Parece incrível que a China e o Paquistão tenham conseguido criar um caça a partir do MiG-21 que tem performance superior ao F-5 e quase a mesma do F-16.

O desenvolvimento do FC-1/JF-17 custou cerca de US$ 500 milhões, cada avião do Block 1 custa US$ 15 milhões e do Block 2, US$ 25 milhões.

O jato usa aviônica de arquitetura aberta, de procedência italiana, francesa e britânica. O sistema fly-by-wire foi programado em linguagem C++, no lugar da ADA, para facilitar o desenvolvimento e manutenção.

O Block 2 tem capacidade de reabastecimento em voo, aviônica melhorada, emprega mais materiais compostos em sua fabricação e tem maior capacidade de armas. O Block 3 deverá ter radar AESA, HMD e uma versão biposto.

 

 

Subscribe
Notify of
guest
55 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Gustavo
Gustavo
4 anos atrás

Como eu havia dito em outra ocasiao, esse e barato novinho em folha e pode deixar a fab pelo menos operacional!

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás

Por 20/22 Pilas prefiro este:
https://www.youtube.com/watch?v=mBTVHeSyP_w

Fabiano
Fabiano
4 anos atrás

15 milhões é pechincha,tem jato de treinamento mais caro que o FC1.

Fabiano
Fabiano
4 anos atrás

Por ser um caça novinho em folha e não modernizado de células velhas tá barato.

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
4 anos atrás

É uma boa, para países quê tem problemas financeiros, devido a um excesso, de dinheiro quê deveria ir, para o seu destino correto e vão para o bolso do alheio.

Maria do Carmo Lacoste
Maria do Carmo Lacoste
4 anos atrás

Será que a China não está praticando o seu já mundialmente famoso Dumping para vender este avião?

Reconheço que ele tem mercado, aqui mesmo na região ele vende.. Bolívia, Uruguai… tem mais por aí que pode comprar… um razoável financiamento e a este preço… vende tranquilo.

Bardini
4 anos atrás

Carlos Alberto Soares,
.
Tu tais mesmo querendo vender esses Kfir em rsrsrs..

Delmo Almeida
Delmo Almeida
4 anos atrás

Carlos Alberto Soares,

A aviônica pode ser legal, ter até uns mísseis novos, mas ainda é um avião de 40 anos com um motor de quarenta anos. Não vale mais nada…
Nunca pense que ia dizer isso, mas aqui vai: Prefiro o chinês!

Ocidental Sincero
Ocidental Sincero
4 anos atrás

Nenhum destes vetores, tanto o IAI Kfir como o JF-17 são páreo para os super caças aqui da América do Sul….

Gustavo
Gustavo
4 anos atrás

Hora essa pessem bem. Nao temos “inimigos externos” somos um pais “pacifico” entao para se manter o minimo de preparo efetivo e ja que compramos poucos Gripens. Por que nao?

Carvalho2008
Carvalho2008
4 anos atrás

Bem que o Poder Aereo poderia fazer o comparativo evolutivo preços e desempenho do JF17 e o JL 9….

Fabiano
Fabiano
4 anos atrás

IAI Kfir usa a célula do velho Mirage ,mais antigo e obsoleto que o JF-17 ,por sua vez é um caça novo em folha por 25 milhões.

Fabiano
Fabiano
4 anos atrás

Até os Hermanos estão preferindo o JF-17 em vez de Kfir .

Mauricio R.
4 anos atrás

“…com um motor de quarenta anos. Não vale mais nada…”
.
O projeto do Klimov RD-33 foi iniciado em 1968 e a produção em 1981, portanto 35 anos.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
4 anos atrás

FAB dos sonhos do CAS:

Kfir.
C-130, retrofitado em Israel.
KC-767 transformado em Israel.
A-4 retrofitado em Israel.

donitz123
4 anos atrás

Mauricio R. 2 de março de 2016 at 22:01 “…com um motor de quarenta anos. Não vale mais nada…” O projeto do Klimov RD-33 foi iniciado em 1968 e a produção em 1981, portanto 35 anos. >>>>>E o motor do qual originou a F404 começou a ser projetado em 1975, uma diferença insignificante em termos aeronáuticos. O que foi projetado naquela época não representa em nada o modelo de produção tanto de F404 quanto de RD-33. A turbina PowerJet SaM146 desenvolvida em conjunto com os franceses tem suas raízes na CFM56 cujo projeto data da metade da década de 60.… Read more »

glaxs7
4 anos atrás

Bom, pra quem não tem cão, dá pra asar com este ne?

Tiago Silva
Tiago Silva
4 anos atrás

Sou um defensor do JF-17 Thunder, por vários motivos posso começar pelo fato de seu baixo custo de aquisição e operação que aliado a uma concepção simples e moderna o coloca num patamar confortável no mercado mas carece de um problema que os EUA passaram com o F-5 mas que vou mencionar daqui a pouco. O Thunder é um vetor moderno e simples e para ajudar barato, mas ainda existem um Pré-Conceito com o mesmo por grande parte da comunidade aeronáutica internacional devido a sua origem Sino-Paquistanesa,mas poucos se lembram que o mesmo originou-se no programa “Super 7” que era… Read more »

Alexandre Galante
4 anos atrás

Excelente comentário, Tiago Silva, parabéns. Esse é o tipo de comentário bem embasado e com substância que gostamos de ver por aqui. Abs

Leo
Leo
4 anos atrás

Parece ser um caça robusto, e com ótimo custo benefício, mas não deve fazer frente a um F-16 nem mesmo a um mig -29smt ,. Uma coisa que me parece ruim nesse caça e sua turbina, não que ela seja de má qualidade mas ela parece ter poucas potência para um caça desse porte. Quando carregado com 3 tanques externos e 2 mísseis BVR e 2 mísseis de curto alcance o JF-17 parece ficar pesado e perde muito a sua capacidade de manobra, aceleração, etc. Esse caça poderia utilizar uma turbina mais potente co o a dos caças da família… Read more »

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
4 anos atrás

Diria que cabe no cenário brasileiro, não fosse o compromisso com o Gripen (que está em outra categoria). Parece ser uma boa aeronave. Alguém tem dados sobre alcance, carga útil etc.? Qual o TBO desse motor? Se tiver maior alcance que o A-1 seria um bom substituto. A modernização chegou muito atrasada.

Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
4 anos atrás

Perfeito Tiago Silva…
Comparações do tipo “eu acho q o X-15 ganha do F-92” deveriam ser bloqueadas…. rs

Marcelo Silveira
Marcelo Silveira
4 anos atrás

Ola pessoal, tchê! Por ventura no vídeo, por volta 8:25, seria talvez o míssil MAR-1 fabricado pela Mectron? E qual a finalidade do Brasil exportar esse míssil pra ser integrado ao JF17? Sendo o Paquistão inimigo declarado da Índia, que tem uma relação comercial mais significativa com o nosso país, ambos são do bloco do BRICS, esse fator comercial não influência um peso contra o Brasil?
Imagine esse “projeto” de caça na Venezuela ou Argentina, operando com um míssil brasileiro, que nem a FAB utiliza diga-se de passagem (motivo sem aeronave) não seria uma ironia!!!!

Tiago Silva
Tiago Silva
4 anos atrás

Obrigado Galante e Alfredo, acompanho com muito interesse o desenvolvimento da industria aeronáutica da China e no pacote vem a parceria com o Paquistão. Lendo sobre o Thunder me veio a mente os prós e contras, mas uma coisa é evidente que o fortalecimento da industria chinesa no ramo aeroespacial é cada vez maior e isso é um fato, e que já faz um tempo incomoda as grandes nações. Vejo a China como um grande player do mercado e que vai dar trabalho nos próximos anos devido ao vasto leque de opções que irá disponibilizar e em alguns ramos da… Read more »

Bosco
4 anos atrás

Marcelo,
O MAR-1 não é mostrado nesse vídeo. O míssil em questão é o C-802, antinavio.

Marcelo Silveira
Marcelo Silveira
4 anos atrás

Obrigado Bosco.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás

“Rafael Oliveira 2 de março de 2016 at 22:46
FAB dos sonhos do CAS:
Kfir.
C-130, retrofitado em Israel.
KC-767 transformado em Israel.
A-4 retrofitado em Israel.”

_______________________________________________

Sonho do Rafael Oliveira de uma FAB:
F 5 Jordanianos no PAMA
A 1 12/15 voando sabe D’Us quando e os demais na chon
C 130 na Chon
Esqueçam um REVO(3) adequado
A 4 no NAe 12 para levar a família para passear.

______________________________________________

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás

Ademas, quantas vitórias e ações o Kfir tem ? ____________________________________ Até hoje ele cumpre papel de “agressor” nos USA, inclusive versão modernizada e utilizada por empresas particulares para cumprir esse mesmo destino. Burros esses Âmis em ter o Kfir como agressor. ____________________________________ https://en.wikipedia.org/wiki/IAI_Kfir ____________________________________ Lembro que a IAI Bedek esta fazendo uma versão completa nos motores e dando longa garantia. Fico imaginando o 0800 Paquistani, Han e Vodóvisky. ____________________________________ Erraram, no embargo francélico a Israel negando-se a embarcar as encomendas dos Mirage, partiu para o Nesher e depois o Kfir. Sim engenharia reversa aqui adorada, principalmente ling xing, Israel faz… Read more »

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás
donitz123
4 anos atrás

Tiago Silva 3 de março de 2016 at 0:08
Uma correção. A turbina que equipa o J-10 é a Lyulka-Saturn AL-31FN e não a RD-33.
A versão mais recente da RD-33, a MK que equipa os MiG-29 navais indiano e russo não tem o problema da fumacinha.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
4 anos atrás

Boa, CAS, mas prefiro essa daqui:

Gripen E/F. (Nada de tampão)

A1-M (36)

KC-390

KC-767

Nada de ficar torrando dinheiro com células desgastadas. C-130 só fazendo a manutenção, sem modernização. O futuro é o KC-390.

Fábio Mayer
4 anos atrás

Se o Brasil resolvesse comprar um lote de JF-17, abriria uma licitação internacional RFP e colocaria na mesma categoria de o Gripen NG, o Mig29, o Rafale e algum outro que exista no mercado. Daí, começaria a exigir relatórios e faria a FAB fazer relatórios e mais relatórios, visitas, visitas às fábricas, negociações, tratativas com bancos, etc… começaria a falar em “off sets” no meio do caminho, sairia com um discurso de transferência de tecnologia, ficaria especulando sobre o vencedor a cada visita de mandatário internacional em Brasília e no fim das contas, compraria o JF-17, mas pelo custo de… Read more »

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
4 anos atrás

É aquele negócio, a função das forças armadas,fazendo o acima do básico já tá bom.Exemplo para quê navio aeródromo,se não projetamos poder lá fora,e se tiver uma guerra de verdade,ele vai ficar parado, no porto com medo de ser afundado,quê nem a Argentina na guerra das Malvinas.Então o caso é quê ninguém tirando os EUA,Rússia e China na teoria poderiam nos atacar.Precisamos de um caça simples mas em quantidade,de uns 150,quê ficassem disponíveis,quê desse para fazer manutenções,e quê não onerasse muito.Tirando esses três países quê disse a cima,nossos vizinhos estão em frangalhos,tirando mais ou menos o Chile e a Colômbia.E… Read more »

_RJ_
4 anos atrás

Análise perfeita, Fábio Mayer. Falta dizer que quando saísse o resultado, ele e todos os concorrentes estariam beirando a obsolescência. E duas a três gerações de caças tampão já teriam sido compradas, custado mais do que o preço “de prateleira” do caça escolhido.

Luiz Campos
Luiz Campos
4 anos atrás

Um avião velho novinho em folha.

Ceip
Ceip
4 anos atrás

Os chineses sabem fazer negócios, o caça FC-1/JF-17 na minha humilde opinião cairia como uma luva na Força Aérea do Brasil, e se o Brasil adquirissem um lote com grandes quantidade de unidades de (60 a 150) o custo de US$ 25 milhões por caça cairia para US$ 20 milhões a unidade. Seria um bom negocio para o Brasil, e também Chineses e Brasileiros tem um histórico de pechincha na área comercial.

Desde já Obrigado

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
4 anos atrás

Boa CAS,

Mas, para mim, a linha de frente da FAB dos meus sonhos, lá por 2025, teria:

36 Gripen E/F
36 A-1M
28 KC-390
Talvez algum KC maior.

E mais 36 Gripen encomendados.

Nada de caça-tampão no curto prazo, muito menos gastar com retrofit de C-130. Só a manutenção para aguentar até a chegada dos 10 primeiros KC-390.

carvalho2008
4 anos atrás

Montei um quadro comparativo entre o JF17, JL-9 FTC 2000 Mountain Eagle, F-5M e o L-159. https://projetosalternativosnavais.wordpress.com/comparativo-jf17-x-jl9-x-fa50/ Algum valor pode conter variações, mas dá para entender o custo x beneficio de cada um. No geral, existe uma percepção ao menos na tabela que: a) Combate ar-ar extremamente similar ao menos nos modelos supersonicos b) o JL-9 mantem uma carga de combate bem menor, mas mantem as caracteristicas natas de interceptador e caça de defesa de area, sobe e vira mais rapido que os demais c) O L-159, deve ser bem economico, mas possui range de operações menor, face sua genetica… Read more »

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás

O texto era bem explicativo de um blog de Portugal, toda vez que se coloca um link sobre defesa o mesmo é excluído, tido como concorrente.
Lembro que conheço todos blog’s e sítios brasileiros, dificilmente coloco link’s nacionais aqui, reitero que participo exclusivamente da Trilogia,
pois considero a melhor, por enquanto pelo menos. (rs).

___________________________________________________

Segue o link, texto abaixo das fotos e dos dados do Kfir:
___________________________________________________

http://asasdeferro.blogspot.com.br/2016/01/iai-kfir.html

___________________________________________________

Shalom

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás

Fábio Mayer 3 de março de 2016 at 9:54
Fábio, o Paquistani não está a altura dos vetores que você mencionou, nem o futuro Block 3 se colocaria ao par deles.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás

Minha proposta para o L 159 NG é de treinador avançado e Lift, em substituição ao A 1.
Cerca de 48 células.
Ótimo custo x benefício.
Não me falem de integração com G NG, para isso existem simuladores e a versão bi-posta.

________________________________

Reitero,
coisas chinesas, russas, misto-quente etc terão alto custo ao Brazil, se quer conhecemos o grau de disponibilidade
desses $ 1,99. As informações advindas deles são restritas e não confiáveis. O 0800 deles “non ecziste”.
A médio/longo prazo teremos muitos ou todos na chon e ter não significa operar.

_______________________________

Treinadores “a jato”/Lift, somente ocidentais.

Fábio Mayer
4 anos atrás

Carlos Alberto Soares,

Foi apenas um “chute” de retórica os caças que eu citei além do JF-17.

Mas é bem dito que, com a FAB voando F-5 e A-1… eu mesmo penso que uns 80 JF-17 viriam para salvar nossa força aérea não só da obsolescência, mas da fadiga de materiais.

Farroupilha
Farroupilha
4 anos atrás

Como sempre boa parte da galera não tem a mínima ideia da inserção do Brasil no mundo, e das necessidades quanto a sua soberania efetiva. Se contentam com um país eternamente deitado feito bebê. Devem ser os mesmos que pulam e investem tempo e dinheiro em carnaval, trios elétricos irritantes, torcidas organizadas etc. – Enfim, Carro MIL funciona mas… taxistas compram dele? Revólver 22 funciona mas… se leva para guerra? . . JF-17 voa mas… serviria contra os únicos que podem nos ameaçar? Se não, esqueçam disso. – Para ter um caça baratinho sino-pasquistanes – novinho mas que precisa ser… Read more »

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
4 anos atrás

Farroupilha, . Já que você sabe onde estão o parque industrial e os engenheiros capazes de desenvolver um caça nacional, por favor, indique-os para a FAB e para a MB , pois elas sofreram horrores com algo bem mais simples que foi a modernização dos F-5 e A-4. E a coisa só andou graças à Elbit . No mundo real, bravatas não são suficientes para projetar e construir um avião de caça competitivo. Precisa ter conhecimento, o qual não se cria de uma hora pra outra, e, ainda, muito dinheiro pra investir a fundo perdido. . A verdade é que… Read more »

Farroupilha
Farroupilha
4 anos atrás

Rafael Oliveira, No mundo real… Nem SAAB para produzir seu Gripen NG junto com a base industrial irmã avançada sueca produz tudo para seu caça. Não compensa fabricar 100% de um equipamento, qualquer empresário ou administrador moderno sabe disso. Os motores Volvo do GripenNG são tecnologia 100% sueca ou licença da americana GE? Mas quem sabe na sua reflexão de como é o mundo real um caça brasileiro precisa ser inteiramente nacional. – Brasil pobre: Diga isso para os bilhões de dólares surrupiados mensalmente por todo tipo de safadeza neste país, um dos mais ricos do mundo. – Em algum… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Farroupilha
4 anos atrás

“Farroupilha em 03/03/2016 às 23:28
Os motores Volvo do GripenNG são tecnologia 100% sueca ou licença da americana GE?”

.
Farroupilha, bom dia.
.
A Volvo fabricava sob licença (e com algumas modificações e melhorias) o motor F404 da GE.
.
O motor do Gripen NG (E/F) é outro modelo mais avançado da família, o F414. E, até onde sei, esse modelo não será fabricado sob licença pela Volvo, e sim fornecido diretamente pela GE.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
4 anos atrás

Farroupilha, Não estava falando de caça 100% nacional. O Brasil não tem condições de fazer um caça com o mesmo percentual de nacionalização que o Gripen. . A Saab vem há décadas construindo caças para chegar no Gripen NG. Nem em dez anos o Brasil chegaria num resultado parecido, partindo do que a Embraer sabe hoje. . Fora que alémm da SAAB tem outras empresas suecas de ponta. No Brasil é a Embraer e algumas pequenas empresas com alguma tecnologia no setor. . Sobre o Brsil ser rico, basta ver o ranking de PIB per capita no mundo para concluir… Read more »

Pangloss
Pangloss
4 anos atrás

O motivo pelo qual o Brasil não deve nem pensar em comprar esse caça sino-paquistanês é semelhante a uma resposta que o Paquistão daria ao Brasil na década de 80, se lhe fosse oferecido o AMX made in Brazil. Não dá para tentar a sorte com um fornecedor desses. Aliás, esse “Thunder” me faz lembrar um caso da indústria automobilística brasileira, na década de 80, quando as importações eram proibidas. Surgiu uma réplica do Mercedes 280-SL, chamada Phoenix, usando a mecânica de Opala. Diante do quadro do mercado à época, era uma forma de alguém ostentar algo exclusivo, criando uma… Read more »

Bardini
4 anos atrás

Se for para se sonhar em uma FAB com trocentos JF-17 da vida, é mais fácil sonhar com uma versão “pé-de-boi” do próprio Gripen, que seria muito mais barato no longo prazo…

carvalho2008
4 anos atrás

Mas Mestre Carlos Alberto Soares, Deixa de preconceito sobre equipamento Chines e RUSSO homem…. Outro dia, fiquei surpreso e fique pasmo!! um colega forista no Cavok apresentou uma tabela com o ranking dos modelos com a maior quantidade em operação ainda no mundo…..o 1o. lugar salvo engano era o F-16….mas quando voces soma a familia e suas variantes do MIG21 Russo/Chines, fica o MIG 21 como a maior quantidade em operação até os dias de hoje…!!! Oras, se voam, é por que existe uma infra para faze-los voar!!!… Sabe o que acontece quando os aviões destes paises ficam velhos? eles… Read more »

Farroupilha
Farroupilha
4 anos atrás

Fernando “Nunão” De Martini 11;42, OK! Vou dar uma conferida. Bardini 12:43, verdade! Rafael Oliveira 9:04, Na época de Santos Dumond, pós 14 Bis, o discurso, as desculpas para nossa dependência de produtos manufaturados externos já eram mais ou menos essas que vc citou. Mas na contramão da desculpa econômica etc, muitos brasileiros não conseguiam engolir o fato de termos que comprar aviões da Itália etc, sendo que seu principal inventor era daqui. Só muitos anos depois, foi criada a Embraer, fruto de um arrojado Ozires Silva, que deve ter quebrado inúmeros muros para tanto. Sem a ousadia desse engenheiro… Read more »