segunda-feira, dezembro 6, 2021

Gripen para o Brasil

AV-8B contra o Estado Islâmico

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

AV-8B decolando para atacar o ISIS - FOTO USN

A aviação dos Fuzileiros Navais dos EUA também participou da Operação Inherent Resolve contra o Estado Islâmico no Iraque durante a semana. Jatos de ataque AV-8B Harrier pertencentes ao Marine Medium Tiltrotor Squadron (VMM) 162 (Reinforced), baseados no navio de assalto anfíbio USS Kearsarge (LHD 3) realizaram sua primeira missão contra o EI.

Veja o restante desse post no blog do Poder Naval

- Advertisement -

7 Comments

Subscribe
Notify of
guest
7 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
carlos alberto soares

Ampliada, linda foto !

Alexandre Samir Maziz

Nossa marinha poderia usar o AV-8B Harrier no lugar do A-4 que já não esta servindo para nada mesmo somente peça de museu o que acham ??

Clésio Luiz

Interessante com os Marines não se interessaram pelo cabides adicionais que os Harriers ingleses tem à frente das pernas retráteis nas asas.

https://www.irishairpics.com/images/reports/raf_harrier_retires/RAF_Cottesmore_-_Harrier_GR9_ZG477with_a_1F_Squadron_special_tailxxxIMG_2815_ZG477.jpg

Clésio Luiz

Já sobre a ideia de não precisar de pistas, ela morreu antes do Harrier entrar em operação, já que ficou bem claro que a decolagem vertical com armamento se mostrou impraticável.

Então se optou por decolagem curta com pouso curto ou vertical. Mas se para cumprir as missões ainda se é necessário pistas, muitos questionam porque optar pelo Harrier no lugar de um Jaguar, por exemplo, que tem carga paga/raio de ação maior e também opera de pistas de terra improvisadas.

Mas vale observar que para uma mesma carga, o Harrier ainda decola em menos pista que qualquer outro caça.

Iväny Junior

Caro Roberto Santana

Eu acredito que além do resultado das Malvinas, o Harrier demonstrou um poderio excepcional e ainda atual. Relatos dos pilotos dizem que ele é muito manobrável em alta ou baixa altitude, e, que antes do conceito multirole ser massificado, ele já o era. Já esteve em ação várias vezes e sem abates e demandou um “filho” f-35b, para que seus súditos Marines não ficassem órfãos.

Saudações.

Últimas Notícias

Finlândia deve escolher jatos F-35 na concorrência de US$ 11 bilhões

A Finlândia deve escolher os caças F-35 da Lockheed Martin Corp. em sua licitação de 10 bilhões de euros...
- Advertisement -
- Advertisement -