terça-feira, janeiro 18, 2022

Gripen para o Brasil

Visiona conclui importante etapa na integração do satélite brasileiro

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

satelite-comunicacaoJunção da plataforma do satélite e da carga útil foi feita com sucesso

A Visiona Tecnologia Espacial, empresa de São José dos Campos e responsável pela integração do sistema SGDC (Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas) anunciou a conclusão de uma importante etapa no desenvolvimento do programa.

No dia 14 de dezembro, nas instalações da Thales Alenia Space, também sediada em São José e fornecedora do satélite do sistema SGDC, foi realizada com sucesso a junção entre a plataforma do satélite e o módulo de comunicação (carga útil), marcando assim o início da campanha de integração e testes.

“O programa continua avançando conforme o planejado e em linha para o lançamento em 2016. Nos próximos meses, o satélite passará por uma bateria de testes que simularão o ambiente de lançamento e espacial, além de testes funcionais”, disse Eduardo Bonini, presidente da Visiona.

Com o sistema SGDC, o Brasil pretende não só conquistar a soberania em comunicações estratégicas civis e militares, como ampliar o acesso à banda larga de internet para todo o território nacional.

FONTE/FOTO: Embraer/meramente ilustrativa

- Advertisement -

17 Comments

Subscribe
Notify of
guest
17 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ednardo Sombra So

Enfim uma boa notícia.

Edgar

Se a Thales fabricou, forneceu e está integrando o satélite, qual a necessidade da Visiona no processo? Traduzir os manuais de francês para português? Será que não seria mais do que suficiente a compra direta entre o Ministério da Defesa e a Thales, sem precisar criar mais uma empresa para a Embraer?

Mauricio R.

“…sem precisar criar mais uma empresa para a Embraer?”
.
E como fica a mitológica ToT??? Entrega tdo de bandeja p/ a Telebrás????
Assim a Embraer não poderá aprender como se integra um satélite, as nossas custas.
Aliás essa “integração” não deveria estar acontecendo, no laboratório de integração de satélites, que a Telebrás possui????
Compromissos da campanha política explicam!!!

Seal

Sobre a Visiona: A Telebras e a Embraer assinaram acordo de acionistas para constituição da Visiona Tecnologia Espacial S.A. A Visiona terá como objetivo inicial atuar no programa do Satélite Geoestacionário Brasileiro que visa atender às necessidades de comunicação do Governo Federal, incluindo o Programa Nacional de Banda Larga e um amplo espectro de transmissões estratégicas de defesa. A Embraer é acionista majoritária do projeto, com 51% do capital social e 49% serão da Telebras. A empresa terá sede no Parque Tecnológico de São José dos Campos. A Visiona também assumirá o papel de líder do Centro de Desenvolvimento de… Read more »

Junior Souza

Teremos um veículo lançador disponível para colocar esta coisa em órbita?

Nonato

A Telebrás tem funcionários?
Como se da a obtenção, manutenção e disseminação do conhecimento estratégico no Brasil?

Wellington Góes

Boa notícia!!!

Jeff

Telebrás foi um tremendo golpe no Brasil. Suas ações valiam 1 centavo lá por volta do ano 2.000.
.
Do nada ressuscitaram ela, imaginem quem teve informações privilegiadas antes sobre este negócio?? Até porque dela só existia o nome e um site abandonado na internet e mais nada.

Mauricio R.

A Embraer que nunca investiu vírgula em exploração espacial, de uma hora p/ outra passou a ser a acionista majoritária, da empresa que será a articuladora dos mais importantes programas espaciais brasileiros.
Sem ter vírgula de conhecimento, p/ tanto.
É como eu digo, compromissos da campanha política explicam!!!

Mauricio R.

Bem, o tipo de sociedade e o que se pretende da Embraer neste e em outros projetos espaciais brasileiros, estão explicitados grosso modo, no post de 3 de janeiro de 2016 at 18:13, do forista Seal. Desconheço qual seja a estratégia da ESD, ou qual seja o corpo técnico da Visiona propriamente dita, se é que há algum. Quanto a Telebrás, em tese são os depositários do expertise nacional em integração e operação de satélites de comunicação. Da mesma forma que a “Fundação Atech”, era em relação ao controle de tráfego aéreo. E o restante é o toma lá, dá… Read more »

helio

Olhemos pelo lado positivo (escapemos do espírito de vira-latas a que a globo nos submete diariamente), foi um grande passo. O projeto espacial brasileiro está avançando, com aquisição de tecnologia.

Eu pessoalmente, gostaria que esse projeto fosse puramente estatal, porém, se o conhecimento ficar no país, está bom.

Mauricio R.

O ocorrido é importante somente no âmbito da Embraer/Visiona, empresta-lhes uma falsa aura de relevância, pois foi executado nas dependências do próprio fornecedor do satélite. Como poderia ter sido executado, digamos lá no IAE, ou no próprio laboratório da Telebrás. Qnto a aquisição de tecnologia e a sua permanência no país, por ser um projeto bancado pela União, os entes federados de pesquisa e desenvolvimento de programas espaciais é que devem obrigatoriamente serem beneficiados. Não uma empresa privada, que seguidamente se serve do contribuinte, p/ financiar e prover sua capacitação. Esse “filme” já passou, no upgrade do F-5 qndo em… Read more »

Mauricio R.

E se confusão pouca não fosse bobagem, teremos agora a ALADA!!!
Para quem ainda não sabe do que se trata, vide o nº de Dezembro da RFA, anúncio a página 19 e entrevista c/ oficial da FAB, as páginas 22 e 23.
Se veio p/ esvaziar as pretensões da Embraer/Visiona, ótimo, mto bem, já conta c/ minha simpatia.
Caso contrário, nem falta faz pois não necessitamos de mais uma estatal em nosso capenga programa espacial.
.
PS: RFA: Revista Força Aérea.

Gerson Carvalho

O importante é que teremos um bom satélite de comunicação, os pilotos de satélite geoestacionário já foram treinados na França. (Sim o SGDC tem pilotos para manter sua orbita, e pode até ser usado para da uma olhada em outros países com suas câmeras como fazem EUA, Russia, etc com os seus.)

Seal

Enquanto isso, equipes em terra já estão montando a base em solo do SGDC. O Centro de Operações Principal, que ficará em Brasília dentro da área do Sexto Comando Aéreo Regional, conta com uma gigantesca antena via satélite de comando e controle, estações de trabalho de radiofreqüência e de monitoramento do satélite. Até a conclusão das obras do prédio principal, os equipamentos serão instalados em contêineres de telecomunicações e dentro do Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (COMDABRA).Nesta semana os técnicos da Thales Alenia Space, construtora do satélite, estão montando a antena de comando e controle na capital federal. A estrutura… Read more »

Ernane Reis

___ Tudo o que é de interesse, do Brasil, anda muito devagar… quase parando; mas, felizmente desta vez parece que vai sair! É vital para qualquer Nação dominar as tecnologias que lhe garantam total soberania. ___ Temo, uma vez concluído, que tenha o mesmo destino do Brasil Sat, o único satélite Brasileiro e que foi criminosamente entregue aos ianques junto com a Embratel. Um crime lesa pátria e que deveria ter sido investigado, por tratar-se de algo que pôs em risco a soberania do País! ___ Parece que certos setores, empresariais e políticos deste País, são intocáveis. A credibilidade da… Read more »

Ernane Reis

___ Na verdade, há algo muito, estranho no Brasil é ver altos investimentos, sem contingenciamentos, em coisas para Inglês ver como a maldita copa do mundo e essa olimpíada; foram mais de R$30.000.000 na copa e R$40.000.000,00 nessa olimpíada! Tudo isso sem contar as despesas com a segurança de autoridades… dizer que não tem verbas para as Forças Armadas é uma piada de muito mal gosto!

Últimas Notícias

Último voo operacional da aeronave CC-115 Buffalo no Canadá

O voo operacional final para a aeronave CC-115 Buffalo foi realizado no dia 15 de janeiro pelo 442º Esquadrão...
- Advertisement -
- Advertisement -