mq9-reaper-weaponized

A Força Aérea dos EUA quer aumentar drasticamente o número de drones, aviões não tripulados, tripulações e bases que coletam inteligência e fazem ataques a grupos como o ISIS.

Na quinta-feira, o Los Angeles Times e outras mídias informaram sobre os planos para adicionar 75 drones MQ-9 Reaper à sua frota atual de 175 (mais 150 Predators). A USAF também está buscando adicionar 3.500 pessoas, criar nove esquadrões além dos oito atuais, e abrir novos centros de operações em bases ao redor do país.

É tudo parte de um plano de US$ 3 bilhões para atender à crescente demanda por operações de drones.

39
Deixe um comentário

avatar
39 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
21 Comment authors
Rinaldo NeryLeoNonatoEdnardo de oliveira FerreiraVictor Moraes Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Lewandowski
Visitante
Lewandowski

Economia. Não precisamos de um F-15 para lançar duas ou três bombas de 500lbs ou 1000lb em caminhonetes.

Iväny Junior
Visitante
Member

É impressionante como o Predator armado fica muito mais bonito.

Mauricio R.
Visitante

A USAF pode até quer mais drones e mais pessoal p/ opera-los, mas a administração precisa entender isto: “The Obama administration has had an ambivalent relationship with drones. Last year, the Quadrennial Defense Review called for reducing the Air Force’s Predator and Reaper fleets by 15 percent and trimming 10 combat air patrols from the 65 round-the-clock missions. The thinking was that Predator and Reaper were relics of counter-terrorism operations that would soon be on the wane. The future was in the Pacific, building up equipment for a long Cold-Warish unofficial containment policy against China for which medium-range drones were… Read more »

Douglas Schuindt
Visitante
Douglas Schuindt

Lewandowski 12 de dezembro de 2015 at 13:55
Economia. Não precisamos de um F-15 para lançar duas ou três bombas de 500lbs ou 1000lb em caminhonetes.

Ou mesmo para que mandarmos para lá qualquer turboélice armado e com um piloto dentro (LAS? Super Tucano?) se podemos mandar um drone fazer o mesmo serviço?

Duanny D.
Visitante
Duanny D.

Sei lá, tenho a impressão que esse tipo de aeronave é quem vai ser encarregada do apoio aéreo aproximado.

Leopoldo Duarte
Visitante

A tendência é que aviões não tripulado faça esses tipos de trabalho

Brandenburg
Visitante

A questão é que a USAF também quer evitar ao máximo a cena de um um ou dois tripulantes americanos ejetados sendo caçados no ar por terroristas no solo ou prisioneiros vestidos com macacão laranja sendo mortos com requintes de crueldade pelo EI. Além da economia é claro. A opinião pública americana não aceitaria como não aceitou pilotos de helicoptero e membros da força Delta tendo seus corpos vilipendiados por bandidos na Somália.

Duanny D.
Visitante
Duanny D.

Imagine um cenário de 30, 40 desses auxiliando uma força de 300, 400 combatentes da infantaria, pousando atrás da infantaria sendo rearmados e voltando imediatamente para o combate. Enquanto as artilharias trocam presentes, tanques trocam fogo, foguetes de saturação caindo por todo lado, helis trazendo mais combatentes e reabastecem com armas.
Nesse tipo de cenário o apoio de f-35 seria demorado a cada onda de indas e vindas da base rearmado.
Tempos atrás vai uma discussão aqui sobre se os F-35 poderiam fazer esse papel, me parece que os drones é que vão se ocupar dessa missão.

Lewandowski
Visitante
Lewandowski

Os drones podem substituir o Super Tucano? Podem sim, em alguns cenários. Porém, para a maioria das forças armadas, os Drones ainda são complexos demais para operar. Nem tudo é 8 ou 80. Não precisamos de um Tu-22 bombardeando um bando de terroristas, nem e um F-22; creio que boa parte das missões hoje empregadas podem ser realizadas por aeronaves não tripuladas. A Rússia está aí de prova. Aeronaves complexas e caras, como o Su-24M e 34 lançando bombas burras e em pequena quantidade. Ou até mesmo a França, com Rafales custando U$ 30 000 a hora para bombardear boa… Read more »

Duanny D.
Visitante
Duanny D.

**idas

carlos alberto soares
Visitante
carlos alberto soares

Caro Brandenburg 12 de dezembro de 2015 at 20:12
É isso ai !
Os cu$to$ são infinitamente menore$,
os efeitos colaterais idem …..
G Abraço

carlos alberto soares
Visitante
carlos alberto soares

Caro Iväny Junior 12 de dezembro de 2015 at 15:04
“É impressionante como o Predator armado fica muito mais bonito.”
Concordo, linda foto !

carlos alberto soares
Visitante
carlos alberto soares

Aliás, notícias do Hermes 900 da FAB ?
Alguém tem uma boa foto do Hermes armado ? Não me refiro ao da FAB !

carlos alberto soares
Visitante
carlos alberto soares
Franco Ferreira
Visitante
Franco Ferreira

CLASSIFICADOS DO PODER AÉREO

Jogadores de video-game – Procura-se

Aviadores militares – Troca-se 1 (em bom estado) por dois jogadores de video-game iniciantes. Interessados procurar COMGEP da FAB.

Johnatan warp drive
Visitante

hahaha quem dera !

Marcelo Bardo
Visitante
Marcelo Bardo

O Hermes 900 apenas faz reconhecimento e Monitoramento?
Ele poderia portar armas?

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Leiam o livro Hunter Killer, do Ten Cel T. Mark McCurley (USAF), Editora Paralela, sobre o tema. Acabei de le-lo. Muito bom. Uma viagem ao mundo das Aeronaves Remotamente Pilotadas (ARP).
Espero que o pessoal do 1°/12° GAV tenha lido.

Carlos
Visitante
Carlos

Posso estar equivocado. Mas, até pouco tempo, a Rússia parecia não ter drones.
Pelo menos não se fala(va) nisso na imprensa.
Sequer sei a identificação de algum modelo russo…
Mas, pelo que falaram sobre a Síria, eles têm. Só não sei de que tipo.
E imagino que não sejam de ataque. Talvez mais de reconhecimento, coleta de informações.
Se eles tivessem bons drones de ataque, acredito que seria facilitado o trabalho deles.
Poderiam ser usados em conjunto com caças e bombardeiros.
Em cada passagem de um caça/bombardeiro/helicóptero soltando bombas e mísseis, alguns drones fariam a observação. Quando identificassem uma metralhadora antiaérea disparando. alahati… kaboom…

Carlos
Visitante
Carlos

Quanto aos armamentos, poderiam ser foguetes pequenos ou pequenos mísseis, só o suficiente para acabar com a artilharia antiaérea.
Quanto a esses armamentos da foto da matéria, quais seriam? Vejo dois mísseis azuis e brancos.
Vi algo preto. São mísseis também? Alguém poderia identificá-los? Não seriam os mavericks, não é?

Carlos
Visitante
Carlos

Colegas, como vocês acompanham, de forma mais aproximada, a guerra na Síria?
As informações constantes da CNN, BBC e Sputnik News são muito sucintas. Não dizem nada, na verdade.
Eu tenho acompanhado os vídeos do South Front no youtube.
Mas hoje vi que eles estão com problemas financeiros e irão parar de produzir vídeos diariamente.
Precisam de ajuda financeira… Que coisa…
Alguém já tinha ouvido falar desse site/canal no youtube?
aí vai o link…
https://www.youtube.com/watch?v=hSAGl9exc-E
Não o conheço. Só pelo youtube mesmo.
Vídeos quase diários, até ontem…

Bosco
Visitante

Carlos,
Os mísseis da foto são 4 Hellfires e 2 bombas guiadas de 500 lb GBU-12 Paveway.

Salomon Weetabix
Visitante
Salomon Weetabix

SEnhores. O que aconteceu com os drones da PF, que estão parados? Qual a causa de tal fato?
Grato

Tadeumar
Visitante
Tadeumar

Eu recomendo o livro de . W. Singer, Wired for War.

Mauricio R.
Visitante

“….a Rússia parecia não ter drones.”

Operaram ostensivamente na Ucrânia, um modelo bem menor que os “Predator” e “Reaper” americanos, associado a artilharia.

Rafael M. F.
Visitante
Rafael M. F.

Taí uma área em que o Brasil deveria investir pesado.

Para um país com poucos recursos como o nosso, o ideal seriam esquadrões de drones vigiando céu, terra mar e fornecendo informações em tempo real para nossas unidades tripuladas – que seriam acionadas quando houvesse necessidade.

Rafael M. F.
Visitante
Rafael M. F.

Alguém tem idéia do custo unitário e do custo da hora de vôo de um reaper ou um predator?

Victor Moraes
Visitante
Victor Moraes

Analisando o futuro, parece que o Drone realmente é uma boa alternativa militar. No dia em que ( se não já) desenvolver um sistema de produção de energia e propulsão de longa duração, tais armas poderão ser operadas 24 horas do dia, 7 dias da semana, no ar, valendo-se de laser para atingir os alvos. Pequenos e rápidos, poderão escapar a diversos tipos de vigilância. Eu tenho certeza que poderão se tornar uma grande tormenta para quem os desafiar. Sim, da forma mais estéril, covarde que se pode imaginar. Os “pilotos” estarão em confortáveis salas, bebendo um café, e esperando… Read more »

Rafael M. F.
Visitante
Rafael M. F.

Não existe ética em guerra – ainda mais em conflitos não-convencionais. Só existe matar ou morrer.

carlos alberto soares
Visitante
carlos alberto soares

EDITORES, Off Topic porém aborda modernidade e avanços na manufatura dos E JET’s
http://www.valor.com.br/empresas/4355430/embraer-sai-na-frente-e-automatiza-linha-de-asas

Ednardo de oliveira Ferreira
Visitante

Vieram para ficar. Na brincadeira de futurologia… Em uns 50 anos, nos países mais ricos, será mínima a frota tripulada. As aeronaves tripuladas serão como os metrôs: podem até ter alguém embarcado, mas quem manda mesmo é a central. Em algum lugar no futuro teremos Inteligência Artificial realmente comandando muito mais coisa, mas aí vai ser para daqui uns 70 anos. Creio que as missões de ataque, reconhecimento, esclarecimento serão as primeiras a serem completamente substituídas por pilotos remotos. A caça deve seguir só depois. Tripulações humanas ainda ficarão por mais décadas em veículos que transportem pessoas e carga. —-… Read more »

Nonato
Visitante
Nonato

Então um simples vant transporta seis mísseis/bombas? Para que um caça?
Esses mísseis pretos metem medo…

Leo
Visitante
Leo

Aí em cima alguém disse sobre os russos não terem drones de ataque e nem de longo alcance. Li uma vez em um site estrangeiro que os russos não investem muito nessa área pois segundo eles é relativamente fácil interferir nos sistemas dos drones e cortarem o contato dele com o centro de comando usando interferências etc… Então esse drones são bons em combates contra terroristas mas em uma guerra de alta intensidade com o inimigo bem equipado os drones podem não ser tão úteis. Mas claro os de pequeno porte sempre são úteis para corrigir artilharia etc, fora que… Read more »

Rafael M. F.
Visitante
Rafael M. F.

Pelo pouco que sei, as comunicações com os drones são criptografadas e extremamente difíceis de interferir.

Leo
Visitante
Leo

Sim são criptográfadas, mas não é impossível interferir, e nem tão difícil, difícil é tomar o controle do drone mas interferir nele é algo bem possível hoje em dia.

Duanny D.
Visitante
Duanny D.

Acho bem difícil um equipamento de milhares de dólares ser tão vulnerável em sua comunicação.

Carlos
Visitante
Carlos

Duanny. Talvez nem tanto nem tão pouco. Tudo é relativo. E não acredito que os russos não tenham investido devido à vulnerabilidade. Talvez falta de timing mesmo. Até porque drones são relativamente simples. Hoje são usados até para entregar pizzas… E quanto aeromodelos existem por aí? Um drone é apenas um avião menor, com algumas características específicas, inclusive a pilotagem à distância. Assim como a internet é vulnerável a ataques, imagino que os drones o seja. Não necessariamente muito vulneráveis, mas devem ter sua vulnerabilidade. Nessa ótica, os russos também dizem não ter investido em porta aviões devido a serem… Read more »

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

O 1°/12° GAV está de hangar novo, na BASM. Matéria no http://www.fab.mil.br.

Mauricio R.
Visitante

OFF TOPIC…

…mas nem tanto!!!

Nem tdo são maravilhas no mundo dos drones:

“The bad guys on the border have lots of money and what they are putting money into is into spoofing and jamming GPS systems. We’re funding some advances so we can counter this,…”

(http://www.defenseone.com/technology/2015/12/DHS-Drug-Traffickers-Spoofing-Border-Drones/124613/?oref=d-river)