Y-20 - 3

A AVIC/XAC informou no início de 2016 que todas as tarefas da fase de desenvolvimento foram completadas com sucesso.

O primeiro protótipo número 01 (781) foi apresentado em janeiro de 2013, o segundo (02) logo depois e está sendo usado em ensaios estáticos. O 03 (783) ficou pronto em dezembro de 2013.

A aeronave 04 foi terminada em fevereiro de 2014, mas não foi confirmado se seria outra aeronave de testes. Enquanto isso, a linha de produção está pronta para começar a fabricação do avião na XAC.

O quinto protótipo do Y-20 número 785 (05) ficou pronto em junho de 2015.

Desde sua aparição no Zhuhai Airshow em novembro de 2014, o Y-20 tem sido visto em vários aeroportos chineses, inclusive fazendo testes de grande altitude no Inagi Aden e Daocheng.

Y-20 - 4

Y-20 - 5

Y-20 - 6

Y-20 - 7

Y-20 - 8

Y-20 - 9

Y-20 - 10

Previous articleCaça chinês J-10B com casulo designador e armas guiadas a laser
Next articleEmbraer Defesa & Segurança consolidará as operações das empresas Savis e Bradar
Subscribe
Notify of
guest
36 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Carlos Alberto Soares

Caro Bob, bem lembrado.
Âmis e Ucranianos são feras nesse seguimento.
Boa fotos, mas é ling xing.

Tiago Silva

Pode ser Xing Ling mas em tecnologia é superior aos IL-76 mesmo em sua versão mais moderna e que em teoria é o seu maior concorrente.

O maior gargalo do Y-20 são os motores, ele necessita de uma motorização mais econômica,mas sem dúvidas é mais uma aeronave para um mercado dominado pelos C-17 e IL-76, e com relação a este último tem muitos com mais de três décadas de serviço e que vão necessitar de substituto em breve.

Ederson Joner

Parece uma bela aeronave, mas fica no ar as mesmas perguntas de sempre… …As turbinas, os aviônicos, e todo o resto. Os chineses ainda precisam provar para o mundo que o material bélico que eles fabricam esta entre os produtos que eles fazem com qualidade. Por que uma coisa é inegável senhores, existe sim produtos chineses que são tão bons como os de origem mais “conhecidas”, quer sejam copias ou não. Vamos olhar para nós brasileiros por exemplo, se quisermos sair falando que nossos produtos são tão bons assim, vejamos a área aeroespacial, somos melhores? Acho que não, afinal quem… Read more »

Tiago Silva

Concordo contigo Ederson, a China vem ao longo das últimas décadas investindo pesado em pesquisa e desenvolvimento no seu setor de defesa, o Y-20 é um expoente das capacidades da indústria local quanto aos seus múltiplos sistemas embarcados. Quanto as suas dúvidas a aviônica é local e outras aeronaves contribuíram para isso como os civis ARJ-21 e C-919 este último com um cockpit extremamente avançado, a fuselagem como um projeto novo deve ter incorporado muito material composto diminuindo o peso final, já o grande gargalo são os motores e isso aparentemente vai levar um tempo até uma solução local. Muitas… Read more »

Maria do Carmo Lacoste

A China é uma ditadura comunista de partido único, com um modelo de economia capitalista centralizado, não existem liberdades individuais ou políticas, ou qualquer forma de manifestação pública livre, seja de pensamento ou coisa do tipo. Então fazer uma comparação linear entre o que a China investe nisso ou naquilo, com o Brasil ou qualquer outro país do mundo não faz o menor sentido, cuidado, tem gente viajando. No Brasil temos as liberdades para contestar os governos, isso por si só já é uma diferença abissal, quanto ao valor que se investe, o problema é que no Brasil nós temos… Read more »

Ederson Joner

Maria, estamos falando de material bélico, em momento algum disse sobre outros setores da China, o tema é “cargueiro militar chinês Y-20”, vamos deixar assuntos como política e outros fora disso, se não vamos acabar partindo para ideologias, ai o lado pessoal de cada um começa a falar mais alto. Sei sobre as condições de morar e trabalhar na China, mas o fato é que como desenvolvedores de tecnologia, no futuro eles serão muito fortes, podemos observar isso no histórico de produtos desenvolvidos por eles. No Brasil, os políticos só se preocupam com a reeleição, e sabem exatamente o que… Read more »

Nadai

O limpador do pára-brisas está abaixo da linha do vidro?

donitz123

Nadai 2 de março de 2016 at 8:00
O limpador do pára-brisas está abaixo da linha do vidro?
>>>>> O Boeing 747 é do mesmo jeito.

Maria do Carmo Lacoste

Ederson Joner 2 de março de 2016 at 7:51 Não é ideologia, eu estou apenas querendo dizer que o Brasil tem gastos, muitos gastos sociais que a China não tem, por conta do modelo de estado atual, então lhes sobra dinheiro para investir pesado em tudo, inclusive em pesquisa, desenvolvimento e defesa, o mesmo ocorre com a Índia, um país muito mais miserável que o Brasil mas que investe somas assombrosas em defesa. Eu acho que com apenas uma fração dos gastos da China em pesquisa, tecnologia e defesa no Brasil, o brasileiro conseguiria fazer muito mais. __________________ Sobre o… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini

“Roberto F Santana em 01/03/2016 às 22:04 O que eu nao acho muito bom nesses cargueiros e que pelo menos um terco de seu comprimento e desperdicado por conta das rampas.” . Roberto, bom dia. . Ao menos nos projetos mais novos, o que sei é que parte significativa da carga também pode ser acondicionada sobre a rampa, que é mais longa, menos inclinada e suporta mais peso justamente pensando nisso (e também, não menos importante, para facilitar o embarque e desembarque de itens mais volumosos e pesados). . É o caso, por exemplo, de uma das possibilidades previstas para… Read more »

Mauricio R.

Não sou de maneira alguma fã do complexo militar industrial chinês e menos ainda da geopolítica deles, mas que esse Y-20 é uma leitura muito melhor e mais sagaz do conflito entre volume de carga X distância, que levou os americanos a criarem o C-17 qndo mais uma vez pretendiam substituir ao C-130, do que o A-400M ou o “+ um”; ah sem dúvida é.
E é digno de nota que apesar de resolverem a questão estratégica e expedicionária de uma maneira melhor que mtos outros países mais calejados, na questão tática ainda patinem em definir uma solução adequada.

Ocidental Sincero

Se os Chineses tivessem a mesma política comercial de vender suas bugigangas para todo o globo. Com certeza teríamos em um futuro próximo muitos vetores made in China da Argentina até o África. Vamos aguardar se eles conseguem essa nova fórmula de sucesso. Qualidade razoável e um baixíssimo custo. Produtos com data de validade mais do que determinado.

Maria do Carmo Lacoste

Tenho a impressão que essa rampa de aviões modernos é mais ampla, ou seja, mais comprida, para que possa acomodar veículos altos, pois se fosse pequena, teria uma inclinação maior e a altura impediria de entrar pois bateria no teto. É o que acontece com o “imbatível”, um projeto da década de 50 que não pode ser modificado de maneira estrutural para resolver este problema, daí não poder transportar o “Stryke” (ele se desintegraria com o peso deste blindado de 25 toneladas de amplo uso do USArmy e outros), bem como o Piranha de amplo uso da OTAN na Europa,… Read more »

Ederson Joner

Mauricio R., porque esta aeronave Chinesa, que “disputará” o mercado com C-17 e IL-76 você não chama de “+ um”?
Digo “disputará” por que quem pretende comprar C17 não vai nem olhar para o projeto chinês, este esta mais para países com restrição legal ou financeira que os impossibilitem de adquirir o C17.
O que torna este projeto chinês tão melhor que o KC-390, salvo suas devidas proporções no que diz respeito capacidade (Payload)?

donitz123

Ederson Joner 2 de março de 2016 at 11:39
Mauricio R., porque esta aeronave Chinesa, que “disputará” o mercado com C-17 e IL-76 você não chama de “+ um”?
>>>>A possiblidade do Y-20 competir mercado com o C-17 é nula e inexistente pois a linha do Globemaster está para ser fechada. A Índia está considerando adquirir unidades usadas que devem ser estocadas pelos EUA.
O verdadeiro concorrente dele será o Il-476 e modelos usados modernizados do Il-76.

Maria do Carmo Lacoste

Roberto F Santana 2 de março de 2016 at 11:53 É isso mesmo, com a rampa menor, o tamanho do piso plano aumenta, criando mais espaço para tropas, paraquedistas e macas, isso reflete exatamente os conceitos da época que o C-130 foi concebido, pós segunda guerra mundial, onde ainda havia a ideia de se combater usando tropas aero transportadas em massa, estilo Normandia, então tanto o H como o H-30, modelo alongado, tinham essa finalidade, tropas e paraquedistas, coisa que ele faz bem. Ocorre que com o passar do tempo, hoje mesmo se torna impensável um lançamento de paraquedistas em… Read more »

Bardini
Mauricio R.

“…ou seja, mais comprida, para que possa acomodar veículos altos, pois se fosse pequena, teria…” . A “parte mais longa” da rampa do C-130 recolhe-se p/ dentro da cauda, isto mais o pequeno vão livre entre o solo e a fuselagem, permitem uma rampa mais curta, inibem o efeito de “flap” qndo aberta em voo e impedem que as cargas adequadas ao “cargo box” desta aeronave batam no teto. “…um projeto da década de 50 que não pode ser modificado de maneira estrutural para resolver este problema, daí não poder transportar o “Stryke” (ele se desintegraria com o peso deste… Read more »

Paulo Maia

Mauricio R. 2 de março de 2016 at 12:37

Eu acho que você pode odiar e ser contra a Embraer, você pode odiar e ser contra o KC-390, odiar e ser contra o Brasil.

Eu só acho que você não pode é ofender e desrespeitar a outros comentários com palavras chulas e outras ofensas.

Mauricio R.

“O que torna este projeto chinês tão melhor que o KC-390, salvo suas devidas proporções no que diz respeito capacidade (Payload)?” . O fato de os chineses terem feito a leitura do contexto “Volume de Carga X Distância”, muito melhor do que a Embraer e os europeus fizeram, simplesmente isso. Sabe bem lá atrás na década de 70, qndo mais uma vez a USAF cismou mais uma vez, que tinha que trocar o C-130 por um outro avião. E após testar em um “fly-off” YC-14 X YC-15, trocou o C-141 mesmo após alonga-lo, pelo C-17???? Esse contexto. E como o… Read more »

Ederson Joner

donitz123, talvez eu não fui claro, este projeto chinês pode até ter capacidades declaradas parecidas com o C17, mas como eu disse, quem pode ir de C17 não quer saber de projeto chinês, russo ou ucraniano, independente da linha do C17 continuar ou não. Este cargueiro vai ser do interesse de quem não pode comprar o americano, quer seja por preço, quer seja por embargos.

_RR_

Maria do Carmo Lacoste ( 2 de março de 2016 at 11:28 ),
.
Creio que está a falar do C-130…
.
comment image
.
Uma VBTP Stryker totalmente carregada e sem incrementos em blindagem não chega a 21 toneladas… Vazia, pesa cerca de 18 toneladas, dentro do payload do Hércules ( salvo engano, 20400 kg )…

Oganza

Bardini,
texto muito bom… o que se percebe e que alguns já vinham dizendo, é que não irá se voar o F-35 como as outras aeronaves e todos os seus pilotos terão que reaprender a voar em um F-35 pois ele parece fazer as “antigas coisas” de uma maneira diferente.

Queria muito ver a opinião de nossos caçadores que frequentam a Trilogia.

Ps.: Realmente dá um post.

Grande Abraço.

Ederson Joner

Mauricio R., a questão “Volume de Carga X Distância” esbarra no preço, muitas forças adorariam ter cargueiros com capacidade de 66 toneladas, mas ou não podem pagar ou simplesmente o serviço pode ser feito por aeronaves menores (em maior número). O fato que precisar desmontar torre de artilharia ou retirar as rodas de certos veículos é trabalhosa, mas é o que podem pagar. Quem pode ter C17 ou seus “rivais”, já os tem. As aeronaves de médio porte como é o caso do KC-390 são para ocupar exatamente o lugar do C-130, trazendo um projeto moderno, o qual a LM… Read more »

Maria do Carmo Lacoste

RR_ 2 de março de 2016 at 13:15 Ele foi concebido para ser transportado no C-130, foi feito “ad hoc”, é isso mesmo que você falou, “sem incremento de blindagem” ou seja, no projeto original dele, pesava 18 toneladas, mas com o reforço de blindagem que se mostraram necessárias ao longo de seu emprego, hoje ele vazio, apenas com a nova blindagem, já não entra mais no C-130, o avião não suporta mais seu peso. O Stryker tem sido um dos veículos mais criticados das forças armadas norte-americanas e uma das razões das criticas reside exatamente no fato de a… Read more »

Maria do Carmo Lacoste

Ederson Joner 2 de março de 2016 at 13:33 Larga de mão, esse cara está comparando jaca com banana, são aviões para funções diferentes, este avião chinês não tem mercado, só eles mesmo vão comprar, ou será que ele pensa que a RAF ou a USAF vão sair por aí montadas nessa coisa? bem diferente do KC-390, outra coisa, dizer que os china fizeram leitura melhor de mercado e bla bla bla, já mostra o quão inútil é esse debate, um absurdo em si mesmo. Quem vai comprar esse avião chinês no mundo, exceto um ou outro país dependente do… Read more »

Mauricio R.

“…a questão “Volume de Carga X Distância” esbarra no preço, muitas…” . Quanto mais carga se carrega e quanto mais longe que se alcança, dilui e abaixa o preço. Para tanto são necessários volume p/ carga e combustível. Os C-17, IL-476, Y-20 e em menor escala o A-400M, tem isto; o “+ um’ não. . “As aeronaves de médio porte como é o caso do KC-390 são para ocupar exatamente o lugar do C-130,…” . Bastante pretencioso e até o momento não verificado esse: “são para ocupar exatamente o lugar do C-130”. Em especial quando as vendas de C-295, C-27J… Read more »

Mauricio R.

“…ou será que ele pensa que a RAF ou a USAF vão sair por aí montadas nessa coisa? bem diferente do KC-390, outra…”
.
Ninguém está vendo nem a RAF e menos ainda a USAF, montadas no “+ um”, ambas operam C-130 e C-17 e os britânicos estão iniciando a operação do A-400M.

Oganza

Só digo uma coisa: em se tratando de China, não subestimem a capacidade ou a necessidade de escala deles… Se tem uma nação no mundo hj capaz gerar tal escala são eles.

Hj a PLA Air Force tem uns 32-35 Il-76/78 e mais de 80 Y-8 e 9… dessas mais de 100 aeronaves (é pouco pro tamanho da PLA), a metade pode, e provavelmente vai, ser substituída pelo Y-20… O vetor Chinês a princípio já nasce com uma escala de praticamente o dobro do KC brasileiro. São fatos.

Grande Abraço.

Maria do Carmo Lacoste

Oganza 2 de março de 2016 at 14:16

Quem vai comprar, na sua opinião, esse avião chinês além deles mesmo?

_RR_

Maria do Carmo Lacoste ( 2 de março de 2016 at 13:45 ), . O grande incremento no Stryker foi a blindagem tipo ‘slat’, que vem mostrando certa eficácia contra RPGs ( que é o que os extremistas mais usam para tentar para-lo, juntamente com explosivos improvisados ). Isso não acrescenta tanto ao peso. Salvo melhor juízo, acrescentou umas duas toneladas, deixando-a, vazia, com umas 19 toneladas ( ainda dentro do limite do C-130 J )… O peso original do Stryker é 18 ‘short tons’, cerca de 16.5 toneladas. . O problema maior são as dimensões… A VBTP ficou quase… Read more »

Oganza

Maria do Carmo, no fim ninguém precisa comprar… a escala reside neles mesmos, o próprio Japão projetou e construiu o Kawasaki C-1 (umas 25 unidades) e ficou só nisso, mas eles bancaram. Não sei como está o Kawasaki C-2 além dos 2 protótipos… enfim. – Mas quanto a eventuais exportações do Y-20, temos um Paquistão, quem sabe até um Irã e 2 ou 3 “Democracias” africanas financiadas hj pela China. Independente de quem seja ou a quantidade exportada, que provavelmente não passará de 20 aeronaves, isso só importa pros Chineses como propaganda… O que eles precisam mesmo é de um… Read more »

Carlos Alberto Soares

Tiago Silva 1 de março de 2016 at 23:35
Motores deficientes ?
Mas ele é um cargueiro !
Kkkk rsrsrs ….

Mauricio R.

OFF TOPIC…
.
…mas nem tanto!!!
.
Ha, ha, ha, nem p/ isto o “+ um”, serve:
.
“The US Air Force has offered an artist’s impression of the Pentagon’s “arsenal plane” concept in a video presented by service secretary Deborah Lee James at an Air Warfare Symposium in Orlando, Florida today.”
.
“…an aircraft with an eight-engine Boeing B-52 bomber wing with the body of a Lockheed Martin C-130 turboprop.”
.
(https://www.flightglobal.com/news/articles/usaf-flaunts-arsenal-plane-concept-at-air-warfare-422472/)

Carlos Alberto Soares
Nadai

Caro Roberto F. Santana
Obrigado pela explicação.