Home Noticiário Internacional Síria: os russos vieram para ficar

Síria: os russos vieram para ficar

10351
68

A expectativa do estabelecimento de mais uma base aérea russa na Síria demonstra o comprometimento do governo de Moscou com o regime de Assad e a defesa de seus interesses geopolíticos na região

Russian_Sukhoi_Su-25_at_Latakia

A Rússia se prepara para estabelecer uma segunda base aérea na Síria. De acordo com o jornal The Times e Al-Rai (Kuwait), a nova base aérea será na localidade de Shairat, 35 km a sudeste da cidade de Homs, região central da Síria.

Outras 50 aeronaves seriam baseadas ali, além de uma brigada de forças especiais Spetsnaz. Já há pessoal russo em Shairat, bem como helicópteros e tropas preparando a base. No momento a base está sendo utilizada pela Força Aérea Síria e seus aviões MiG-23, MiG-25, e Su-22 ali baseados. Além disso, Moscou está prestes a enviar um grande número de sistemas TOS-1 para a Síria.

Uma fonte da área de Defesa na Rússia informou ao site lenta.ru que Shairat é necessária para o lançamento de operações no sul e no leste da Síria.

Com o propósito de apoiar a ofensiva nas imediações de Palmira e mais para o leste, em direção Deir-es-Zor, Latakia fica muito longe, especialmente quando se trata do uso de helicópteros e aviões de ataque [Su-25]. Estes precisam estar baseados mais próximos de seus alvos a fim de garantir que eles sejam destruídos em tempo hábil, disse a fonte. A forças russas usaram em ocasiões anteriores Shairat como base operacional avançada.

Su-25 raio de combate na siria

O Ministério da Defesa russo não comentou sobre os relatórios que citam a expansão das operações.

O periódico russo Svobodnaya Pressa já havia relatado anteriormente que informe (de novembro de 2015) apresentavam informações sobre o emprego de quatro bases para lançar ataques contra os rebeldes sírios. Além do aeroporto internacional de Bassel Al-Assad (Hmeimim), na província Latakia, destacamentos de helicópteros foram levados para a base aérea Tiyas entre Homs e Palmira, bem como paras as bases de Hama e Shairat, perto Homs.

No dia 17 de novembro o Estado-Maior apresentou para o presidente russo Vladimir Putin informações mostrando as operações aéreas sírias contra a cidade de Mkhi. A apresentação mostrou também que perto Shairat há uma unidade de artilharia russa que conta com seis obuseiros rebocados Msta-B da 5ª Bateria de Obuses da 120º Brigada de Artilharia de Campanha.

O ex-chefe da Divisão Principal de Cooperação Militar Internacional do Ministério da Defesa russo, general Leonid Ivashov, disse que o momento para estabelecer uma segunda base aérea na Síria chegou.

-O Cenário padrão é um regimento, uma base aérea. Nosso pequeno grupo em Latakia (Hmeimim) foi o primeiro passo. A nossa presença permanente na Síria exige um maior desenvolvimento da infra-estrutura e aumento o tamanho do destacamento aéreo.

“Agora é necessário expandir a presença russa na Síria, a fim de aumentar o número de ataques aéreos, para enviar aviões de caça adicionais, a fim de fornecer proteção para as aeronaves de ataque, e basear aeronaves de coleta de inteligência eletrônica para localizar alvos para aeronaves e mísseis de cruzeiro. Eu não descartaria o envio de Il-20M (comando e controle aéreo), mas também as aeronaves de alerta aéreo antecipado A-50. O componente de Transporte Militar também será elevado para propiciar o transporte de munições e outras cargas.”

ataque russo a refinaria do EI

“Todas estas medidas são sensíveis já que é óbvio que a presença russa na Síria é uma questão de longo prazo. Também é lógico esperar o envio não apenas de meios aéreos uma vez que surgiu nova ameaça na forma de invasão do exército turco no norte da Síria para criar uma chamada “zona tampão”. Não se trata de um bando de milicianos armados, mas sim duma força militar bem organizada. Por isso será necessário enviar algo para atacar unidades terrestres no caso de uma tentativa de invasão turca.”

SP: Certamente nós não estamos falando de foguetes balísticos táticos ...

Sim, precisamos de meios de saturação de área, LMR e sistemas TOS. Se eles vão ser transferidos para os militares sírios ou operados de forma independente, esta é uma questão separada.

SP: Recentemente surgiu a informação de que, durante o verão de 2012, por ordem do presidente russo e do ministro da Defesa a missão de aconselhamento militar na Síria foi dissolvida. As forças do governo sírio sofreram derrotas mais pesadas a partir do início do verão de 2012…

A Missão de aconselhamento militar foi atacada por Anatoliy Kvashnin enquanto ele era o chefe do Estado-Maior… Não é nenhum segredo que o Ocidente estava ativamente recomendando a nossa saída. Mas apesar da ordem de Serdyukov a missão consultiva não foi totalmente desativada.

Num determinado momento era uma missão poderosa. Quando eu era o chefe Direcção Principal, nós procuramos fortalecê-la.

Nossa cidade militar perto de Damasco tinha cerca de 450 pessoas, incluindo as famílias dos militares. Foi um acantonamento bastante grande e confortável que foi bem protegido pelos serviços especiais sírios. Nossos diretores operavam de forma eficaz e os sírios sempre escutavam nossos conselhos. Nós podemos ver claramente os resultados: o exército sírio, ao contrário do Iraque ou da Líbia, ainda está de pé.

Estava claro desde o início que Hmeimim poderia aceitar uma quantidade limitada de aeronaves, totalmente insuficiente para a guerra. Portanto, era necessário para encontrar uma saída. Naturalmente abastecer outra base aérea será complicado. A capacidade de transporte aéreo de cargas é limitada. Os turcos estão atrasando os navios russos que atravessam o Estreito de Bósforo. Além disso, as munições enviadas para Shairat terão de ser transportadas por via terrestre, o que aumenta o risco de emboscadas por parte dos rebeldes. O uso de bases aéreas do Iraque não foi respondido, mas elas estão muito longe e seu abastecimento também seria difícil. Além disso, o Iraque está sendo pressionado pelos EUA.

O coronel da reserva Viktor Murakhovskiy, membro do Conselho de Peritos do Colegiado da Comissão da Indústria Militar do Governo da Federação Russa e editor da revista Arsenal da Pátria, também acredita na possibilidade de que Shairat esteja sendo ampliada para incluir instalações militares russas.

Mas é preciso ter em mente que a base aérea também vai precisar de um batalhão de apoio técnico e um fornecimento estável de combustível e munições em grandes quantidades. Considerando-se que estes insumos estão sendo utilizados em milhares de toneladas, seria necessário implantar unidades para garantir a segurança rota de transporte.

SP: Há relatos de que as nossas aeronaves de transporte estão ativas em Shairat. No entanto, a província de Homs é palco de intensos combates entre as forças governamentais e os militantes. Como é que vamos garantir a segurança da descolagem e no pouso de nossas aeronaves de transporte?

Está claro que os rebeldes praticamente não possuem MANPADS. Eles utilizam principalmente canhões ZU-23 para defesa aérea, com alcance máximo de até dois quilômetros, o que significa que eles não podem prejudicar pouso e decolagem de aeronaves.

SP: A imprensa Ocidental informa que forças adicionais serão enviadas para Shairat …

Não há maneira de contornar isso. Se vamos estabelecer uma base lá, não podemos contar com os sírios para garantir a segurança dos embarques diários. Nós vamos ter que enviar colunas como fizemos no Afeganistão, com um destacamento de segurança completo incluindo veículos blindados para livrar a estrada de explosivos ou para estabelecer “checkpoints”. Quando Shairat estava sendo usada como uma base avançada apenas pequenas forças eram exigidas. Mas se quisermos criar uma base aérea totalmente nova, vamos precisar enviar componentes terrestres consideráveis, maior do que o que era necessário para proteger e defender Hmeimim (em Latakia) que fica perto da costa. E este é o problema. Mas eu não vejo qualquer problema em abastecer por via marítima toda a força. A Convenção de Montreaux é um tratado internacional e a Turquia não pode unilateralmente bloquear nossos navios e navios de guerra.

SP: Informes da imprensa relatam que Shairat é necessária para apoiar as operações no sul e no leste da Síria …

Nós ainda não eliminamos enclaves rebeldes entre Hama e Homs na Síria ocidental, a ofensiva no norte não vai especialmente bem. Estas são as instruções operacionais fundamentais. Atacar no leste significa atacar ao longo das estradas em um canal relativamente estreito. Não existem locais particularmente importantes lá em que a existência de exército da Síria e do estado como um todo depende.

syria-oil-rig-daesh-2013-AFP

Em princípio, é o suficiente para limitar-se ao longo das rodovias  Damasco-Deraa e Homs-Hama. Uma vez que a região oeste estiver livre de rebeldes isto representará  um enorme sucesso. Isso permitirá que o estado sírio exista por um longo tempo. Portanto, atacar Palmira, Deir-es-Zor, Raqqah são tarefas secundárias.

FONTE: Svobodnaya Pressa (tradução e adaptação do Poder Aéreo a partir do original em russo, publicado originalmente no dia 3 de dezembro de 2015)

68
Deixe um comentário

avatar
68 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
39 Comment authors
ValérioSandro MolinaAntonio PalharesArthur Duval Versiani PassosJacinto Fernandes Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Mauricio R.
Visitante

Se o exército sírio estivesse realmente em pé, a intervenção russa não seria necessária.
E mesmo com os russos lá, os ganhos territoriais de Assad não se mostraram expressivos ainda, mto pelo contrário.
Por outro lado, qnto mais gente e mais armas os russos pões na Síria, mais a conta de padaria das despesas logísticas cresce.
Estariam os russos preparados para isto também???
A resposta será uma questão de tempo.

armando
Visitante
armando

A síria pode ser financeiramente falando, o novo afeganistão pra rússia. A não ser que consiga se beneficiar dos campos de ouro negro.

edcarlos
Visitante
edcarlos

Impressionante é o apoio que os grupos rebeldes e terroristas tem, um imenso trabalho de logística e treinamento, que estes grupos recebem constantemente vindo da Turquia. E esta bombardeia a milícia curda regularmente, invade territórios, oficialmente no Iraque e extra oficialmente na Síria.

Saudações!

Lewandowski
Visitante
Lewandowski

É isso que eu não entendo: se a Turquia não financia o ISIS (o que não acredito), se os EUA também não (já que muitos afirmam que foram eles que que os criaram – o que acredito), nem Irã, nem ninguém, donde vem tanta resistência por parte deles? Para mim, o único país que realmente está engajado no combate ao ISIS é a França. A Rússia diz que os combate, mas na realidade pega os opositores de Assad; os EUA, junto agora com com a GB, também o dizem, mas fazem o oposto dos russos, metendo pau no governo sírio.… Read more »

augusto
Visitante
augusto

E vai ficando mais cara ainda. Agora acho que os russos vão colocar tropas em terra com a desculpa de segurar uma invasão turca. No mais vejo a Turquia com inclinação de mover o gasoduto Qatar-Turquia pelo kurdistão iraquiano o que destruiria a estrategia da Russia, o Irã apesar de ser pró-Assad também esta de olho no gasoduto de nabuco e agora sem as sanções poderá levar GÁS para Turquia e Europa e ai sera que os russos iram invadir o Irã também

GuiAmaral
Visitante
GuiAmaral

Aí está mais um caso que será lembrado para sempre do fracasso da intervenção americana nesta região. É claro que a única saída para esta crise está em fortalecer o exército sírio, e reconstruir as instituições do Estado Sírio. O estrago que as potências ocidentais tem feito nesta região ao longo de todo o Século XX e agora no início do XXI somente pode ser recuperado com a retomada destes Estados. Em minha opinião os americanos sabem disso, sabem que não querem se enfiar em uma guerra sem fim no oriente médio e precisam estar mais atentos é com o… Read more »

Jacinto Fernandes
Visitante
Jacinto Fernandes

Nenhum dos países operando na Síria (EUA, Russia, França, UK) conseguirão capturar e manter – ênfase em manter – território na Síria se não enviarem soldados.

ronilson
Visitante
ronilson

quero ve quem enviara tropas para a síria com a russia la somente a russia tem legitimidade para colocar suas tropas em solo sirio

ronilson
Visitante
ronilson

o interessante e que um bando de terroristas barbudos atraem as maiores potencias mundiais para lutar contra eles e mesmo assim não conseguem derrotalos se eles tivessem uns f22 e uns tanques e umas bombas inteligentes dominariam o mundo facilmente

ronilson
Visitante
ronilson

a guerra na síria e a maior mentira do século e mostra como países ditos democráticos e defensores da liberdade podem ser cruéis hipócritas e mentirosos

kfir
Visitante
kfir

O que me chamou atenção foi a informação do alerta aéreo antecipado, a expectativa de atacar forças turcas em território sírio…

O fato é que a Russia pretende restabelecer Assad, contrariando o desejo da Arabia saudita,

no cenário temos

turquia, arabia saudita e iran… e a Síria no meio..

para quem não sabe há uma profecia, que estabelece que Damasco nunca mais voltaria ser cidade, e que a Russia atacará Israel…

http://www.forte.jor.br/2013/08/29/russia-podera-atacar-a-arabia-saudita-caso-ocidente-inicie-bombardeio-a-siria/

Marcelo Bastos
Visitante
Marcelo Bastos

A Russia não esta gastando dinheiro e recursos em uma guerra por ideologia, esta fazendo um investimento, a Síria daqui alguns anos estará falando russo ….

Jacinto Fernandes
Visitante
Jacinto Fernandes

A Rússia está lutando para impedir que o Catar, a Arábia Saudita e a Turquia acabem com o monopólio russo no fornecimento de gás à Europa – o que hoje representa 65% das exportações russas. Se o Assad cair e o gasoduto Catar-turquia for construído, ocorrerá com à Rússia o mesmo o que ocorreu com a URSS: falência econômica.

BrancoF-16
Visitante

Agora o que deve ter de empresa fabricante de armas, comemorando mundo a fora essa bagunça que ta rolando na síria, não deve ser pouco.
Pessoal das finanças deve ta virando a noite em cima das calculadoras, e os políticos atras de apoio para as empresas lucrarem com isso.

Satyricon
Visitante
Satyricon

Com cada vez mais corda, a Rússia vai criando para si um laço cada vez maior, com o qual se enforcarà à médio prazo. Não há economia que resista a duas frentes beligerantes (Síria e Ucrânia), cujo esforço tende só a crescer.
Os USA vão continuar fingindo de morto, assistindo a tudo de camarote.

edcarlos
Visitante
edcarlos
fonseca
Visitante
fonseca

Satyricon, também temo isso.
O ideal era ter chegado, acabado o EI, e partir para a galera…
Mas a Turquia está implicando, além da insatisfação dos EUA, que, por sinal, já deve ter homens lá.
A Turquia invadindo para valer a Síria e o Iraque, complica a situação.
Ou até a ONU…
Para a Rússia o cenário ideal seria vencer o EI e fincar pé na Síria, mas sem ter que enfrentar outros países…

carlos alberto soares
Visitante
carlos alberto soares

Creio que eles possuem os Bombardeiros (Ghibli) mais adequados, mas como diz a matéria, estão fora:
http://g1.globo.com/mundo/noticia/2015/12/italia-descarta-ataques-na-siria-e-diz-que-outra-estrategia-e-necessaria-20151206191503730646.html

carlos alberto soares
Visitante
carlos alberto soares

Os Russos não sairão ….. simples assim.
Talvez, em troca do bloqueio …… talvez !

Macbeth
Visitante
Macbeth

Li um artigo que o motivo pelo qual os EUA e o Ocidente não aceitam lutar ao lado de Assad e Russia contra o IS é que isto poderia enfurecer a FSA(oposição moderada) a qual tem em torno de 70.000 combatentes(7 conta de mentiroso Kkkk) e estes engrossariam a fileiras do IS.

Reinaldo Deprera
Visitante
Member
Reinaldo Deprera

Impressionante a quantidade de pessoas que comentam sobre teorias da conspiração sem pé nem cabeça. O antiamericanismo no Brasil é ignorante e massivo. O lance desse pessoal é usar o blog para nos convencer, sem nenhum argumento plausível ou fatos concretos, de que o estado turco financia o ISIS. E, como a Turquia é aliada da OTAN, por conseguinte isso reforçaria a estória de que os EUA criaram o ISIS. É muita ignorância, me ajudem por favor porque eu não tenho mais paciência. Macbeth, os EUA estão combatendo o ISIS a muito mais tempo do que o Assad e a… Read more »

Trovão Azul
Visitante

Rússia certamente pretender demostra que esta disposta almenta o poderio militar, mostrando que está 100% operacional e que vai defende o governo da Síria com força 💪 total.

Bosco
Visitante

Reinaldo, Eu de minha parte me divirto em ver os “Calcinhas” elogiarem a violência russa apoiando o carniceiro Assad. De tanto ver o discurso politicamente correto dos russófilos que condenavam o uso das bombas atômicas contra o Japão, condenavam a truculência americana no Vietnã, condenavam a violência dos israelenses contra os pacíficos palestinos, condenavam o uso de urânio em armas cinéticas, etc. , eu pensava que esse turma era composta só por seres humanitários , pacifistas, nobres almas. Tinha momentos de incerteza e de dúvida acerca de que talvez eu estivesse sendo o advogado do Diabo e que estava defendendo… Read more »

Victor Moraes
Visitante
Victor Moraes

O Obama é um velhaco. Se os EUA tivessem interferido na Primavera Árabe estaria hoje com um popularidade tal que as crianças do Butão estariam queimando bandeiras americanas. Certamente os EUA seriam odiados pelos muçulmanos muito mais do que hoje, e aumentariam a fama de arrogante, truculento e mau. A visão de Obama, talvez sorte de criação, de ideologia, tirou os EUA de uma encrenca danada. Agora é bom, que vendo os EUA por detrás da cortina, você percebe quem são os verdadeiros personagens do que se chama ” mau do mundo”. Se os EUA tivessem interferido com força no… Read more »

Dafranca
Visitante
Dafranca

Nesse video abaixo general americano que comodou o exercito fala sobre os planos, a agenda americana sempre foi de promover guerras, e USA nao tem interesse em destruir a ISIS, todos nos ja vimos USA em guerra contra Sadam ou no Afeganistao, quando eles querem destruir sempre foi rápido.
https://www.youtube.com/watch?v=ojcoKnTGf4s
Esse nao e’ qualquer pessoa falando de teorias conspiratórias, ele foi um General 4 estrelas.

A verdade e’ tao difícil de aceitar?

Victor Matheus
Visitante
Victor Matheus

Meio Off-Topic.
Momentos em que eu evito rolar o mouse até o fim da página:
Quando começo a ver briga de “russófilos” com “americanófilos”. Me lembra século 20!!! :/ :\
Misericórdia!

tadeumar
Visitante
tadeumar

A situacao deve mudar radicalmente se o futuro presidente vier do Partido Republicano.

O conflito na Siria, com a presenca de russos, do Hezbollah, do Iran, ali perto da Turquia, nao muito longe Israel, mais os bombardeios da OTAN se transformou em um quebra cabecas geopolitico bastante perigoso.

Esse conflito poderia escalar rapidamente e nos empurrar a uma Terceira Guerra em questa de horas se houver acidentes entre as potencias emvolvidas.

Bosco
Visitante

Dafranca, Essa história do General é antiga. Ele divulgou um plano de desestabilizar 7 países. A Primavera Árabe ocorreu em uns quinze. Países que ele não citou mudaram de governo e de regime, como o Egito. Essa suposta “agenda” de desestabilização podia muito bem ser do USA e não do governo americano. Quando ele viu essa suposta agenda ele já estava reformado e tinha pretensões políticas. Lá nos EUA não é diferente daqui. Há provas irrefutáveis que não levam ninguém pra cadeia e há verdades absolutas que depois se mostram completamente irreais. Infelizmente meu amigo, isso não serve para a… Read more »

Dafranca
Visitante
Dafranca

Meu amigo Bosco, Vamos colocar os pingos nos i. Eu não sou Russofobico, calsinha vermelha, etc… Quando alguem esta para perder argumentos ele tende a apelar com esses jargoes, até chamar o outro de nazista, facista, comunista, etc… Estudei 1 ano nos EUA(Norfolk), ja trabalhei um ano em DC, e hoje trabalho para americanos, logo tenho um forte ligações. Por eu não concordar com a politica externa americana não faz de mim um calcinha vermelha ou um russofobico. Foram 2 entrevistas diferentes no video que postei: 1) A primeiro que contava o plano de desestabilizar varios paises foi em 2007,… Read more »

Trovão Azul
Visitante

Muitos se enganam-se de pensar que o ocidentais querem o fim das carnificina humana que vem acontecendo na Síria, tanto por parte dos EIs como do governo da Síria,o que vejo na verdade é interesses econômicos viáveis daqueles que lá estão envolvidos. Se a Otan interviesse no início dos acontecimentos os jogos geopolíticos não chegariam a este patamar inaceitável,tendo em vista que ganancia,a cobiça e a intolerância a cultura dos outros são jogados por lados da ignorâncias humanas. Aos fim de tudo só os inocente vem sendo punidos como sempre acontece nas histórias humanas em conflitos. Não há vencedor todos… Read more »

Jacinto Fernandes
Visitante
Jacinto Fernandes

Dafranca, este suposto plano de desestabilizar o Oriente Médio não é de 2007. A entrevista do Gen. Clark pode ser de 2007, mas ele apenas estava relatando um suposta conversa que ele teve logo após os atentados de 11/09/2001. O link abaixo contém uma palestra do Gen Clark. Observe como ele afirma que ele ouviu acerca deste tal plano 10 dias depois de 11/09/2001 – a partir dos 31 segundos:
https://www.youtube.com/watch?v=f7NsXFnzJGw
Então, se o plano existe ou não, cabe a cada um decidir. Mas se ele existe, ele não é de 2007. É, no mínimo, de 2001.

Bosco
Visitante

Dafranca, Eu não falei nada sobre 15 anos, e sim sobre 15 países. E eu não disse que você é membro dos “Calcinhas Vermelhas”. Os que são, visivelmente rasgam as suas após ficarem meladinhas com a capacidade de destruição russa. Nunca notei esse tipo de comportamento de auto-flagelação de sua parte. Quanto ao caso do general, acho suas revelações pouco contundentes tendo em vista o relativismo tão em voga hoje em dia. Há tantos argumentos que podem colocar em dúvida a efetividade dos propósitos maquiavélicos dos americanos principalmente levando-se em consideração a complexidade dos países islâmicos que acreditar que tal… Read more »

Zmun
Visitante
Zmun

Os times são adversários mas o jeito de jogar é o mesmo. Sempre o maldito “Argumentum ad hominem”. Não podem atacar o argumento, então atacam o autor do argumento.
Se o Assad cair os grupos contrários ao regime irão se unir em nome da paz e compartilhar uma vida de tranquilidade e plenitude, ou o país irá entrar numa nova etapa de derramamento de sangue para ver quem assume o governo? Imagino que para alguns isso não fará diferença, já que nessas alturas o gasoduto estará garantidos.

Kolchak
Visitante
Kolchak

Turquia e EUA assinaram acordo para treinar e equipar islamistas contra a Síria ………É muito duvidoso que esses islamistas “moderados” lutarão contra o Estado Islâmico (ISIS). Aliás, de acordo com o WorldNetDaily, os rebeldes sírios “moderados” treinados em 2012 por instrutores militares americanos mais tarde se juntaram ao Estado Islâmico. Por que usar uma alegada guerra contra o ISIS para expandir o treinamento para islamistas que acabam se unindo ao ISIS? A Reuters disse que a Arábia Saudita também ofereceu um local para tal treinamento. Muito embora Obama, os republicanos e a grande mídia dos EUA insistam em chamar esses… Read more »

Nonato
Visitante
Nonato

Parece não haver dúvida de que o interesse do Ocidente e de alguns países árabes é derrubar Assad. Será que é porque ele é mau? Ou por questões geopolíticas? Em muitos países quando há revoltas, os governos agem com vigor. Na Líbia os rebeldes usavam hilux noivinhas com metralhadoras. Como arranjaram aqueles arsenais? Rapidamente o Ocidente chamava Kadafi de carniceiro etc. Porque atacava a população Civil com armas… como enfrentar grupos poderosamente armados? Com spray de pimenta? Jatos de água? No occupy Wall street os participantes foram presos inclusive com mandados de prisão em domicílio. Acho que oo último evento… Read more »

Nonato
Visitante
Nonato

Bosco, você é o cara. Você tem muito conhecimento e é legal com aqueles que pouco entendem de defesa. Aproveitando a polêmica dos calcinhas vermelhas, (não gosto muito desse linguajar. Rs), mas você seria o cuecão azul? Kkk. Valeu. Descontração.

Zmun
Visitante
Zmun

…………..Tenho pra mim que a manutenção de um estado de tensão entre ocidente e islamismo seja um dos objetivos. Os americanos precisam de inimigos porque precisam manter seu complexo militar em atividade. Talvez enquanto estiverem olhando para o oriente médio não precisem olhar para as bandas do sul (Brasil). …………..No sábado passado, enquanto sapeava pelo youtube, me deparei com algo muito interessante. No canal France 24, um cacique yanomami denunciando ao vivo, como se fosse um chefe de Estado, as constantes violações do território da “nação yanomami” pelo governo brasileiro. Para os brasileiros que se sentem confortáveis quando americanos incentivam… Read more »

Bosco
Visitante

Rsrss
Nonato,
Os “Calcinhas” não têm papas na língua quando ofendem os tidos como fanboys dos americanos e quando se auto intitulam os paladinos da justiça, defensores dos fracos, inocentes e oprimidos, lutando contra a ambição imperialista, se julgando “os patriotas” e todos os outros que não pensam como eles como traíras, lambe botas, lacaio, etc.
Mas em respeito ao seu gosto erudito eu vou deixar de reconhecer os sócios do clube como tal.
Sds.

kfir
Visitante
kfir

cenário

O irã ameaça Israel, simula até a tomada do monte do templo
turquia derruba avião russo
russia se prepara para atacar tropas turcas caso entrem em território sírio
Turquia financia Estado islamico comprando petróleo
Irã arma hezbollah
Arabia saudita maquinou Isis… segundo o idependent
Eua acabaram de explodir tropas do Assad. Mas O Obama falou que ia acabar com o Isis…

COISA MAIS DOIDA QUE ta acontecendo lá

http://www.independent.co.uk/news/world/middle-east/us-led-coalition-air-strike-targets-syrian-soldiers-in-first-fatal-bombing-on-assad-regime-a6762956.html

Syria calls US-led coalition air strike on Assad regime forces an ‘act of aggression’
But the US-led coalition denies carrying out the attack in which at least three Syrian soldiers were killed

Melky Cavalcante
Visitante
Melky Cavalcante

Calcinhas vermelhas é um bom nome para um Saloon, com garçonetes usando apenas calcinhas vermelhas 🙂 . A internet está transbordando de Calcinhas, vermelhas e azuis e aqui não seria diferente, é raro não “descambar” para o lado político/ideológico e perder o foco do tema. O fato é que russos, americanos, franceses, etc. estão “cagando e andando” para o resto do mundo, eles vão defender os interesses de suas nações, e vão armar e financiar qualquer um que os ajude direta e/ou indiretamente nisso, vão suportar ditaduras cruéis, e quando outro país fazer o mesmo vão criticar e crucificar como… Read more »

Oganza
Visitante
Oganza

Melky,

é isso mesmo… fiquemos com os fatos e SE possível, escolhamos o menos ruim politicamente ou o mais lucrativo economicamente… pois apenas uma vez na história contemporânea a moral uniu os dois… lembram? Foi quando um certo bigodinho achou que a sua visão de mundo era a única visão de mundo verdadeira.

Grande Abraço.

Zmun
Visitante
Zmun

A moralidade passou longe da segunda guerra mundial, mas essa é uma outra história…

Oganza
Visitante
Oganza

Zmun, – não seja ingênuo… o argumento Aliado foi e sempre será completamente válido e verdadeiro, há não ser que os pilares da moral humana sejam reescritos… mas se vc quiser questionar a forma/execução de tal argumento nas centenas de milhares de situações questionáveis do conflito, tudo bem. Mas isso nunca refutará o argumento moral original, há não ser que o questionador seja um Nazi. Os próprios membros do “Izeki Grubem” passaram a questionar e ser afetados moralmente por suas ações… pois a moral não está escrita em papel, ela faz parte da Natureza Humana, assim como a sua quebra…… Read more »

Luciano
Visitante
Luciano

Oganza, no caso que colocou, onde a II Guerra posiciona a moral ao lado da guerra contra os nazi…talvez por isso seja o conflito humano contemporâneo ( e talvez da História Militar como um todo) mais representado em filmes, livros, séries, novelas e jogos de videogame. É fácil estereotipar os “mocinhos” e os “vilões” (nao descartando aqui diversos cenários contraditórios e interessantes, como o caso da Guerra de Inverno..os finlandeses ao lutarem contra os Russos eram “vilões?”) É fácil dizer “Olha, isso aqui é abominável e vamos destruir isso, pelo bem da humanidade!”

Macbeth
Visitante
Macbeth

Reinaldo Deprera O que significa “Save Ferris”??? Não vai ter como postar o link do artigo por várias razões, uma delas é que li o artigo a varias semanas e já não me lembro onde, outra é porque voce iria querer ver o link da materia se já tem sua opinião pre formada? Está duvidando ou quer simplismente ver a fonte para qualificar segundo seus filtros? Você fala de argumentos plausívies? Onde há tais argumentos no combate ao IS por parte do Ocidente? Gosto de ver videos sobre a guerra na Síria e estou sempre procurando por novos, se voce… Read more »

Macbeth
Visitante
Macbeth

Reinaldo Deprera
Desconsidere o que disse aqui
“Você fala de argumentos plausívies?
Onde há tais argumentos no combate ao IS por parte do Ocidente?”

Me lembrei dos ataques em Kobani e agora aos caminhões tanques
Você esta certo EUA combatem a mais tempo o IS

Oganza
Visitante
Oganza

Luciano,

é como eu disse: “se vc quiser questionar a forma/execução de tal argumento nas centenas de milhares de situações questionáveis do conflito, tudo bem…” – Os eventos que envolveram os Finlandeses, Izeki Grubem, etc… etc… fazem parte dessas centenas de situações, e ainda assim não refutam o Argumento Original.

Foi o único momento na história contemporânea onde o teatro, cenário, o discurso e os atores podiam ser classificados em Preto e Branco… – Mas como somos humanos, a nossa execução de ambos os lados foi completamente Cinza, como em todas as Guerras da Humanidade.

Grande Abraço.

Toleman Picoli
Visitante
Toleman Picoli

Interessantes são essas teorias da conspiração! Um vivente até citou que é bom que os EUA estejam olhando para o Oriente Médio, se não olhariam para o Brasil. Sabe quantos países democráticos os EUA atacaram em sua história? Nenhum! Nunca! Então por que atacariam o Brasil? Por causa de água? O Canadá e a Groenlândia são bem mais perto… Quanto ao relativismo moral dos pró russos, basta olhar os comentários do G1. Notícias que dão conta de ataques israelenses contra o Hamas, ou de algum ataque americano, já são taxados de genocidas, que matam criancinhas, etc, porém essas mesmas vozes,… Read more »

Toleman Picoli
Visitante
Toleman Picoli

Melky Cavalcante 7 de dezembro de 2015 at 20:00
Tive um debate com um antissemita pró-russo, que insistia que Israel fazia um “genocídio” dos árabes. Quando confrontei ele com os números de mortos até hoje entre árabes nesse conflito (48.000), e o número de chechenos mortos por russos (entre 60.000 e 150.000, dependendo da fonte), apresentando essas fontes, desde sites de ONG’s como HRW, livros como da autora russa Anna Politkovskaya, entre outros, ele alegou que eram fontes “fascistas”.
O problema é que o lado pró-ocidente reconhece seus erros e sua falibilidade, o pró-antagonistas-ocidentais não.