J-20 - protótipo de 2015
J-20

A China tem demonstrado nos últimos cinco anos grandes desenvolvimentos locais de equipamento militar e conhecimentos técnicos, como relata Zhao Lei.

No período desde o início do 12º Plano Quinquenal (2011-15), a China fez uma série de notáveis ​​realizações por meio de sua modernização militar e o Exército de Libertação Popular agora possui algumas das melhores armas do mundo, de acordo com especialistas e observadores.

“Desde 2011, a China vem testando dois caças furtivos de quinta geração, uma realização que a maioria de nós não se atrevia a pensar há cerca de 10 anos”, diz Wu Peixin, um observador da aviação em Pequim, disse. “Com o seu desenvolvimento avançando rapidamente e sem problemas, a Força Aérea do Exército de Libertação Popular (PLAAF) terá em breve um dos caças mais importantes do mundo.”

A indústria da aviação tem desfrutado de um período de ouro depois de décadas de esforços não divulgados em pesquisa e desenvolvimento de tecnologias de base, materiais e técnicas, acrescentou.

Em janeiro de 2011, a China realizou o primeiro voo de teste do primeiro protótipo do avião de combate furtivo J-20, tornando-se o terceiro país a desenvolver e testar em voo um avião de combate “stealth” de 5ª geração, depois dos Estados Unidos e da Rússia.

Menos de dois anos depois, o país testou seu segundo caça furtivo de 5ª geração, o J-31, uma vez mais deslumbrando observadores, pois poucas pessoas na época acreditavam que a China tinha a capacidade de desenvolver um outro avião de combate 5G.

J-20 protótipo 2017
J-20

Em setembro de 2015, o mais recente protótipo J-20 apareceu em uma instalação de teste de propriedade da Aviation Industry Corp of China, que está desenvolvendo as duas aeronaves, e fez uma série de voos de teste. Os testes levaram à especulação de que os engenheiros da AVIC, fabricante líder de aviões do país, está finalizando o desenvolvimento do avião, e que em breve será entregue aos militares.

Em novembro do ano passado, o J-31 fez sua primeira aparição pública em um show aéreo na província de Zhuhai, Guangdong. Embora não tenha havido sinais de que a PLAAF decidiu adquirir o jato, a sua existência oferece uma ampla gama de opções para complementar o J-20, disse Wu.

Shenyang_J-31_(F60)_at_the_2014_Zhuhai_Air_Show
J-31

A AVIC planeja colocar o J-31 para concorrer com o Lockheed Martin F-35 Lightning II no mercado internacional, Wu acrescentou.

Nos últimos cinco anos, a PLAAF e PLA Navy encomendaram um número de aeronaves de suporte avançado, como a KJ-500 de Alerta Aéreo Antecipado e Controle, o avião Y-8J a vigilância marítima e aeronaves de inteligência eletrônica Y-8GX8 , melhorando substancialmente a capacidade de processamento de informações e de guerra eletrônica, de acordo com Wang Ya’nan, vice-editor-chefe da Aerospace Knowledge.

“A incorporação destes aviões de operação eletrônica está ajudando a China a construir uma plataforma de informação unificada capaz de integrar e coordenar aviões de combate e armas de terra, bem como equipamento naval”, disse ele.

Gao Zhuo, um observador militar em Xangai, disse que a China nos últimos cinco anos introduziu tanques de classe mundial, lançadores múltiplos de foguetes e mísseis balísticos para suas forças terrestres.

CJ-10-GLCM-TEL-2009-1S
CJ-10A

Desde 2011, o míssil de cruzeiro CJ-10A, o míssil balístico DF-16 de curto alcance, o míssil balístico antinavio DF-21D de médio alcance, e o DF-26 de alcance intermediário foram todos colocados em serviço no Segundo Corpo de Artilharia, a força de mísseis estratégicos do país.

Gao disse que os novos mísseis apresentam uma gama de tecnologias de ponta em seus motores, materiais e sistemas de orientação.

WZ-10
WZ-10

Ele acrescentou que a capacidade de combate da Força Terrestre da China recebeu um grande impulso, graças à compra do tanque Type-99A, do veículo de combate de infantaria ZDB-04A, do míssil anti-tanque HJ-10, do obuseiro autopropulsado PLZ- 05A e do helicóptero de ataque WZ-10.

“A combinação dessas armas transformou a Força Terrestre da China em um Exército que não tem rival na Ásia”, disse Gao

FONTE: Xinhua

Subscribe
Notify of
guest
50 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Renato Carvalho
4 anos atrás

O dragão se fortalecendo….e o Brasil sendo corroído por dentro, triste sina!

ronilson
ronilson
4 anos atrás

como napoleão disse so e preciso ter uma coisa para fazer uma guerra dinheiro a mesma coisa vale para a tecnologia militar dinheiro e mais dinheiro investido e começa a aparecer os resultados

Oganza
Oganza
4 anos atrás

ronilson,

como vc disse… dinheiro e os maiores corpos Discente e Docente de/em engenharia per capto do planeta.

Ps.: Eles realmente merecem tudo de bom que eles possam conquistar, pois trabalham de verdade para isso.

Grande Abraço.

Tiago Silva
4 anos atrás

Acompanhando o desenvolvimento do material bélico Chinês com maior interesse na última década digo e repito quantas vezes forem necessária, a galera de Pequim não esta para brincadeira. Uma referência a isso que a matéria explica bem é a quantidade massiva de tecnologia em seus sistemas independente de qual seja,uma vantagem para a China é que os holofotes não estavam apontados para eles então foram desenvolvendo seus equipamentos quase que invisíveis para o restante do mundo. Estão construindo além de uma larga cadeia produtiva incorporando vários tipos de modelo muitos dos quais dentro de uma mesma categoria com variados valores… Read more »

bruno
bruno
4 anos atrás

olhem aqui o que os Yankees tem guardado para os chineses https://www.truthorfiction.com/stealth/

Francis Schonarth
Francis Schonarth
4 anos atrás

Não importa se não são os melhores, ao menos eles estão fazendo o DELES e com o tempo vão evoluindo.

País sério é outra coisa.

Jeff
Jeff
4 anos atrás

Realmente, os Chinas estão de parabéns. Como é ruim só ver os outros se desenvolvendo e levando a sério sua indústria bélica, que por tabela desenvolve muitas outras coisas no país.
.
Agora, além de Americanófilos e Russófilos, vamos ter aqui os CHINófilos também. Quem sabem um dia nós chegamos lá…

Renato Carvalho
4 anos atrás

Jeff, não vai demorar muito e começarão a aparecer comentários do tipo: xing ling, solta pecinha, blá, blá, blá..
A verdade é que vieram pra ficar, o limite? o tempo dirá!

hamadjr
hamadjr
4 anos atrás

Caro amigo Oganza

Aproveito seu Ps, com um acontecimento aqui em Santa Catarina em uma usina termoelétrica, a referida usina comprou um equipamento chinês, todo produzido lá, e quando vieram instalar não permitiram que a instalação deste equipamento fosse realizado por técnicos brasileiros, mesmo um simples ajustes, eles não só estudam e trabalham para isto eles vão mais longe, eles executam o que fazem, e como bem lembrou o Thiago, fazem o dever de casa sem chamar a atenção.

Jeff
Jeff
4 anos atrás

Pode até soltar pecinha, mas que voa voa né?? hehehe

Maico
4 anos atrás

bruno, esse é o F/A 37 Talon do filme Stealth. É só em Hollywood

Melky Cavalcante
Melky Cavalcante
4 anos atrás

Pesquisa e desenvolvimento impulsionam qualquer nação que tenha compromisso com essa causa, isso não é exclusividade da China, quem não investe nisso vai exporta commodities o resto da vida, se tiver, se não morre de fome.

manuel
manuel
4 anos atrás

A China caminha a passos largos pra ser a potência hegemônica. Não sei como os EUA vão lidar com a questão nos próximos 50 anos. http://blogdaengenharia.com/universidade-chinesa-ultrapassa-o-mit-e-esta-no-topo-do-ranking-em-engenharia/

Jose Souza
4 anos atrás

J-20 … cópia descarada do Mig 1.44… obviamente os motores do SU-35( AL-41F1) recentemente comprados pela China.. vão ajudar o J-20 voar como deve…pois voar até pato sai do chão…rs

Renato Carvalho
4 anos atrás

Ainda não vi pato lançando mísseis…

Aurélio
Aurélio
4 anos atrás

Se a China copia produtos ocidentais, ou outros, é porque tem competência para isto. Inclusive copia o sistema econômico-financeiro ocidental com bastante sucesso, tanto é que já é a 2ª maior economia mundial. Cada um com suas escolhas. O Brasil , não copia nada, e não desenvolve quase nada, a não ser agricultura e pecuária. Prefere ser o paraíso das montadoras, do que, desenvolver produtos próprios. Para saber quem está se saindo melhor, é só comparar os dois países. Simples assim.

Reinaldo Deprera
Reinaldo Deprera
4 anos atrás

O modelo de desenvolvimento tecnológico chinês não é muito diferente do da antiga URSS. Não há mercado de verdade na área de tecnologia na China. O que existe são “empresas” que, na verdade, são satélites de estatais. Concorrência, não há. Essas empresas de tecnologia são criadas de maneira artificial. O estado praticamente elege quem serão os empresários e quais serão as empresas. Essa distorção da realidade causa e causará diversos problemas. Isso não é sustentável. O conhecimento não é disseminado no mercado, mais especificamente, na mão de obra potencial. No povo. Se o que importa é, que eles estão fazendo… Read more »

Renato Carvalho
4 anos atrás

Democracia na China? com um bilhão e tantos pra dividir o bolo, sei não, tudo bem mas tem a India vão defender alguns, só que são povos com estruturas diferentes, indianos convivem muito bem com sua sociedade de castas, já o chineses mais disciplinados estão tomando gosto pelo consumo, não defendo os comunas, mas parece que estão se saindo muito bem do jeito que estão.

Iväny Junior
4 anos atrás

P&D é negócio pra quem pode. Esse caso da China me lembra a indústria japonesa até os anos 80 e início dos 90: produtos baratos e de baixa qualidade, com péssima imagem no mercado mundial. Com o investimento certo em P&D, T&P e tendo marcas chave como meta de qualidade (a Sony inspirou-se na Braun, e não foi a única, a Toyota e Honda em BMW e Mercedes, segundo os próprios executivos), e, 10 anos depois, estavam as grandes marcas japonesas reconhecidas no mundo. A China está fazendo o mesmo caminho. Ninguém se espante quando as marcas de lá forem… Read more »

Marcelo Bardo
Marcelo Bardo
4 anos atrás

Queria muito ver isto acontecer aqui um dia, mas com os políticos e o ciclo vicioso da corrupção que temos… simplesmente impossível.

caio
caio
4 anos atrás

” a China não tem mercado de tecnologia , suas empresas são satélites das estatais, os empresários são escolhidos pelo e China igual a URSS ” de qual universo você veio meu caro? Um vom certeza não haviam bons livros de História e Geografia pelo o menos da antiga sexta série pois , em meu Velho universo de bibliotecas físicas nada disso que você falou faz o mínimo sentido. A China desse universo se desenvolve com tecnologia desde 1949 quando concluíram a revolução comunista(só avisandoao povo de leitura primária,sem capacidade de maior interpretação, que não sou nenhum comuna) e terminaram… Read more »

augusto
augusto
4 anos atrás

mas falando dos stealths duvido da China não tenha problema com eles, todos tiveram EUA,Russia a China só não deve mostrar

dieter91360
dieter91360
4 anos atrás

Parabems para a China!!! Ainda o outro dia estave no Naval, e li uma materis sobre como eles lançam modernos navios de guerra construidos em casa, em numeros e com uma velocidade incrivel. Mas como sempre, ficam malhando os saltos gigantescos dados por lá. Dor de cotovelo. Inveja, mesmo. O que produzimos no Brasil na área de tecnologia militar??? Outra vez no Naval, li uma materia que me fez rir, para não chorar…acabamos de conquistar a tecnologia para fabricação propria de torpedos!!! Em pleno 2015!!! Mas vamos continuar malhando a China, vamos. Certos somos nós…

Victor Moraes
Victor Moraes
4 anos atrás

Eu apenas espero a crise econômica Chinesa que vai quebrar meio mundo. O sistema econômico da China é inviável, e tende a romper. Crescimento de mais de cinco por cento ao ano é insustentável socialmente, ecologicamente e financeiramente. Há um limite, e a China está atingindo este teto. As pessoas passarão a requerer mais, quando aprendem a consumir, e os custos a cada dia irão aumentando, ainda que o sistema de trabalho e recompensa na China seja semelhante à escravidão. Lá os trabalhadores cumprem mais de 44 horas semanais de jornada laborativa. E, bem, vê-se que os chineses copiam muito,… Read more »

carlosegoes
4 anos atrás

Victor, esse é o modelo que a cultura e o povo de lá mantém a milênios. O que os chineses fizeram foi pegar aquilo que mais interessava da cultura, dos valores e do sistema ocidental e adaptaram a sua realidade. Para nós pode parecer insustentável esse sistema (pois analisamos sob os nossos valores, mas para a sociedade deles, tem funcionado). Se eles estão certos ou errados, nenhum de nós temos o direito de julgar, pois cada povo e cada nação se constrói e se fortalece sobre a sua própria visão e cultura de seu povo. O que podemos apenas ver,… Read more »

Ednardo de oliveira Ferreira
4 anos atrás

Eles sabem que são singulares, e se tratam como tais. Dão soluções próprias deles. Apesar do regime ser comunista,em muitos aspectos é mais capitalista que a Europa ou América latina. A China é um caso único de país. Mais populoso do mundo, durante uns 3 séculos foi uma nação vassala de outros países muito menores (um verdadeiro leão criado como um gatinho) e que passou por um regime comunista. Sua cultura nunca foi expansionista. Consolidaram seu território e cultura tem mais de 1200 anos. Eles sabem que são um mundo. O que menos precisam é de gente. Mas precisam de… Read more »

Ednardo de oliveira Ferreira
4 anos atrás

Muitos xingam os chineses de produtores de Xing Ling. E são mesmo. Mas o Japão, Coréia do Sul e Taiwan já foram produtores de Xing Ling. Talvez eles levem 30 ou 40 anos para estarem no nível de EUA, Rússia ou Europa. Mas estão se preparando para isso. Eles formam mais doutores e mestres em engenharia por ano que a América Latina inteira forma em graduação. Quanto à democracia, que é desejável, ela é um sistema muito delicado. É aderente ao Ocidente porque ele tem muito a ver com a cultura judaico-cristã e tradições gregas e romanas que trabalham muito… Read more »

Bernardo R.
4 anos atrás

Desculpem, ainda acho xing ling. Os caras não sabem fazer nem ventilador que dure 3 semanas.
As únicas coisas que prestam “made of China” são de empresas estrangeiras lá instaladas para exploração de mão de obra barata.

Agora, aceito o argumento de que são uma preocupação futura. De fato, uma hora vão acertar.

Jeff
Jeff
4 anos atrás

Ou eu invejo os jatos da China, os Hélis, os tanques deles e etc, ou eu vou tentar ficar aqui o dia todo falando sobre as vantagens dos nossos F-5 modernizados em um cenário real de combate ou até mesmo de superioridade em patrulhamento de espaço aéreo.
.
😀

superjapaman
4 anos atrás

KKKK… Não vou entrar em discussão, mas dizer que o Japão já foi Xing Ling nos anos 80 e 90, é no mínimo falta absurda de conhecimento.

Delmo Almeida
Delmo Almeida
4 anos atrás

Caro editores, Gostaria de pedir que produzissem mais matérias apresentando para nós leitores os equipamentos Chineses, pois eu não sei muita coisa sobre eles. Ex: não conheço os mísseis chineses nem suas características, não conheço a força de REVO chinesa nem sei muito coisa sobre seus AWACS, bombas e mísses ar-terra, detalhes mais específicos sobre os caças chineses, submarinos, sistemas de radar e mísseis terrar-ar ou sup-ar e também exercícios com outras forças. Sei que será complicado fazer isso, mas vocês já produziram materiais de qualidade para falar dos equipamentos chineses. Me sinto especialmente leigo quando falamos em material chines.

Ednardo de oliveira Ferreira
4 anos atrás

Japão foi. Mas nos anos 40 a 60. Assim como Coréia ali pelos até os 80. A citação do Japão nos anos 80 e 90 como xing ling está onde mesmo?

Lewandowski
Lewandowski
4 anos atrás

Chamar o J-20 e o J-31 de 5G é forçar demais a barra. Poxa, nem a Rússia que tem uma indústria aeronáutica de primeiro mundo conseguiu, ainda, desenvolver uma aeronave dessas, quiçá a China! (Tem o T-50, mas ainda deve provar suas capacidades…)

Essas aeronaves ‘stélfi, cumpanheiro’, aposto que perdem feio para Typhoon, Rafale e SH… Basta apenas ter um nariz de Raptor que já falam em 5G.

Iväny Junior
4 anos atrás

Superjapamen “Em meados dos anos 80, os japoneses estavam começando a segunda guerra automotiva nos EUA, visto que nos anos 70 eles praticamente ditaram como os carros deveriam ser, conquistando clientes com carros baratos e econômicos, enquanto as gigantes de Detroit ainda apostavam em “barcas V8” queimando uma quantidade enorme de gasolina. A Honda deu o primeiro passo no sentido de buscar clientes de maior poder aquisitivo, já que o espaço entre os consumidores de renda mais baixa já estava consolidado. Assim, ela criou a Acura em 1986, que inicialmente começou sua vida apenas nos EUA e Canadá. Ela partiu… Read more »

carlos victor
carlos victor
4 anos atrás

adoraria ver o governo comprando o j-31,se colocasse algum motor ocidental para mais potencia,encomendasse um motor que coubesse no j-31 á snecma,fizessem uma versao naval dele para a MB,radar AESA,seria show de bola

Iväny Junior
4 anos atrás

Caros

Em breve as forças armadas vão poder avaliar tudo isso de perto. A Argentina já cedeu territórios à China para que esta crie bases avançadas (científicas e militares) em troca de vetores chineses diversos. Vamos ver se quando treinar Gripen x FC-1 eles soltam pecinha.

carlos alberto soares
carlos alberto soares
4 anos atrás

Oganza 1 de dezembro de 2015 at 16:15 Tiago Silva 1 de dezembro de 2015 at 16:22 hamadjr 1 de dezembro de 2015 at 17:22 Caros Colegas, é assim mas não é bem assim ! (rs) MI. Eles copiam e muito, mas muito ….. e são cara de pau ! A cerca de 3/4 anos trabalhava na Feira da Indústria em SAMPA/Anhembi com uma Empresa Alemã, um dos itens expostos uma PH 400 T DC CNC etc …. E não é que no final do expediente num dos dias nós literalmente “tiramos” um Chinês de dentro da máquina ! rsrsrsrs… Read more »

M. Silva
M. Silva
4 anos atrás

“O que menos precisam é de gente.
Mas precisam de recursos ”

Futuros colonizadores do Brasil. Temos o que eles querem e eles podem nos exportar o que lhes sobram. E eles têm menos escrúpulos do que nossos antigos cafetões.

Nós, nem para copiar servimos.

O ocidente ainda vai gemer debaixo dos chineses.

Se os armamentos deles funcionam bem, não sei. Mas conseguirão melhorar cada vez mais até se tornarem uma potência militar de primeira grandeza.

Nonato
Nonato
4 anos atrás

Irany. Não sei bem quanto aos momentos em que cada empresa japonesa começou a atuar e se consolidar.
Mas lembro que Luiz Fernando Verissimo tinha uma coluna humorística na veja.
Em Dezembro de 1983 eles fez a retrospetiva humorística de 1984… considerando que muitos eventos se repetiam…
Relatou que Serginho do São Paulo havia sido expulso mais uma vez por exemplo. Kkk.
Mas o que interessa. Relatava uma greve em Detroit. E que o presidente americano chegava lá para negociar com os grevistas…
Numa hilux… eu bolava de rir com essas coisas…

Jeff
Jeff
4 anos atrás

“E não é que no final do expediente num dos dias nós literalmente “tiramos” um Chinês de dentro da máquina ! rsrsrsrs Hilário, mas verdadeiro.
Ele estava tirando fotos e já enciando para o pessoal do seu Stand.]
Deu maior zica, segurança e o escambal”
.
Já vi isso em feiras também, eles fotografam tudo na cara dura mesmo. Já os que tem mais grana simplesmente compram a máquina e fazem uma reversa nela tranquilo.

Iväny Junior
4 anos atrás

Nomato

Década de 80.

Emerson R.B
Emerson R.B
4 anos atrás

É triste ver comentários de gente falando de “milagre chinês”,como se fosse um pais livre economicamente e individualmente .OS caras copiam tudo, como os colegas ai de cima ja disseram, NÃO SÃO NADA criativos.E sim regulam a economia, com empresas de fachadas que por trás fazem um trabalho pro estado. Assim como houve investimento AMERICANO na URSS depois do final da segunda guerra mundial.A China tbm recebeu toneladas de investimento americano pra ser o que é hoje.Esse crescimento econômico não é fruto do comunismo jamais.Mas é claro sempre tem aquele teatro pra ingles ver que sempre engano OCIDENTAIS bacacas, e… Read more »

Nonato
Nonato
4 anos atrás

Ivany. O que é década de 80?
Lembro que naquela década havia uma disputa acirrada entre japoneses e americanos para ver quem construía o supercomputador mais rápido.
Em determinado momento os japoneses, com dinheiro sobrando e o Nikkei nos 30.000?pontos) com P/L de 100, compravam o rockfeller center e a universal Studio símbolos do capitalismo americano.

Shinigami
Shinigami
4 anos atrás

Iväny Junior 1 de dezembro de 2015 at 20:19 P&D é negócio pra quem pode. Esse caso da China me lembra a indústria japonesa até os anos 80 e início dos 90: produtos baratos e de baixa qualidade, com péssima imagem no mercado mundial. *************************************************************************** Os anos 80 e 90 foram os anos dourados japoneses foi a década que mais eles inovaram em tecnologia eletrônica os carros já bombavam na década de 80 no Eua. O amigo deve ter errado os produtos japoneses eram vistos como porcaria na década de 50/60/70. Sobre carros as montadoras japonesas sempre foram focadas no… Read more »

Shinigami
Shinigami
4 anos atrás

Quando disse década de 90 até 93 foi bom depois disto foi só ladeira a baixo. Depois que a bolsa de Tóquio estourou as Chaebol Coreanas vieram em socorro oferecendo dinheiro em troca de compartilhamento de tecnologia os conglomerados japoneses no desespero toparam e em menos de 1 década os coreanos conseguiram a proeza de ultrapassar os japoneses com as mesmas tecnologias que eles venderam para os coreanos. Muita coisa que os japoneses investiram décadas de pesquisa eles deram de presente aos coreanos pensando que poderiam se manter na frente com o dinheiro que eles forneceram porem erraram feio em… Read more »

Shinigami
Shinigami
4 anos atrás

Sobre produtos militares chineses eles estão melhorando e a velocidade é impressionante, eu gostaria de saber quanto eles estão investindo no setor de P&D militar eu acho que a quantia pode ser até superior a americana em PPC..
Nesta velocidade mais 2 ou 3 décadas eles alcançam o Eua em qualidade do hardware militar isto se a economia deles continuar crescendo a passos largos.

Carlinix
Carlinix
4 anos atrás

Enquanto no Brasil continuar formando mais advogados que engenheiros a tendência será essa, vermos os outros evoluindo o nós regredindo.

Iväny Junior
4 anos atrás

Shinigami Sim. Até os anos 80/90 o negócio era visto como ruim. Nestes anos, aconteceu a elevação do padrão de imagem e qualidade. Os anos dourados ainda estão sendo vividos, tanto que eles conseguiram brigar no segmento qualidade com todos os líderes mundiais de mercado (Sony é mais conhecida que a Braun, Nikon e Canon do que a Leika) mas onde eu mais vejo isso é no mercado automobilístico que Honda e Toyota tinham como meta BMW e Mercedes-Benz. Hoje eles conseguem até baté-los em alguns critérios: http://www.dw.com/pt/carros-japoneses-d%C3%A3o-menos-problemas-que-os-alem%C3%A3es/a-421841 Saudações

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
3 anos atrás

Os chineses nao possuem nem o maior corpo discente per capita do planeta, e muito menos o maior corpo doscente per capita do planeta.

A maior parte da população vive no campo. A China é um paìs predominantemente agrário, e que faze copia de tudo.

Não existe R&D nose molded americanos. Tudo è feito na base da força bruta (Espionagem industrial e militar + engenharia reversa).

Alex
Alex
3 anos atrás

Alguém disse que os japas dos anos 80 e 90 produziam SEM qualidade? Desde quando? Nos anos 80 o Japão já figurava entre os melhores e maiores no mundo da alta tecnologia. Já havia Sony, Toshiba, Toyota, Nissam, Mitsubishi e outros, muitos outros. É verdade que os japas da década de 60 se assemelhavam a china dos anos 90. Mas anos 80? O ensinamento samurai é o seguinte: Primeiro aprender, depois igualar e posteriormente superar o mestre. Simples assim. E como foi dito acima, comodities, enquanto tivermos seremos exportadores somente disso. Mas só vamos nos incomodar e nos mexer de… Read more »