAB mar2016
Com rotina de dois voos por dia, o futuro jato de transporte militar da Força Aérea Brasileira, o protótipo KC-390, já ultrapassou 150 horas no ar. A aeronave voou mais de 50 horas já no terceiro mês de ensaios, marca que normalmente só é atingida com o amadurecimento dos sistemas, em estágio mais avançado. Outro diferencial é que esse projeto teve a maior campanha em túnel de vento, para que a configuração aerodinâmica fosse definida.

A montagem da segunda unidade foi concluída e deve se juntar à campanha de ensaios em voo em breve. A fase é acompanhada por pilotos e engenheiros de diversas áreas da Embraer, fabricante da aeronave instalada em Gavião Peixoto (SP).

Iniciada efetivamente em outubro de 2015, a campanha de testes em voo envolve mais de 1.110 profissionais responsáveis por avaliar a performance, desempenho e a robustez do maior avião já produzido no Brasil. A cada voo, o cargueiro é avaliado em vários tipos de situação, com novas altitudes, velocidades e configurações. Os testes deverão durar dois anos, e o objetivo é obter a certificação da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e do Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI), organização militar do Comando da Aeronáutica. Após ser certificado, o KC-390 poderá ser utilizado em missões reais.

Para que a aeronave seja aprimorada na fase de testes, 23 câmeras foram instaladas no interior e na fuselagem do protótipo do KC-390. Todas as imagens e demais dados colhidos são encaminhados para a estação de telemetria, um monitoramento remoto que possui softwares de alta tecnologia para a análise dessas informações e ajustes necessários.

Durante essa fase, a tripulação embarcada é composta por pilotos de prova e engenheiros de ensaio em voo com larga experiência em aeronaves civis e militares, como Marcos Salgado de Oliveira Lima, ex-piloto de caça da FAB e que está há dezenove anos na Embraer. Segundo ele, KC-390 é o protótipo com maior disponibilidade na história da fabricante.

“Essa integração das equipes que desenvolveram a aeronave somada à qualidade de voo do avião faz com que ele fique muito fácil de pilotar. Ele é preciso e rápido para realizar todas as manobras, mantendo-se uma pilotagem suave. Ele também oferece ao piloto uma carga de trabalho muito baixa porque é como se o avião tivesse com o piloto automático acoplado quase o tempo todo”, acrescenta Lima.

Desenvolvimento

O processo de gestação do jato militar foi desenvolvido pela Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC), da FAB, a partir das demandas operacionais e de requisitos do Comando da Aeronáutica. O objetivo era reunir em um só avião a capacidade de atender a inúmeras missões, como busca e salvamento, transporte, reabastecimento em voo, lançamento de cargas e paraquedistas, evacuação aeromédica, combate a incêndio florestal, entre outras.

Um trabalho feito em conjunto com engenheiros da Embraer, possibilitou chegar às dimensões da plataforma criada para o KC-390. Uma aeronave de asa alta, de grandes proporções, com motores a jato, capaz de pousar em pistas não pavimentadas e não preparadas, além de contar com tecnologia de ponta empregada em diversas áreas. Entre as inovações, o jato tanque pode ser reabastecido e reabastecer em voo – inclusive helicópteros – e também pousar na Antártida.

Na configuração do cockpit, são cinco displays touchscreen (sensíveis ao toque), com telas que facilitam a navegação do piloto e a mudança de comandos com apenas um toque. O sistema aviônico é desenvolvido pela empresa norte-americana Rockwell Collins, que dispensa o uso de relógios, medidores e termômetros.

O cargueiro da FAB vai ser o único da categoria que conta com o sistema de comando de voo eletrônico full fly-by-wire, que além de dar maior eficiência à pilotagem, também vai proporcionar uma integração com as demais missões. Um exemplo é o lançamento de cargas, onde o fly-by-wire irá atuar em tempo real nas surperfícies de forma a manter o avião na trajetória desejada pelo piloto.

Indústrias estrangeiras de três países também colaboraram no desenvolvimento do KC-390. Uma empresa argentina, a FAdeA, fabrica os spoilers (superfícies móveis de controle de sustentação na asa), as portas do trem de pouso do nariz, a porta da rampa, as carenagens dos flapes, o cone de cauda e o armário eletrônico.

Duas indústrias portuguesas, OGMA e EEA, são responsáveis por fornecer os painéis da fuselagem central, as carenagens dos trens de pouso (sponsons), as portas dos trens de pouso principais e os profundores. E uma indústria tcheca, a Aero Vodochody, por sua vez, produz parte da fuselagem traseira, as portas para paraquedistas e tripulação, a porta de emergência e escotilhas, a rampa de carga e o bordo de ataque fixo.

“Sem dúvida nenhuma, o KC-390 é referência mundial em termos de engenharia. A gente empregou o que há de mais moderno tanto naquilo que a gente já conhecia, como em novas tecnologias pra propiciar o desenvolvimento da aeronave, atendendo aos requisitos da FAB”, afirma o engenheiro Márcio Eduardo Regis Monteiro, gerente de desenvolvimento de produto da Embraer.

Antes de adquirir a certificação, os protótipos também vão realizar ensaios operacionais para os testes de desempenho das capacidades do KC-390. No cronograma de viagens, estão previstas missões de lançamento de carga, na Região Centro-Oeste, e de alta temperatura no nordeste brasileiro. A previsão também é de voar para fora do País para fazer ensaios de baixa temperatura e de gelo natural nos Estados Unidos.

“O último grito da tecnologia aeronáutica está incorporado no KC-390, com uma vantagem enorme no desempenho, pois é a única aeronave nesse segmento com toda a tecnologia atualizada. Ele vai proporcionar uma flexibilidade operacional muito grande para a FAB”, afirma Paulo Gastão, diretor do Programa KC-390 na Embraer.

Mercado

Fruto da capacitação tecnológica, o KC-390 vai significar um salto operacional para as Forças Armadas e um avanço para a indústria aeronáutica brasileira. Ao todo, 28 unidades foram encomendadas pela Força Aérea Brasileira e devem ser entregues a partir de 2018.

De acordo com o gerente do Programa KC-390 na FAB, Coronel Cláudio Evangelista Cardoso, o novo avião vai colaborar para o fortalecimento da Estratégia Nacional de Defesa e para o crescimento da indústria nacional. “É um marco para a FAB porque vamos receber uma aeronave up-to-date, ou seja, o que tem de mais moderno na sua categoria”, comemora.

Graças às vantagens apresentadas, o KC-390 tem despertado interesse no mercado internacional. Segundo o presidente da Embraer Defesa & Segurança, Jackson Schneider, existe uma demanda de mercado por novas aeronaves na categoria do jato militar. “Estamos conversando com alguns clientes em potencial. O feedback tem sido extremamente positivo, confirmando que estamos no caminho certo”, declara.

A linha de produção em série do cargueiro deve iniciar no próximo ano, com uma expectativa de geração de 1.060 empregos diretos e 5.300 indiretos. Cláudia Renata de Miranda, eletricista e montadora de avião, participou da montagem dos protótipos. Segundo ela, é uma satisfação enorme fazer parte desse processo. “Quando vi o avião decolando, pensei: poxa, eu trabalhei nesse avião! É como se fosse um filho, a gente se envolve bastante”, comenta.

FONTE: Portal Brasil, com informações do Ministério da Defesa

43
Deixe um comentário

avatar
40 Comment threads
3 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
23 Comment authors
BuenoMarcoszorannnederjonerRommelqe Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Ramiro Lopes Andrade
Visitante
Ramiro Lopes Andrade

Uma empresa que dá certo no Brasil.
Rigor, profissionalismo, objectivo definido, prazos a cumprir.
Se todas as empresas do Brasil, fossem assim, rigorosas, e principalmente, idóneas, nosso amado Brasil seria outro.
Boa sorte Embraer, seu sucesso, é o sucesso do Brasil.

Ramiro Lopes Andrade
engenheiro civil

Space Jockey
Visitante

E agora com os animos mais animados no país as expectativas são ainda mais positivas.

Joaquim silveira
Visitante
Joaquim silveira

Orgulho simples assim.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Vamos aguardar os comentários do Mister M. criticando alguma coisa. Rsrsr

Mauricio R.
Visitante

“…e principalmente, idóneas, nosso…”
.
Deixa quieto não vou nem dar cartaz, aliás este será o meu único comentário em relação a este press release.

Clésio Luiz
Visitante

“O último grito da tecnologia aeronáutica está incorporado no KC-390…”

hehe, essa eu nunca tinha lido ou ouvido por aí, em nenhum idioma.

Uma pena que eles não planejem nem um sobrevoo na FIDAE deste ano. Daria ótima visibilidade e inspiraria muita confiança ao programa.

Ocidental Sincero
Visitante
Ocidental Sincero

Em um cenário cada vez mais competitivo e até mesmo tumultuado, por contas do vários conflitos assimétricos espalhados pelo globo; 2 anos de testes não seria muito tempo? De certa forma esta demora não acabaria inviabilizando as vendas desta aeronave?

Maria do Carmo Lacoste
Visitante
Maria do Carmo Lacoste

Clésio Luiz 18 de abril de 2016 at 14:46
Poderia ter ido na FIDAE, mas no o fez para dar prioridade a campanha de testes, sejam eles estáticos ou em voo, me parece uma decisão acertada da Embraer.

Fernando
Visitante
Fernando

isso é algo para se orgulhar! tem o nome do projetista chefe? o cara está de parabéns.

Delmo Almeida
Visitante
Delmo Almeida

2 anos não é muita coisa.
Uma pergunta: todas as matérias falam em acabar o período de ensaios em 2017 e iniciar as entregas em 2018. Seria com IOC, correto? Um FOC viria com quanto tempo? Acredito que nesse caso o tempo seja bem menor que no F-35, mas ainda assim acredito que haveria. O A400M passou por esse processo.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

Delmo Almeida, boa tarde.
.
Se não me engano, no cronograma original a FOC corresponderia aproximadamente à fase final de entregas de série e dos protótipos utilizados na certificação, que estavam previstas para 2023.
.
Como as entregas iniciais e a IOC tiveram os prazos esticados, então é de se esperar que a FOC sofra um atraso correspondente.
.
Lembrando que boa parte das missões já poderá ser cumprida a partir da IOC.

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

Mais uma linda foto do nosso Tchutchuco.
.
A concorrência e os despeitados tudo PIRA!
rsrs

Delmo Almeida
Visitante
Delmo Almeida

Valeu Nunão, muito obrigado!

Renato de Mello Machado
Visitante
Renato de Mello Machado

Para mim ele é muito competitivo.isso é sem dúvida.

CAVALCANTI
Visitante
CAVALCANTI

É por esse motivo que AINDA não sinto vergonha de ser brasileiro.

Delmo Almeida
Visitante
Delmo Almeida
Rafael
Visitante
Rafael

Prezados, acompanho diariamente o PA e outros sites sobre o tema, como o defesanet. Visitando hoje esta página acabei vendo uma matéria dizendo que o KC-390 estará na Farnborough International Airshow na Inglaterra, que será realizado entre os dias 11 e 17 de julho de 2016. Na matéria diz que ele estará em exposição estática durante a feira.
Alguém sabe dizer se essa informação realmente procede?

Fonte: http://www.defesanet.com.br/kc390/noticia/22003/KC-390-%E2%80%93-Estara-em-Farnborough/

Rafael
Visitante
Rafael

Caro editores, poderiam verificar se tem um comentário meu referente a esta matéria preso no spam?

NOTA DOS EDITORES: O REFERIDO COMENTÁRIO JÁ FOI LIBERADO.

Nonato
Visitante
Nonato

É motivo de orgulho. Poderíamos ter mais coisas. Duas montadoras de automóveis, uma fabricante de monitor de LCD outra de computadores etc.
Mas poderíamos não ter nada disso como a maioria dos países.
A Embraer está seguindo minhas orientações.
Continuar desenvolvendo o avião por conta própria. É um avião muito importante para ficar dependendo da boa vontade do desgoverno.

Nonato
Visitante
Nonato

estava lembrando de duas coisas. uma é dessas empresas fornecedoras. ah trabalho no ramo aeronáutico. é mesmo? que empresa? fazemos a dobradiça da porta do bocal da mangueira de combustível. Ah, muito interessante mesmo… Outro é sobre esses ensaios? o que e como é avaliado? teoricamente não é para o avião cair… que tipos de problemas podem surgir? será que voar 400 horas é suficiente para dizer que o avião está aprovado? sobre o avião ser agradável de pilotar como dito na matéria. é possível calibrar para ser mais ou menos dócil? e quanto a testar no gelo americano. que… Read more »

Nonato
Visitante
Nonato

essa noticia não é nova Rafael.
Pelo que li não há nenhum motivo para não acreditar.
Parece que eles ja confiam o suficiente para atravessar o Atlântico.
mas só estático na feira. é muito cedo para brincar.
Só não sei como as autoridades lidam com esses aviões não certificados.
uma coisa é ele voar nas proximidades da pista de testes.
outra é quem sabe sobrevoar aéreas habitadas.
mas deve haver normas específicas.
e o fato de ja haver um bom período de testes.
Não é o primeiro nem o segundo voo.

Baschera
Visitante
Member
Baschera

Rafael, Sim. É verdadeira a informação e foi prestada, se não me engano pelo Schneider (EMB). Exposição estática significa que a aeronave ficará inerte no solo, sem realizar nenhum voo de demostração. Neste caso é correto pois ainda não é certificada, embora esteja em campanha de testes. Importante também destacar que será um duplo teste o seu translado sobre o Atlântico inclusive levando-se em conta as distâncias e as condições atmosféricas que serão transpostas na ida e na perna de volta. O que manda aí é o marketing da EMB. Sob o peso da minha experiência profissional, acho o procedimento… Read more »

by mauro
Visitante
by mauro

Muito orgulhoso com o KC-390 e o super tucano, mostrando que podemos fazer bonito. Agora quem sabe vem ai um Super Tucano Jato um T-30 (sera que já não existe este projeto no papel guardado ?), olha que espetacular, equipado com tudo de melhor. Ai eu corro pra galera de felicidade.

Rommelqe
Visitante
Rommelqe

Em relação aos ensaios de voo, notar que a sua duração é uma decorrencia do extenso programa imposto sja pela propria complexa configuração da aeronave (função da sua projetista…) seja pelos requisitos das diversas agencias dos paises que possam permitir, ou não, o voo da mesma em seus territórios. Assim, vejam que só nesses ensaios estão trabalhando 1100 profissionas especializados,em sua maioria brasileiros, e que mesmo com dois exemplares voando duas vezes ao dia e acumulando centenas de horas de voo, são necessarios dois anos para complementar essa rotina de testes. Tenho o maior respeito pela Fidae, dos meus particulares… Read more »

ederjoner
Visitante

Farnborough seria fantástico em! O KC 390 provaria já um voo entre continentes, isso traria muitos dados para o programa de testes da aeronave, sem falar nos potenciais clientes futuros.
Quem conhece as rotas poderia nos dizer como seria o plano de voo para a feira Farnborough, seria um voo direto da base da Embraer ou a aeronave faria uma escala no Nordeste ou em Fernando de Noronha?
Quais equipamentos levariam para apoio logístico? Quantos técnicos e engenheiros participariam deste “voo teste” para a feira? Teria uma outra aeronave para o pessoal de apoio ou poderiam ir no KC-390 (imagino que não)?
Sds.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Eder, sai por Recife ou Natal. Passa por Las Palmas (Ilhas Canarias). Depois Lisboa ou direto Farnborough.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Vai todo mundo no próprio KC-390. Aeronave de apoio só pra traslados de A-29.

ederjoner
Visitante

Obrigado Rinaldo Nery, show de bola. Se esta ida do KC 390 para Farnborough se concretizar, será um dos grandes marcos do programa.

Rafael
Visitante
Rafael

Nonato, como falei acompanho o PA diariamente e não vi matéria aqui falando sobre a participação do KC-390 nessa feira, por esse motivo achei estranho, pois o PA sempre tem informações “frescas” sobre o andamento do desenvolvimento dessa aeronave. Obs: isso não é uma crítica ao PA, pois dos sites que acesso de longe é o melhor, pois além das excelentes matérias, temos também bastantes comentários produtivos sobre os temas de defesa (exceção feita aos comentários político partidário), o que me permite como leigo aprender bastante. Em todo caso é uma ótima notícia e uma excelente oportunidade para a Embraer… Read more »

zorannn
Visitante

Olá amigos! . Uma dúvida: . Na época do início do desenvolvimento da aeronave, a Embraer negociou a participação de industrias de vários países (principalmente Argentina, Chile, Portugal, Rep. Tcheca ) tendo como garantia a compra de algumas unidades por estes mesmos países. . Pois bem são: Argentina: 6 unidades Portugal: 6 unidades República Tcheca: 2 unidades Chile: 6 unidades . Até onde eu li, empresas destes países entraram como fornecedoras, dando como contrapartida, a compra de aeronaves. Obviamente que isto consta como intenção, mas gostaria de saber até que ponto estes contratos estão bem amarrados: tipo se o país… Read more »

Marcos
Visitante
Marcos

Rinaldo:
Já está de avião novo?

Rommelqe
Visitante
Rommelqe

Lembrei: na volta o KC-390 ja pode trazer dois Gripens embarcados e MAIS UM MONTE de Gripens sendo reabastecidos em voo……abs

ederjoner
Visitante

Rommelqe 19 de abril de 2016 at 22:35
Seria uma boa em!

Rommelqe
Visitante
Rommelqe

Pois é Éder, seria ótimo! Se precisar mandamos os dois protótipos fazer umas dez viagens….

Rommelqe
Visitante
Rommelqe

Nunão, não consegui baixar o arquivo da imagem de capa. Poderia, por favor, disponibilizar?
Abs

Rommelqe
Visitante
Rommelqe

Obrigado Nunão. É só pra ter MAIS UM fundo de tela desse magnifico avião o qual, como tudo indica, tem UM MONTE DE CONCORRENTES a MENOs ..rsrsrsr

Bueno
Visitante
Bueno
Bueno
Visitante
Bueno

novo vídeo com poucas novidades em relação aos anteriores.

Bueno
Visitante
Bueno

Novo Video – KC390 -01 Teste porta carga rampa e porta lateral

https://www.youtube.com/watch?v=ut8p5VHfYhs

ederjoner
Visitante

Fantástico!

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

Bueno, obrigado pelo link do teste das portas e rampa do KC-390.
Já publicamos como matéria, e comentários agora podem ser feitos nela.

Bueno
Visitante
Bueno

Fernando “Nunão” De Martini eu que agradeço a disposição do site e a disposição de vocês.