A revista Veja noticiou esta semana que “o caça, vendido principalmente na Ásia, virou a joia da indústria armamentista do país, que registrou crescimento de 88% nas exportações nos últimos cinco anos.”

Na verdade, o FC-1 por enquanto só opera no Paquistão e Myanmar encomendou 16 aviões no ano passado por US$560 milhões.

Notícias sobre o Sri Lanka ter adquirido 8 unidades do Paquistão não foram confirmadas. A Argentina esboçou algum interesse, mas a situação econômica do país não ajudou.

A Nigéria também estaria interessada em adquirir três jatos FC-1 em 2016, para combater o grupo terrorista Boko Haram.

De qualquer forma, o FC-1/JF-17 é um caça barato e pode ser adquirido por países que tenham orçamento limitado e que estejam dentro da área de influência da China e Paquistão.

grumman_super_7_sabre_II_3_big

O FC-1 teve sua origem no caça Super 7, uma evolução da versão chinesa do MiG-21, numa “joint venture” entre a Chengdu e a Grumman. A proposta incluia a remoção da entrada de ar do nariz, a inclusão de um nariz “duro”, entradas de ar laterais, bem como a instalação de aviônica ocidental.

O acordo de desenvolvimento foi assinado em 1986, mas foi cancelado em 1990, por causa do esfriamento das relações da China com o Ocidente, bem como pelo aumento dos custos do projeto.

A Chengdu continuou o desenvolvimento do Super 7 sozinha e mudou o nome para FC-1. Em 1999, a China e o Paquistão assinaram o acordo de desenvolvimento e produção conjunto do FC-1 e contaram com a assistência técnica do Russian Mikoyan Aero-Science Production Group (MASPG).

O primeiro protótipo fez o roll out em 31 de março de 2003 e voou pela primeira vez em 25 de agosto. Três protótipos foram desenvolvidos, com os testes de voo terminando em 2005 e a entrada em produção em 2006.

A CAC e a CATIC estão oferecendo o FC-1 como uma alternativa barata para substituir o Northrop F-5 Tiger, Dassault Mirage III/5, Shenyang J-6, MiG-21/F-7 Fishbed e o Nanchang Q-5.

Cada FC-1 sai por US$ 20 a 30 milhões, dependendo da configuração e quantidade.

Assista no vídeo abaixo a apresentação do FC-1/JF-17 no Paris Air Show de 2015.

Previous articleRússia vai duplicar produção de motores RD-33/RD-93
Next articleIsrael quer mais F-15, mas se opõe à venda do caça ao Qatar
Subscribe
Notify of
guest
62 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Maria do Carmo Lacoste

Uma das lei mais básicas da economia: “O principal fator de demanda de um bem ou serviço é o seu preço.” Não precisa ter estudado no MIT ou ser engenheiro da NASA para saber disso.

Ocidental Sincero

Não entendo por que tantos países adquirem vetores russos e chineses como MIG29, FC-1/JF-17 e SU-27 .
É notório que em qualquer confronto com aviões ocidentais, estes são sempre facilmente abatidos.

Ederson Joner

Vamos lá Ocidental Sincero, primeiro não confunda aeronaves russas com chinesas, e eu só vou concordar com sua argumentação, o dia que um piloto RUSSO da força aérea da Rússia, pilotando um caça russo, perder um combate para um caça ocidental.
Pois caça russo, com piloto mau treinado e aeronave sem manutenção de uma força aérea falida não vale.
Mas o dia que isso acontecer, será bem ruim para todos nós, pode apostar…

Fabiano

Esse caça customizado com eletrônica made israel deve ser uma boa,20 a 30 milhões é um bom preço para um avião novo vai vender bastante na africa américa do sul pois vai preencher um espaço para países de orçamentos mais apertados , outro fato interessante é a boa quantidade de armamentos que pode ser integrados a esta aeronave,resumindo poderá ser um bom custo beneficio.

Rafael M. F.

Aviãozinho simpático e honesto, que pode surpreender se usado de forma adequada.

Ocidental Sincero

Ederson Joner, Não lembro de nenhum vetor ocidental (americano ou europeu) ter levado grande desvantagem em qualquer Dogfight. Vide Guerra do Golfo 1991, Kosovo 1999, Iraque 2003 etc..
Os abates foram infinitamente superiores as perdas. Agora me falar que todas estas forças áreas “inimigas ” eram mal treinadas e falidas, aí discordo de você.

Ederson Joner

Ocidental, entenda uma coisa:
Aeronave russa é boa nas mãos dos russos, que tem doutrina e dominam os vetores.
Não adianta nada pegar um SU-30 e entregar para a Venezuela meu caro, ou para o Congo, nem a Índia ou a China tem uma aptidão que se aproxime do que os russos podem fazer com seus caças… Simples assim!

Israel E S Martins

Bom, eu sou Brasileiro e não desisto nunca! Já imaginou o Brasil pegando a linha de montagem desse brinquedinho aí e termos em mãos prontos para voar uns 500 aviões? e como o Ederson disse, ” totalmente doutrinado e dominando esse vetor?”…. pense!

carlos alberto soares

Kkkk …. rsrsrsrs ….

aldqueiroz

“Maria do Carmo Lacoste 29 de fevereiro de 2016 at 15:59″ ” Uma das lei mais básicas da economia: “O principal fator de demanda de um bem ou serviço é o seu preço.” ” — discordo, diria que é justamente o contrário: “ O principal fator do preço de um bem ou serviço é a demanda“,além da oferta, claro! Disto isso, concordo que esse vetor sendo um barato — comparado aos caças ocidentais, pode vir a ter boa aceitação em alguns mercados. Mas há que se avaliar com muuuuuuito cuidado se essa opção não cairá no proverbial “o barato sai… Read more »

aldqueiroz

“esse vetor sendo um barato” = “esse vetor sendo um avião barato”… a gente lê, mas não vê o erro, até publicar!…

Fabiano

O pessoal acha que numa suposta guerra só vai achar caças russos e chineses na parte inimiga rsrsrsrsrs , nas malvinas teve confronto de equipamentos ocidentais x ocidentais ou o Super Étendard e exocet eram russos ou chineses,o Paquistão com f16 e FC1 e a India com SU30 e Rafale em um eventual confronto terá equipamento das duas procedências,as vezes o outro lado pode ter um Typhoon ,rafale, gripen,F16 e etc.Por isso pode ser muito enganoso certas afirmações que haverá´só equipamento Chines e Russo do outro lado,resumo pode haver guerra de equipamento ocidental x ocidental ,alguém já´discutiu typhoon x F15… Read more »

Mauricio R.

“…o dia que um piloto RUSSO da força aérea da Rússia, pilotando um caça russo, perder um combate para um caça ocidental.”
.
Serve Israel???? Foi 5 X 2, fora o baile e a zoação dos egípcios.
.
(https://en.wikipedia.org/wiki/Operation_Rimon_20)

Fred

Ocidental irônico,

Acho, só acho, que a única vitória ar – ar iraquiana contra a coalizão no Golfo foi de um Mig-25 contra um F-18.

lane mello

Para Mim o brasil devia ter pegado uns 10 desse caça ,

Fred

O F-4 Phantom sofreu 106 abates em combate aéreo.
O Mig 21 ao longo de sua carreira abateu 240 aviões, quantos seriam ocidentais?

Renato de Mello Machado

Serve ,serve Israel sim,é só eles saírem, de seu amado e único teatro, de operações.

Alfa BR

Fred 29 de fevereiro de 2016 at 17:45

Aparentemente foi sim (abate confirmado):

http://www.rjlee.org/air/ds-aaloss/

Alfa BR

Fred o MiG-21 derrubou 240 aeronaves mas foi derrubado 501 vezes, quantos desses abates se deram por aeronaves ocidentais? Seria interessante fazer uma relação.

Rafael M. F.

Fred
29 de fevereiro de 2016 at 17:50

Faltou mencionar quantos MiG-21 foram abatidos em toda a sua carreira.

E olha que considero o MiG-21 um puta caça!

Gustavo

Esse aviaozinho pode nao ser o top de linha mas pode deixar uma força aerea de algum pais sulamericano ao menos adestrado e com algo efetivo para poder operar! Nao acham?

Bardini

Poderia ser um sucesso… Se não tivesse aparecido o coreano FA-50.

Bardini

Falando em Paquistão… Se o FC-31 vingar, eles pretendem substituir os F-16 por eles depois da novela para liberação dos últimos F-16. Jogaram os caras no colo dos Chineses de vez…

Fred

Gente, eu não acho o armamento russo superior ao ocidental, só quis enfatizar que caças russos já abateram ocidentais. A relação de perdas é muito maior que a de abates. Mas nesse ponto acho que pilotos russos, voando de acordo com doutrina russa, teriam desempenho melhor que forças aéreas como Vietnã, Iraque, Síria, Egito, etc…

Gustavo

Pessoal desculpe se fugi um pouco do topico mas por falar em FC-31, alguem sabe do que foi feito do SU-47 Berkut? Sumiu aquela maquina era da hora…

cesar

a questão do motor soltar fumaça não tem nada haver.. já muitos caças americanos soltarem fumaça.. é bom lembrar esses caras que os motores de caças são diferentes dos motores de automóveis.. não possuem pistões , bronzinas e nem valvulas…o colega disse que os caças su-30 são bons apenas nas mão dos pilotos russos.. é mentira.. em um exercicio aéreo nos EUA os su-30 deram pau nos caças americanos..e na australia os mesmos su30 pilotados por indianos deram uma surra nos australianos equipados com caças f-18…

Ederson Joner

F4 contra Mig 21? Está de brincadeira?
O F4 era o F22 de hoje.
Seria o mesmo que SU 35 contra F5!
Para igualar as forças teria que ser F4 contra SU 27 ou Mig 25 ou Mig 29!

Alfa BR

Su-27 e MiG-29 são da quarta geração. O F-4 é da terceira geração e seu oponente soviético seria o MiG-23.

Clésio Luiz

Outro conflito onde ocorreu encontros entre caças ocidentais foi na guerra indo-paquistanesa, basicamente aeronaves britânicas e soviéticas contra os americanos operados pelo Paquistão. A qualidade da aeronave é (embora importante) apenas um dos fatores num combate. Além do treinamento, conta também a sorte (ou oportunidade) além de limites geográficos/materiais ou de regras. – Por exemplo, um F-15 israelense, no meio da chacina no Líbano, tomou um AA-8 na traseira lançado por um caça muito inferior (MiG-23). Pode-se dizer que foi um tiro de oportunidade, onde o treinamento e equipamento israelense era superior; – Nas Falklands (sorry argies), o Mirage foi… Read more »

Carlos Alberto Soares

Rsrsrsrs ….. Kkkkk ……

Manuel Souza

“Uma das lei mais básicas da economia: “O principal fator de demanda de um bem ou serviço é o seu preço.” Não precisa ter estudado no MIT ou ser engenheiro da NASA para saber disso.” Steve Jobs discordou disso. Kkkkkk.

Fabiano

É Clesio como eu disse isso poder acontecer,pricipalmente no oriente médio aonde tem muito material bélico ocidental.

Carlos Alberto Soares

Fabiano 29 de fevereiro de 2016 at 16:17

____________________________________

Israeli ? Onde ?

Carlos Alberto Soares

Por 22 milhões de verdinhas, mais barato e prefiro este:
https://www.youtube.com/watch?v=mBTVHeSyP_w

Fabiano

Carlos Alberto Soares 29 de fevereiro de 2016 at 20:12 , Carlos eu quis dizer que atualmente no Oriente médio varias Forças aéreas de vários países daquela região operam caças ocidentais, e se ouvese algum confronto poderia eventualmente acontecer de ter combates de caças ocidentais x ocidentais, por haver varias aeronaves desta procedência nesta região , sem citar quem contra quem.Grande abraço

Alan

porcaria russa,chinesa mesmo e não venham com essa de caça russo só é bom com pilotos russos,por que os caças americanos são bons nas mãos de qualquer 1,olhem o velho f-5 aqui no Brasil,até hoje ele voa

Fabiano

Error ,Carlos Alberto desculpe ,esqueça a resposta acima , o que eu quis dizer é que FC1 ficaria legal em uma configuração made israel ,como as do Kfir Block 60 com o radar Elta Systems EL/M-2032 que tem tecnologia de varredura AESA , o que daria a capacidade ar-ar e ar-superfície ao FC1 e mais alguns misseis Derbys para fechar a conta até´que ficaria legal.

Mauricio Veiga

Sinceramente, quando observo este caça, vejo o “enorme” potencial que o F-20 teria nos dias de hoje, com a eletrônica e armamentos atualizados o Tigershark seria um oponente de respeito, custo/beneficio imbatível além de uma performance extraordinária …

Abraço.

Alfredo Araujo

Um equipamento militar é bom ou ruim de acordo com o cenário a qual ele foi projetado, e o uso que seu operador da a ele.

Não é pq um Los Angeles é superior a um IKL-209 no “Super Trunfo” que isso fará com que ele se saia melhor que o IKL em um cenário a qual ele não foi pensado, como águas rasas e/ou costeiras.

Ceip

Caro Leitores, Sou Leigo no assunto de aviões, mas sempre acompanho o blog do Poder Aéreo, mas tenho uma duvida sobre este caça. O Brasil opera vetores de caças antigos, como F5 e Amx, e atualmente comprou o caça Gripen NG para substituir o caça Mirage 2000. Seria uma boa opção comprar e montar um linha de montagem do caça FC-1/JF-17 para substituir os vetores antigos como o F5 e Amx? Sendo que o Caça FC-1/JF-17 tem um custo de US$ 20 a 30 milhões, Na minha Humilde Opinião: Seria uma boa opção para o Brasil operar o Caça FC-1/JF-17,… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini

“Ceip em 01/03/2016 às 0:59 Sou Leigo no assunto de aviões, mas sempre acompanho o blog do Poder Aéreo, mas tenho uma duvida sobre este caça. O Brasil opera vetores de caças antigos, como F5 e Amx, e atualmente comprou o caça Gripen NG para substituir o caça Mirage 2000.” . Ceip, bom dia. . O programa F-X2, que selecionou o Gripen, desde seu início não visava somente substituir os já desativados 12 caças Mirage 2000 do Esquadrão Jaguar, em Anápolis, mas paulatinamente substituir toda a frota de caças a jato da FAB. Tanto que o número de aeronaves (36)… Read more »

Farroupilha

Ceip, faça a comparação do RCS desse caça FJ-17, com o do Gripen e tire melhores conclusões sobre qual caça defenderá melhor o Brasil.

Farroupilha

JF-17, corrigindo.

Luiz Campos

…… que registrou crescimento de 88% nas exportações nos últimos cinco anos.”

Na verdade, o FC-1 por enquanto só opera no Paquistão e Myanmar encomendou 16 aviões no ano passado por US$560 milhões.

Notícias sobre o Sri Lanka ter adquirido 8 unidades do Paquistão não foram confirmadas. A Argentina esboçou algum interesse, mas a situação econômica do país não ajudou.

A Nigéria também estaria interessada em adquirir três jatos FC-1 em 2016, para combater o grupo terrorista Boko Haram…….. bla, bla, bla, bla….

Luciano Dória

Prezados, Há 32 anos sou aficionado por História militar e estudo afinco, deixo a seguinte reflexão: “não adianta comprar uma Katana para se defender, se você não tem o conhecimento e árduo treinamento para manuseá-la”. Isso se emprega a armamentos, dizer que equipamento russo é ruim, porque país “tal” usava? Isso é argumento? Concluo que nunca estudou história. Estudou a Segunda Guerra? Ou outros conflitos? Exemplo: o T-33 era tão “ruim”, mas tão “ruim”, que nenhuma fábrica Alemã da Segunda Guerra o produziria, pelo simples fato que o T-33 não passaria no controle de qualidade, agora, o que a história… Read more »

Bardini

Ceip, . Na minha humilde e ignorante opinião, comprar esse caça seria jogar dinheiro fora. Hoje, um melhor investimento para complementar o Gripen seria planejar a aquisição de uma plataforma que possa servir tanto para treinamento quanto para ataque leve. Um FA-50 por exemplo seria algo mais interessante, pois tem motorização GE, semelhante a do Gripen, possui radar ELTA EL/M-2032, bom desempenho, boa parte dos armamentos que possuímos estão integrados e poderiam ser usados como T para complemcomplementarde voo dos pilotos. Seria muito mais útil do que o JF-17. Mas seria um pouco mais caro. O que ao longo da… Read more »

claudio quadros

eu cancelaria gripen e comparia este aviao dava compra 300 avioes ai fab seria fab superioridade amarica do sul

_RR_

Luciano Dória ( 1 de março de 2016 at 3:01 ); . “A Rússia vende apenas armamentos, repare que ela não vende quase nada das suas doutrinas militares.” . Até onde entendo, doutrina militar não se vende; não tem com ser essencialmente vendida… Cada um a desenvolve de acordo com o cenário no qual pretende lutar… Logo, seria ilógico repassar uma doutrina, já que ela abrange níveis de organização, instrução, uso de equipamento, e dentro de um desenvolvimento moral específico da tropa… Em suma, o que funciona para um não funcionaria necessariamente para outro… . Qualquer país que vende uma… Read more »

_RR_

Bardini ( 1 de março de 2016 at 9:42 );
.
Concordo…
.
Mas acredito que poder-se-ia pensar em algo menos performante e mais barato que o F/A-50.

Bardini

_RR_,
.
Era só um exemplo… A ideia chave, na minha visão, é uma plataforma que possa servir tanto para treinamento quanto para ataque leve, e concordo, poderia ser algo menos performante e consequentemente mais barato.

Oliveira Brava

Gente com todo respeito, os caças Russos são tão bons quanto os ocidentais, estava vendo que em um combate real o su35 por exemplo só perderia para o f22 raptor e olha que o caça russo não é furtivo. Na India por exemplo em uma simulação dos su30 contra os eurofighter, os caças Russos ganharam de forma esmagadora dos europeus por 12 a 0, a terra da rainha rebateu contra… http://www.aereo.jor.br/2015/08/07/ingleses-rebatem-indianos-sobre-a-suposta-derrota-dos-typhoon-para-os-sukhois-por-12-x-0/, se foi tão humilhante assim eu não sei porém torno a dizer que os caças Russos não tem nada a perder em combate para os ocidentais.