Home Aviação Desportiva Icon Aircraft A5: este será o seu próximo avião

Icon Aircraft A5: este será o seu próximo avião

3485
16

Icon Aircraft A5 - 1

Fundada por um ex-piloto de F-16 e por um designer de skates, a Icon Aircraft lançou seu primeiro avião, o A5, que já tem mais de 1.500 encomendas no valor de US$ 400  milhões. O projeto do avião levou cerca de 10 anos de pesquisa e desenvolvimento e US$ 100 milhões em custos.

Pesando cerca de 450kg e com envergadura de 10,37m, o A5 é uma mistura de carro esportivo, lancha e avião.

Ele tem um cockpit enxuto, que mais se assemelha ao de um carro do que o de um avião convencional, é de fácil leitura e controle para os 40 por cento dos clientes que não são pilotos. A aeronave não requer um aeródromo e pode ser dobrada para caber em um trailer, efetivamente abrindo as vias aéreas para qualquer um. (qualquer um, isto é, que tem uma licença de piloto desportivo e pode pagar o preço de US$ 197.000).

Icon Aircraft A5 - 2

Ele é o primeiro avião resistente a parafusos certificado pela FAA, tecnologia provada pela NASA nos anos 1980, mas nenhuma companhia havia atingido os padrões da Federal Aviation Administration até agora.

O fabricante diz que o A5 é muito indulgente se o piloto comete erros. Ele dá todos os sinais de alerta, mas se o piloto ficar em apuros o avião não vai perder o controle e cair do céu. Ele vai apenas reclamar e continuar voando.

Uma peça fundamental da tecnologia que faz com que o avião seja mais seguro e mais fácil de voar é o medidor de ângulo de ataque, que informa o piloto se está em perigo de estolar. O instrumento é o primeiro de seu tipo para a indústria da aviação.

A Icon Aircraft acredita que a era do voo pessoal está no horizonte e que os próximos 20 anos vão tornar a aviação muito mais popular.

Icon Aircraft A5 - 3

Empresa: Icon

16
Deixe um comentário

avatar
16 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
7 Comment authors
Franco FerreiraRoberto F SantanaDexterRafael OliveiraRoberto Bozzo Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Rinaldo Nery
Visitante
Member
Rinaldo Nery

Gostei! Assim que receber o 13° vou encomendar um.

Yluss
Visitante
Member
Yluss

Ao Rinaldo, que sei que é profissional das asas: fiquei tão bem impressionado com as matérias acima que fui ao site do fabricante e fiquei totalmente alucinado…

o vídeo da performance pré stoll é incrível! esse bicho não estola não? não vi o parafuso.. é possível que não entre em parafuso de jeito nenhum?

Pena que não temos aqui por esse preço nem temos o financiamento adequado para ter um desses. E se tivéssemos, entregas lotadas até 2019 😀

Sds o/

Rinaldo Nery
Visitante
Member
Rinaldo Nery

Não sou engenheiro aeronáutico (tem gente que posta aqui que é), mas acredito que seja possível. O parafuso ocorre quando uma asa estola antes da outra, ou quando a aeronave está descordenada (leme comandado), ou ambos.

Rafael Oliveira
Visitante
Member
Rafael Oliveira

Existem aviões anfíbios “fabricados” no Brasil, bem mais simples que esse daí.

Já vi reportagens com o Super Petrel e o SeaMax, por exemplo, e achei interessantes. Se alguém aqui já voou neles, gostaria de saber a opinião.

Franco Ferreira
Visitante
Franco Ferreira

Rafael – Pelo menos os Petrel são, realmente, fabricados aqui no Brasil, desde 1991. De “Venturas etc.”, extrai: “O ensaio do Petrel AV – Início de 1992 O ensaio consistia principalmente, em filmar – isto mesmo: filmar – o ultraleve em questão saindo de um parafuso. Tudo começou vários anos antes. Eu havia adaptado um amigo e ensinado a mais dois, ao voo de ultraleves. José Florentino Santos dos Reis, cento e trinta quilos foi um dos que aprendeu. A instrução dele era sempre conduzida em Ubatuba com somente dez litros de combustível no tanque e no lusco-fusco da aurora.… Read more »

Roberto Bozzo
Visitante
Member
Roberto Bozzo

Srs desculpem o offtopic, mas Aldo Rebelo é o novo Min. Defesa. Acabou de sair no uol.

Rafael Oliveira
Visitante
Member
Rafael Oliveira

Muito obrigado, Franco Ferreira.

História interessantíssima e, como tudo deu certo, um ótimo negócio rsrsrs.

Eu coloquei “fabricados” porque não sabia se era um kit importado e montado ou se era realmente fabricado. Agora ficou clara a situação.

Vi agora que a Edra virou Scoda Aeronáutica.

E acredito que o texto tem um pequeno erro. O voo foi em Ipeúna (sede da empresa), não?

Abraço!

Franco Ferreira
Visitante
Franco Ferreira

O voo foi em Ipeúna. Vou verificar e corrigir no livro. Grato!

Franco Ferreira
Visitante
Franco Ferreira

Rafael Oliveira.

Verifiquei… Que mancada! Iperó, na Fazenda Ipanema, era a sede do curso de pilotagem agrícola. Há histórias lá, também. Outras histórias…

Obrigado. Vou corrigir.

Rafael Oliveira
Visitante
Member
Rafael Oliveira

Franco Ferreira, não há de quê.

Eu moro em Sorocaba, perto de Iperó, por isso estranhei e lhe perguntei.

Pouca gente sabe que o avião Ipanema tem esse nome por causa da Fazenda e não por causa da praia.

Não tenho dúvidas que tenha muitas histórias sobre o local. A história e o presente são riquíssimos, da Real Fábrica de Ferro à Aramar e o projeto de submarino nuclear.

Franco Ferreira
Visitante
Franco Ferreira

A fábrica de ferro ganha de lavada… Eta lugarzinho bem conservado e carregado de história. A pistinha da Fazenda, também. E ainda há alguns personagens do passado lá que fizeram história na Aviação Agrícola, antes de exterminarem com ela!

Dexter
Visitante
Dexter

Cel Franco Ferreira.
Obrigado por postar mais uma ótima passagem de seu livro. Sou leitor assíduo do PA, mas pouco comento… Vim aqui para lhe dar parabéns. Quanta experiência de vida.

Roberto F Santana
Visitante
Member

Durante os testes de estol, parece acontecer algo de interessante com a aeronave. A maneira clássica e correta de se levar uma aeronave ao parafuso é mesmo como a que se segue no vídeo. Nivelada, retira-se ou não a potência, vem o estol e induz-se o avião à guinada através do leme, que é comandada nos pedais. Essa guinada faz uma asa recuar em relação à outra, ela, portanto fica mais lenta, aumenta seu ângulo de ataque e estola. A outra asa ainda tem sustentação e continua voando em torno da aeronave, é isso que faz o avião girar em… Read more »

Franco Ferreira
Visitante
Franco Ferreira

Roberto Santana, Bom dia!

Você pode colocar o link para o mencionado teste. por favor?

Franco Ferreira
Visitante
Franco Ferreira

Roberto Santana;

Não precisa mais… Já achei! Veja 1:48 – Parece que entra no invertido. Também tem o acelerado, o invertido acelerado, o de tráfego, o de velocidade, cada qual com uma entrada diferente, recuperação diferente (se Você conseguir entender porquê está rodando, bem entendido).

Ah! Tem mais: o trem-de-comando tem q

Roberto F Santana
Visitante
Member